O longo braço da máfia socrática

O SIMplex foi elogiado pela ONU. Não, não se trata do famigerado blogue, mas também com ele se relaciona, afinal. É que isto anda tudo ligado. Aparentemente, o Governo de Sócrates não se limita a levar o País à bancarrota enquanto enche os bolsos aos amigos, tese que tem sido amplamente divulgada pela oposição e comunicação social não situacionista, igualmente lhe dá para levar a cabo reformas e lutar por uma sociedade inovadora. Este aspecto marginal de uma actividade que é essencialmente corrupta e corruptora, esta bizarra preocupação com o futuro da população por parte de quem saca milhões e milhões para as suas contas na estranja, aparece agoira realçado pela ONU, vejam só o desplante a que se chega.

Qualquer dia teremos investigadores a estudar este forma tão pouco lusitana de roubar o Estado, a qual passa por fazer reformas na Segurança Social, Saúde, Educação, pela política de energia vanguardista, pelo investimento na ciência e na tecnologia, pelo integral respeito da liberdade de expressão até ao ponto de se suportarem sucessivas vagas de assassinato de carácter como nunca antes se tinha visto fazer em Portugal.

Estes corruptos do Governo e do PS são muita burros, fosga-se.

10 thoughts on “O longo braço da máfia socrática”

  1. Toda a gente sabe que a ONU, e restantes entidades que de vez em quando opinam sobre as mudanças em Portugal não interessam para nada. Porque desconhecem obviamente o carácter mafioso deste governo, e do primeiro-ministro sempre metido em “trapalhadas”, postas a nu por “gente de bem” – jornalistas, opiniadores, magistrados. Tudo gente acima de qualquer suspeita.
    Estas notícias não se enquadram na narrativa. É arquivar na secção “propaganda” e andar. Nada para ver aqui. Circulem, por favor.

  2. Depois de Sócrates Portugal nunca mais vai ser o mesmo País de carros de bois a lavrar a terra. É isto que os invejosos não perdoam. Pouco faltou para prenderem o PM. O ataque final está ser levado a cabo pelo inustentável presidente da república (letra pequena).

  3. xiiii , querem ver que há mesmo uma data de Valupis ? alí em baixo está um que diz que podemos vasculhar o aspirina que não encontramos nenhum post assim e assado pro governo , pro ps ou pro sócrates. está visto que não comunica com este valupi que cozinha dezenas de molhos aspirinicos graxentos para disfaçar o cheiro a podre.
    quem sabe do convento é quem vive nele . e mesmo que o peixe podre venha embalado em relatórios e estatisticas tipo as da educação ou do iepf , ou até das finanças ( grande reforma em que os salários´da fp já aumentaram 5 milhões só nos 1ºs 5 meses do ano ) , pra onu ver , a gente sabe que aquilo pra comer não presta , é só para amostra .

  4. Caro MF, depois de ler vários comentários seus neste blog, não resisto: quer saber como discordar de um post? Primeiro diga olá. Nada deve impedi-lo de estar a sorrir e dizer olá ao autor do post. Seria como limpar os sapatos no tapete. Digamos que é o básico. Segundo, caro, verifique se tem algo de bom para dizer. Não só porque geralmente há sempre qualquer coisa boa para se dizer, mas, porque deve agir como se quisesse avisar um amigo que ele fica ridículo a escrever certas coisas (na sua opinião, sempre modesta). Terceiro, se não tem nada bom para escrever, considere a possibilidade de não escrever coisíssima nenhuma. Quarto, se é dos que não aguenta não escrever nada, nem tem nada de bom para escrever sobre o post que acha particularmente repulsivo, respire fundo, medite, e acalme-se. Tem a certeza que o autor do post é um canalha da pior espécie, que merece o seu topete, o seu sarcasmo e os seus insultos? Quinto, o autor não é um canalha, geralmente é bom – mas este post é infame e vexa tem que o dizer ao mundo, desde logo, porque é o tipo de pessoa que tem que falar sempre porque não tem absolutamente nenhum auto-controle. Além do mais, discordar veementemente de um amigo vai mostrar que é uma pessoa independente, de opiniões firmes e blá blá blá. Sexto, lembre-se, nada de insultos. O pior dos canalhas parece simpático se for insultado. E corte pela metade os sarcasmos, ou (se conseguir) completamente. Caro, é sempre possível discordar de modo polido, e de facto a discordância polida é a mais eficiente. O modelo a ser seguido é o da visita. Imagine que é convidado para um jantar e o seu anfitrião disse uma asneira qualquer que o atinge directamente, e ficou irritado. Não importa, seja polido e agradável. No caso do autor do post ser um canalha infame, asqueroso; meu caro, veja o seguinte: vexa já errou ao ler o blog. O melhor mesmo seria fechar já o blog, com cara de nojo, antes de comentar; e resistir à tentação de aqui voltar para ler absurdos. Contudo, se não consegue resistir à tentação de voltar para ler absurdos, então, considere a possibilidade de que o autor possa ser bom, ou vexa não gostaria tanto de se irritar com o que ele escreve.

  5. Agora sim, vamos entrar no CAOS e a “máfia socrática” está livre para tomar Portugal de assalto (mas, se for possível, e se não der muito trabalho, só depois do Portugal – Espanha, ok?… é que, seja qual for o resultado, a malta vai estar distraída e ai talvez seja mais fácil…)

    http://politicaevida.blogspot.com/2010/06/o-ultimo-suspiro.html

    «Os trafulhas já podem descansar.
    Os políticos já podem prometer o céu.
    Os famosos já podem acumular dívidas.»

  6. O problema é a falsidade de quem governa porque no caso do despedimento colectivo e selvagem de 112 familias do casino estoril uma empresa com lucros em que a ministra do trabalho na assembleia da republica disse estar em dialgo com todas as partes é pura mentira nunca se interressou pelo caso tambem a parte de fiscalização que detectou irregularidades nada fez . Agora nas providencias cautelares o mesmo juiz contra-diz o que disse da 1ª provid.estava adiantada da 2ª estava atrasada isto mostra que desde governo á justiça todos favorecem o desemprego e não se vê da parte de todos os partidos a investigar este caso como muitos que devem existir e que substacialmente baixava o desemprego.ESTAMOS NUM PAÍS PODRE DE GENTE PODRE

  7. Olá Palberico,

    A família encontra-se bem? Ainda bem.

    Vou limpar os pés neste post porque não encontrei o capacho, mas nada que vós ofenda, pelo que vi na amostra.

    Gostava que os autores deste blog seguissem os seus bons conselhos, mas já vi que é pedir demais. Fica um pedido: menos adjectivacao. Mesmo que camuflada na forma de substantivos criativos ou verbos aplicados sarcasticamente. É que esta de nada serve repetirem a mesma coisa muitas vezes como se fosse o Corão: não vai ser verdade por isso.

    Continuem o mau trabalho pois devem estar a servir os interesses de alguém.

    Bem hajam.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.