O maniqueísmo só nos faz mal

2ª parte da entrevista

__

Rumsfeld, para muitos, devia ser julgado por crimes de guerra. E Jon Stewart, para muitos mais, representa o melhor da esquerda americana enquanto intervenção crítica adentro da indústria da política-espectáculo. Este é o contexto para a curiosa prestação dos dois acima mostrada. De um lado, temos um dos homens mais poderosos à face da Terra, protagonista de uma guerra absurda por ter nascido de mentiras fabricadas pelos Estados Unidos e por continuarmos sem conhecer os seus reais efeitos para a região e para o Mundo. Do outro, temos um dos jornalistas mais acutilantes e militantes, ao ponto de já ter inscrito o seu nome na história da sociologia política. Que resultou? Não é evidente. Tanto pode ter sido um fiasco, como um confronto de génios, como até uma vergonha.

Mas esta certeza podemos ter: estavam muito satisfeitos por se exibirem juntos. Não se vê o menor sinal de ressentimento em Rumsfeld, bem pelo contrário, e o Jon parece que está a discutir com a sua professora primária, cheio de cuidados e mesuras. O que não é necessariamente mau, nem necessariamente bom, mas que seguramente introduz fértil complexidade onde outros apenas admitem o maniqueísmo.

3 thoughts on “O maniqueísmo só nos faz mal”

  1. Alguém acredita que este jornalista-entertainer não está ao serviço do Poder, nos EEUU?
    Acho que não!

  2. Fiasco não foi, de certeza. A tensão é gigantesca, e brilhante. E Stewart está cheio de cuidados porque isto não é uma entrevista. É um concurso a ver quem pestaneja primeiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.