O estilo faz o homem

Rangel promove Aliança Portugal como “vacina” contra “vírus socialista”

Rangel diz que os socialistas são uma doença. Está em campanha eleitoral. Daqui por uns tempos, após as eleições, e calhando, concederá que talvez se tenha excedido um poucochinho nas palavras. Porque estava em campanha, entendem? É normal, em campanha. Não é para levar a sério, percebem? Isto é só política… São coisas que se dizem no entusiasmo do convívio e na excitação das luzes. É na reinação, é só para os picar. Até porque ele tem muitos amigos socialistas, muitos, inclusive primos. Encontra-os em casamentos, baptizados, chegam a almoçar juntos. E, claro, são colegas. Colegas disto, o “fazer política”.

Rangel, em 2010, numa sessão plenária do Parlamento Europeu, denunciou Portugal. O seu país, garantiu aos eurodeputados e demais imprensa internacional, já não era um Estado de direito. Fundamento para tão extraordinária como gravosa acusação? Mário Crespo, um obsessivo caluniador, tinha visto uma das suas caluniosamente obsessivas crónicas ser vetada pelo director do jornal onde eram semanalmente bolçadas. Daqui Rangel concluiu que a liberdade de expressão já não existia na terra onde cresceu viçoso. Mais acrescentou que Sócrates tinha um plano para dominar jornais, estações de televisão e estações de rádio. Em particular, clamou exaltado em Estrasburgo, havia que obrigar Sócrates a justificar-se pelo que tinham feito ao coitado do Mário Crespo. Quatro anos passados, não sei se algum ilustre membro da imprensa voltou a perguntar a Rangel se continua a acreditar que Sócrates tinha esse diabólico plano, ou se continua convicto de que a liberdade de expressão ainda não recuperou do que aconteceu à crónica do Crespo. Mas de uma coisa podemos ter a certeza: para Rangel é perfeitamente legítimo atacar e denegrir o seu país – e no estrangeiro – se vir nisso algum ganho partidário. Porquê? Porque isso é o “fazer política”, compreendem? Vale tudo para ocupar o poder, inclusive mentir, caluniar e trair. É tão simples.

Rangel será uma excelente pessoa. É um doutor da política, tem ideias, garante o Pedro Marques Lopes. E é um cidadão sério, incorruptível, não tenho a menor dúvida. Isto de reduzir a democracia a uma arruaça onde se atiçam as pulsões irracionais e violentas que levam a ver os adversários como inimigos a perseguir, escorrraçar e abater? Bom, não passa de uma escola, de um estilo. É o estilo de Miguel Relvas, o tal que pediu para todos os familiares de Sócrates exibirem a sua vergonha pelo funesto laço de sangue. É o estilo de Pacheco Pereira, o tal que se encafuou numa saleta da Assembleia da República para cheirar as cuecas de Sócrates. É o estilo de Ferreira Leite, a tal que se assustava ao pensar que Sócrates pudesse ficar no Parlamento como deputado. É o estilo de Cavaco Silva, o tal que só teve palavras de rancor logo após ter vencido as eleições de 2011. É o estilo da JSD, a tal que fez cartazes a chamar mentiroso a um político e governante e que o pretende pôr em tribunal. É o estilo de Passos e Portas, os tais que trataram, e tratam, os portugueses como gado para abate.

É o estilo ideal para um país de broncos, chanfrados dos cornos e pulhas. Como se vê.

19 thoughts on “O estilo faz o homem”

  1. Subscrevo inteiramente. Viva o povo! Quero dizer, viva o Benfica e a Senhora de Fátima! Isto é que é, meus senhores! Isto é que é, carago!

  2. como está senhor contente? como está senhor feliz? diga gente diga à gente como vai este país tararara.pum. a rangel e nuno melo,só lhes falta o chapeu de coco e bengala!rangel não tem maturidade para se meter nestas andanças. o melo é um fascistoide.quem os comia era a joana amaral nos debates na tv.

  3. Creio que já lhe responderam e o rapaz não gostou…. e quer que o Seguro se demarque (!!!!!!!). Como do Tó Zero já espero tudo, espero que não o faça

  4. O dr prof. klaustrófobo rangel, está doente sofre de virusite agúda!
    Tudo porque em tempos, inspirou uns fumos tóxicos saídos do labo-
    ratorio do maquiável da Marmeleira, desde essa altura começou a di-
    zer disparates, como aquela cena de subir para cima do banco e gri-
    tar para todo o Mundo que Portugal tinha deixado de ser um Estado
    de Direito, lá no hemiciclo do Parlamento Europeu!
    A nobre atitude valeu-lhe a eleição para vice da bancada do agrupa-
    mento onde está inserido, cresceu logo mais dois centimetros com
    a distinção pela sua seriedade … está ao nível dos melhores troca tin-
    tas que fazem vida na politiquísse!!!

  5. Não Val, Rangel não ‘…será uma excelente pessoa.’ Pois para o ser não poderia ser demagogo, aldrabão, vira-casacas, maldizente, nem andar a fazer a campanha que faz. Por outro lado, também não será um doutor na política, pois um político que se preze não é um aldrabão ou um malabarista da palavra, terá de ser um homem de ideais e não apenas de ideias espalhafatosas de ocasião, deve centrar o combate político no caminho a seguir e não no constante martelar nas acções passadas dos adversários, terá de ter um percurso de que não se envergonhe, nem procure esconder, como o faz invariavelmente. Não sei se é sério, posso presumir apenas que o seja, mas essa não é uma virtude, é uma obrigação genérica do ser social, do mesmo modo que não possuo dados que me permitam atestar a sua incorruptibilidade, mantendo-lhe apenas o estatuto que atribuo a todos os que não foram sancionados por qualquer tribunal real que não o da opinião pública.
    Quanto ao estilo, esse define-o! É o estilo dos arruaceiros, dos caluniadores, dos politiqueiros, dos oportunistas, dos ‘rolhas’ que tudo fazem para se manterem à tona.
    Por isso, é que lamento que tantas pessoas do meu triste país não se importem de ser representados por este vendedor de banha da cobra nas instâncias onde o nosso futuro é decidido.
    É tempo de chamar os cobardes, poltrões, mentirosos, criminosos pelo nome e deixarmos de culpar a política por isso, a não ser assim, os culpados seremos nós… Todos!

  6. O Rangel e o dandy Melo têm feito uma alegre campanha ao estilo Dupont e Dupont. Tudo o que contribua para desmascarar estes dois alegres rapazes do ciclismo amador, que utilizam a política para se divertir, é bem vindo. Esta peça do Valupi é um antídoto para nós, porque acerta na muche dos clowns, dá-lhes umas valentes bordoadas e mostra as fragilidades de que padecem. Enquanto eles fazem números de circo, deitando fogo pela boca e cuspindo bolotas de azinheira, o povo vai-se divertindo. O pior vai ser quando chegarem ao trapézio. Caiem, partem os dentes, e fecha-se o circo.

  7. O seu grande medo e desesperos cagados é precisamente assistirem à abertura de caminhos, cada vez mais sensíveis e visíveis, que se irão tornar estradas e autoestradas na direcção da “glorificação do José Sócrates”.
    Esse o seu grande fantasma porque tomada a glorificação consciente de Sócrates pelos portugueses representará, por contraponto, a percepção dos verdadeiros malfeitores e consequente quedas pessoais na fossa indigna, infectada e pestilenta de pequenezas reles e miseráveis donde não será mais possível o regresso à vida política activa.
    O medo é tal que já não só querem fazer do “Gajo” o bode expiatório dos males que eles próprios cometeram e cometem como também já tentam apropriar-se da Obra que o “Gajo” deixou e de que vivem e sobrevivem. Veja-se o que se passa com as exportações e o moreirinha a “inventar” os clusters das renováveis e da mobilidade eléctrica. E agora, recentemente, a paulette (precisa ignatz) vem afirmar que o Alqueva, a que os bandalhos chamavam um elefante branco, é um dos motores de desenvolvimento e exportação do país.
    Falam das coisas boas que ainda vão acontecendo fingindo que não tiveram pai ou tivessem caído do céu ao mesmo tempo que as assinalam como tendo surgido agora querendo fazer crer subentendidamente que são de sua lavra.
    Os bandalhos que só souberam destruir até hoje e vivem da herança de Sócrates são duplamente parasitas: vivem do Outro e ainda Lhe querem roubar a paternidade da Obra.

  8. AH, GANDA VAL!!! ESTE SEU TEXTO É MEL PARA AS FERIDAS QUE TENHO ABERTAS DESDE O DISCURSO EM QUE O “MAIS HONESTO” DE TODO O MUNDO NOS ENCORNOU – e os portugueses puseram-se a jeito!

    MAS SEJAMOS RESPONSÁVEIS…SALVEMOS O ESSENCIAL E PARA ISSO É PRECISO VOTAR NO PS NO DOMINGO…POIS NÃO SERÃO OS VOTOS EM BRANCO, OS NULOS OU A ABSTENÇÃO – NEM OS DA “ESQUERDA +” QUE PORÃO FORA ESTES ANIMAIS CARNIVOROS QUE ESTÃO A MATAR O PAÍS!

  9. João., o “vírus” Assis só defende uma coligação com a direita “nazi” porque, como disse o especialista em caricaturas ideológicas, a “esquerda pura” não está nas mãos dos democratas de direita e teima em não ser contagiada pela doença infantil do neoliberalismo.
    Como qualquer vírus imberbe e inocente que se preze, o Assis ambiciona tornar-se num parasita adulto e com poder, o que só é possível através da aliança ou fusão com a direita neoliberal, isto é, com a impureza pura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.