Ninguém sabe

As pessoas que saíram à rua neste sábado sabem que Portugal está sujeito a condições de austeridade impostas pelas entidades que nos estão a fazer um empréstimo de emergência. As pessoas que neste sábado expressaram a sua indignação com superior civismo sabem que esse acordo tem sido alterado por este Executivo e que vários dos seus artigos são apenas metas, não se definindo no texto o modo como lá chegar. As pessoas que neste sábado aliviaram juntas a ofensa que este Governo ameaça fazer-lhes sabem que os actuais governantes, quando na oposição, e o Presidente da República, enquanto oposição ao PS, deturparam, esconderam e mentiram a respeito da origem dos problemas de financiamento de Portugal após a Grécia e a Irlanda terem sido obrigadas ao resgate. As pessoas que fizeram deste sábado uma data que recordarão com orgulho sabem que o PSD e o CDS não foram a eleições prometendo ir além da Troika, o que eles prometeram foi exactamente o oposto: ficar aquém da Troika no que à austeridade sobre os trabalhadores, empresários e pensionistas dizia respeito.

O que as pessoas não sabem depois de um sábado que exibiu a força dos eleitores do centro é o que fazer a seguir. Nem elas nem ninguém.

94 thoughts on “Ninguém sabe”

  1. Quando os sacrifícios foram feitos em nome de salvar o país o povo aguentou no tempo do Engª Sócrates e do Dr Coelho.O que o povo não suporta e que lhe tirem o dinheiro para o por no bolso do patrão e esperar com isto que ele crie mais emprego

  2. Nos ultimos meses do ultimo mandato do rei sol, e antes mesmo do resgate in extremis, ja tinhamos mamado 3 PECs, com 1 quarto a caminho.

    Val, podias fazer um post extensive, alinhando ponto a ponto onde e que o actual governo foi “para alem da Troika”. Ponto a Ponto, quantificado, e ao lado, mete as alternativas sugeridas pelo PS ja agora, igualmente quantificadas. Nao deve ser dificil, eles estao sempre a dizer que tem receitas magicas para retirar 6% do PIB a economia sem que custe a ninguem.

    A melhor maneira de desmistificar propaganda lixo como a tua e pedir dados e factos, bem como solucoes para algo que nao tem solucao.

    Branqueias anos de um socialismo que faliu o pais e empobreceu todos. Se isto fosse um pais a serio gajos como tu teriam medo de meter o pe na rua.

  3. Eu só queria que o Basico me explicasse uma coisa.
    A culpa da vinda da troika é do Sócrates e do seu socialismo gastador, certo?
    Então porque é que a Grécia, a Irlanda, a Espanha, a Itália e Malta estão com a troika lá dentro ou a bater à porta? Falidas pelo Sócrates? Como é que avalias a inteligência das pessoas que vão ler as tuas frases cheias de nada? Pela tua?
    Vê aqui, http://www.economist.com/content/global_debt_clock, compara e diz lá se a divida portuguesa estava louca, por exemplo em 2011.
    Quanto à receita para o défice que nos impõe dou-te os parabéns, parece que o governo, ao retirar tanto dinheiro da economia, recebeu menos impostos e ainda o aumentou em vez de o diminuir . Fala-se em cerca de 7% para este ano. A alternativa seria cumprir o que ESTÁ NO MEMORANDO, muito diferente do que o Gaspar fez.

  4. O que as pessoas sabem é que há uma dignidade a manter, que há valores que são intocáveis.
    O que as pessoas sabem é que um governo não pode ser absoluto e cego independentemente da legitimidade que lhe foi dada em eleição.
    O que as pessoas sabem é que ninguém lhes tira a confiança, e que não serão meia-dúzia de badamecos que deitarão por terra o que levou 38 anos a construir.
    O que as pessoas sabem é que incompetência não se compadece com o momento difícil e delicado de governação que necessitamos.
    O que as pessoas sabem é que independentemente das alternativas o futuro é promissor, porque trás de novo essa coisa maravilhosa que é a esperança.

  5. A Grecia tinha um problema serio de divida, de governance e de contas aldrabadas. Foi o Maddoff da zona Euro.

    A irlanda pediu o resgate porque os bancos deles, por estarem todos montados numa bolha imobiliaria, afundaram o pais.

    A Espanha esta a pedir o resgate para o sector financeiro e regioes por causa de uma bolha imobiliaria que afectou o pais (e da qual todos beneficiaram enquanto os precos subiam).

    Malta e um pais sem expressao, a quem deixaram de emprestar dinheiro por causa das duvidas quanto a continuancao do Euro.

    A Italia nao tem troika la coisissima nenhuma. Sofrem por causa das duvidas sobre a continuacao do euro.

    Portugal nao tinha bolha de imobiliario, portugal tinha / tem uma bolha do sector publico criada por mais de 20 anos de socialismo e de social-democracia socialista. Portugal tinha um problema de contas estruturais que o Rei Sol rebentou definitivamente. Portugal pode escrever compendios sobre desorcamentacao, “Como esconder divida publica criando institutos, PPPs, pagando atrasado a fornecedores, criando deficits tarifarios, etc”.

    Falam de cumprir o que esta no memorando, se lessem o memorando viam que o que esta a ser feito e o que la esta. A descida da TSU? Ta la. Vai ler antes de debitares propaganda socialista e comunista.

    Se me explicarem como e que se faz o downsizing ao sector estatal, que representa 50/60% do PIB. sem que custe a ninguem, avisem.

    Abracos de quem emigrou no bom tempo.

  6. Algumas medidas do memorando que não vejo terem sido cumpridas.

    “Reduzir o défice do público para menos de… 7645ME em 2012 (4,5% do PIB)e 5224ME (3% do PIB) em 2013 através de medidas permanentes de alta qualidade e minimizando o impacto da consolidação nos grupos mais vulneráveis;
    …apoiar a competitividade por meio de ajustamentos à estrutura fiscal neutros em termos de orçamento.;
    …o orçamento de 2012 vai incluir a recalibração do sistema de impostos, neutra em termos orçamentais, com vista a baixar os custos do trabalho e aumentar a competitividade (Outubro de 2011).;
    … Congelar os salários no sector do governo em termos nominais em 2012 e 2013.”

  7. Caro Val,

    Desta vez estive nos Aliados no meio de um mar de gente. A ex-classe média e os mais desfavorecidos reencontraram-se na praça e na rua. Diz quem costuma vir que há muitos anos que não via coisa assim. Claro que também havia por lá o tradicional folclore da esquerda radical, mas a coisa foi tão desorganizada que penso que ninguém se sentiu constrangido ou manipulado. Famílias inteiras, avós, pais e netos. Diversos amigos e conhecidos, alguns das proveniências políticas mais improváveis. Muito civismo, mas também bastante desespero. Pessoas a procurar manter a dignidade, mas a contenção parece estar no limite.

    E agora? A situação parece estar num impasse. Passos pode tentar o truque do “ouvi o País, recuo e até remodelo”. Mesmo com a colaboração dos inefáveis spins de serviço da direita na comunicação social portuguesa, parece-me muito difícil que a generalidade da população volte a acreditar na suposta credibilidade desta gente séria e competente como Passos, Relvas ou Gaspar. Se havia algo que unia a generalidade dos participantes na manifestação de ontem era a necessidade de afastamento deste Governo. O recuo nas principais medidas anunciadas significaria também que Cavaco e Portas ganhariam este round por KO a Passos e a Gaspar. Gaspar, na melhor das hipóteses, ficaria a prazo, antes de se acolher no banco mais a jeito. Passos ficaria à guarda de Cavaco e de Portas, ao abrigo da lei da proteção dos menores. O Governo, mesmo com alguma cosmética, ficaria com um Primeiro-ministro semimorto a apodrecer em “modo Relvas”. O País, mais tarde ou mais cedo, ficará ingovernável.

    Há a hipótese de se devolver a palavra aos cidadãos. Neste momento, em cima da decisão do orçamento para o próximo ano, com a fragilidade das lideranças de Passos e de Seguro, arriscamo-nos a ficar pior, com a legitimação de soluções vazias, impreparadas e precárias, gerando uma situação pós-eleitoral ainda mais confusa e instável, numa palavra, ingovernável. O impasse agravar-se-ia e, com a população desesperada, teremos um campo fértil para todos os populismos de direita, de esquerda, ou dos candidatos a Berlusconis que por aí espreitam.

    Existe, ainda, o cenário do Governo de iniciativa Presidencial. Se a maioria da população e os principais partidos confiassem no juízo do Presidente, poderia ser, nesta fase, uma solução minimamente razoável. É certo que as medidas que nos esperam são muito difíceis de assumir sem uma forte legitimidade eleitoral. Mas, com um Presidente com grande reconhecimento e empatia nacional e um Governo minimamente equilibrado e competente, a coisa poderia compor-se.

    Infelizmente, saiu-nos Cavaco na rifa. Cavaco poderia tentar um golpe de asa com a dupla Rio – Costa. Embora com diversas posições que me preocupam bastante, Rio e Costa são dos poucos que ainda me parecem neste momento ter as condições mínimas para conduzir este barco de malucos no meio desta brutal tormenta. Isso significaria, na prática, um golpe de estado Presidencial para afastar Passos e Seguro das lideranças do PSD e PS, o que, com a atual fragilidade de Cavaco e conhecendo como funcionam os partidos, me parece extremamente improvável.

    Assim, muito provavelmente e porque no fundo sempre desejou continuar a ser o eucalipto do regime, assistiremos nesse cenário ao regresso do ventríloquo Cavaco, liderando, por interposta pessoa, o que resta da tralha cavaquista e da tropa fandanga do Pingo Doce. É certo que Ferreira Leite, Bagão Félix, ou Vítor Bento nos parecem neste momento criaturas extremamente equilibradas e de uma competência a toda a prova quando comparadas com Passos, Relvas ou Seguro. No entanto, na melhor das hipóteses passaríamos do vazio de ideias de Passos, Relvas ou Seguro para o bafio das receitas das pseudo-elites decadentes como Ferreira Leite, Bagão Félix, ou Vítor Bento. E, mais cedo, do que mais tarde, a população, cada vez mais desesperada, descobrirá que, afinal, o Governo da iniciativa de Cavaco é mais do mesmo e, aí, não será apenas o Governo a cair.

    Ah, sim, e há também aquela coisa da Europa. Ou isto se resolve em termos europeus ou então, simplesmente, por muito competente que seja qualquer governo português, isto tem tudo para correr mal. Sim, claro que desejo com todas as forças estar enganado. E são manifestações genuínas e com elevado civismo como as de ontem que me dão, apesar de tudo, uma réstia de esperança que é possível chegarmos todos a bom porto.
    Um abraço,

  8. Basico, não sei o que te leva a perderes o teu precioso tempo com o que escrevo. Se calhar não tens nada melhor para fazer, se calhar és tontinho. Mas gostava que me explicasses com algum detalhe essa ideia de que não poderia pôr um pé na rua caso isto fosse um pais a sério.

    Quanto ao ir além da Troika, creio que te escapou o que o próprio negociador pelo PSD do Acordo de Memorando disse, em coro com os programas eleitorais e promessas da direita antes de 5 de Junho de 2011: ia existir folga para proteger fiscalmente os contribuintes, assim favorecendo o crescimento. Logo que foram eleitos, PSD e CSD fizeram do ataque fiscal o modo de atingir os números acordados em vez de realizarem os cortes na despesa com que encheram as mioleiras de borregos como tu.

  9. Ó Basico agora até parecias o Relvas, é que pela tua linguagem vê-se mesmo que percebes de economia (quer dizer; é equivalente).
    É que ninguém põe em causa a austeridade, o que se põe em causa é a forma de distribuição dos sacrifícios, penso que isso é básico ó Basico.
    Tens por acaso conhecimento do que está a fazer o Hollande em França? Ou é aí que estás emigrado?

  10. @ Básico: “A descida da TSU? Ta la. Vai ler antes de debitares propaganda socialista e comunista.”

    Já li! Lá diz que é para estudar a descida da TSU e em lado nenhum diz que é para implementar. Os estudos – inclusive os “encomendados” pelo PSD – dizem todos que não é boa ideia. Nem por aí te safas!
    A propaganda fascista é assim: baseada em mentiras e em engodos que só apanham os ignorantes “que não leram”. O nome “Basico” assenta-te como uma luva. És tão básico,tão básico que escreves básico sem acento!

    Não há nada mais rasteiro do que um ignorante que cospe no prato que comeu!

  11. O Básico tem o nome com ele e correctamente. E além de básico mente, ou por ignorância ou deliberadamente, mas tudo indica ser por ambas.
    A dívida no sector era, é, maior que a do sector público.
    A descida da TSU não está lá, no memorando, para ser aplicada directamente: está aceite o princípio sujeito a estudos de viabilidade. E está lá, embora ainda assim, por imposição do Catroga, contra a opinião e vontade do PS, que se vangloriou logo nessa altura que iriam além da troika. No debate com Sócrates na TV, quando este lhe perguntou como fazia para baixar a TSU, Passos explicou com o grande àvontade de quem não sabia nada dos efeitos práticos de tal medida nem do que verdadeiramente estava em causa, como agora se comprova.
    Esses estudos foram feitos logo que o governo tomou posse e o Gaspar concluiu que não resultavam; há um ano não resultavam e agora em plena crise agravada acha, o idiota, que vai resultar.
    Mas a ignorância ou má-fé do básico está quando remete o caso da Espanha, Itália, Irlanda para uma bolha imobiliària e pronto. Ó básico onde é que não houve bolhas? Imobiliárias ou outras, todas elas com base no crédito fácil oferecido por correio em catadupas pelos bancos? Não sabes que neste momento quase todos os países do euro estão aplicando PECs, precisamente, devido a bolhas sejam elas de que espécie forem?
    Bem, e que dizer da explicação “sofrem por causa das dúvidas da continuação do euro”. Que força de argumentação face ao apetite de saque, sempre cada vez maior e permanente, do comando financeiro instalado no mundo?
    Outra mentira é dizer que se escondeu a dívida em ppp e outros casos: estás, talvez a falar da Grécia e não Portugal. Ou a tua sebenta, lá no país onde estás também é, foi, a do “correio da manha”.
    Com Sócrates aumentou a dívida? Pudera, pois não foi no seu tempo que rebentou a crise? Não foi preciso apoiar e segurar os problemas sociais derivados dela como recomendado pela UE? E apoiar e segurar a melhor e exportadora indústria como o sector automóvel e outras, com verbas avultadas?
    Ó básico, quando rebentou a crise estava o país a crescer. Tinha crescido 1,9% e previa-se para 2008 um crescimento de 2,3%, confirmados pelas entidades europeias. Ó básico, não confirmam todos economistas que só crescendo se podem gerir e pagar dívidas? Os vários PECs, além de que ninguém conhecia a profundidade da crise, eram precisamente a tentativa de suavizar e conciliar a austeridade com o crescimento económico. E era essa que devia ser seguida por quem gosta e quer o bem do seu povo. Aos que desprezam o seu povo aplicam num PEC único dose de mata-cavalos, como se vê agora, sem dó nem piedade e, sobretudo, sem ter em conta as nessecidades básicas do povo e os dramas sociais que levantam. Ó básico, logo no 1º PEC de Passos, este foi muito e muito para lá de todos os três de Sócrates e… matou o consumo e a economia.
    Pois, a Itália “não tem lá a troika coisíssima nenhuma”. Ó básico, e porque seria, pensa bem agora que já é tempo disso, que Sócrates também não queria cá a troika “coisíssima nenhuma”? E tinha conseguido uma solução, aprovada pelos decisores europeus, sem troika e com infinitos menos custos do que estamos agora obrigados a pagar? E com muito maior possibilidade de Portugal ser gerido internamente com um plano de conciliação entre austeridade e promoção da economia?
    Passados quatro anos ainda não percebeste?

  12. Basico
    Esquece três coisas, quando fala do seu Rei-Sol, em cujo governo houve erros e um derradeiro resquício de dignidade e dedicação ao país:
    1 – Diferentemente doutros países que refere, e da Europa em geral, Portugal só acedeu à possibilidade de se modernizar e sair do nevoeiro feudal muito tardiamente, a partir grosso modo da entrada na Europa.
    Antes disso Portugal era uma coutada de meia dúzia, lembra-se? O que era antes disso o sistema escolar, e sanitário, e rodoviário, e industrial, e administrativo, e outros? Ir de Lisboa a Braga demorava 7 horas, e da Guarda ao Porto não menos que seis.
    Na ausência duma elite económica e empresarial digna desse nome, só o Estado podia incrementar qualquer processo de modernização, sob pena de Portugal continuar parado, a fazer companhia à Albânia.
    Nesse quadro, o que é que o país teve numa década vital de decisões e opções, que foi de 85 a 95? Pois teve o consulado de Cavaco, um inominável chorrilho de erros e incompetências e tiques de labrego rico, que sepultaram a agricultura, a pesca, a indústria e tudo o que mexia. A troco de rios de fundos europeus, de que os apaniguados cavaquistas fizeram mão-baixa. Lembra-se do novo regime retributivo da função pública, de 1989, onde o monstro começou a germinar? Foi criação do Cavaco. Lembra-se da PPP da Lusoponte? Vem do tempo do Cavaco.
    2 – Quando em 2008 a lepra do subprime e a gangrena financeira chegaram da América, as indicações da UE foram no sentido de os estados europeus responderem à enxurrada com investimento público. Claro que isso não justifica, nem desculpa, que haja hoje 3 autopistas paralelas para chegar ao Porto, vindo do Sul. Mas o erro chama-se erro. E a traição ao país é outra coisa.
    3 – A crise das dívidas, privadas e públicas (e o próprio quadro do Euro), sobretudo nos países do Sul, tornou-se rapidamente numa perversa camisa de forças. E Portugal seria forçosamente apanhado nela, a não ser que tivesse, em tempo, decidido ser a tal Albânia. Um PEC, ou 2 ou 3 ou 4 ou 5 ou 6, seriam inevitáveis. A contenção e a austeridade e a própria troika teriam que vir. E o seu Rei-Sol viu-o bem e procurou resistir, ao menos para as receber nas condições menos desfavoráveis.
    Mas eram outra coisa que não isto que aí está. Que é uma obra de facínoras, de traidores e de serventuários, que estão a levar o país para o grande açougue da finança mais negra. Porque esta guerra é mais vasta do que parece.
    A propósito do seu Rei-Sol, Basico emigrou no tempo certo e fez bem. É a solução do povo há 5 séculos. Mas ainda se lembra dum marquês de Pombal que aí existiu há uns anos? Também sonhou fazer de Portugal um país. É muito mal comparado, bem o sei, mas lá que o lembra, isso lembra.

  13. jorge carvalheira, já há muito que ouço essa história das “…3 autopistas paralelas para chegar ao Porto…”.
    Há ainda variantes que falam de três autoestradas entre Lisboa e Porto, outras que falam de três autoestradas entre o sul e o norte, enfim, há para todos os gostos.
    Para quem vem do sul há duas entradas por autoestrada no Porto, pela A1 e pela A20.
    Se varrermos o mapa de Portugal horizontalmente, é possível encontrar paralelismos entre várias autoestradas, mas que autoestradas é que deveriam ter ficado para trás? A A16? A A9? A A8? A A24? A A28? A A17? è que na altura em que foram lançadas eu não vi ninguém a resmungar, antes pelo aontrário, todos queriam uma autoestrada à porta e a CEE apoiava.
    Não quero com isto dizer que estou de acordo com tudo o qu foi feito, pois há muito que sou crtico da nossa rede nacional de transportes, mas tragam-me as declarações de políticos de todos os quadrante que sempre se tenham mostrados avessos às autoestradas.
    Muitos já se esqueceram do ministro do betão e passam a vida a querer arrsanjasr-lhe substitutos, ou estarei errado?

  14. Este Valupetas é das coisinhas mais hipócritas e manipuladoras que anda pela blogosfera. È que, afinal, o que é que distingue esta manifestação de 15 de Setembro de 2012 da manifestação de 12 de Março de 2011? No essencial nada: nem no que diz respeito ao conteúdo dos protestos, nem no que diz respeito à convocatória feita pela internet, nem no que diz respeito ao número de participantes. Mas se compararmos este post com o que o Valupetas escreveu a propósito da manif de 2011 (ou a propósito de outras manifs feitas no tempo do Pinto de Sousa) dir-se-ia que estamos perante dois acontecimentos completamente diferentes e mesmo opostos nos seus objectivos e dimensões.
    Em 2011, o Valupetas afirmou que os participantes na «manifestação dos indignados» não passavam de «revoltosos profissionais», de «viciados em revoluções televisivas» e de «parvos». Ontem os participantes já eram «outros», pois estivemos perante uma manifestação onde se «exibiu a força dos eleitores do centro». Ou seja, quando o Pinto de Sousa era PM só assistimos a protestos de arruaceiros e extremistas; já em 2012 assistimos, segundo o Valupetas, à expressão da cidadania e do «superior civismo» dos «centristas». Basta esta comparação para mostrar como o discurso deste tipo é, para além de primário, dos paleios mais sectários que se podem encontrar.

  15. É obvio que o sr Básico leu o memorando em inglês . Só isso e a sua provavel lacuna em inglês técnico lhe permitiram lêr aquilo que não vêm lá escrito.
    Para a próxima arranje a versão em português e pare de fazer figura de otário.

  16. O link para o memorando esta aqui (para quem sabe ler ingles).

    http://www.anmp.pt/anmp/doc/Dsg/2011/Memorando-FMI_BCE_CE1230044.pdf

    O que estes tipos estao a fazer, e nao de uma forma perfeita, e a executar o que o PS assinou. Mais uma vez, gostaria que me mostrassem uma lista de medidas que nao estivesse no programa assinado pelo PS, ou entao, alternativas as medidas implementadas ate agora.

    Alias, o memorando e o que e exclusivamente por culpa do Rei Sol, que vos levou ate bater na parede, deixado chegar as coisas ao ponto de ja so haver dinheiro em caixa para pagar 1 mes de salarios.

    Como vos disse amigos, deixo-vos um bem haja ai em Portugal.

    Os melhores ja ha muito dai sairam, o pais tem uma dinamica populacional das piores da mundo (uma populacao muito envelhecida e com uma das mais baixas natalidades do mundo), uma carga fiscal do tipo nordico (o que e paradoxal para um pais ultraperiferico e em vias de desenvolvimento).
    Anos sucessivos de Socialismo desenfreado, onde reinou a chico-espertice da desorcamentacao e das medidas excepcionais, fizeram que grande parte dos activos do estado ja tenham sido vendidos ou privatizados (o PS foi o campeao das PPPs e da venda de patrimonio).
    O pais tem indices de desigualdade iguais aos dos paises mais desiquilibrados do mundo, paradoxal para um pais com cerca de 30 anos de Socialismo (e social democracia com laivos de socialista).
    Enfim, a luz que veem ao fim do tunel, tenho pena de vos dizer, e a do comboio que vem na outra direccao…

    TSU e Cortes de Salarios
    1.3.On the basis of a proposal developed by the time of the first review, the 2012 Budget will include a budget neutral recalibration of the tax system with a view to lower labour costs and boost competitiveness [October 2011].

    Corte Pensoes
    1.11. Reduce pensions above EUR 1,500 according to the progressive rates applied to the
    wages of the public sector as of January 2011, with the aim of yielding savings of at least
    EUR 445 million

    Impostos sobre pensoes
    1.21. Apply personal income taxes to all types of cash social transfers and ensure convergence of personal income tax deductions applied to pensions and labour income with the aim of raising at least EUR 150 million in 2012.

    Aumento IMI e reavalicao casas
    1.22. Changes in property taxation to raise revenue by at least EUR 250 million by reducing substantially the temporary exemptions for owner-occupied dwellings. Transfers from the central to local governments will be reviewed to ensure that the additional revenues are fully used for fiscal consolidation.

    Aumento IVA
    1.23. Raise VAT revenues to achieve a yield of at least EUR 410 million for a full year

    Reduzir custos funcao publica e na educacao de uma forma a definir (que foi o que se fez ate agora)
    1.29. Further deepening of the measures introduced in the 2012 Budget Law with a view of reducing expenditure in the area of:
    i. central administration functioning: EUR 500 million. Detailed plans will be presented and assessed before Q3-2012;
    ii. education and school network rationalization: EUR 175 million;

    Estudos sobre a possibilidade de renegociar PPPs
    The study will assess the feasibility to renegotiate any PPP or concession contract to reducethe Government financial obligations. All PPPs and concession contracts will be available for these reviews. [Q4-2011]

    Avaliar Fundacoes
    3.41. In conjunction with the review of SOEs (see above), prepare a detailed cost/benefit
    analysis of all public and quasi-public entities, including foundations, associations and other bodies, across all levels of government. [Q4-2011] Based on the results of this analysis, the administration (central, regional or local) responsible for the public entity will decide to close or to maintain it in respect of the law (see below). [Q2-2012]

    etc etc etc

  17. Por acaso tens razão ó Basico, os melhores já há muito daqui saíram, emigraram para ganhar 600 euros e morar nos bidonvilles da estranja.

  18. O ds voltou e cagou sentença sem perceber o que houve de diferente entre a manif dos “à rasca” e a de ontem.
    A outra teve o apoio explícito, e massivamente propagandeada por toda a CS, dos partidos e sindicatos que integraram a manif. Mas, sobretudo, teve o apoio empenhado e total político e logístico, empenho total no apoio propagandístico e agit-pop nos media por si dominados na totalidade, e para mais secundado no mesmo pelo PCP e BE, profissionais na matéria e altamente eficientes desde que lhes ponham o microfone à boca a toda a hora, como foi o caso do patronato da CS.
    Na manif de 2011 o profissionalismo do PCP esteve ao serviço do PSD e ambos os partidos mobilizaram a totalidade das hostes para fazer o maior “estrago” possível. E da extrema extrema-direira até à dita extrema extrema-esquerda, todos se reuniram e fizeram a sua festa. Sim porque essa dita manif foi a festa “avante” da coligação PCP-PSD, tal como já havia sido a dos “professores”, a descer a Av.da Liberdade acometidas de êxtase dionisíaco como bacantes delirantes.
    Ora, nada de igual se viu ontem nem antes houvera sinais de “mobilização” partidária. E pelas declarações, a maior parte, viu-se que tratava-se precisamente de gente da classe média, a maior parte, que de repente se vê na iminência de entrar na pobreza e em banca rota.
    Só não viu quanta diferença existiu no “pulsar” desta e da outra manif quem é como o pior cego porque não quer ver.

  19. Basico, confesso que não tenho acompanhado a discussaõ que as suas intervenções suscitam.fui ver e logo e logo me apareceu o defcit do sector do estado nos transportes.Ele existe,e é agravado por causa das greves politicas,mas uma coisa é inegavel o serviço que prestam,só irão dar-lhe valor quando ele estiver na mão do privado,e os preços a subir subir subir!dado que a regulação em portugal é uma treta!.trabalhei numa empresa publica,que exportava a maior parte do que produzia e em menor dimensaõ colocava no mercado nacional.para financiar as empresas que gravitavam à nossa volta,vendiamos o que produziamos com 30 % de desconto,para eles sobreviverem e manterem os postos de trabalho.em 1980 importavamos uma materia prima que pagavamos a 20contos e vendiamos-lhes a 10.em vez de ser o estado a subsidiar eramos nós.obviamente estes descontos refletiam-se nos resultados da empresa.Não achavamos mal, mas não se pode é depois vir cobrar possiveis prejuizos. .Basico, a razao de ser da direita é a defesa das empresas e empresarios,os trabalhadores nesta logica só contam para eles,para terem votos para ganhar eleiçoes e para isso aparecem os basicos.claro como não á almoços gratis têm que vos dar alguma coisa em troca não é verdade?

  20. Teófilo M
    Não sei que estradas deveriam ter ficado para trás. Não é isso que me compete. Nem ando à procura de substituto para o tipo do betão, porque não preciso dele para nada.
    Eu apenas sei 3 coisas.
    A primeira é que já me perdi nas autopistas da península Lisboa-Cascais-Sintra-Mafra-Vila Franca.
    A segunda é que, se eu me aventurar a Norte, entre Porto-Póvoa-Guimarães- Felgueiras-Paredes- Penafiel-Gaia, perco-me seguramente.
    A terceira é que o erro se paga.
    Quanto ao resto, o seu a seu dono, seja ele quem for.

  21. Ó Neves, estás enganado, pá! Claro que eu percebi que (segundo a tua visão apurada) a outra manif teve o apoio dos PCs, dos BEs, dos PSDs, da comunicação social, dos professores, dos sindicatos, ou seja, de todos «arruaceiros» e de todos os «imbecis» e «ranhosos» (como diz o outro). E claro que na manif de ontem as coisas foram diferentes: não havia PCs, não havia BEs, muito menos havia PSDs, não havia sindicalistas, não havia professores, e era tudo gente da «classe média» «centrista» e «civilizada». Enfim, ontem só havia socretinos na rua. E por isso tu não foste à primeira manif, mas já foste (ou deste apoio) à manif de ontem.
    Claro que está percebido, ó Neves: há um ano o PM era o Pinto de Sousa, e agora já não é. É escusado repetires esse paleio primário e sectário do Valupetas, porque, bem espremidinho, o teu próprio comentário revela bem qual foi a grande diferença que te fez levantar o cu do sofá.

  22. tá bom de ver que se a manif d’ontém tivesse sido organizada pela santa aliança o resultado eram pr’aí 3 milhões de participantes, assim ficamos pelos 150 mil porque o trolha da areosa só aderiu última hora e o louceiro foi emplastrar ao porto.

  23. ainda bem que o governo não está tão isolado como se diz – tem pelo menos o apoio de convictos como o básico e de vítimas patológicas de ódio a Sócrates, como o ds, que até diz que a adesão foi idêntica (?????????????) aos entretanto desaparecidos “12 de Março”. Enfi, como base de apoio, parece-me francamete fraca mas sintonizada com o nível de lucidez governante (é verdade, confirma-se, Cavaco tem demência alzheimica, já diagnosticada antes de se ter recandidatado, mas aspupanças não chegavam).

    (p.s: contas da primária: se na avenida dos aliados, estiveram 100.000 e em Lisboa deu para encher metade da Av. da república, toda a av. de berna, e a pç de espanha, é capaz de dar mais qualquer coisinha, somando com todas as outras cidades do país. Já para não falar que em Lisboa a manif começou às 17H e acabou às 02H do dia seguinte- mas números à parte, há pessoas que preferem ignorar a História que vivem, que lhes entra pelos olhos adentro…normal). Dos fracos (de espírito) não reza a história. O pior é que apoiam criminosos irresponsáveis e ninguémlhes vai ao pelo, cabrões de merda

  24. “Dos fracos (de espírito) não reza a história. O pior é que apoiam criminosos irresponsáveis e ninguém lhes vai ao pelo, cabrões de merda.”

    Este Blog e exactamente isso, um forum de apoio e de branqueamento aos criminosos socialistas que em 15 anos de governo deixaram Portugal como esta, que lancaram centenas de Portugueses na pobreza e no desemprego, que levaram centenas de empresas a falencia, que nos meteram a pedir esmola aos outros paises europeus sob pena de cairmos todos num destino pior.

    E de facto pena que ninguem lhes va ao pelo.

  25. tás mesmo básico, Básico. A dinâmica de facilitação do empreeendedorismo empresarial (empresa na hora de Sócrates vs. lei da falência na hora (Passos)) não são a mesma coisa. Durante Sócrates, e mesmo durante a crise que ele provocou por toda a Europa, as nossas exportações cresceram sempre num ritmo mínimo de 15% ao ano. O incentivo à paralisia da actividade económica é deste governo, tás mesmo baralhado, amigo, ou histericamente baralhado. Por vezes, com um estalo, passa. E espera por ele, que não está longe.

  26. 1977 FMI aterra em Portugal, quem esta la para o receber, Mario Soares e o governo PS
    1983 FMI aterra novamente em Portugal, quem esta la para o receber, Mario Soares e o governo PS
    2011 FMI aterra novamente em Portugal, quem esta la para o receber, Pinto de Sousa, o Rei Sol, e o governo PS

    Can you see a patern?

  27. e até digo mais: se estes teus amigos se lembram de ir ao pelo a quem os contesta – o país todo, mais ou menos – era meio caminho andado (que digo? todo o caminho andado) para finalmente nos vermos livres deste santos que salvam o país à custa do país.

    Esmola foi ter exigido a vinda da troika, a fuga à esmola , com custos INCOMPARAVELMENTE mais baixos para o país teria sido o acordo aprovado com a C.E , o tal do PEC IV. Aquele que a própria União Europeia classificou como uma alternativa positiva ao modelo de auxílio grego. Este (des)governo que apoias preferiu o modelo grego. Nunca alinhei com masoquismo e desresponsabilizações. Este governo é inepto e responsável pelo falhanço das medidas que apresentou como alternativas ao anterior (embora tenha prometido o contrário em campanha eleitoral). Até acho que este povo tem uma certa costela masoquista, mas quando lhe (se) passa, cuidado. Cuidado, Básico.

  28. Basico, só traduzo o 1º ponto pois tu não deves ter traduzido, pois o conhecimento de inglês técnico é tanto que nem precisas.
    Descontando o título, que é da tua lavra, aí vai:

    “Com base na proposta a desenvolver na na altura da primeira revisão, o orçamento de 2012 incluirá um recalibração do sistema de impostos, que será neutro para efeitos orçamentais, tendo em vista a diminuir os custos do trabalho e acelerar a produtividade [Out 2011]”

    Poderás informar-me quando é que isto foi feito, como foi feito e por quem foi feito?
    Muito agradecido.

    P.S.: Já agora, sabias que o pont 1.21 era aplicado só uma vez (2012) e que a poupança descrita no 1.11 era para ser feita faseadamente durante todo o programa?

  29. Basico, tá-se a esgotar o meu tempo de antena: quem pediu que viesse o FMI para Portugal em 2011? Can you see a fucking shit? E sabes ver que no tempo das vacas gordas o PSD e especialmente o governo de Cavaco deixou um buraco para quem se seguisse? Can you see the patern? PSD fucks our economy, PS comes after to clean the shite. Over.

    Falta-me conhecimentos de linguagem gestual para surdos. Curte a situação, seja lá o que ganhas com ela.

  30. Teofilo

    um dos principais custos do trabalho em Portugal e a TSU.
    O que se fez foi aumentar a contribuicao dos trabalhadores e diminuir a da empresa, diminuindo-se como tal o custo do trabalho e aumentando a produtividade. A proposta e quase neutra em termos orcamentais, ficando um ligeiro diferencial para tentar tapar o buraco…

    Se nao consegui fazer a ligacao entre o titulo e o texto, se calhar tudo isto e capaz de ser um bocado complicado para si.

  31. ,

    Tu das do. Em 2011 o PS andou a limpar o lixo de quem? Dos 6 anos seguidos do Pinto de Sousa? Dos 2 anos de PSD que preceram o Rei Sol? Ou dos quase 7 anos do Guterres?

    Dos tempos das vacas gordas do Cavaco ao pedido do Pinto de Sousa distam 16 anos. Isso sim e ter costas largas.

    Vai limpar vuvuzelas pa.

  32. “… diminuindo-se como tal o custo do trabalho e aumentando a produtividade.”

    tou a ver, os gajos ganham menos e depois vingam-se a trabalhar que nem uns malucos.

  33. Ó ds,
    Paleio primário é o teu que, por uso de retórica sofísta, queres fazer igual as duas manifs porque, afinal, estiveram lá, em ambas, portugueses. Claro, que certamente estiveram gente de partidos e professores e todos que apontas, ds.
    Contudo os que lá estiveram eram gente de Lisboa e arredores e não vieram de todo o país em autocarros postos à disposição pelas Cãmaras PSD. Só isso faz toda a diferença, ds. Assim como os do Porto, de Braga, de Coimbra, etc, eram gente desses locais e não foram caciques de partidos que os levaram: foram pelo seu pé e sobretudo pelo seu estado de necessidade actual.
    Estiveram lá professores? Claro, talvez muitos dos milhares que já este ano ficaram desempregados. Estiveram lá gente do PC, do BE e do PSD? Claro, certamente muitos dos milhares que estão desempregados ou são pensionistas cuja pensão mingua todos meses.
    Esta manif não foi uma “festa” preparada e organizada por estados-maiores partidários, nem lá andou os parodiantes idiotas “Joel” e muitos outros manos iguais para a animação de rua.
    Não vez a diferença? Pois, o cinismo temperado de pitadas de sofística, dão indivíduos ds.

  34. Ó Basico,
    Dou-te total razão no teu comentário das 21:48.
    Nessas datas, lá estavam para receber as troikas os governos PS, é verdade. Só te esqueceste de um pormenor que é o pormaior.
    Se para os receber estavam lá os governos PS, quem foram os governos que obrigaram à ao seu envio e à sua vinda?

  35. O Neves, os do PS como e evidente. Ou quem julgas tu que governou portugal nos 6 anos que antecederam o fim do mandato do Pinto de Sousa, o CDS?
    Em 1977 em quem e que queres por a culpa? Na direita apos uma revolucao socialista/comunista?
    E em 1983, achas que foram 2 ou 3 anos da AD que rebentaram com o pais? E que se 2 ou 3 anos da para rebentar um pais, entao os quase 15 anos em que o PS governou nos ultimos anos davam para fazer o que.

  36. Os custos do trabalho em Portugal é dos mais baixos da Europa. Segundo o Le Monde, num artigo publicado no princípio do corrente ano, o custo/hora do trabalho em Portugal cifrava-se em 12,25 €, abaixo do praticado na Grécia (14,00), muito longe da Espanha (24,15), francamente longe da Alemanha (31,81), para já não falar na França, Suécia, Dinamarca ou Bélgica.
    Atrás de nós estão paraísos como a Eslováquia, Polónia, Lituânia ou Bulgária, mas não vejo ninguém a emigrar para lá.
    O nosso problema, infelizmente, não é dos custos do trabalho, mas o dos transportes, da energia, da mão-de-obra desqualificada, da deficiente automatização do trabalho, da gestão de baixa qualidade, do custo das matérias-primas, etc.
    Os custos do trabalho é geralmente associado a uma parcela que varia dos 9 a 13% nos custos finais da produção, diminuir aí menos de 6,5% dos custos, resultará numa poupança que pouco excederá a unidade.
    Esquecer que esse valor sairá de um poder de compra já extremamente debilitado, é não querer ver um decréscimo no consumo interno, de um convite à sub-faturação, uma pressão acrescentada sobre a produção, uma diminuição na recolha de impostos, etc.
    Se calhar esta experiência vai tornar-se apenas em mais um colossal buraco, que Gaspares & Ca. vão atirar para o despesismo ou hábitos de poupança nacionais!

  37. Ó Neves, se calhar até tens razão, pá! Acabei de ler um post, sobre a manif de sábado, de uma defensora do «centrismo» e da «classe média», ou do povo, em geral, e pude verificar que esse teu paleio àcerca da manif de 12 de Março e dos seus organizadores (sindicalistas, BEs, PCs, etc) e promotores (comunicação social) não é assim tão primário ou sectário.
    Escreveu, a tipa, que na manif de sábado só esteve «quem nunca apoiou este governo». Ou seja, se para ti em 12 de Março o que se viu na rua foram PCs, BEs e PSDs, para a tipa em 15 de Setembro quem foi para a rua foram os PCs, BEs e PSs. Depois, tal como tu, também ela aponta o dedo à «comunicação social militante» que anda a reboque dos «activismos bloquistas e similares», e diz que os manifestantes mais não são do que os «privilegiados do sistema», isto é, os «professores», os «sindicalistas», os «artistas», os «patrões da imprensa», etc, mostrando que também nesta matéria está de acordo contigo, e que está em sintonia com o discurso «anti-privilegiados» inaugurado pelo Pinto de Sousa
    Portanto, o teu paleio até é subscrito pelos «centristas» em geral. A única coisa que te separa desta tipa (cujo nome é Helena Matos) é a defesa do governo. E é por isso que este paleio «universal» e «consensual» repetido por ti apenas se aplica à manif de 12 de Março, e repetido pela Matos só se aplica à manif de 15 de Setembro. É o que se pode chamar de perspicácia ou visão apurada selectiva. Lendo-vos aos dois torna-se mais do que evidente o que é que diferencia, de facto, aos olhos dos «centristas» as duas manifs.

  38. é no que dá andares a snifar blogues de cabeleireira, essa hiena de matos tamém diz que tirando o ds só lá távam mais 30 gajos e que 20 eram bófia. és visita do basófias e cagas lérias aqui, lá não reclamas que os gajos filtram comentários e põem ips de quarentena. o 29 devem ser milhões para ver actuar arménio, o trolha da areosa e gerómino, o último vermelho.

  39. o memorando da troika,não foi só assinado pelo psd e cds! tem medidas lá incorporadas a pedido do psd de catroga.

  40. oh ds! o que não se viu foram as camionetas dos municípios e dos lares de idosos que a comunada usa para arrebanhar figurantes na província, desta vez havia mais putos que avós, metro e carris foram os meios de transporte. acho que já alguém havia referido isto, mas não faz mal relembrar.

  41. Ds,se um dia chegar o teu regime,tu deixas de ter direito a manifestar-te!Mais, como bom social facista que és!até vais ajudar a reprimir aqueles que andaram contigo em manifestaçoes.trato-te desta forma,por que o mereces, quando fazes comparaçoes com a helena matos.Vai visitar os “cadaveres” que restam do teu socialismo e traz-nos o filme do que vires! para veres se nos convences. (cuidado com a maquina! pode ser apeendida).Comparar as manifestaçoes organizadas pela cgtp, com estas não e possivel.no porto onde estive,esta gente enquadrada pela cgtp ( a central do meu sindicato) o mesmo numero de manifestantes quintoplicava.nesta era tudo a monte sem intervalos entre filas de 10 pessoas, livres e sem ” arrumadores”.Num km da cgtp nem 500 metros sou ocupados.os primeiros a denunciar esta mentira do braço armado do pcp,foram varios jornais espanhois. Sei mais sobre antiga U.sovietica do que a maioria dos actuais dirigentes do teu partido.para ficares mais convencido,vou-te dizer: tenho familiares que foram para lá em idade de nem ter direito a dar opinião.viveram lá mais anos do que aqueles que se calhar tens idade.eles só tem saudades de uma coisa! eram jovens nessa altura,de resto é tenebroso demais para recordar. e tinham melhor tratamento do que os nativos!,.

  42. O Passos corta nas pensões e o ignoratz diz que na manif de sábado «havia mais putos que avós». Andavam a protestar porque neste Natal já não vão ter a Playstation que lhes tinham prometido, provavelmente. A Hiena dos Matos não diria melhor…

  43. Ó Maria Rita, agora és anónimo? Não disseste tu que não querias conversa comigo? Então porque mudaste de ideias e de nome?
    Ó rapariga, deixa de despejar cassetes, já te disse!

  44. Esta Maria Rita é o máximo! Não gosta de «sociais-fascistas» mas o seu sindicato faz parte da CGTP. A UGT não defende os teus interesses e direitos, ó rapariga?

  45. Ó Basico,
    Ser Basico é precisamente isso que tu fazes: acreditas em fábulas para mentires.
    Então a destruição ou construção de um modelo de sociedade é questão de medição do tempo. Nunca ouviste dizer que deitar abaixo para destruir é muito mais fácil e rápido que erguer e construir? Uma torre leva anos a construir e fazê-la implodir é questão de horas.
    Tem sido mais ou menos isso que a direita tem feito em Portugal. O 3 anos do “fugitivo” Barroso + o incompetente Santana puseram o país em recessão, caso único na Europa quando esta e o mundo cresciam. E foi o governo Sócrates que aparou o golpe e o resolveu.
    Ó Basico então quem tem dado os golpes no baú, ou seja no pote? Já ouviste falar nos 8 mil milhões do BPN; nos 6 mil milhões do Alberto na Madeira; no 1,2 mil milhões dos submarinos; nos milhões do BCP e BPP, tudo malta da direita; nos milhões de enriquecimento instantâneo de todos os ex-ministros e secretários de Estado cavaquistas?
    Como Basico que és pensas que o rebentar de um facto nasceu com o facto e não foi consequência de incontáveis factos menores que conduziram ao rebentar do facto. Só vês a aparência da coisa e isso é revelador da tua vulgaridade básica, agravada pela pela preguiça mental característica da direita imobilista idiota.
    Já disseste atrás, acerca da TSU, que “o que se fez foi aumentar a contribuição dos trabalhadores e diminuir-se a da empresa, diminuindo-se assim o custo do trabalho e aumentando a produtividade”. Ó basico incompetente como passos, o que é que a produtividade tem a ver com baixar salários? Confundes produtividade com preços baixos, então a Alemanha tinha mui baixa produtividade e a China uma altíssima produtividade, é não é?
    Também já te congratulaste pelo facto de teres “emigrado em bom tempo”. Pois, o Barroso, caniche dos Merkosy, fez precisamente o mesmo: quando pressentiu o barco a afundar-se fugiu como os ratos.
    Básico e rato, é o que demonstraste ser com os teus comentários.
    Adeus, pá.

  46. Ds,nao sou a maria rita.Que se saiba ha socialistas na cgtp.Na Alemanha ha somente 16 sindicatos verticais.Na minha empresa sindicatos eram varios.Um da cgtp durante mais de 20 anos,so chegou a acordo com a empresa duas vezes,repito duas vezes.A ct comunista vendeu-se por varias vezes a entidade patronal,em troca de favores exclusivamente pessoais.Fui para um sindicato da cgtp,por divergencias profundas com a direção do meu anterior sindicato.tive muitas lutas com os comunistas no prec,mas na empresa as divergencias com uma boa parte eram discutidas com civismo.hoje muitos deles estão no lado que defendo e outros estão na situaçao do carvalho da silva,que outro dia so não disse que mandou o pcp dar uma volta, porque teve um minimo de pudor.tenho amigos comunistas que votaram socrates nas duas eleiçoes (voto util) coisa que os ds não conseguem fazer.Hoje os ds deste pais liderados pelo chefe maximo do pessoal minimo( 9%),sentem-se como peixe na agua.estão quase a atingir o desiderato do quanto pior melhor.Tudo que disse sobre a U sovietica e pura verdade.repito sei mais dessa realidade do que a maioria dos pseudo comunistas da direção do partido.Por coerencia, e para não comprometer as pessoas da minha familia que estiveram na clandestinidade, mantenho o anonimato.Se a maria te mandou dar uma volta ela la sabe.eu no aspirina so tive chatices com o cão de fila que não me recordo do nome.aguardo mais prosa….

    ~~ºlkjha´ entidade patronal

  47. Ó ds, cada vez que comentas se vê melhor como és todo e apenas retórica. E, embrulhada na vulgata da cartilha do cinismo, a qual todos os oportunistas gostam de ostentar para “brilhar” entre os que aceitam ideológica e historicamente a política em liberdade como motor civilizacional, mas que afinal serve, sempre, para ocultar uma qualquer ideologia anárquica ou fascitoide.
    Então, ao que disse de concreto sobre as duas manifs em comparação, o homem ds serve-se da arenga da imbecilidade aguda da Helena Matos para, retoricamente compor uma espécie de silogismo feito de falsas premissas para, tirar a concluão pré-concebida de que eu e a Matos, sendo ambos “centristas” temos ambos pontos de vista semelhantes e, logo, as manifs têm o mesmo sentido e significado. A diferença está no objectivo, esse mal-político dos anarquistas, que é existir ideologia-Estado-governo e ainda por cima ter apoiantes “criminosos”.
    Ó ds, podes armar-te em Diógenes de pacotilha sempre e onde quiseres, contudo, uma coisa te garanto, nunca te farei sombra nesse teu estudado papel.

  48. Pronto, ’tá bem… Tu não és a Maria Rita… Tu és a irmã gémea dela!
    És a irmã gémea dela quando despejas essas cassetes com 40 anos. És a irmã gémea dela quando acusas os outros de serem «sociais-fascistas». És a irmã gémea dela quando defendes o Pinto de Sousa tão apaixonada e sebastianicamente. És a irmã gémea dela quando nos revelas o que os teus familiares viveram na URSS. És a irmã gémea dela quando te expressas de uma forma que é típica de quem «não domina computadores» (como a Maria Rita confessou). És a irmã gémea dela quando dizes que vives no Porto (ou nos arredores). És a irmã gémea dela quando não vês qualquer incoerência nem hipocrisia em pertenceres a um sindicato que te fartas de atacar e acusar de estar ao serviço dos «sociais-fascistas». E és a irmã gémea dela quando não consegues enganar os outros a respeito da tua identidade, por mais que mudes de nome.
    Portanto, irmã gémea da Maria Rita, se não queres ser confundida com a Maria Rita só tens uma coisa a fazer: deixa de delirar e alucinar tanto e vai tratar essa tua esquizofrenia.

  49. Ó Neves, a «imbecilidade aguda» revelada pela Helena Matos é apenas a mesma «imbecilidade aguda» revelada por ti. O paleio dela é exactamente o mesmo que o teu, ou não conseguiste reparar nisso, tu que és tão perspicaz? Não fui eu que estabeleci a semelhança, mas sim as vossas próprias palavras. Só o alvo do vosso ataque foi distinto, e isto porque entre uma manifestação e outra mudou o PM.
    Os únicos cínicos aqui são mesmo a Helena Matos e tu próprio, pois perante uma manifestação como a de 15 de Setembro ou como a de 12 de Março despejam o mesmo paleio primário, sectário e desvalorizador das manifs, quando o que está em causa é a defesa do querido líder respectivo. È caso para dizer: mudam-se os tempos, trocam-se os paleios.

  50. mariarita,

    o ds apanhou-te em cheio, não tens jeito nem arte nem QI para disfarçar que não é tu própria. Tenha um pouco de auto-respeito, “senhora”. Isto, obviamnete, à parte as “causas comuns” :)))

  51. Ó ds,
    se percebi bem estabeleceste uma sintonia de igualdade entre mim e H. Matos, dado que, segundo a tua visão política?(ou filosófica ou sociológica?), nós ambos, temos o mesmo paleio face face às duas manifestações; dos à rasca e dos indignados.
    Bem, eu já fiz distinções concretas e profundas entre o povo que as compuseram, o modus-operandi e o objectivo final diferente que subjaz na sua origem e, até podia distinguir a grande diferença entre o peso de sentimento de luto-angústia desta contra a leveza de festa-divertimento da outra. Mas voltemos ao paleio.
    Como, segundo o homem ds, tudo se reduz a paleio em defesa do respectivo “querido lider”, defender um “querido lider” ditador com censura e prisão por delito de opinião como defende HM ou defender, como eu, um “querido lider” de um Estado de Direito, eleito democraticamente e a liberdade sob todas as formas, é tudo o mesmo e tão só paleio, não é assim?
    Quer dizer, reduzindo a “paleio” toda opinião do leque de sectores sociológicos que simpatizam e defendem as posições politico-filosóficos existentes na sociedade, como são os partidos, o ds decreta uma igualdade totalitária perigosa que é: toda discussão, todo conflito de ideias, toda confrontação ideológica-política é, tão somente para o homem ds, paleio.
    Perante tal finalidade objectiva da filosofia do homem ds, toda argumentação não passa de “paleio” para defesa de um qualquer “querido lider”, seja ele fascista, nazi, oligarca, democrata, rei, teocrata ou comunista.
    Ó homem ds, explica aqui para a gente, qual é para ti o “querido lider”, cuja defesa expressa, não é paleio?
    Era só para a gente perceber se, a tua retórica é mesmo ou não um paleio de totalitarista ou é de um brincalhão a querer imitar os cínicos.

  52. Não foi a Maria Rita que escreveu o texto. Espero, que ela venha a terreiro defender-se.edie,não se precipite nos julgamentos.

  53. oh neves! esse filho da puta é da direita envergonhada que desata a chamar nomes ao socras ou ao valupi cada vez que o seu querido partido é atacado e como não tem coragem de se afirmar ultrapassa tudo pela esquerda nem se dando conta de que já vai em contra-mão.

  54. Ó rapaz Neves, tu falas, falas, falas, falas, e não dizes nada, pá! E depois os outros é que são só retórica! Depois de bem espremidinha, a tua «argumentação» é que se reduz a paleio falacioso e sem ponta por onde se lhe pegue.
    É que ninguém aqui disse que «TODA a discussão, TODO o conflito de ideias, TODA a confrontação ideológica-política é tão somente paleio». O que eu disse foi precisamente o contrário: que o consenso, a concordância e a convergência ideológica-politica entre a tua «análise» PARTICULAR acerca da manif de 12 de Março e a «análise» PARTICULAR da Matos àcerca da manif de 15 de Setembro é que são uma expressão de um paleio primário, sectário e mesmo maniqueista. Um paleio que deturpa e desvaloriza determinados protestos apenas porque o PM em exercicio é o líder da sua seita. Esse paleio é velho e bem conhecido: consiste em dizer que quem anda a protestar são só os comunistas, mas agora também os «meninos mimados», os «privilegiados», os «artistas», os «corporativos» e os «jornalistas militantes». Como eu disse, não me admiro nada que tu andes a papaguear esse paleio, pois o Pinto de Sousa também se serviu dele.
    Depois, dizes que já fizeste distinções «profundas» e «concretas» entre as duas manifs. Ó rapaz perspicaz, as distinções «profundas» que fizeste entre as manifs são as mesmas que a Matos fez entre quem esteve e quem não esteve na manif de Sábado, ou ainda não conseguiste ver isso? Para ti no dia 12 a «classe média» não saiu à rua (ao contrário de no dia 15), e para a Matos no dia 15 o «povo» não saíu à rua. Para ti o dia 12 foi uma festa de Carnaval prolongada (ao contrário do dia 15 que foi mais uma espécie de Sexta-Feira Santa antecipada), e para a Matos o dia 15 foi uma festa de Verão do jet-set nacional onde o «povo» não esteve presente.
    Enfim, ó rapaz Neves, as tuas «análises» só são «profundas» para quem anda a confundir o paleio das revistas cor-de-rosa com doutoramentos em Sociologia.

  55. Ò vítima patológica de amor ao Pinto de Sousa, quando eu digo que as duas manifs não se distinguiram na dimensão, não estou a querer dizer que o número de manifestantes foi exactamente o mesmo, até porque é díficil ter os números exactos. Mas sabe-se (ou diz-se) que na manif de 12 de Março estiverem em Lisboa entre 200 e 250 mil pessoas e que no Porto estiveram cerca de 100 mil. E sabe-se (ou diz-se) que na manif de 15 de Setembro estiveram em Lisboa cerca de 400 mil pessoas e que no Porto estiveram cerca de 150 mil. Portanto, a segunda manif teve mais gente na rua, o que não invalida que ambas (e não apenas uma, como os amantes do Pinto de Sousa querem determinar) foram manifestações de protesto de grande dimensão. A semelhança é essa.
    Mas por que é que se deu este aumento no número de pessoas na rua? Porque aos manifestantes do 12 de Março juntaram-se agora muitos reformados (mas não só) que há um ano não sentiram grande necessidade de vir para a rua, e, portanto, ao contrário do que diz o filho da puta do ignoratz, agora sim havia muitos avós a manifestarem-se. E ao contrário do que dizem os rapazolas, como o Neves, os manifestantes de 15 de Setembro são os de 12 de Março a que se juntaram muitos avós, mas também muitos socretinos que não estiveram presentes há um ano.

  56. anonimo, peço imensa desculpa por tê-la (ai, tê-lo) confundido com a maria rita. Precipitações, de facto. Nem sei onde fui buscar a ideia :)))))

  57. Ó homem ds,
    ó doutorado em sociologia, pouco a pouco e lentamente abandonas o uso de paleio retórico como “razoira” igualitária-totalitária.
    Afinal, já reconheces que na manif recente, dos indignados, houve alguma diferença sociológica relativamente à outra da geração à rasca. Concedes no comentário das 13:25 que nesta manif “juntaram-se agora muitos reformados(mas não só) que há um ano não sentiram grande necessidade de vir para a rua”.
    Repetes o que eu assinalei em 12:07 como diferença entre manifs, contudo explico-te que eu empreguei o termo necessidade no sentido grego da palavra: necessidade de existir, necessidade de manter a existência face ao meio exterior adverso.
    Ó homem ds do paleio igualitário, tão igualitário que tomas como “as mesmas”, logo idênticas, as diferenças profundas entre mim e HM. Contudo, é o teu paleio retórico que as torna “as mesmas” para, por falso silogismo, as tornares igualitárias.
    Ó homem ds, começas a deixar o rabo de fora com a afirmação, essa sim uma cassete gasta e velha com 150 anos na Europa e 80 anos em Portugal, esta: “Esse paleio é velho e bem conhecido: consiste em dizer que quem anda a protestar são só os comunistas”.
    Ó homem ds, a tua razoira igualitária também salta à vista, e sobretudo ao pensamento lógico, quando afirmas que há consenso, concordância e convergência ideológico-política, entre a minha “análise particular” e a “análise particular” de HM. Mais uma vez sobressai a tua retórica sofista de igualizar por meio de uma aplicação (nomeação) a ambos, o paleio igualisante de, “análise particular”, para, neste caso justificar a premissa falsa pré-concebida de “há consenso, concordância e convergência politico-ideológica”.
    Ó homem ds, na verdade toda a tua argumentação se baseia na deturpação sofista e retórica transformada em paleio útil para atingires o fim de tratares todos que não pensam como tu por, os iguais ou os mesmos. O puro, o grande, o verdadeiro diferente é o ds.
    O homem ds julga-se um inteligente expert por saber utilizar, sobre gente e leitores formatados, a sua silogística retórica e falsa. Talvez para defender, com ares filosóficos, um igualitarismo ideológico-político que esconde, ou tenta esconder, ao atirar para cima de todos os, ideologicamente diferentes de si e dos seus, o labéu muito conhecido: eles são todos iguais.

  58. Ó rapazola Neves, continuas a falar muito e a não dizer nada. Insistes em acusar os outros de serem retóricos e sofisticos, quando o teu paleio, este sim, é que continua a ser falacioso e detupador do que os outros dizem.
    Quando eu afirmei que «juntaram-se agora muitos reformados», disse que se juntaram a algo, sendo que este «algo» são os «manifestantes do 12 de Março». Esqueceste-te de citar esta parte, não foi, rapazola perspicaz? De acordo com as regras lógicas mais básicas, que tu mostras desconhecer, o que se pode dizer é que o conjunto «15 de Setembro» é o resultado da reunião de dois conjuntos: do conjunto «12 de Março» com o conjunto «reformados». Ou, por outras palavras, o conjunto «15 de Setembro» inclui o conjunto «12 de Março». Ora, segundo o teu paleio falacioso e sectário o conjunto «15 de Setembro» e o conjunto «12 de Março» não têm nada em comum, mas opôem-se e excluem-se.
    Quanto às diferenças «profundas» entre ti e a Matos, até podem ser muitas, pá, mas está demonstrado que elas não se dão ao nível do paleio primário e sectário àcerca das manifs. Não vou repetir o que já disse e que está à vista de qualquer ceguinho. A tua «visão apurada» consegue ver grandes diferenças entre as duas manifs ou entre dois grupos de multidões, mas é incapaz de reconhecer um ser semelhante a si próprio e com «ideias» e «análises» semelhantes, como é o caso da Matos. E isto já ultrapassa a questão lógica, pois o que está em causa é perceber português.

  59. quero lá saber dos conjuntos do 12 de março e do 15 de setembro, quero é saber onde estavam as camionetas que costumam transportar os manifestantes de 12 de março. ò querem ver que os comunas da ASURPI – ASSOCIAÇÃO SINDICAL UNIÃO REFORMADOS PENSIONISTAS IDOSOS apanharam a linha amarela na marinha grande ou que ASSOCIAÇÂO DE REFORMADOS DO BARREIRO apanhou o 730.

  60. Ó ignoratz, pá, vai pedir explicações à puta que te pariu, que eu já não estou com muita pachorra para aturar mentecaptos como tu. Vai jogar à Playstation, vai.

  61. fraca desculpa, ds, para a desvalorização que fizeste antes. Não é preciso o diz que disse, vê quantas pessoas enchem a av. da liberdade (12/3) e quantas enchem parte da av. fontes pereira de melo, mais toda a av. da república, mais a av. de berna, mais a praça de espanha (em simultâneo). Vê também quantas cidades tiveram manifestações e quantos milhares foram estimados em cada uma delas. Não percebes mesmo o fenómeno social que te está a passar por baixo do nariz, pois não? esquece essa obsessão pelo “pinto de sousa”, homem. A realidade está aí e tu estás do lado errado. como comunista, estás a apoiar este governo de criminosos ineptos, declarando que no pasa nada, é igual ao que foi antes. Não são todos iguais e o povo, espontaneamente, demonstrou-o nas ruas. Aos gritos. Precisas que TO GRITEM AOS OUVIDOS???? Não, pois não, perdido definitivamente para a realidade, ganho para a demagogia que é corpo e espírito da tua “ideologia” podre e fedorenta de morta.
    xau, não há pachorra para zombies/zeros como tu e aquilo que representas.

  62. Está visto que esta socretinada sofre toda ela de dificuldades de compreensão. Agora dizem que fui eu que desvalorizei a manifestação de 15 de Setembro! Provavelmente porque na cabeça da socretinada considerar que as duas manifs tiveram grandes adesões é «desvalorizar» a segunda. Lá está, a socretinada quer à força diferenciar (e mesmo opôr) as duas manifs. A mentalidade Hiena de Matos continua a fazer-se sentir…
    Quanto ao fenómeno que me está a passar debaixo do nariz é o mesmo que já estava a passar no tempo do Pinto de Sousa, de facto. A tua ideologia da «esquerda» moderna é que te prejudicou a capacidade de visão, ó vítima patológica do amor cego ao Pinto de Sousa. A neoliberalização crescente da sociedade, a precarização das relações laborais, não começaram há um ano, sabias? E daí a manifestação da geração à rasca, percebeste? Tu, sim, é que tens de acordar para a realidade, e deixar de apoiar os tipos que prepararam e abriram o caminho à direita moderna. Olha, faz companhia ao ignoratz e vai pedir explicações à mãezinha do gajo, porque está visto não é fácil descer ao vosso nível de compreensão.

  63. deixa-te de merdas e diz lá onde é que estacionaram as camionetas do rebanho comuna que ia pastar a fátima com desvio para uma sessão de vendas da intersindical.

  64. ignatz, não insistas, man. O homem já demonstrou que não tem resposta. Larga o ceguinho como fez o/a “,”.

    O homem nen sequer leu o código laboral deste governo e diz asneiradas sobre a precarização, branqueando a actuação destes palermas que nos (des)governam, sempre à custa do odioso “pinto de sousa”. Ando aqui a pregar aos peixinhos há meses. O PS e toda a oposição deixou passar o código laboral mais selvagem em espaço da união europeia, e o gajo fixa-se no pinto de sousa. Tomara tu, ds, se trabalhasses no sector privado como eu , teres a legislação que o pinto de sousa defendeu até à última gota de suor.E se trabalhasses no publico, “la même merde”.

    (ignatz, quando quiseres, reiniciamos a luta pela cantiga que é uma arma. Já deixei uma pontinha lá atrás. Para mim, é uma que questão de saúde mental, contra vermes poluentes como este ds e outros)

  65. Só cá faltava a ediota. E para fazer concorrência à Maria Rita.
    Ò ediota, parafraseando-te uma vez mais: vai para o caralho!

  66. ds, orgulho-me de te ter mandado neste blogue a frase mais adequada à tua pessoa. Ainda bem que relembraste 8atravessada ainda, hein? :)))) e obrigada pelos créditos.

    (ignatz, nunca dediques peças de génios a vermes medíocres como o ds, que não têm capacidade para apreciar – parece até sacrilégio. Dedica-me a mim, sobrinho, yes? YES.

    Agora vou pra caminha que amanhã é dia de trabalho para arecuperação da economia mas deixo-te uma pecinha que me está no ouvido. Hug and let’s rock’nroll.

    http://www.youtube.com/watch?v=490s689kvpo

  67. Ó homem ds,
    ó doutorado em português, o que tu escreveste em 13:25 é exactamente o que eu transcrevi, não está lá “algo” algum e menos ainda “que se juntaram a algo” ou nem já és capaz de ver o escreveste?
    Continuas fazendo interpretações falaciosas e falsas a partir da tua obstinada formatação de igualizar todos os outros que não são dos teus. Baseado em quê vens dizer que para mim as duas manifs não têm nada em comum e opoem-se e excluem-se?
    Estás enganado, toda a gente sabe de ginjeira que ambas tiveram um “conjunto” comum e, comunista(o BE não conta e se contar é mais do mesmo). O que o homem ds esconde na sombra é que, na manif da “geração à rasca”, ao conjunto base, se juntou “algo” ainda maior que o conjunto base; o conjunto dos PSD/CDS e toda extrema-direita viva.
    Conquanto, o homem ds, é lesto a acrescentar, a esta última manif, que além de alguns reformados também se juntaram alguns socratinos. Mas, também esconde, por paleio retórico-sofista de igualitarização do que é desigual, aquilo que é a maior e mais significativa diferença entre as manifs; a personalização territorial dos manifestantes, isto é, na 1ª houve uma concentração do povo transportado para Lisboa, na 2ª houve uma concentração do povo nas suas localidades próprias ou próximas, idas pelo seu pé de de moto-próprio. Isto, homem ds, aliado à diferente composição dos conjuntos sociais das duas manifs, faz uma diferença abismal entre as manifs que tu tentas fazer “a mesma” coisa por retórica sofista.
    Não deixa de ser coerentemente sintomático que uma mentalidade educada e formatada para pensar e tratar o diferente de si como, “tudo o mesmo” ou “todos iguais” ou “todos a mesma coisa”, seja ferrenho militante de uma sociedade organizada nos mesmos moldes; um povo de “todos iguais” perante uma “elite” de diferentes.

    Penso que está tudo explicado e entendido, Da minha parte já chega, disse.

  68. Foda-se, sai-me cada débil mental na rifa!
    Ò rapazola Neves, tens que voltar à escolinha primária para aprenderes a ler. É que acabaste de demonstrar qual é a verdadeira razão que está subjacente à tua incapacidade para raciocinar, para compreender, para analisar, para relacionar, e para, enfim, pensar.
    De facto, só depois de aprenderes a ler é que podes conseguir compreender o que os outros escrevem; e só depois de compreenderes o que os outros escrevem é que podes conseguir citá-los de forma correcta e sem deturpações; e só depois de citares correctamente os outros é que podes conseguir analisar as ideias que as citações expressam; e só depois de analisares essas ideias é que podes conseguir relacioná-las com outros discursos ou pensamentos; e só depois de relacionares esses discursos é que podes conseguir escrever qualquer coisa fundamentada e com sentido àcerca das diferentes concepções politico-ideológicas; e só depois disto é que podes conseguir descobrir como o teu paleio sectário e primário não passa disto mesmo, e como em nada se distingue do paleio da Hiena dos Matos.
    Portanto, volta lá para a escolinha, e vai aprender a ler para deixares de fazer essas figurinhas tristes e de analfabeto.

  69. ds,o teu dono,nas ferias, até te levou para a praia…onde não é permitido a presença de caes e muito menos os de fila como tu.tratar-te por social-fascista é o minimo que se pode fazer, a um filho da puta .no poder, todos os não pensassem ,não escrevessem como tu,eram fuzilados. aviso-te! tem cuidado,não mordas muito,por que nesta vida tudo se descobre, e nessa altura,vais ficar com o focinho irreconhecivel. foram fdp como tu, que tratavam os sociais democratas na Alemanha como “a extrema esquerda do fascismo” que abriram as portas ao nazismo. Como se constata, o teu odio aos socialistas já vem dos teus antepassados Nota: os erros que o texto tiver, mete-os no cú do teu dono!

  70. Fala-se em débeis mentais e reaparece logo o béu béu do canil municipal. A primeira vez que ladrou na minha direcção foi para fazer queixinhas e para acusar-me de ser insultuoso com o Valupetas, pela simples razão de eu usar o palavreado «imbecil» e «ranhoso» do seu dono. O que confirma a minha tese de que o nível de compreensão da socretinada é mesmo zero. Não bastando isso o cãozinho revela também por que é que a hipocrisia e a aldrabice se dão tão bem com a mesma socretinada. O cãozinho raivoso agora até já faz ameaças, e, realmente, é melhor abatê-lo ou fuzilá-lo antes que se torne um perigo para a saúde pública.
    Nota: Ò béu béu, não sei se vai ser possível satisfazer o teu pedido, porque, tenho a impressão, que nem no cu mais aberto consegue entrar essa coisa a que tu chamas «texto».

  71. ds, como sabes que eu tenho um canil ? ferras porque não tens chip,para te podermos identificar.Já te disseram que há psis para cães? pede ao teu dono que te leve lá,pois és um animal com uma enorme pancada.social-fascista, é o nome que mais se ajusta ao teu perfil psicologico.dentro de pouco tempo, ladras e ninguem te liga!é a sugestão que deixo à gente decente do aspirina.não te esqueças de contar os erros.

  72. O béu béu das ameaças raivosas queria a minha ficha para me poder identificar. Estes socretinos, que acusam os outros de serem «sociais-fascistas», não têm apenas dificuldade em compreender o que os outros dizem. O défice cognitivo deles até os impede de terem consciência de si mesmos, e da sua natureza pidesca. Não sei se devo ter pena, ou se devo rir-me, destes débeis mentais.

  73. fichas eram aquelas porras que vocês roubaram no assalto à antonio maria cardoso para que não se descobrisse quem eram os colaboradores da pide que transitaram para o partido comunista, para não falar das que falsificaram para fins diversos, de extorsão a certificado de revolucionário, isso é que era défice cognitivo. mas entretanto podias dizer onde é que estacionaram as camionetes em que transportaram os velhos para a manif de de 15set.

  74. ds,não deturpes,eu não disse ficha,disse chip,pois é um cão de fila.Persegues todos que têm a veleidade de pensar diferente.Sabes Ds,gostava de sentir pena dos teus pais,por terem um filho da tua estirpe,mas não tenho,por que falharam na tua formação e agora que te aturem!.Espero que nenhuma” cadela” se apaixone por ti,pois será muito infeliz a teu lado.Aviso: termino por aqui,mas sempre que ultrapasses a deçencia, lembrar-te-ei sempre, que és um bom social -fascista.escolhe.

  75. Ora cá está mais uma demonstração do défice cognitivo da socretinada, que é incapaz de se reconhecer a si própria: o béu béu (assim como outros) começou a ladrar na minha direcção sem que eu lhe tenha dirigido qualquer palavra, e noutra ocasião até ladrou apesar de eu não ter feito qualquer comentário. E agora faz ameaças idiotas. Mas depois eu é que ando a perseguir os outros, segundo o cãozinho raivoso. Hilariante!
    Ó béu béu do canil municipal, ladra o que quiseres, mas não tentes justificar o teu comportamento pavloviano, porque só mostras aos outros a gravidade da tua debilidade intelectual.

  76. ignatz, és um valente e paciente: fazes a pergunta que toca na ferida e como tal nunca terás resposta de alguém que vive de ressabiamento,ódio, demagogia, e lavagem ao cérebro. Keep going. Eu também pergunto (o verme manda-me depois para o caralho, o qe, vindo dele, é um elogio): “tão,como é, onde é que estão as caminetas do 15 de setembro que foi igual ao não sei quantos de março? Custa tanto assim assumir que a sociedade civil tem mais força que a merdolas do PC???”

  77. Ds,gosto dessa do defice cognitivo. tem piada.Tu é que sofres desse mal,e por essa razão nada aprendeste com o passado.Não sei como consegues lidar com os “poucos ” operarios não intelectuais do teu partido. A tua função no aspirina, é contaminar a discussão,para ajudares a que tudo fique na mesma no pais, para favorecer a logica social- fascista do PCP.Já alguns camaradas, abandonaram este blogue,por que não estão dispostos a aturar um cão de fila como tu. eu vou ficar! tenho muita paciência para com cães mesmo raivosos como tu!

  78. Estes socretinos débeis mentais não se enxergam, mesmo! O béu béu continua a ladrar e a salivar-se com o «social-fascismo», que é a única coisa «deçente» (sic) que sabe fazer. A ediota histérica não quis ficar atrás do béu béu, e por isso juntou-se ao coro dos débeis mentais para despejar uma série de insultos e reproduzir o paleio «Hiena dos Matos». E o ignoratz, está visto, é o filho da puta responsável por tocar a sineta «social-fascista» que pôe a socretinada toda a delirar. Esta socretinada sectária e primária vive da idolatração do Pinto de Sousa, e depois «socretinomorfizam» os outros, não conseguindo conceber que há mais realidade para além do seu mundo socretinocêntrico.
    De qualquer forma, uma coisa podemos dizer: segundo as últimas sondagens, e «depois de um sábado que exibiu a força dos eleitores do centro» (como disse o socretino sectário e primário, por excelência») e que exibiu a força da «sociedade civil» em oposição aos «merdolas», o centrão desceu nas intenções de voto e os «merdolas» atingiram 24%. Onde foram parar as «caminetas», perguntaram os débeis mentais. Estão à porta da Universidade Católica, parece….
    PS: Ó socretinada, este post já desapareceu da primeira página do blogue. O vosso dono já partiu para outra. Não salivem tanto, carago!

  79. agora as caminetes transportam os velhos à católica para votarem em sondagens presenciais e já desenham esquemas, o louceiro faz de portas e o gerómino de primeiro-ministro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.