O cão não é o melhor amigo do Soberano

Aqueles que atacam o Parlamento e os deputados, ameaçando invasões e agressões, são como os cães de que fala Platão na República: ladram às pedras que lhes foram atiradas, não aos que lhes atiraram as pedras.

A pedra é a ocasional política contra a qual protestam. Mas a mão não está no Parlamento e seus ocasionais deputados, sequer no ocasional Governo em causa. A mão é a do Soberano.

Só quem desconhece, ou rejeita, estar a soberania no Povo é que dispõe de tempo e energia para violentar as instituições democráticas em vez de estar a lutar para ocupá-las pelo voto.

47 thoughts on “O cão não é o melhor amigo do Soberano”

  1. conversa da treta. as pedras foram atiradas a deputados certos e não a todos os deputados.

    se tivesses cultura história e não apenas retórica e falaciosa, saberias que desde sempre a legitimidade política dos governantes se obteve da capacidade de fazer a justiça. nem vem da idade média. vem do médio oriente antigo, do egipto, da antiguidade pré-clássica.

    tens milénios de legitimação assente nisso. esquece os estados liberais onde o voto era censitário e limitado e lembra-te de que o voto universal (ainda não a decisão universal) tem em Portugal 40 anos. e no resto do mundo pouco mais.

    alegra-te que há muita gente à esquerda que viu no ps ontem, finalmente, alguma vontade de mudar de rumo. eu cá duvido, mas que ao menos estejam uma vez na vida do lado económico e financeiros certo já se saúda.

  2. Concordo. Todos conhecemos os defeitos da democracia representativa. Mas… basta ver o que fez Pinochet, no Chile, para vermos como estaríamos com estes meninos no poder sem democracia!

    A constituição reconhece ao povo a soberania através do voto e da liberdade de expressão. Se o quiser, o povo pode ocupar o parlamento através do voto. Mas há quem queira destruir a democracia. São actos provocatórios e voluntaristas que, em caso de “sucesso”, a única coisa que conseguirão será derrubar a democracia tornando irreversíveis as políticas que seriam facilmente derrotadas nas urnas.

  3. As pessoas que atiraram pedras foram uma minoria que não é representativa dos milhares de manifestantes que se deslocaram à AR. Isso mesmo compreendeu a polícia, que teve um comportamento contido. Perante o que vem aí, todas as manifestações são válidas, ainda que as liberdades democráticas estejam, para já, asseguradas. Mas, não tenhamos ilusões: à medida que a contestação aumentar, a repressão aumentará e nada nos garante que esta situação se mantenha. Pode é já ser tarde. Nessa altura, o voto pode não valer para nada…

  4. É verdade. Há muitas pessoas desesperadas. Com este orçamento, o desespero da população só poderá aumentar. É preciso derrubar este governo o quanto antes.

  5. ,não abusem da liberdade.O que se passou no parlamento, foi que aqueles com quem a extrema esquerda se aliou,tambem tiveram direito a voto.como são mais,votarem conforme a sua vontade.escusam de ir ao wikipedia buscar razões para a bandalheira.

  6. nuno cm, esse teu último comentário está ilegível. pontos e vírgulas e concordâncias que lhe tramam o sentido. já vi que recorres à wikipedia (cada um recorre ao que tem capacidade de entender, mas se quiser sugiro-lhe bibliografia melhor para uma série de assuntos, designadamente os históricos) mas gostava mesmo de perceber o que queres dizer e concluir com as frases entre “, não abusem da liberdade. […] e a sua vontade.”

  7. nm, deixa-me aprender contigo. Conta lá melhor essa história do “desde sempre” e dos egípcios e tal.
    __

    joaopft, quais são os defeitos da democracia representativa?
    __

    rui mota, o texto não se pronuncia sobre as pessoas que se manifestaram respeitando as instituições democráticas, apenas sobre aquelas que as violentaram e pretendiam continuar a violentar à sua vontade.

  8. Não brinquem com o fogo, pois nem sempre nestes casos a 3ª lei de Newton é aplicada e depois só o futuro o sabe.

    rui mota, embora sendo uma minoria por vezes é essa minoria que estraga tudo e atira de pantanas projetos bem interessantes, basta recordarmos o que à relativamente pouco tempo as minorias conseguiram fazer para ver que os sarilhos saltam de maneira desenfreada.

    Quando muita gente se bateu pela queda do anterior governo, certamente não estavam a pedir o que lhes está a acontecer hoje. A teimosia é que não deixa muitos verem a realidade.

    Ainda gostava de ouvir a opinião dos que acham que as pedras atingem os deputados certos se fossem bastonadas a atingir os atiradores certos . aí, se calhar, já seria violência policial.

  9. Teofilo M

    As manifestações em Portugal têm sido, de uma maneira geral, bastante ordeiras. Basta olhar para a vizinha Espanha, ou para a Grécia, para perceber isso. Empolar esta questão, é alimentar uma discussão desnecessária.
    O parlamentarismo não é a única forma de democracia e a democracia participativa é apenas mais uma forma de expressarmos o nosso descontentamento. Ainda bem que há manifestações. A regularidade com que estas vêm tendo lugar é um bom sinal. As pessoas começam a acordar de uma letargia prolongada e isso só quer dizer que a cidadania está viva e recomenda-se. Nada será igual depois do 15 de Setembro, pelo que não devemos temer as manifestações ou os manifestantes. Também para que, no governo e no parlamento, os eleitos estejam atentos aos sinais da sociedade em que vivem Na Islãndia, a população da capital manifestou-se durante meses consecutivos em frente ao parlamento com tachos e panelas e, no fim, ganharam. Há filmes sobre esta questão e a informação está à disposição de todos. Hoje a Islândia é um exemplo de cidadania para todo o Mundo. É assim que quero ver Portugal.

  10. NM, neste momento o dinheiro é pouco,quase não dá para comer,o que não acontecia à dezoito meses atras!não recorri à wikipedia,mas à memoria.A liberdade fica sempre à mercê de um ditador quando se abusa dela.A direita, não fez mais do que exercer um direito que lhe foi conferido pelo voto.são mais do que todos os outros no parlamento? é verdade, mas bastava não alinhar com a direita na votaçao que levou à sua vitoria para não teremos estes “pequenos precalços”. falar em coerencia para cometer um erro gravissimo como se viu e se nota no dia a dia de todos os portugueses,não é sinonimo de burrice,mas de pulhice! defendessem os trabalhadores, mesmo dando um passo atras na vossa estrategia de crescimento não sustentado! e nesta altura, mesmo com dificuldades não estariamos certamente em pior situaçao.Nota: quando em eleiçoes se escolhe como adversario principal um partido da esquerda democratica,não se pretende senão outra coisa do que a vitoria da direita e uma possivel subida de alguns (poucos) deputados.Os custos que o bloco pagou dessa sua ousadia politica, saõ insignificantes quando comparados com o sofrimento do nosso povo,.o tal que tem o vosso apoio mas sempre no condicional.

  11. “os trabalhadores, mesmo dando um passo atras na vossa estrategia de crescimento não sustentado! e nesta altura, mesmo com dificuldades não estariamos certamente em pior situaçao.”
    Que certeza tens disso? A mim parece-me que o pec IV é tão recessivo e neoliberal quanto o memorando

  12. Desculpem lá o “à” de “há relativamente…” no texto anterior mas de vez em quando os fusíveis coisa e tal.

    Creio que os partidos já esgotaram as ideias e estão aprisionados no seu próprio sistema. A assembleia necessita de sangue novo. Por vezes é confrangedor olhar para aquela mole de gente onde apenas meia dúzia dizem qualquer coisa de acertado, ficando os restantes com o papel de bater palmas ou apupar, mandar uns bitaites sobre a “culpa do governo anterior”, produzir um discurso entaramelado que ninguém entende ou apenas passar a música do costume.

    O sistema ou muda ou cai de podre, será que a malta mais jovem, que tem de lutar para sobreviver prefere andar arrimada às costas dos pais ou emigrar?

  13. “Mais vale ser um cão raivoso
    que uma sardinha
    metida, entalada na lata
    educadinha
    pronta a ser comida, engolida, digerida
    e cagadinha
    Mais vale ser diferente da sardinha
    um cão raivoso que sabe onde ferra
    ferra fascistas e chama-lhe um figo
    olhos atentos e patas na terra.”

    Cão raivoso, Sérgio Godinho.

  14. Exactamente, Valupi. E também concordo com o Francisco Assis que, ontem na SIC N, lembrou, e bem, que se por qualquer motivo um dia o Parlamento fechar também se acabam as manifestações…

  15. rr,podes ter conviçoes diferentes das minhas,mas até prova em contrario considero-te um tipo honesto.depois desta declaraçao faço-te esta pergunta.Achas que a base social de apoio do ps e a mesma do psd? achas que socrates é passos coelho? Achas que a cip a cap e todas as outras associaçoes patronais que influenciam e que mandam no Psd, têm no Ps o mesmo tratamento? tenho a certeza que achas que nao.Tambem concordarás que havendo interesses diferentes e até conflituantes na sociedade portuguesa,um governante tenha que olhar para eles, da forma equilibrada, tendo em vista o desenvolvimento do pais e de uma melhor qualidade de vida dos portugueses.Onde o estado era dono de tudo até dos taxis, (que para sobreviverem vendiam vodka e sandes à sucapa a partir de certas horas da noite) deu naquilo que se viu.Não tenho medo do socialismo,levo uma vida simples,tenho medo é daqueles que se aproveitam desse ideal para entre outras coisas nos tirar a liberdade. termino repetindo o que disse: com socrates no poder a situaçao era diferente.Olha, não nos tinha tirado dois meses de salario,pois foi a primeira coisa que ele disse aos portugueses.joão o memorando tinha que ser cumprido? acho que não,tu sabes que eles disseram que podiam ser feitos ajustes ou alteraçoes desde que no deve e haver tivesse o mesmo resultado.termino lembrando-te que estes pulhas que nos governam, estão a ir para alem da troika e do memorando

  16. Sou um socialdemocrata de esquerda, nuno.Á antiga, como foram olof palme, ou brandt.Dito isto, não sou comunista, mas não gostei do desvio para a direita que os partidos sociais democratas fizeram, nem dos cortes sociais e aumentos de impostos, que estes fizeram.De ti nao sei, mas da valupi não podia pensar mais diferente , uma vez que o val se insere no centro-direita.
    Passando ás perguntas: Base social? São parecidas as bases sociais.Influencia da cip e da cap? Só tenho a dizer que lembro-me do vanzeller dizer que o governo ps aprovou coisas que os governos durão/santana nunca se atreveram a aprovar.E em que medida é que com sócrates a situação seria diferente? Que faria socrates se ainda fosse governo, diz-me lá ?
    Socialismo para mim não é fazer cortes sociais e aumentar impostos.Com maior ou menor grau, austeridade é austeridade,sempre destrutiva.E eu sou contra a austeridade.Quando voces dizem, ir para além do memorando, significa que apenas não abusam da austeridade recessiva, sendo que concordam com ela.
    Por ultimo, uma governanção equilibrada, não significa ter que praticar o contrário do que se proclama ser

  17. Envie-se para o rr uma foto autografada do Sócrates, formato A3, para ele pendurar na parede da sala a servir de alvo no jogo de setas. Fica ele aliviado e resolvem-se os problemas do país.
    Já agora, comparar o Pec IV com o que estes carcamanos andam a fazer, não revelará um bocadinho de insanidade?

  18. Val, Para começar, tens

    José das Candeias Sales, A Ideologia Real Acádica e Egípcia, Representações Políticas do Poder Político Pré-Clássico, Lisboa, Estampa, 1997

    Hermenegildo Fernandes, D. Sancho II, Lisboa, Temas e Debates, Imp. 2010.

    Nesta última fala-se bastante do conceito de Bom Rei e de Rei Inútil que levou à deposição de Sancho (e noutras paragens do imperador Frederico II, O Barba Ruiva).

    O não fazer a justiça estava entre os malefícios que justificavam a queda de um rei. E nunca deixou de estar.

  19. “á agora, comparar o Pec IV com o que estes carcamanos andam a fazer, não revelará um bocadinho de insanidade?”
    Porque?

  20. Nuno CM, Primeiro obrigado pela explicitação do texto. Habitualmente no Aspirina B fica-se pela pedrada ao outro.

    Não concordo de todo com a tua leitura. Como aliás sabes.

    Acho (e achavam na altura, e agora, CDU e Bloco) que o PS não estava a fazer um trabalho de esquerda. E mais, que estavam a fazer um péssimo trabalho. Por isso mesmo não podiam esperar que sucessivos PEC – mais que danosos de acordo com os nossos pontos de vista pudessem ser aprovados. Os partidos de esquerda não são tutores das políticas do PS. E não se lhes pode pedir que andem a aprovar o que em cada ocasião lhes pareçam os menores dos males. Esse é um dos problemas: trocar convicções por calculismo. O calculismo sai sempre furado ao confrontar-se com outros calculismos e com os calculismos dos outros.

    Em nenhuma ocasião importante (excepto quando o PSD percebeu que poderia chegar ao poder) deixaram de ver propostas viabilizadas pelo PSD e pelo CDS-PP, Foi assim com os conteúdos de três PEC três. E só não foi de um quarto porque cheirou finalmente a poder nos corredores da são caetano à lapa. O resto é conversa publicitária para consumo dos eleitores do PS e infelizmente mantra diário aqui na tasca.

    Depois disso, vai-se cumprindo além do programa da tróica, sem que o PS deixado de viabilizar o OE 2012 ou o código laboral, ou tentado contrariá-lo. Felizmente, agora, que já lhe cheira a poder, vota contra o OE2013, Espero que não seja apenas por lhe cheirar a poder, mas as acções passadas do PS não me recomendam que acredite noutra motivação.

    E não recomendam porque lado a lado com os discursos de oposição das isabéis moreiras e dos joões galambas e dos pedros nunos santos coexistem sempre, vinco sempre, acções de situação que defraudam quem acreditou neles.

    Basta ver o artigo ontem publicado por Francisco de Assis no Público. No fundo, há uma aceitação tácita do que propõe Passos Coelho. A tal refundação. Não será com Coelho, nem com Gaspar, mas será se necessário for com outros que para lá haja no PSD (e/ou, claro, com o CDS-PP, que Portas tem vindo a tirar o corpinho fora e a pô-lo a jeito para outra maioria que o queira). O Assis (e PS) falam de cortes nas despesas, mas não os vejo tão entusiasmados com o corte nos juros da dívida pública em crescendo desde 2007.

    Ninguém por ali fala em parar Maastricht, Lisboa ou os pressupostos do euro. Seguro desbarata as tímidas mãos que lhe vão sendo estendidas pelo próprio FMI, por Hollande. Não muda o discurso para a necessidade de refundar a Europa num caminho social que acabe com as directivas de construção neo-liberal de Maastricht, Lisboa e do euro.

    Portugal não vive sozinho. mas basta um país falar grosso para muita coisa ter de mudar na UE. Alemães, holandeses e finlandeses sabem que têm mais a perder com o levantamento do que a ganhar. Só falam duro porque ainda ninguém lhes rosnou.

    Noutra altura, em 1974, foi aliás Portugal que deu o pontapé de saída para muitas mudanças mundiais. E logo de um país na ponta da Europa e sem alianças que se vissem.

  21. Nuno CM,

    Aliás, não há link, mas o artigo de Assis foi escrito “ouvindo a vozearia distante dos manifestantes que se aglomeram lá fora” enquanto “lá fora, uma pequena multidão ululante invectiva os representantes eleitos da República e contesta, com fúria, as mais recentes medidas governamentais”.

    Artigo onde se apela literalmente a “um compromisso histórico entre a esquerda democrática e o centro-direito”.

    E não tem faltado aqui quem defenda Assis (e o seu tutor Costa).

  22. rr,se um dia fores para o desemprego,e só houver um salario la em casa ,como não fazes austeridade vais roubar para manteres o mesmo nivel de vida? rr, poupa-nos com essa conversa.Agora dás credito ao vanzeler? vou-te citar as palavras de louça na entrevista de ontem na tvi24. Sócrates era aguerrido (teve medo de dizer lutador) Passos coelho é perigoso. tu e o teu sectarismo nada vêem.A austeridade que estamos a sentir na pele, é fruto do ” contrato de parceria” assinado pelo pcp/Bloco com a direita, para chumbar o pec 4 para depois pedirmos ajuda externa aos usurarios.

  23. Nm,Louça disse que está disponivel para fazer parte como ministro de um governo onde entrem outras forças de esquerda.gostava de ver um governo com esta composiçao e sem fazer austeridade.Nm,as nossas posiçoes estão bem marcadas,mas estou convicto que dentro de meses ou anos vai estar do meu lado,a semelhança de muito dos seus camaradas. o tempo é um bom conselheiro.

  24. Nuno CM, Enquanto votante de esquerda nada me repugna que os partidos de Esquerda (feito o trânsito de muito PS) se encontrem na governação. Agora, não pode ser em redor do mesmo remédio apenas dado em doses menores como propõe o PS. Só que isso implica uma Europa enquanto espaço de construção de nem-estar social e de liberdade e não de liberalismo económico. Novamente a histórica. Há demasiados paralelismos com as asneiras feitas ao longo do século XIX, onde estados liberais levaram à guerra de 1914 e à grande depressão. Não existe nada de novo nos modelos agora propostos pela direita, nem sequer na ideia conservadora de que andamos a gastar o dinheiro dos nossos netos (que nunca terei pois nem sequer espero vir a ter filhos. aliás, eu que não gasto, nunca gastei, nem gastarei, educação de crianças nada me importo de contribuir para a educação pública)

    Claro que será precisa austeridade. As políticas de direita levaram-nos de tal maneira ao fundo e destruíram-nos de tal maneira a capacidade produtiva que levará tempo a levantar a capacidade de construir receitas nos sectores industriais e agrícolas. Isso não impede que para já, os estados possam financiar-se directamente em vez de recorrerem aos Ulrichs cujos lucros e fugas aos impostos não páram.

    Não tenho a mínima dúvida de que não nos encontraremos, se o modelo do PS continuar a ser o que é. Isso de que amansamos com o tempo no meu caso tem funcionado ao contrário. E estou na mesma situação com que questiona o rr. Vale-me que nunca andámos cá em casa a viver acima do que ganhávamos e não existe uma única hipoteca para pagar (o que não foi só esforço nosso, mas também da família). Durões Barrosos, Pachecos Pereiras são apenas modelos de vira-casacas por interesse ou por tontaria intelectual.

    Tito de Morais recusou uma vez um lugar na administração da Galp oferecido pelos seus camaradas do PS, por achar o salário imoral. Engenheiro, esteve num exílio complicado, com desemprego e dificuldades. Mas soube resistir às mordomias com que lhe acenaram.

  25. Peço desculpa mas apropriei-me indevidamente do nick do Nuno CM.

    É meu, PERTENCE A NM, esse texto aí de cima que se inicia com “Nuno CM, Enquanto votante de esquerda nada me repugna que os partidos de Esquerda (feito o trânsito de muito PS) se encontrem na governação. Agora, não pode ser em redor do mesmo remédio apenas dado em doses menores como propõe o PS. ”

    Como me estava a dirigir a ele, ao nuno cm, meti-lhe o nome no lugar do meu e depois não reparei.

  26. Val, se fores ler, verificarás que em todos os casos a uma legitimidade inicial baseada no direito de acesso ao poder (seja de raiz hereditária ou eleitoral, no caso do império germânico, por exemplo) se contrapõe a obrigação de manter uma legitimidade baseada no exercício do poder.

    Nem aos chamados reis absolutos do século XVIII se admitiu que não fizessem a justiça. Esta era entendida não apenas como a aplicação do Direito mas também como a manutenção da paz e ordem sociais. A ideia de que existia uma aliança Rei e poderosos nasceu mais do estabelecido nos anos que foram de 1789 a 1799, a revolução francesa em esplendor, do que à realidade de séculos. Ao rei, o poder executivo, coube sempre o papel de equilibrar os abusos dos poderosos, sendo visto pelos povos, basta ver os capítulos das cortes portuguesas, como feitor da justiça.

  27. “dia fores para o desemprego,e só houver um salario la em casa ,como não fazes austeridade vais roubar para manteres o mesmo nivel de vida? rr, poupa-nos com essa conversa.Agora dás credito ao vanzeler? vou-te citar as palavras de louça na entrevista de ontem na tvi24. Sócrates era aguerrido (teve medo de dizer lutador) Passos coelho é perigoso. tu e o teu sectarismo nada vêem.A austeridade que estamos a sentir na pele, é fruto do ” contrato de parceria” assinado pelo pcp/Bloco com a direita, para chumbar o pec 4 para depois pedirmos ajuda externa aos usurarios.”

    Ser não houver alternativa que não me faça passar fome, se calhar não é ma ideia não.
    O que é o sectarismo para ti? Eu nao sei nuno, aonde queres chegar com essa conversa, mas sei que a tua resposta para isto( e o pec IV) era austeridade.Ou seja, á austeridade recessiva,a resposta seria mais cortes sociais e aumentos de impostos, porque o pec IV era tudo isso

  28. nuno, eu não vou pôr lá ninguém a não ser que o presidente dissolva primeiro o parlamento ;)

    Mas ele pode pôr lá quem quiser, com ou sem eleições, desde que tire o duo de vampiros da pátria portuguesa (Passos Coelho & Vítor Gaspar). Por exemplo, Cavaco Silva podia nomear Manuela Ferreira Leite para primeira-ministra; isso sempre seria melhor para o país do que termos no poleiro autênticas marionetas dos nossos credores.

  29. RR,Eu não disse que eras sectario,disse diferente. “o teu sectarismo”,pode ser muito ou pouco,e foi num caso concreto.louça vê diferenças entre socrates e passos,tu nao as consegues encontrar paciencia. estás em profunda divergencia com o teu lider, e pior na minha opinião com a realidade o que não deixa de ser preocupante! rr, vamos a um exemplo pratico.tu compras um automovel,tens que o pagar em 3 anos,ganhas 1500 euros mes e as prestaçoes são de 250e/mensais,pergunto: dai para frente se não tiveres outros meios vais fazer a mesma vida? acho que não.ao cortares no cinema,na ida ao restaurante e não ires ao futebol,não estas a fazer outra coisa senão austeridade.O governo corta nas despesas para pagar as dividas que contraiu,o principio está certo,desde que a receitas não cheguem,mas t~em que fazer as melhores opçoes nesses cortes.como têm um agenda ideologica para nos darem um estado a prestar” serviços minimos” como na carris em dia de greve ,atira.se de uma forma desenfreada para cima de tudo que foram conquistas de abril.Rr sobre este tema não mais tenho a dizer.para outros sempre que possa estou disponivel,desde que seja com este civismo.Ok?

  30. os esquerdolas mais os esquerdelhos arrumaram um bonito sarilho e agora não passa nada, era por causa da austeridade recessiva do sócras, toma lá e vai aviar à farmácia. fiem-se no quanto pior melhor e ainda vão ter que discutir em que lugar se sentam no parlamento com o mario machado. podiam emigrar todos para a madeira e fazer daquilo uma ilha socialista com projecto aprovado pelos manos castro, faziam manifs à vontade e berravam no meio do atlântico sem incomodar quem não alinha, deixávamos de aturar e pagar ao bananeiro.

  31. “Por exemplo, Cavaco Silva podia nomear Manuela Ferreira Leite para primeira-ministra; isso sempre seria melhor para o país do que termos no poleiro autênticas marionetas dos nossos credores.”

    demoraste, mas acabaste por dizer o que te vai na alma. é assim mesmo, com a velha no poder e a democracia suspensa teriamos estabilidade para os próximos 60 anos. já tou a imaginar o neto do cavaco a cair da cadeira e a neta da manela a ser carregada num pãoduro que o branco cancelou.

  32. estes macacos aparecem aqui com paleio esquerdola que o ps é de direita, o pec era austeritário, o socras um sacana, renhónhónhó e depois acabam a fazer apologia das soluções de direita. metam na cabeçorra que a velha é pior que o nabo do passos, se diz mal é porque quer o lugar para fazer aquilo que não conseguiu enquanto lá esteve.

  33. Ignatz, deixa-te lá de histerias, de desconversa e de acusações básicas e diz-nos o que pensas sobre o país continuar a seguir o previsto nos tratados de Maastricht e de Lisboa e as regras do euro, suas implicações e consequências para todos nós.

    De caminho ajunta de que forma deve ser configurado o Estado de Bem Estar e que soluções de financiamento podem ser obtidas continuando a seguir as regras de Maastricht, Lisboa e do Euro.

  34. Nm se estivesses do meu lado escrevias certamente o que escrevo numa forma mais escorreita.se eu estivesse no teu, escreveria uma boa parte do que escreveste mas de uma forma menos escorreita.Cada um está no seu lado e os lados são diferentes.So que um “lado” eu colo-oao socialismo sovietico de má memoria do qual ainda não se livraram (julgo que não é o teu caso) o outro com o seu radicalismo inconsequente faz alianças em muitas situaçoes com o pc,para depois andar numa competiçao frenetica com prejuizos evidentes para o pais.espero com a mudança de lider as coisas se possam compor.O ps nada deve ao bloco e ao pcp,mas o contrario já não e verdade.as maiores conquistas plasmadas na constituiçao tem todas a marca do ps. sem este partido portugal não era o que é hoje. a mim,só me podem colar lado da liberdade,para poder ler o livro que quizer ,falar e criar se tiver talento, expressar as minhas opinioes sem ninguem prender-me a seguir se for do contra. estas conquistas não as quero perder por ter ido atras de falsos profetas!

  35. oh nanómetro! arranja um nome e depois uma gaja que isso passa-te, se não resultar põe um anúncio no 5 dias ou no arrastão, talvez arranjes alguém que queira discutir o sexo dos anjos contigo.

  36. “O ps nada deve ao bloco e ao pcp,mas o contrario já não e verdade.as maiores conquistas plasmadas na constituiçao tem todas a marca do ps”
    O problema é que o ps anda longe das suas raizes

  37. “… as maiores conquistas plasmadas na constituiçao tem todas a marca do ps”

    e não tiveram o acordo do pcp, já o bloco ainda não era nascido, mas hoje berram por elas como se fossem os pais.

  38. “co,e foi num caso concreto.louça vê diferenças entre socrates e passos,tu nao as consegues encontrar paciencia. estás em profunda divergencia com o teu lider, e pior na minha opinião com a realidade o que não deixa de ser preocupante”
    Não é o meu lider, e sempre fui ps, e nao disse que socrates era completsmente igual a passos coelho.Mas não escondo que o ps virou á direita na ultima decada, e que isso me desagrada.

    “tens que o pagar em 3 anos,ganhas 1500 euros mes e as prestaçoes são de 250e/mensais,pergunto: dai para frente se não tiveres outros meios vais fazer a mesma vida? acho que não.ao cortares no cinema,na ida ao restaurante e não ires ao futebol,não estas a fazer outra coisa senão austeridade.O governo corta nas despesas para pagar as dividas que contraiu,o principio está certo,desde que a receitas não cheguem,mas t~em que fazer as melhores opçoes nesses cortes.como têm um agenda ideologica para nos darem um estado a prestar” serviços minimos” como na carris em dia de greve ,atira.se de uma forma desenfreada para cima de tudo que foram conquistas de abril.”

    Primeiro nuno, não podes comparar coisas incomparáveis, porque a economia familiar e a economia do Estado, são muito diferentes,embora dizendo-te que: estás a legitimar a politica do actual governo, que não compraria nenhum carro se não tivesse dinheiro, que apostaria no aumento de receita em oposição a cortar em apoios sociais.
    Dentro de uma politica de austeridade, o governo está a fazer os cortes expectáveis, pelo que não sei aonde tu cortarias no lugar do governo

  39. ah sim , pq trabalhas bué pró bem comum dizendo que o cadáver está mesmo bem cheiroso. yaa , a pub vive de apariências e imagens , cultiva bués o imaginário e arquétipos , mas a gente não , uns toscos que vivemos mais de batatas e estrume fertilizante e tal , topas ? nã gosto nada de perfumes , curto é lavadinho.

  40. Ignóbil, o teu papel aqui é igual ao do Relvas no PSD e do Lello (um Relvas com um curso superior) no PS.

    A tua capacidade de intervenção cívica é tão útil, cevada e boçal como a deles. Refocila, amor, que tu nem que te metessem a lavagem na selha barrada com suor socrático conseguias distinguir um assunto político de um não assunto.

  41. Nuno CM, Não me motiva qualquer clubismo e se a experiência soviética foi tudo menos feliz, para dizer o mínimo, isso não quer dizer que o pcp tenha governado por lá. Cegueiras selectivas por interesse estratégico têm os partidos todos.

    Nada do que consideraria conquistas constitucionais obtidas pelo PS deixou de contar com o apoio do PCP (ou deixaria de contar com o do Bloco).

    Mas para não ir mais longe não conto no campo das conquistas, a legislação do trabalho de Vieira da Silva, um dos que nunca foi solidário com Ferro Rodrigues, ou a viabilização da legislação laboral do Governo de Passos Coelho.

    Artigos como este da passada semana publicado no Público em que Francisco Assis apelava ao entendimento entre o centro-esquerda e a direita e à redefinição das funções do Estado apenas mostra que o PS não está disposto a pôr em causa os fundamentos que nos trouxeram até aqui. A crise internacional e europeia foi construída com a participação activa dos partidos trabalhistas europeus que criaram as condições para que existisse. Apoiados na falácia das terceiras vias caminharam para tratados neo-liberais e moedas condenadas a matarem-nos a todos à fome, apesar dos avisos de comunistas como Ferreira do Amaral.

    A governação do PSD/CDS-PP não peca só por ser incompetente. Peca por ser criminosa e por atirar ao lado. Mas o que tramará o país é que o PS ainda não percebeu que o que está errado não é a dose do remédio, mas sim o remédio aplicado.

  42. ignatz, Manuela Ferreira Leite pode ser para este PREC o que Melo Antunes e o grupo dos nove foram para o de 1975. Ela disse que quer evitar situações de ruptura da democracia; e eu acredito na sua boa fé _nesta_ questão, pois parece-me que a sua motivação deriva, como no caso de Melo Antunes, de uma boa dose de bom senso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.