O corporativismo está bem e recomenda-se

A Associação Sindical dos Juízes Portugueses (ASJP) requereu acesso aos documentos que autorizaram e atestam os montantes gastos pelos membros dos gabinetes dos 16 ministérios e dos secretários de Estado da Presidência do Conselho de Ministros e do adjunto do primeiro-ministro.

Fonte

*

Se bem entendo esta notícia, a Associação Sindical dos Juízes Portugueses vai fazer uma auditoria a todos os ministérios em ordem a apanhar falcatruas e desmazelos com as contas públicas, ao cêntimo. Isto para castigar o Governo por ter incluído os juízes no esforço da austeridade.

Creio que é uma situação inédita na história do Ocidente, e até estou a meter a Assíria nesse grupo, cujo desfecho vai ser de arrebimbomalho.

9 thoughts on “O corporativismo está bem e recomenda-se”

  1. Os parlamentares deram-lhe a corda toda, quando se tratou de decapitar o PS com o processo Casa Pia. Depois veio o freeport e depois todas as faces ocultas, sem esquecer as famosas escutas e o atentado contra o Estado de direito. Abriu-se a caixa de Pandora, com o PR Cavaco a assistir «de bancada». O anterior PR ainda teve desculpa para a sua tibieza, porque também, à cautela, foi metido no saco do juiz Rui Teixeira, que mostrou «quem é que manda», mantendo no processo Casa Pia, ilegalmente, a carta difamatória contra Sampaio presidente da republica. Tudo isto com o assentimento dos tribunais superiores. Por causa do ódio ao PS, por parte de uns, e por oportunismo politico por parte de outros (BE e PCP) deixaram resvalar a justiça para o lamaçal. Quero ver onde é que isto vai parar.
    De uma coisa estou convencido: ou se entrega o país aos ladrões do BPN ou isto nunca mais tem sossego, porque a comunicação social já está toda do mesmo lado e não há volta a dar-lhe, porque quem comanda é o dinheiro que tudo compra.
    Estou a ver quando nos mandam calar aqui na net. Além do mais, estando o BE e o PCP de braço dado com os ladrões e contra o PS, que é que se há-de esperar? E também temos de contar que o PS está carregadinho de ratos e ratazanas oportunistas e patifórios, como se tem visto em carrilhos e outros que tais. Hoje deu-me pro fado menor.

  2. quem sabe outro 25 de abril corporativo ? alinho , mesmo assim. bem precisamos. espero é que haja tiros , que revoluções mansas não prestam.

  3. Cada vez mais os ditos de Meirim caem como uma luva. Um dia perguntaram-lhe qual a diferença entre um juiz, um médico e um trolha. Meirim respondeu: antes de um jogo começar nota-se alguma diferença. O pior é que quando começa não se sabe onde está o juiz, o médico e o trolha.
    É o que acontece com estes sindicalistas. Basta-lhe calcar os calos para mostrarem o que são.

  4. E depois são os outros que agem por retaliação. Mas está bem, sim senhor. Este acto deve ser entendido como um enorme contributo do sindicato dos juízes para ultrapassarmos a crise. Com tanto empenho, certamente já se pode extinguir o Tribunal de Contas, talvez até mesmo a Inspecção-Geral da Administração Local. Quem sabe até mesmo a Inspecção-Geral do Trabalho e tantas outras entidades de fiscalização. Vamos poupar um dinheirão.

    Se não for muito incómodo, por favor não extingam os actos eleitorais. Não é por nada e estamos fartos de ouvir que o povo é estúpido, mas fomo-nos habituando a votar ao longo destes 35 anos de democracia. Com a crise temos que cortar em tanta coisa, deixem-nos ao menos esse prazerzito.

  5. A expressão-chave parece-me “documentarem-se para a negociação” Guerra aberta, com aviso de aprovisionamento de munições. Vou fingir que sou ingénuo: no decurso das auditorias, caso descubram irregularidades, não são obrigados a seguir com o processo para tribunal? Onde se encaixa, nesse caso, a negociação?

  6. “De uma coisa estou convencido: ou se entrega o país aos ladrões do BPN ou isto nunca mais tem sossego porque a Comunicação Social está toda do mesmo lado e não há volta a dar-lhe porque quem comanda é o dinheiro que tudo compra”. Lapidar e indiscutível este pensamento de Mário. Por mim começo a estar cansado de tanta bandalheira sem vergonha em que até alinha a Justiça, esteio de qualquer sociedade que se preze. É que jogar à defesa, dia após dia, cansa-que-se-farta. Especialmente quando a diferença de armas é deste calibre!

  7. A democracia não é quando os vários poderes respeitam os poderes de cada um?
    Estes juízes são completamente anti-democratas, então. Uns usurpadores de poder, uma vergonha num estado de direito. Alimentou-se um monstro e agora como nos vemos livre dele? Este é o verdadeiro poder absoluto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.