Nesta terrinha coitadinha

Durão Barroso quis à força falar do BPN. A única intenção do que contou foi a de difamar Constâncio, mais nada se aproveita e mais nada faz sentido na sua declaração. Depois desse número artístico, o ex-governador do Banco de Portugal desmentiu Durão, um ex-primeiro ministro desafiou Barroso a contar o que alega saber do caso e que ainda não revelou e um ex-Presidente da República pediu para que a Procuradoria-Geral da República chame o presidente da Comissão Europeia à sua responsabilidade judicial dada a gravidade das insinuações que decidiu espalhar.

Que fez Barroso perante esta reacção? Resolveu elogiar o Estado Novo. Que fez Cavaco? Resolveu elogiar Barroso. Que fez Passos? Resolveu elogiar-se a si próprio.

Isto parece tudo um teatro do absurdo que suscita a alienação como resposta defensiva, mas essa complacência, essa inércia, essa impotência só dura enquanto nos mantivermos esquecidos de que a actual direita portuguesa depende de um estado geral de irracionalidade para se manter no poder. Porque foi assim que lá chegaram, atacando a lógica à bomba e mentindo à descarada como nunca se tinha visto, nem se concebia ser possível ver, nesta terrinha coitadinha.

9 thoughts on “Nesta terrinha coitadinha”

  1. Admitamos: Além de insultar Constâncio, introduzia tema de campanha a Nuno Melo e punha a CS a falar dele e abafar outras questões.. Mas não é excluir que contando com a “boa fé” de R Costa, que não lhe perguntou o que sabia e pretendia confirmação de Constâncio, que pretendesse chantagear alguém(s) com o que talvez soubesse, adquirindo assim cumplicidade para a vontade de poder que tem.
    Como interpretar a ideia abstrusa de 3 partidos a apoiar um PR? Não falta quem dê uma ajuda à confusão. Ontem P Baldaia conseguiu delirar tanto nos prognósticos sobre Europeias, prognósticos sobre a liderança do PS resultantes dos prognósticos Europeias, prognósticos sobre Legislativas, certeza sobre coligação pós legislativas e depois.. Depois estando PSD e PS coligados seria absurdo que se confrontassem nas presidenciais, logo Barroso estava certo, só faltava um candidato que os 3 pudessem apoiar. Discutiram hipóteses e nem Guterres escapou e até o parvalhão do HMonteiro lhe chamou parvo… Vale tudo. Esta gente é muito perigosa e estão em processo acelerado de adesão magnética..

  2. A sensação que vamos tendo é a de que já não existe ninguém capaz de dar um “murro na mesa”. Talvez pior ainda: quem quer que seja que dê o tal “murro na mesa”, ninguém vai ouvir o ruído. Os 7 mil milhões fanados no BPN deram para tudo, isto é, comprar toda a comunicação social, a Justiça, a Presidência da República, uma Maioria e um Governo.
    A ditadura do dinheiro vergou tudo e todos. Aqui, e por esse mundo fora. Quando hoje ouvi o relato de mais um protesto, desta vez em Roma, contra a austeridade, lembrei-me destas coisas. Porra! Os “protestante” ainda não perceberam que os políticos não mandam a ponta de um corno? Que são paus mandados dos homens dos mercados e dos seus capatazes, que agora se chamam “gestores”? Que têm rosto e nome, seja no BCE, no FMI ou Banco Central da Alemanha? E, aqui entre nós, quem não conhece os capatazes lusos que vão de Cavaco a Gaspar? Palavra de honra, apetecia-me mandar à merda cada manifestante que, em vez de fazer um enorme chingfrim em frente ao palácio do capataz -mor dos “mercados”, o Cavaco, perde tempo a romper a escadaria de S.Bento, sede de uma Maioria de lacaios menores. Será que vamos celebrar os 40 anos de Abril sem um dar um berro que acorde este país manso, e rendido à corja dos bpn’s?

  3. Excelente texto Val, mas fixo-me na análise da Maria Abril. Nunca me tinha ocorrido, mas faz todo o sentido o que ela escreve. O gamanço de 7.000.000.000,00€ no BPN dão para tudo o que estamos a assistir e para muito mais.

  4. O cherne burroso limitou-se a atirar um “isco” para ser
    apanhado pela comunicação social pois, pouco ou nada
    acrescentaria se o entrevistador cumprisse a sua missão!
    Corre em alguns meios uma teoria da quase conspiração,
    por causa da convulsão acontecida no “polvo laranja” com
    a nacionalização do BPN braço da “massa” da SLN que se safou!
    Pena é que tantos investigadores de outros “crimes”, que até
    se constituem assistentes nos processos, não tenham interesse
    em aprofundar algumas das negociatas, ATM’s, terrenos de
    Oeiras para o IPO, urbanização da Quinta da Coelha, etc. etc.!!!

  5. então e os restantes gamanços, bpp, bcp, banif e bes, para não falar do bpi e da cgd. até parece que as falências e recapitalizações foram para pagar os prejuízos dos clientes que se endividaram acima das suas possibilidades e que rendeiros, jardins, salgado, roque & amigas é tudo malta que financia o partido socialista. os 7 biliões são 7% do que desapareceu sem deixar rasto, os restantes 160 biliões são juros acumulados e empréstimos por liquidar.

  6. Ladrões para a cadeia,já! E comemoraremos o dia inteiro e limpo mais à larga,sem peçonhas nem venenos…

  7. Sobre o cherne, basta ver o estado em que deixa a UE. Ele é a imagem da decadência política da Europa.
    Quanto à direita que nos desgoverna, é bom não subestimar. Irracionalidade? Parece-me mais manipulação pura e dura: manipular, manipular, até à anestesia total. O trabalho é sujo, mas não deixa de ser executado com perícia. Os resultados estão à vista.

  8. Quando oiço falar em Banqueiros/pós Abril, fico roxo de raiva.

    Até chego a elogiar Alves dos Reis, que não passava de um anjinho com asas.

    Ao menos este puxou pelo bestunto, não foi feito nas coxa como estes banqueiros abrilistas.

    Como não hei-de ser assim? ficar com mau perder!porra!Reaça até morrer!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.