Não há dois intervalos iguais, como Heraclito lhe poderia explicar

Ao intervalo disse aos jogadores que não podíamos perder a cabeça. As coisas melhoraram, voltaram a acalmar e a entrada dos jogadores deu um ritmo forte.

Contra a Hungria

Disse no intervalo aos jogadores: jogar com a Alemanha e ter duas faltas cometidas é impossível.

A favor da Alemanha

2 thoughts on “Não há dois intervalos iguais, como Heraclito lhe poderia explicar”

  1. Nunca o considerei um grande treinador . Teve e tem a seu favor a sorte de ter um enorme lote de jogadores talentosos, portanto o mais fácil seria fazer uma equipa . Nao sei se é por teimosia, se por “obrigações decorrentes” tais como interesses de clubes e de agentes de jogadores, tem feito escolhas e substituições que deixam muita gente perplexa, quanto à gestão do plantel ao dispor.
    Por exemplo, essa de pôr dois jogadores com uma carga de jogos tremenda nas pernas, não dá para entender, sobretudo, provinda de um selecionador que diz que “vamos jogar para atacar, se não fôssemos jogar para atacar, o que é que estavamos aqui a fazer “ . Depois, mete um jogador com quarenta ou cinquenta jogos nas pernas, o Bruno Fernandes, que não atacou nem defendeu, literalmente arrasta-se a passo pelo campo, num género de futebol de salto alto, tal o cansaço de fim de época, e outro, o Bernardo Silva, que para além da falta de envergadura – necessária para o futebol de choque com os atléticos alemães, – revela idêntico cansaço.
    Parece-me claro que Renato Sanches, bom condutor de bola, impulsionador do ataque, rápido, bom a atacar e a defender, tem claramente lugar na equipa, assim como muitos outros, Palhinha por exemplo, mas que se há-de fazer, o homem é conservador e teimoso como uma mula .
    Resumindo, tivemos tudo na mão para amealhar os seis pontos, e, agora, vamos como de costume andar de calculadora na mão.

  2. Fernando Santos é um homem relegioso, tem esse direito. Desta vez talvez por cansaço e fartos de tanto o ajudarem, os Anjos esqueceram _se dele.
    Ao longo dos anos que leva no cargo, a esmagadora
    maioria das suas vitórias foram mesmo um milagre. É confra gedor ver jogar a selecção, recheada de tanta gente talentosa, mas jogam sempre os mesmos estejam ou não em forma. É hora de mudança de seleccionador, com este não vamos a lado nenhum. Na próxima quarta feira o desastre será igual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.