O Estado da Nação assim o exige

Creio que o dr. Relvas devia apresentar-se no Ministério da Educação em ordem a pôr a sua formação académica ao serviço da recuperação das aulas perdidas e demais apoios aos alunos vitimizados pela revolução liberal em curso. Poucas tarefas há que sejam mais nobres do que o ensino e uma figura que tanto já deu a Portugal em áreas tão diversas – que vão desde a aeronáutica aos ranchos folclóricos, chegando às mentiras no Parlamento a respeito da intimidade com espiões e às chantagens sobre jornais e jornalistas, passando pela facilitação de negócios e ofensas soezes a familiares de adversários políticos – pode dar aqui e agora um exemplo mobilizador para resolver, ou aliviar, a crise na Educação. Aliás, se há ambiente vocacionado para a procura do conhecimento permanente, esse é o espaço pedagógico.

Relvas, volta para a escola.

10 thoughts on “O Estado da Nação assim o exige”

  1. Val, por falares em escola, continuo a ter o acesso bloqueado ao último post da Isabel Moreira. segundo o mec, a página não tem interesse pedagógico. porém, tenho acesso a todas as outras páginas do blogue. claro está que utilizei vários computadores da minha escola e o resultado é sempre o mesmo. será que eu estou com cataratas nos olhos? eu até acho o coiso com interesse pedagógico, mas prontos…

  2. oh kamarada, eu tenho acesso ao texto da Isabel através dos links deste blog, mas não tenho acesso à página do post na qual se insere a caixa de comentários. cada post tem uma página, ou não? Por exemplo, quando clico num dos teus comentários desse post, nas intervenções cirúrgicas, surge logo a página do mec a informar “acesso não autorizado”. Mas só acontece com este post da Isabel, capice? É um facto, quanto ao resto, deixo para ti e para a jurisprudência do blog.

  3. ignatzia, desconheço o que possa estar a causar tal fenómeno. Aparentemente, só a ti acontece, o que leva a crer que será algo da responsabilidade da escola em causa, ou do MEC. Talvez algum filtro de segurança que tenha uma listagem de palavras proibidas?

  4. Uf, Val, depois de todo este trânsito na capital, consegui chegar a casa. Quanto ao filtro, é bem capaz de ser verdade.
    Aqui, pude observar nos comentários do referido post, até ao dia de ontem à hora do almoço (data em que tive conhecimento da dita censura), a palavra “foder” do teclado da Olinda. Amanhã, num intervalo, ou mesmo na minha hora de almoço, vou utilizar essa palavra numa caixa de comentários para ver o que acontece. Nesta caixa, a palavra já cá está! Veremos…

  5. ocorre-me dizer que foder, em significância, pode ou não ser uma toxicidade. já castrar é-o sempre e para sempre.

    este pode bem ser um post it para deixar ao MEC.

  6. Verifiquei que o MEC censura a “pornografia” contida no post da Isabel Moreira e respetiva caixa de comentários. E também verifiquei que não é a expressão utilizada pela Olinda e outros que impede o acesso. Então, o que será?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.