O fascismo está vivo e descarado

O presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP), João Palma, defendeu, hoje em Vilamoura, que a atual crise económica que atravessa o país leva os cidadãos a exigirem mais do Estado. “Exigem que quem governa seja financeira e criminalmente responsabilizado pela gestão ruinosa dos dinheiros públicos”, declarou João Palma, no discurso de abertura do IX Congresso.

No discurso de abertura, João Palma declarou que os cidadãos, perante os sucessivos apertos financeiros a que são sujeitos, “exigem que quem governa ponha termo a negócios ruinosos com a mesma coragem com que expropria e confisca salários e subsídios de Natal”, defendendo ao mesmo tempo que “quem governa seja investigado criminalmente e responsabilizado financeiramente com rigor e sempre que os indícios o justifiquem”.

Recordando que o mandato do atual PGR, Pinto Monteiro, termina em Outubro -“O próximo Outono trará com ele o cair da folha e anunciará mudanças decisivas no Ministério Público”, disse – João Palma pediu uma próxima liderança “responsável e mobilizadora”. “Capaz de reconhecer e promover a competência e mérito em detrimento das fidelidades acríticas, das vaidades pessoais, das competências mediatizadas”

Fonte

19 thoughts on “O fascismo está vivo e descarado”

  1. “Com rigor e sempre que os indícios o justifiquem”. Mas alguém esperaria outra coisa ? Alias, alguém poderia aceitar outra coisa ?

    O que eu percebo é que, por razões la dele e que, de resto, ele não parece empenhado em tornar publicas, o sindicalista não gosta do actual PGR. O mais provavel é também não gostar do proximo, nem do que ha de vir depois. E’ raro um sindicalista gostar do patrão.

    Salvo erro, se desejassemos o contrario é que faria sentido falar em fascismo…

    Por enquanto, acho que mostrarias mais prudência ao falar, apenas, em complexo de perseguição…

    Ou em não falar de todo, que julgo ainda ser a unica reacção sã perante as insignificâncias citadas no teu poste. Mas eu sei que te custa…

    Boas

  2. Tenho dito, desde há muito, que parte do aparelho de justiça, teoriza e pratica o fascismo. E o senhor Palma vai de delírio em delírio; agora já nem tem vergonha de defender abertamente o que já praticaram em casos pontuais: o uso do poder que têm para anular e se possível prender aqueles políticos eleitos que eles acham que devem ser presos porque , na sua iluminada avaliação, se portaram mal ou não conseguiram os objectivos a que se propuseram. Ou seja o poder não eleito passa a controlar o poder eleito em sufrágio universal. Não se trata de aplicar a lei a todos por igual mas sim de aplicar correctivos magistrais a quem mije fora do penico deles.

  3. o palma ajudou a mandar abaixo e agora apresenta a factura. o relvas ainda o promove pgr e fica tudo em família.

  4. O João Viegas anda certamente distraído para não ter percebido que este, é o primeiro PGR que afronta o SMMP do Clunny e do boy Palma.
    Todos os anteriores PGRs, a começar pelo Cunha Rodrigues, pertenciam á seita do SMMP.
    Aliás, este Palma não passa de um homem de mão do comunista aristocrata Clunny que instalou no MP uma teia de cumplicidades, incompetência e irresponsabilidade que brada aos céus.
    Aliás, nunca percebi porque razão os verdadeiros Magistrados, os Juízes, se deixam, com honrosas excepções, embrulhar no mesmo papel que a camarilha que enxameia o MP.
    Aliás, quem se anda a posicionar para PGR é o principal responsável pelo estado a que chegou a justiça. Sim estou a falar o ex-Procurador, Ex-director do CEJ, ex- Secretário De Estada da Justiça e ex- Ministro da mesma, Laborinho Lúcio. Espero que, pelo menos, como pessoa inteligente que é, tenha coragem de corrigir os erros que cometeu, quer na formação, quer no MP, quer, como Secretário de Estado, quer como Ministro. Só os burros não mudam e como não estou a falar do Palma mas do Laborinho Lúcio, espero que arrepie caminho.

  5. Ola,

    O joão viegas costuma comentar o que se diz, ou melhor o que se escreve. Conversa com gosto, e muitas vezes com proveito, quando o debate se situa a esse nivel. Seja com o Valupi (às vezes) seja com muitos outros, distintos e engenhosos comentadores que por aqui aparecem e que aproveito para saudar com toda a cordialidade.

    Quanto ao resto, não tenho nada contra, mas não sou fã, provavelmente porque não tenho grande jeito para isso.

    Boas

  6. joão viegas, constato que consideras uma insignificância vir a criminalizar políticos por alguém considerar que as contas do Estado não estão ao seu gosto. Diria que és perigoso.

  7. Valupi,

    Concordo perfeitamente que “criminalizar políticos por alguém considerar que as contas do Estado não estão ao seu gosto” não é nenhuma insignificância, mas não vejo que os excertos citados no teu post digam isso. Em que parte ?

    Boas

  8. Desculpem, estou com problemas para colocar comentarios. A parte preta que se destaca no fundo branco diz que o sindicalista defende que “quem governa seja investigado criminalmente e responsabilizado financeiramente com rigor e sempre que os indícios o justifiquem”, o que é muito diferente.

    Ainda bem que existe o copy-paste (a segunda palavra é inglesa, tal como a primeira).

    Boas

  9. joão viegas, para além do que já escreveu o Eduardo, peço que interpretes esta passagem com a tua portentosa capacidade analítica:

    “Exigem que quem governa seja financeira e criminalmente responsabilizado pela gestão ruinosa dos dinheiros públicos”.

    Ora, conta lá à malta: como se define “gestão ruinosa dos dinheiros públicos”?; e a quem será dada essa responsabilidade, já que o Soberano deixa de contar para tal?

    Tendo em conta que a direita fez uma campanha eleitoral contra o PS declarando que os dinheiros canalizados para a Saúde, Educação, Transportes e Energias Renováveis configuravam uma situação de “gestão ruinosa dos dinheiros públicos”, estás tu a dizer que o PSD e CDS deviam poder ter julgado Sócrates no Terreiro do Paço ou, para ti, devia ser este Palma a fazer o trabalhinho de julgar políticos como criminosos quando eles defendem uma certa concepção do Estado que leva a gastar dinheiro com os mais pobres e para o maior número de cidadãos?

  10. Mas que merda de Palma é este? Por que carga d’água é que um presidente de um sindicato, eleito por meia dúzia de naturalmente muito boas pessoas, se arroga no direito de achar que políticos eleitos democraticamente para executar um programa sufragado devam ser julgados e criminalizados? Mas o que é isto? Já chegámos à Madeira?

  11. Com todo o prazer, caro Valupi.

    Faço-te notar que a frase que citas não é pronunciada pelo magistrado em seu nome proprio, mas que ele se limita a falar daquilo que “os cidadãos exigem”. Palavras vagas ou generalidades (por isso falei em insignificância). Assim à primeira vista, ele pode perfeitamente estar a referir-se a actos de corrupção, de peculato, de favorecimento, de concussão, ou a outros tipos penais que constam da parte do codigo dedicada a crimes contra o Estado.

    Seja como fôr, não me parece que se lhe possa imputar, pelo menos nas palavras que reproduzes, o intuito de responsabilizar quem quer que seja por outra coisa do que por violarem a lei. Mal seria se ele o fizesse. E, como julgo ter ja mencionado, ele acrescenta logo a seguir que a responsabilização tera de acontecer “com rigor e sempre que os indícios o justifiquem”…

    Acho que estas com dificuldades em destrinçar aquilo que ele diz e aquilo que tu ouves.

    Admitindo que ele possa ser o primeiro a contar com esse tipo de confusões, so estarias a ajuda-lo…

    Donde o meu primeiro comentario, que os outros ampliam…

    Boas

  12. João Viegas, não sejas anjinho: quem diz esta banalidade – (os Cidadãos exigem que) “quem governa seja investigado criminalmente e responsabilizado financeiramente com rigor e sempre que os indícios o justifiquem” – não é um qualquer taxista, malabarista, ou fadista, é nada mais, nada menos do que o gajo que mais manda na agremiação sindical dos tipos que supostamente ganham o seu chorudo salário, pago pelo bolso dos contribuintes, para que todo e qualquer Cidadão, governante ou governado, “seja investigado criminalmente e responsabilizado financeiramente com rigor e sempre que os indícios o justifiquem”!!!

    E o que ele disse não foi dito aos berros numa bancada de Futebol, foi proferido perante os olhos da Nação, na abertura de um Congresso de uma treta qualquer supostamente com altíssimas responsabilidades na obtenção – ou não – de uma verdadeira Justiça neste País!!!

    Por que não abres os olhos de vez para a realidade e analisas não apenas o conteúdo formal da mensagem, mas o seu conteúdo subliminar, contextualizado no momento político que atravessamos e no momento e no local em que foi proferido?

    Por outras palavras, o que é que pretende esse Palma? Pôr o povaréu a cagar sentenças judiciais? Alterar as Leis existentes? Ou pôr os Tribunais a funcionar como deveriam e a punir efetivamente quem merece, a tempo e horas, que era o que mais deveria preocupar um Sindicato como o dele? Ou esse meco julga que nós nascemos ontem? Pensa nisso e bom fim-de-semana, puto.

  13. O sr. Palma, em tempos foi identificado como militante do PSD, algo incompatível
    com o estatuto de um verdadeiro magistrado…a ser verdade o que foi afirmado!
    No “palco” que lhe foi oferecido pelo DN, o sr.Palma esparramou-se tenta atacar o
    actual PGR, por este não ir na conversa do sindicato, a grande acusação é que
    Pinto Monteiro quer um Ministério Público que mais ninguém quer!?! Quando, a
    maior certeza é de que, ninguém quer mesmo o sindicato do sr.Palma!
    Após a entrada em vigor da Constituição da República, os sindicatos dos juízes e
    dos procuradores deviam ter dado lugar a Ordens Profissionais…não há qualquer
    justificação para a sua manutenção…a não ser para tentarem fazer polítiquisse!
    Se reina grande insatisfação na classe, pelas dentadas nos rendimentos, devem
    sair o mais rápido possível, contando o tempo de serviço para efeitos de reforma
    quando chegarem aos 65 anos! Há muita gente habilitada para fazer uma substi-
    tuição em tempo oportuno! De preferência devem ser admitidos juristas com ex-
    periência de vida e profissional ( 6 a 8 anos), acabe-se com o “aviário” do CEJ !!!

  14. Caro Marco Alberto,

    Não estou a ser angélico coisa nenhuma.

    Precisamente por ele não ter proferido o discurso numa bancada de estadio de futebol, devemos supor que ele não pôde querer dizer que é a favor de alterar as leis existentes. Ou então, os magistrados deviam mudar imediatamente, não sei se de sindicato, se de profissão…

    O que ele diz não levanta problema nenhum : toda a gente deve desejar que “quem governa seja investigado criminalmente e responsabilizado financeiramente com rigor e sempre que os indícios o justifiquem”… a começar pelos proprios governantes. Nesta frase, esta necessariemente implicito que os governantes, como qualquer pessoa, so podem responsabilizados na medida em que a lei assim o determina. Pelo menos esta implicito para qualquer pessoa que acredita que vive num Estado de Direito.

    Se isso fosse mais obvio, se calhar você estava menos desconfiado em relação ao risco de uma potencial ditadura dos taxistas…

    Boas

  15. joão viegas, estás agarrado a uma frase como se fosse o único destroço a manter-te à tona da honestidade intelectual. Mas, vai na volta, não entendes mesmo a outra frase que não comentas.

  16. Estou assumidamente a cingir-me ao que eu entendo, e ao que julgo legitimo entender-se, nas frases que citas. Continuo a não perceber qual é o interesse de ir além. Percebo-o ainda menos, se as preocupações que exprimes são sinceras, como acredito que são.

    Houve alguma condenação judicial a que as alusões que teimas em querer ouvir nas palavras do juiz poderiam fazer eco ?

    Que eu saiba, não. A menos que queiras referir-te às condenações sumarias pronunciadas ao volante de um taxi. Mas, tanto quanto julgo saber, essas não são propriamente judiciais e, por ma que seja a ideia que temos do magistrado sindicalista citado, não é de crer que ele queira ter-se referido a elas…

    Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.