O impossível é tão mais fixe!

Durante treze anos, dei tudo o que podia e sabia ao nosso movimento. Neste tempo, estive contigo nesse trabalho imenso de dar corpo a uma esquerda socialista, uma esquerda de valores e convicções. Estivemos na luta contra as guerras e na defesa da escola pública, do serviço nacional de saúde e da segurança social. Ajudámos o país a perceber a condenação que é a precariedade dos jovens. Estivemos em movimento. Fomos à luta. Gostei do que fizemos. Neste tempo, fiz mais de um milhão de quilómetros pelas estradas de tantas campanhas, comícios e reuniões. Encontrámo-nos lá. Provámos que se consegue o impossível.

Louçã, mais de um milhão de quilómetros a conseguir o impossível e nem sequer um milímetro na direcção do possível

6 thoughts on “O impossível é tão mais fixe!”

  1. Políticos destes há em todas as latitudes.
    São piromaníacos, gostam de “ver-o-circo-a-arder”
    Eles e todos os PC, da europa.

  2. Ele conseguiu aquilo que , de facto, parecia impossível mas que na realidade virou possível: um ‘disfarçado’ golpe de estado perpetrado pela nossa direita canalha apoiada pela esquerda desavergonhada . Parabéns e felicidades para um futuro cheio de kilómetros(longe daqui), ‘amigo’ Louçã!

  3. yawnnnnn.

    Um post que mostra um PS submisso. O socialismo possível do PS é o da tróica. Não me admira nada que perca as próximas eleições para Passos Coelho e depois quero ver se ainda culpam o BE e o PCP. Provavelmente sim.

  4. já deu pra ver que o afastamento do louceiro é para limpar a tijoleira e continuar a merda na sombra, tipo cavaco. nomeou dois porta-vozes, o semedo para actos oficiais e a catrina para o expediente de rua e vai passar a dizer-nos o que lhe vai na alma através do feiçebuque. sem o apoio da comunicação social tá arrumado, mas fica a semente para quando a direita voltar precisar dos serviços deste cromo.

  5. João, o Ps meteu o socialismo na gaveta muito antes dos partidos comunistas o terem metido na merda.pergunto qual foi a atitude mais sensata?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.