O palimpsesto da crise da licenciatura

O que me preocupa na crise da licenciatura do Primeiro-Ministro é o estado do PSD. Coitadinhos. É mais grave um vazio de poder no maior partido da oposição do que todas as tropelias do Governo, juntas. Porque quem está a tomar conta disto não escapa ao holofote, a qualquer altura pode levar nas orelhas. E no PSD, que está a acontecer? Quem é o treinador de reserva? O que irá ser daquilo, quem lhe irá pegar? O melodramático e vácuo Menezes? O sebastiânico e ignoto António Borges? O “não me fodam” e “vão para o caralho” Rui Rio? O professor e aluno traquina Marcelo? O delirante e em delírio Santana? Uma gaja?

Aposto numa gaja. Gira. E tesuda, para endireitar o País. Caso a Ségolène perca, proponho que se lhe faça uma proposta de transferência para o nosso campeonato.

18 thoughts on “O palimpsesto da crise da licenciatura”

  1. “Na UAL também há esquemas iguais aos da UNI. Que o diga o filho do professor Almaça, que foi “aprovado” a Matemática na secretaria, avaliado a duas cadeiras pelo pai e a outras duas pela tia. Mas antes o exame de Matemática tinha sido elaborado pelo professor que lhe dera aulas de apoio e que treinara com ele os exercícios da prova. Mesmo assim foi à oral, onde chumbou, apesar do PROFESSOR ter tido ordens para dar 10 a todos, o que não fez. Lixaram-no de imediato. O IGES apareceu e neste caso funcionou, obrigando o rapaz a repetir as 4 cadeiras. O Almaça é do Povinho e o Pinto de Sousa da Nobreza. Daí as diferenças de actuação do IGES”.
    Quitéria Barbuda

  2. Não vale adivinhar qual é a opinião do José do Carmo Francisco sobre estas suas espaideiradas a torto e à Direita. Mas a minha é a de que a merda não anda muito diferente por esse mundo fora. Andam todos à espera da abdicação do Bush ou então ainda não leram o seu post sobre os benefícios dum soninho reparador.

  3. Valupi, não andas muito longe da verdade, por certo, a Paula Teixeira da Cruz está a fazer-se ao bife. É mulher do gajo do BCP…

  4. Valupi,

    É porque corre por aí o boato que o referido senhor não se mete em políticas, ainda por cima quando você entra a estoirar. É só, nada de mistérios (mas morro de curiosidade para saber em quem ele costuma votar, assim a cor, etc.). Grato por ter perguntado.

  5. O PSD nunca mais se recompôs do susto do tabu, já lá vão muitos anos. E já nessa altura metia medo ao próprio lobo mau.
    Mas agora os baronetes têm que administrar o pé-de-meiazito e reformaram-se da política. Ficou lá só um refugo, que continua a ser a sinopse perfeita do país geral.

  6. Fernando,

    Sempre. Aliás, é também para isso que cá estamos: para receber a inteligência dos leitores.
    __

    py

    Bem lembrada, essa febra. Um bocado fria, mas podia compor-se o ramalhete.
    __

    W. Sobchak

    Não, obrigado. Esse fica para vocês. E que vos faça bom proveito.
    __

    Obversador (desta, respeitei a grafia)

    Confesso que não sei do que falas. E, de resto, o homem está por cá. Fará e dirá o que lhe der na gana.
    __

    jagudi

    Bem verdade. Bem verdade.
    __

    sininho

    Parece uma aposta ganha.

  7. Anonymous

    E porque não? Que problema pode ter o uso conotativo do vocábulo, se está em causa uma ideia de duplicidade e de sobreposição? E de onde te vem essa ideia absurda da palavra mais abusada da Língua?…

  8. py

    E está “apenas” a 20 anos-luz…
    __

    ana

    Cuidado. Não deixes que a mastodôntica versatilidade te obnubile a roedora ironia.

  9. Maravilho-me! após quase um ano de ausência o nivél por aqui é de facto supremo.Que bem fiz em ausentar-me e que bem farei em não mais regressar a tão vazio e decadente lugar! Xáuzinho !…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.