Não, passarão

Donald Trump é um político desqualificado no que diz respeito ao cargo de presidente dos EUA (pelo menos), e fez uma campanha que assumiu e agitou os piores instintos sociais e psicológicos do eleitorado. Nesse sentido, ele é um tangível e real perigo para os valores que associamos à democracia e ao humanismo. Todavia, esta figura não corresponde ao modelo do tirano, pois é evidente nela o enfado que o exercício do poder estatal lhe provoca. Trump não tem ideias válidas, sequer razoáveis ou aparentemente sensatas, para a comunidade porque ele nunca perdeu uma caloria a imaginar o esforço que teria de despender para as realizar.

Em vez disso, Trump tem fantasias. Essas fantasias são rápidas e fáceis de elaborar, tendo a vantagem de não implicarem quaisquer compromissos pois ele começa por acreditar que jamais estará numa posição de sequer poder começar a realizá-las. O que ele procura, portanto, não é um eleitorado mas uma audiência. E para lidar com essa audiência basta alimentar o seu pensamento mágico. Quão mais ignorante e alienada for a audiência, mais impacto e envolvimento geram o pensamento mágico, a fantasia, a pura irracionalidade e as monumentais mentiras.

Em Trump temos o típico pato-bravo com um apuradíssimo talento para a televisão de massas. Ele percebe de tijolos e cimento, fugas ao fisco e aldrabices nos negócios, corrupção moral e luxúria. Não percebe de propaganda, percebe de publicidade. Apenas precisou de criar uma marca sobre outra marca – no caso, é o bilionário que pode dizer qualquer coisa que lhe passe pelo bestunto, tal como faz quando está num estúdio a ser o protagonista desse conteúdo. Com essas competências fez um tremendo sucesso mediático como celebridade icónica que lhe facilitou os negócios da construção. E partiu para a corrida presidencial para se divertir e fazer um golpe de marketing. O caldo de cultura sectária e de instigação ao ódio que o partido Republicano alimenta há anos e anos – no que é um óbvio ciclo de decadência face às mudanças económicas, demográficas e sociais nos EUA – foi a colossal biomassa pronta a ser incendiada por uma retórica para estúpidos. Para muito estúpidos.

Não é com a estupidez que a maioria das pessoas quer ser governada e se quer governar. Este passarão, mesmo que ganhe (pois tudo é possível, até o altamente improvável neste momento), está condenado a desaparecer da cena política como figura relevante em pouco tempo. A invenção da democracia e o caminho feito na dignificação da condição humana mostram que é a inteligência da união no essencial que nos conduz da animalidade para a civilização.

27 thoughts on “Não, passarão”

  1. “A invenção da democracia e o caminho feito na dignificação da condição humana mostram que é a inteligência da união no essencial que nos conduz da animalidade para a civilização.”

    Aí estão os desgraçados iraquianos, sírios, líbios, ucranianos, curdos,… para o demonstrar.

  2. “Ele percebe de tijolos e cimento,…”

    Como é que perceber de tijolos e cimento desqualifica alguém ? Para um post que faz apelo à inteligência é à dignificação da condição humana, e critica a estupidez, olha que não está mal achado !

  3. lá como cá : votamos em fezes ou estrume ? e assim fica resumida a mítica “democracia “representativa , no alterne ( isso , alterne ) entre fezes e estrume :) o cheiro é sempre o mesmo :)

  4. Todos nós sabemos o que é Trump e o que representa, Mas a Hilary meu Deus o que é que ela representa? O stablishment A inocuidade a representação os grandes interessses Até os gestos que faz em público são fabricados Desculpe que lhe diga mas Hilary não é nada é a vacuidade, é Zero e é impressão minha que pode ser mais perigosa para a paz mundial que o próprio Trump Mas esta é a minha opinião. Em suma dois desqualificados!

  5. Excelente artigo. A meu ver, um dos problemas que os EUA têm neste momento é o dos brancos dos estados rurais/sul que sempre viveram de trabalhos com baixa qualificação e que, nos últimos anos, viram o seu nível de vida cair. É aqui que o trump é muito forte conseguindo dar uma explicação, embora errada e de estúpido para estúpidos, para a situação em que se encontram: emigração, negros, obama, hillary, establishment, etc.

  6. É certo é que muita gente lhe perdoa a foleirice por conta de algumas verdades que ele diz e que mais ninguém ousou dizer!

  7. O diagnóstico está feito – e bem feito. O pior é a terapêutica. Um pouco por todo o mundo as forças democráticas não estão a ter capacidade política para sustar o populismo de direita. Muitos trumps estão a aparecer na Europa. A extrema direita, hoje, não é como foram os velhos fascismos dos anos 20 e 30 do século passado. E as forças democráticas – de direita e de esquerda – não estão a ser capazes de lhes responder de forma politicamente adequada.

  8. não fosse os tijolos e o cimento, artifícios da construção da humanidade, e os corações – tal e qual leixões – de pedra, os antónimos de inteligência. bravo! adorei. :-)

  9. Tá, bem, Abelha. Do Hitler também diziam que não passava de um tresloucado, um mitómano, um ignorante, um ressabiado com a inutilidade da sua participação na Grande Guerra – uma Trampa, no essencial, e que por isso nunca conseguiria enganar um Povo culto, educado, desenvolvido e SUPERIOR como era o alemão.

    Viu-se no que deu tanta arrogância e tanto excesso de confiança: SANGUE, LÁGRIMAS E SOBRETUDO MUITO SUOR para acabar, muitos anos e mortos depois, com o pesadelo que nenhum escriba conseguiu prever.

    Pois se até o excelso Primeiro-Ministro de Sua Majestade britânica acreditou nele…

  10. “Com que então massacre…”

    tás com pressa, o gajo ainda não tomou posse nem nomeou o procurador geral para tratar da saúde à oposição.

  11. falava um certo escriba do massacre que tinha acabado com a campanha.
    um escriba que está para a política como o bando de energúmenos que condenou galileu estava para a astronomia.
    um escriba do preconceito, da maledicência, do cinismo, da arrogância, da falta de instinto político, da ignorância e, acima de tudo, da total e absoluta falta de respeito democrático por milhões de eleitores que, nunca, mas nunca na sua História, ao contrário de tantos outros gabarolas povos e estados de direito democráticos, viveram à margem da democracia ou sem constituiçao.
    mete no cú, valerico.
    MAGA!

  12. o enaparvo está feliz. podes ir à embaixada dos us e inscrever-te para ir assentar tijolo no muro do méxico, depois tira umas selfies e manda aqui pró aspirina.

  13. iganório, o enaparvo está mesmo, mesmo, muito feliz e assentará pedra no muro que separa o méxico do novo méxico se tal for preciso para defender a paz, a lei e a ordem democráticas. conviccoes profundas e ideais retos, meu caro. atributos que a hillary nunca teve.

  14. Próximo passo: reabertura do luxuoso resort de Alcatraz.

    Em seguida: transferência da sede da Clinton Foundation e seus corpos-gerentes para o afamado resort.

    Finalmente (Obama way): DRONE THE DAMN PLACE TO THE GROUND!

  15. De tarião em tarião, para evitar Alcatrão (Alcatraz, perdão), o próximo passo da passarouca taralhouca (e passarão maridão) será pedir asilo político a esse farol da democracia e direitos humanos que dá pelo nome de Arábia Saudita, benevolamente governado, como é sabido, por grandes amigos e clientes seus. Desse ninho de terroristas… perdão, dessa escola de assassinos… perdão again, desse comovente viveiro de escuteiros, sairá apenas para ocasionais períodos de férias no vizinho e igualmente bué de democrático Dubai, esse outro grande farol do respeito pelos direitos das mulheres, onde o seu grande amigo Robert de Niro gosta de arrotar umas postas de pescada… perdão, chamar virilmente a atenção dos governantes locais para a obrigação de respeitarem as garinas lá da terra, sob pena de o afamado “Toiro Enraivecido” lhes aplicar uns viris e merecidos estaladões no focinho. Ou talvez nem tanto, mas wishful thinking cai sempre bem. Olhai, gentes:

    http://gulfnews.com/life-style/celebrity/hollywood/robert-de-niro-in-uae-for-million-dollar-business-showcase-1.1908547

    [By the way, último parágrafo: «The low-tax Antigua and Barbuda (investments are free from personal income-, capital gains-, inheritance- and wealth tax) are the largest English-speaking islands in the Leeward Isles». Claro que, é bom não esquecer, “Trump is a punk, he doesn’t pay taxes”, says he, “for doing just the same”, says me]

    http://www.deniro-fans.com/Robert-De-Niro-Properties.html

    [De onde se tira este: https://www.atlantisthepalm.com/https://www.atlantisthepalm.com/ , uma das humildes xafaricas do grupo Nobu, a que De Niro se associou]

    Ver também:

    http://www.dailymail.co.uk/travel/travel_news/article-3359072/Robert-Niro-s-Nobu-Manila-named-worst-luxury-hotel-2015-questionable-developments-expansion.html

    [By the way again: «named worst luxury hotel of 2015»]

  16. Olha que nem fui ao dicionário mas pergunto, sabe o caro o que é “bujardar”?
    “Bujarda” é a ferramenta do canteiro para “bujardar” a pedra; isto é, um martelo pesado de bicos que pica a pedra e lhe dá o aspecto de cantaria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.