4 thoughts on “No meio da guerra não há consenso”

  1. Excepto quando a criatura precisa de ser nomeada para a junta metropolitana de Lisboa com o consenso do PSD e do delinquente isaltino

  2. oh sebento! isso da nomeação, era o que a comunada queria, ocupar o lugar sem votos. abandonaram reuniões porque queriam impor ilegalidades, não votaram porque não estavam de acordo com a lei e agora querem pôr a lei em tribunal porque não estão de acordo com o resultado eleitoral. um bom exemplo da democracia martelada do partido comunista português.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.