O circo desceu à cidade

Na situação actual do País, não é admissível que os partidos políticos fomentem um ambiente de crispação que inviabilize, após as eleições, os compromissos imprescindíveis com vista a encontrar uma solução de governo que assegure a estabilidade política, promova a credibilidade de Portugal no plano externo e tenha a capacidade para resolver os graves problemas nacionais.

Diz que é uma espécie de Presidente da República

“Depois de serem conhecidos estes desgraçados resultados da governação socialista, apetece dizer, porque é isso que se passa, que ainda está para nascer em Portugal um primeiro-ministro que tivesse enganado tanto os portugueses”, declarou Miguel Macedo aos jornalistas, no Parlamento.

Figura grada do PSD-FMI

“Este é um tempo em que nós precisamos de olhar o futuro com coesão, de forma unida, afastar divisões, afastar querelas menores, para em conjunto conseguirmos ultrapassar os graves problemas que temos à nossa frente”, disse Cavaco Silva, na Batalha.

Bipolaridade aguda

O que significa este apelo à aprendizagem do PS? “Sócrates é de facto parte do problema e não da solução”, disse ao i fonte da direcção laranja, “nunca um entendimento pós-eleitoral poderá incluir o primeiro-ministro”. Já o ministro dos Negócios Estrangeiros, Luís Amado, é considerado por Passos Coelho um bom interlocutor, sabe o i, para encetar uma nova fase de relações entre os dois principais partidos. Porém, “não cabe ao PSD escolher o líder do Partido Socialista”, sustenta a mesma fonte.

Fontes de ódio à democracia

25 thoughts on “O circo desceu à cidade”

  1. Porque vou votar Sócrates nas eleições antecipadas:
    Porque sou coerente.
    Porque não gosto de ver cuspir no prato em que comem.
    Porque Sócrates os tem no sítio.
    Porque Sócrates é o melhor 1º. Ministro em democracia.
    Porque não teve medo de afrontar os privilegiados, caso dos sindicatos: Juízes, Professores, Médicos, enfermeiros, Funcionários Públicos, Forças de Segurança, Maquinistas da CP, Camionistas, Jornalistas, etc., etc. e tal.
    Porque não pactuou com os grandes grupos económicos, leia-se, Continente, Modelo e Pingo Doce. É por isso que agora Soares dos Santos e António Barreto dizem dele o que dizem. Nunca pensei ver António Barreto a ser um aliado do grande capital.
    Porque foi o único a pôr um Presidente da República como reformado.
    Porque cortou regalias aos deputados e ministros, um abandonou o governo e agora destila todo o fel que há em si.
    Porque foi acusado de tudo e mais alguma coisa e nunca provaram nada.
    Porque nunca fugiu e assumiu sempre a governabilidade quer nos momentos bons ou maus.
    Porque é destes homens que o País precisa. Não dos que cá dizem uma coisa e o seu contrário lá fora.
    Porque nos outros partidos não há quem o equipare. São todos uns aprendizes.

  2. Não é preciso ser “puxa-saco”, nem “Maria, vai com as outras”, mas o Manuel Pacheco em poucas palavras disse tudo. Neste contexto os “imberbes” do partido das “setinhas a apontar para Deus” terão que coçar muito os fundilhos das calças, para que ganhem calo…

  3. O PS é acusado de ter governado 13 dos últimos 16 anos, desses 13, embora isso normalmente seja omitido, só em 4 governou com maioria, nos restantes governou em minoria, ou seja, aquela situação em que agora tantos dizem ser impossível governar. Se há partido que sabe o que custa governar sem acordos ou apoio de outros partidos é o PS. O que teria acontecido se Sócrates ou outro socialista qualquer algum dia tivesse sequer insinuado que o líder de algum dos partidos da oposição devia ser substituído de forma a haver um acordo que tornasse possível um governo de maioria?
    O PSD não há muito tempo tinha como bandeira a asfixia democrática exercida pelo Governo, que nome devemos dar então a esta ideia extraordinária que consiste em entregar a cabeça de Sócrates à troca de um acordo com o PS?

  4. Sócrates pode ser tudo e mais o quiserem e inventarem mas não desiste sem luta. O resto parecem-me ser algumas inquietações que julgo ver nas hostes da São Caetano por o Passos não descolar nas sondagens. Alguém por ali se esqueceu que iam haver eleições?
    Se observarmos o Paulinho da Feiras talvez se possa ver pela indecisão que não vão ser favas contadas como pensavam.

  5. Guida, só há um nome possível: decapitação democrática.

    Manuel Pacheco, só para complementar: Duas medidas de que todos usufruem mas que quase ninguém se lembra:

    – Implementação do Plano tecnológico: Portugal apresenta-se em primeiro lugar no ranking europeu da disponibilização e sofisticação dos serviços públicos online. (em 2004 estava na 16ª posição e nos últimos 6 anos Portugal passou duma posição abaixo da média europeia para a liderança nos serviços públicos online).

    – Investimento em energias renováveis (Portugal passou dos 17% em 2005 de electricidade produzida por energias renováveis para 36.5% em 2008 e 41.5% em 2009, ocupando o 3º lugar no ranking europeu nesta área).

  6. Vai ser muito difícil substituir este Banha da Cobra do Sócrates porque o tipo enrolou não só país mas principalmente o PS.

    É que até põe o Durão Barroso e a tia Markolina do lado dele.

    O Largo do Rato é onde há menos poiantes, porque são os que o conhecem bem, mas está dificil dar a volta ao manhoso.

  7. Pois é, e depois de nos chumbarem o PEC, que nos era muito mais favorável que qualquer hipoteca do país ao FMI, agora querem que seja ele, Sócrates, a fazer-lhes o frete.

    Acontece que …”you can take the horse to the water, but you can`t make it drink” .

  8. Subscrevo tudo o que disse o Manuel Pacheco. E cada vez sinto que o que parecia favas contadas para a oposição, pode acontecer o contrário. Se calhar nem com o Cavaco (ainda mais) a meter-se na campanha lá vão.

  9. VM:
    Se fosse a enumerar os feitos do governo de Sócrates era preciso umas resmas de folhas A4. Resolvi falar nas que mais fizeram doer as corporações. Por esse motivo é que todos destilam o fel que há dento deles. Não fossem estas medidas tudo decorria bem, Sócrates era o maior, eram só loas e todos lhe lambiam as botas, para não dizer outra coisa.
    Comparo Sócrates, a Deuladeu Martins, aquando do cerco ao Castelo de Monção. Deuladeu tudo fez para que os Castelhanos levantassem o cerco, ao ponto de pegar na pouca farinha que restava, fazer pão, e com este ofertar aos Castelhanos e dizer que ainda havia mais para lhes matar a fome. Perante isto os Castelhanos levantaram o cerco, como reza a história. Sócrates tem-se redobrado com o possível e o impossível para que as empresas de ranking confiem na economia portuguesa, o consenso com os países da EU mas, aparece um castelhano – Passos Coelho – a dizer e tudo fazer para que o cerco continue. Sócrates atira-lhe o pão – PEC IV – mas ele rejeita-o ao ponto de achar que a farinha – FMI – é a melhor solução. Um – Sócrates – acha que a vacina é o melhor para prevenir a doença, o outro – Passos Coelho – prefere pôr o doente em coma.
    Depois temos o PR com as suas intervenções cirúrgicas. Não foi capaz de unir os partidos para que aprovassem o PEC IV, agora vem dizer que o governo pode pedir ajuda ao FMI. Não sabe que a E.U. não vai nessa cantiga. Depois acontecia a Sócrates o mesmo que a Ega Moniz, pôr a corda ao pescoço, na paga por promessas falhadas.
    Nunca pensaram que Sócrates vê para “além das estrelas” a ratoeira que lhe queriam montar. E, como está para nascer, ao contrário do outro, quem lhe faça a cama, passou a bola para o adversário, agora eles que chutem para onde quiserem e com o pé que entenderem.
    Por isso continuo a afirmar, embora os que me dizem que sou um lambe botas, que Sócrates foi o melhor 1º. Ministro de toda a história de Portugal.
    Vá a eles, Sócrates. A grande parte do povo vai estar consigo.

  10. Eu cá não preciso de resmas A4, bastam-me estas 5 linhas, que dizem tudo de forma muito clara e gritante. Tão simples de ver, não acham. Se alguém quiser comentar algum dos números, em vez de cuspir e matraquear alarvidades e mentiras, como se fossem membros fanáticos e fundamentalistas de um qualquer clube de futebol, muito gostaria de vos ouvir gente. Obg

    – A pior média de crescimento dos últimos 90 anos
    – A maior divida publica dos últimos 160 anos
    – A maior divida externa dos últimos 120 anos
    – A maior taxa de desemprego dos últimos 80 anos
    – A 2ª maior vaga de emigração dos últimos 160 anos

  11. Ah! E não vale usar a técnica da vitimização, desresponsabilização ou querer colocar todas as culpas nos “outros”. Já estamos cansados e já topámos a técnica infantil. Tá?

  12. Tá, Liliana, estamos mesmo a “topá-la”! Você deve ser prima da Helena de Matos, que se intitula jornalista, comentadora e historiadora…! É que sabe, não é assim que se fazem estudos económicos comparativos, cuspindo para o ar os nºs que mais convêm…!
    Basta olhar para os dados de 2008 e 2009 para perceber que o terramoto financeiro que surgiu nos Estados Unidos, desde 2007, veio arrasar todos os progressos que o país estava a registar. Quanto aos governos socialistas, nunca as politicas sociais foram tão abrangentes em Portugal como durante esses anos.
    Se a comunicação social não fosse tão ultrajante de parcialidade e de má fé, os portugueses não teriam hesitação em votar com maioria absoluta na equipa que melhor os pode representar, e que detém a confiança dos parceiros europeus – mesmo dos que são da direita europeia – e essa equipa tem à frente um homem que não tem culpa de ser excepcionalmente inteligente, trabalhador e corajoso! E é nele que eu vou votar – como o Manuel Pacheco e como muitos mais – JOSÉ SÓCRATES!

  13. Já vi que ainda há muitos portugueses com fé.

    Alguns acreditamos no vendedor de banha da cobra, Engemheiro José Sócrtaes e outros ainda não vimos que os cueiros de Passos já cheiram a cócó!

  14. ò Manuel Pacheco, lamento ser tão tardio a dar-te a conhecer o meu mais total apoio a tudo quanto dizes sobre Sócrates. Há no entanto uma das tuas saídas que acho absolutamente soberba pelo humor fino que contem e que é do melhor que se poderia imaginar para classificar a atitude de um homem que se diz PRESIDENTE DA REPÚBLICA e que, quando colocado perante a situação de ter de prescindir de uma das suas três fontes de rendimento -vencimento de Presidente e duas reformas de actividades anteriores -, decide prescindir do vencimento de Presidente da República porque isso lhe renderia mais uns cobres ao fim do mês.

    Nada mais seria necessário para definir a dimensão deste homem que temos a desgraça de ter na Presidência da República e confirma a dramática verdade do que disse Garrett: “O país é pequeno e os que cá vivem não são maiores”. Como haveriam de sê-lo se este exemplo de pequenez lhe vem do mais alto magistrado da nação! “Porque foi o único a pôr um Presidente da República como reformado”!!! 20 valores!! Era impossível dizer algo com mais espírito perante uma atitude tão inqualificável!

  15. Os termos de arromba e pseudo definitivos com que a Dona LILIANA VITOR nos atira fazem lembrar-me uma tal Teresinha que anda lá pela direcções do PSD. Esta senhora, das duas uma: ou é de uma desonestidade a toda a prova porque sabe que mente mas disso se não importa porque só tem um fito: enganar, sem pinga de vergonha, quem infelizmente, é incapaz de perceber que está a ser enganado ou é uma pobrezinha ignorante que foi enganada e ainda o não percebeu. Parece-me, porém, que a forma definitiva como fala me leva a inclui-la na primeira categoria. Vá pregar para outra freguesia que, segundo me parece, por aqui não se safa!

  16. A CEGUEIRA E FANATISMO DESTA GENTE SÃO O COMBUSTÍVEL QUE MANTÉM NO PODER A LESMA EXCEPCIONALMENTE MAIS MENTIROSA E INCOMPETENTE DE QUE ME LEMBRO EM DEMOCRACIA. VOCÊS, LESMINHAS DE IMITAÇÃO MERECEM-NO TODINHO. SE NÃO SE IMPORTAM LIVREM-NOS DELE E COLOQUEM-NO NO ALTAR DA INTRUJICE PARA VOSSO USO EXCLUSIVO. NÃO VOU PERDER MAIS UM SEGUNDO COM ESTA CLOACA DE RANHOSOS … Asta la Vista FDP

  17. ATÉ VOU ESCREVER COM MAIÚSCULAS PARA LHE SEGUIR O EXEMPLO! ESTA FDP (É ASSINATURA, NÃO É?!) É O EXEMPLO ACABADO DO QUE ESPERA ESTE PAÍS SE TIVER A DESDITA DE SE ENTREGAR NAS MÃOS DE “ESTA CLOACA DE RANHOSOS”!

  18. Aniper:
    É humor fino e um vazio na alma por ver quem devia ser o exemplo máximo do País, tornar-se num aposentado, com funções da mais alta que existe. Sou um dos muitos aposentados – acho que o mereço – e que dela se quer valer. Se por qualquer motivo trabalhasse para além da aposentação e me fosse proposto que tinha de optar ou pelo vencimento da aposentação ou o da actividade profissional de certeza que escolhia a segunda. Não concebo que não optem por aquilo que realmente desempenham.
    Acho mais nobre a atitude de Campos e Cunha. Não concordou. Abandonou o governo e foi à vida dele. Só o condeno com as críticas que faz, dando a entender que é dor de corno, como se diz aqui na minha terra.
    De certeza que se ganha bem com as ajudas de custo senão não havia motivos para Cavaco Silva se recandidatar a segundo mandato. A não ser que o faça para equilibrar o mísero ordenado que sua esposa aufere como aposentada. Cavaco Silva lamentou-se mas há um provérbio que diz: No planeta terra recebe-se conforme se dá. Se deu pouco não pode receber tanto como os que deram muito. Nos outros planetas não sei o que se passa.
    Mas continuo a dizer que me faz confusão ver pessoas assim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.