O melhor 2015 de sempre

Agradeço a simpatia dos seguintes amigos que por aqui deixaram saudações festivas, pedindo desculpa aos que eventualmente tenha deixado escapar:

cavaleiro da parva figura
jpferra
Corvo Negro
jafonso
P
Nuvorila
Carlos Sousa
Manolo Heredia
Manuel Pacheco
Roteia
fifi
Olinda

E celebro a presença de todos quantos por aqui passam, seja em silêncio, para falar, gritar, insultar, brincar ou aparvalhar. É uma estranha, mas muito cómoda, forma de comunicação esta das mensagens escritas. Dizemos o que queremos, quando queremos, como queremos e só se quisermos. Grande liberdade que cria também a grande tentação para se abusar dela – como de tudo o que é de graça e gracioso.

Os blogues são há vários anos, desde a chegada do Facebook e do Twitter (para não ir mais longe), canais já quase arcaicos que estabilizaram em audiências mínimas sem qualquer relevância sociológica ou política. Como disciplina interior, gosto de conservar a imagem, que mantenho desde o início, de que o Aspirina só chega a 100 pessoas por mês e nunca tem mais do que 20 leitores realmente apreciadores. Números que, a serem esses, me deixariam espantado pelo tamanho enorme do grupo assim criado. É que isto não é mais do que um passatempo, o qual tentamos que seja igualmente um tempo bem passado.

Vamos ter o melhor 2015 de sempre. Coisas excelentes, umas, magníficas, outras, vão acontecer. Não se sabe é a quem. Nalguns muitos casos, nem se saberá porquê. Nem isso importa. Basta que em 365 haja pelo menos um dia verdadeiramente novo.

26 thoughts on “O melhor 2015 de sempre”

  1. (2015 será de certeza melhor que os anteriores; pelo menos estaremos mais perto de ter um presidente da República.)

    não nos conhecemos mas tens qualidades para ser um amigo daqueles que gostamos de ter por perto, mesmo que não tomes banho. um grande abraço virtual e obrigado por todos os extasiantes momentos “literários” que nos proporcionaste.

  2. Val e restante galera,
    Apesar de nem me identificar com muitas das elaborações desta casa, muito obrigado por me terem proporcionado, no ano que passou, a satisfação de perceber que, num momento de calamidade nacional e internacional, política, económica e institucional, ainda existem lugares de refúgio para a inteligência cívica que não deixa morrer de vez a Esperança em dias melhores. Bom Ano.

  3. Bom 2015. Muitos parabens por um ano mais. A seguir com essa força e sapientia.
    Muito respeito por iste santuario da palavra.

    Felicidade para todos quantos por aquí partilham desta vital nau.
    abraço.

  4. Valupi veja lá se não tem o contador avariado. Arcaico nada! Nem pense fechar. Ainda há gente que não vai ao “facecoise” nem Twitter.
    Bom ano para todos os aspirinas.

  5. Val faço minhas as palavras dos comentadores anteriores. O Aspirina B para mim é o ABC que todos necessitamos. Respira-se liberdade e democracia. Embora haja um ou outro que não comunga deste ideário. Mas… o problema é deles. Um bom ano de 2015.

  6. hum, vossemecêi tá mai belhu, debe tere mai juijo e tamém mai sençivilidade, hum, debes pençare qeu benhu aquie aparbalharrre, mas oube, se leçes o qeu iscrebu berias ca tenhu razãoe. orra toma lá taméie um vom anu pra tie e prós teuse, pázinhu. ó rebuare.

  7. Correcção
    A arte nos primeiros minutos do Ano

    A Melhor Natureza Morta dos Últimos 100 Anos e é de Um Português!

    A melhor Natureza Morta dos últimos 100 anos e é de um português!

  8. Obrigado ao Valupi e a todos os escribas do Aspirina. As vossas análises e artigos são alimento diário, uma inspiracão e uma esperanca. Bom Ano para todos!

  9. Como leitor interessado deste blog e necessariamente com uma visao exterior mais ampla ( e mais educação, já agora) da que o do valupi gostaria de agradecer a todos os comentadores que o valupi não mencionou, mas especialmente ao Ignatz e ao Gungunhana. Aprendi imenso convosco mesmo sem concordar. Obrigado e Bom 2015.

  10. Sabes Val, esta altura do ano é sempre muito confusa, deseja-se tudo de bom a todos e no resto do ano é como sabes… Ou melhor, como todos sabemos. Continua se puderes, eu, por mim, e enquanto puder, venho cá todos os dias, às vezes mais do que uma vez…
    Abraço!

  11. Faço minhas as palavras de quantos me antecedem especialmente as daquele amigo que pede persistência a Valupi “pois ainda há muitos que não alinham no Facecoiso nem no Twitter” Para todos o meu mais cordial abraço 2015!!!

  12. Caros amigos, as vossas palavras honram este pardieiro situado nos baldios da Internet.

    A minha referência aos blogues versus Facebook e Twitter é uma repetição já com anos que faço por aqui. Não se trata de um lamento, antes de uma constatação que me aparece benéfica. Consiste em gostar de ter os pés no chão e saber que eles nos podem levar para onde a nossa vontade quiser.

    Mas é um facto que o formato da comunicação em blogues, onde há autores que publicam na montra e comentadores que publicam na cave, está ultrapassado pelos novos modelos de comunicação digital. Isso apenas significa que é mais recompensador, eventualmente, estar a ser parte de conversas no Facebook e no Twitter do que nos blogues. A menos que o diálogo seja entre blogues, ai estando restabelecida a paridade democrática e o estatuto de autor.

    Antes e acima de tudo, e posto que a vocação deste blogue é a discussão política da política corrente e sua espuma dos dias, será especialmente útil para todos ter uma lucidez implacável a respeito do tempo que damos ao que fazemos – e a respeito do tempo que não damos ao que podíamos fazer. A política, num certo sentido essencial, será essa luta ou essa arte.

    Não faço ideia por quanto mais tempo o Aspirina B existirá com autores activos. Desconfio é que não durará mais 100 anos. Até ao seu fim, porém, que a festa continue e seja brava.

  13. O Aspirina acaba de ser ,não um anti-pirético, mas um poderoso tónico para que eu arranje vontade para continuar a publicar a minha modestissima Gazeta, ela que desconhecia ter a soul brother na Net !
    Keep the good work !

  14. Ó manele m, pázinhu, oube, inganastete, isquecestete do «UP», meuzinhu, tás a bere, tu queres dizere é kipe ape the gud uorque, tás abere.

  15. Elegi aqui o papa como personalidade do ano, propositadamente quando ainda não tinha começado a campanha. Depois ouviu-se muitas vezes o nome de Snowden. O próprio Assange acaba de dar uma conferência brutal. Isto tudo para dizer que a intenção inicial do facebook era engatar gajas e presumo que cumprisse bem o objectivo nos dois sentidos. Mais do que isso, até era capaz de admitir algum interesse se tivesse que gerir alguma organização em termos mais mediáticos mas como a única vida que tenho para gerir é a minha e é privada. Em suma e pesando os contras todos precisava de ser muito mais vaidoso.

    A blogosfera tem um problema terrível com o anonimato mas não é para todos.

  16. É que nem pense Valupi, em deixar de nos deliciar com os seus textos acutilantes, oportunos, repletos de argúcia e sobretudo de qualidade. Eu também sou adepto do Face, mas nem por isso deixo de ser um leitor assíduo do Aspirina B, do Corporações, do Jumento, do Ventos Semeados, do Jeito Manso, etc…. e, além disso trabalho 10 horas por dia e também tenho o meu próprio espaço na blogosfera, um pouco adormecido, mas vivo. Por isso vamos em frente neste 2015 com o Aspirina B, porque 2016 é já ali à frente. Um abraço.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.