Ó Paulo Tavares, tu tira uma sabática para curar isso

Queimados por más experiências nas últimas décadas, confundimos eleitoralismo com despesismo. Alguém pode dizer, sem confundir desejos com realidade, que estamos hoje no mesmo ponto em que estávamos em 2009? Quase um ano depois da queda do Lehman Brothers e com uma tempestade perfeita a formar-se à escala global, José Sócrates atirou-se a um aumento de 2,9% para a função pública. Aí, todos os adjetivos foram válidos.

Paulo Tavares

__

Transformou-se num fenómeno do Entroncamento. Este amigo, uma semana depois, volta a repetir uma calinada inadmissível até num jornalista que estivesse a estrear a carteira. Desta vez, aumenta a tonteira ao introduzir o calendário do Lehman Brothers, o qual alega conhecer. Como explicar a estupidez e a mentira? Bom, acaba por ser fácil. Como a intenção é usar o aumento que o Governo de Sócrates – com os votos do PSD – deu aos funcionários públicos em Outubro de 2008 para entrar em vigor no ano seguinte, Paulo Tavares transfere para 2009 o seu nascimento de modo a reforçar a ideia de ter sido algo “eleitoralista” numa escala nunca vista, um acto de loucura a merecer a eterna condenação das gerações seguintes. Factos? Cálculos? Contextos? Dispensa. Isso iria perturbar o exercício sectário, a demagogia jornaleira nascida da sua displicência e soberba.

Dito isto, pode ser que este amigo tenha investigado o assunto, como mais ninguém antes ou depois, e tenha descoberto que o Lehman Brothers faliu na verdade em 2007 mas que conseguiu guardar segredo até Setembro de 2008. É uma hipótese. Seguramente mais simpática do que todas as outras que me ocorrem para explicar a sua fixação e a sua deturpação.

4 thoughts on “Ó Paulo Tavares, tu tira uma sabática para curar isso”

  1. Não sei por que caralho é que insistes em chamar “calinada” a uma fórmula discursiva criada com um objectivo bem claro e com resultados consolidados. Nem tão pouco compreendo por que raio é que continuas a tratar por “jornalista” reconhecidos comissários politicos.

  2. MRocha, não o vejo como um comissário político. Acho que é apenas um daqueles casos de embirração soberba, agora com a repetição transformado em orgulho tonto. Tão tonto que mente boçalmente.

  3. Lehman Brothers Holdings Inc, 15 de setembro de 2008, a empresa pediu falência, já que vinha tendo prejuízos causados pela crise dos subprimes nos Estados Unidos….vem na wiki. em outubro vieram os aumentos? nem com um nariz do entroncamento farejou a crise? governantes servem para antecipar cenas, depois da casa roubada qualquer um mete fechaduras.

  4. Valupi, será o que lhe quiseres chamar. O que não vale o esforço é tentarmos fazer de conta que o cavalheiro não atinge o alcance politico das afirmações que faz e quem beneficia delas. Portanto…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.