Na rotunda do Marquês

Não é uma beleza esta sincronia entre as fugas ao segredo de justiça, e as acções públicas de Rosário Teixeira e Carlos Alexandre gerando parangonas, com os momentos de afirmação do PS de António Costa? Começou em Julho de 2014, e na altura a lógica dessa primeira fuga favorecia Seguro contra o socrático de Lisboa. Seguiu-se um tumular silêncio. Costa ganhou. E esperou. Quando se preparava para, solenemente, lançar o seu ciclo de afirmação política, o Ministério Público ofuscou e condicionou a ocasião com a prisão de Sócrates a dias do evento. Agora, em cima do lançamento de um importante documento económico que servirá de base à elaboração do programa e que prestigia o PS, alguém decidiu chamar de novo à ribalta a Operação Marquês. Porquê agora? As autoridades não estão obrigadas a dar essa explicação ao público. Talvez a ninguém. E, mesmo que fosse prática corrente, poderiam invocar o que bem entendessem para terem o calendário justificado sem direito a contraditório. Isso implica, por cima do poder judicial, um poder político de vastas consequências quando estão em causa acusações de corrupção dirigidas a um ex-primeiro-ministro e num ano eleitoral.

Mas não só. Os esgotos a céu aberto, onde se inclui o Observador, aproveitaram para espalhar que teriam sido apanhadas “provas” de corrupção no computador do gestor ontem detido, e que as casas de Paulo Campos e Mário Lino já tinham sido revistadas, ficando sugerido que eles serão os detidos seguintes e que novos processos serão abertos respeitando a outros casos de corrupção envolvendo governantes dos Governos de Sócrates. Serão? E se o forem, quando? Vai ser por alturas da apresentação do programa socialista, em Junho? Ou estará a investigação à Operação Marquês a obedecer ao pedido de Marcelo Rebelo de Sousa para que se lavre acusação antes do Verão, em ordem a que os prejuízos para o PS sejam os maiores possíveis? E por que razão a investigação demorou tanto tempo para ir vasculhar o computador de Joaquim Barroca? Não tinham medo que, passado quase um ano desde as primeiras notícias, ele apagasse as cenas, trocasse de máquina, derretesse em ácido o hardware ou mudasse os números no Excel? E como é que um jornal e seus jornalistas se permitem veicular as suspeições de algum agente do Estado a respeito do que está ou não está, vale ou não vale, na posse de um detido em cima do momento da sua detenção? Ou essas suspeições não nasceram nalgum agente do Estado, daqueles com nome e responsabilidade criminal, sendo tão-só puras invenções de certos jornais e de certos jornalistas?

Sócrates poderá ser culpado de corrupção. Ou poderá ter recebido prémios que, não configurando actos de corrupção, sejam infracções fiscais. Ou poderá ter mesmo pedido dinheiro emprestado, ou até emprestadado, a um amigo que o tinha para emprestar ou dar. Nada disso, que só se poderá aferir caso haja acusação, primeiro, e julgamento, depois, impede a presente constatação de que esta é uma prisão política como nunca se conheceu outra igual em democracia.

70 thoughts on “Na rotunda do Marquês”

  1. É detido o executivo de uma construtora com uma carteira de obras de 4,1 mil milhões de euros, quase todas no estrangeiro. Suspeita-se que o primeiro ministro o ajudou no desiderato, como fez com dezenas de outras empresas exportadoras, e por isso se encontra preso.
    É aclamado um governo que anda mundo fora a entregar rifas, ao desbarato, do sorteio das empresas estratégicas, dos maiores bancos e das maiores seguradoras e do seu país.
    Quem vai ser o juiz desta festa?

  2. « Nada disso, que só se poderá aferir caso haja acusação, primeiro, e julgamento, depois, impede a presente constatação de que esta é uma prisão política como nunca se conheceu outra igual em democracia.»

    Portanto, remete para a acusação e julgamento ( e pode haver uma instrução)…pois só, então, se podem avaliar factos acusados ( ou pronunciados) e julgados. FACTOS. Todavia, o Valupi constata uma prisão política. Os factos constatam-se, de facto. Porém, como é que chega a esse FACTO – PRISÃO POLÍTICA? Há uma investigação a correr e uma prisão preventiva em vista de acautelar a mesma. Explique lá…

  3. hum..Ó Elbas, Ó Elbas, Badajoz à bista, soue contrabandista….hum….com as devidas adaptações, chiaro….

  4. Soltem os prisioneiros
    Soltem os prisioneiros
    Por todo o mundo (especialmente em ELVAS)
    Há prisioneiros
    Por todo o mundo (mas especialmente em ELVAS)

    Soltem os prisioneiros do Rio de Janeiro (a FATINHA DO PS)
    De Lisboa, Porto, Ofir, Aveiro (O SUCATEIRO)
    Guimarães, Faro, S. Paulo, Timor e Elvas tambem
    Soltem os prisioneiros do ódio, do amor e DO FAVOR
    Me solta, eu sou inocente, ia devolver o dinheirinho todo
    Arranca essa mordaça, quebra essa corrente CAMARADA
    Essa mordaça que ninguém vê CAMARADA
    Essa mordaça que ninguém sente… CAMARADA

    Soltem! o 44
    Soltem! o 44
    Libertem-no(s)!…

    Soltem os prisioneiros (mas o 44 primeiro!!)
    Soltem os prisioneiros (mas o 44 primeiro!!)
    Por todo o mundo (mas especialmente em ELVAS)
    Há prisioneiros
    Por todo o mundo (mas especialmente em ELVAS)

    Eu tô sem ar, feito num peixe num aquário CHEIO DE ROBALOS
    Sem sair do lugar, feito um presidiário
    Hã! Pelo que disseram lá no dicionário
    Eu acho que me deram liberdade ao contrário (pois..)
    Nós somos livres pelo avesso (pois…e como as inverdades)
    Mas o sangue é mais forte que o mar (CAMARADA)
    Navegar é preciso, e a liberdade tem seu preço (23 milhoes para ser mais preciso)
    Então me prende, pra eu me poder soltar… (CAMARADAS, AJUDEM!)

    Soltem! (o 44)
    Soltem! (o 44)
    Libertem-no(s)!…

    Soltem os prisioneiros (mas o 44 primeiro!!)
    Soltem os prisioneiros (mas o 44 primeiro!!)
    Por todo o mundo
    Há prisioneiros
    Por todo o mundo (mas especialmente em ELVAS)

    Em busca da verdade correm viajantes (e os FILOSOFOS)
    Em busca da verdade e de FOTOCOPIAS ficam prisioneiros…
    Em busca do amor dormem os amantes
    Em busca do amor AO DINHEIRO ficam prisioneiros

  5. numbejonada, não faço ideia de qual seja a tua definição de “prisão política”. Suponho que implique algo como “prisão por razões políticas”. Ora, para mim estamos perante uma prisão política quando o processo judicial em curso interfere de forma intencional com a dinâmica política em curso.

    Como não temos forma de provar a suposta intenção dos responsáveis judiciais para tal, até porque poderá não haver responsabilidade alguma, podemos ainda assim considerar as violações da lei e as coincidências. Ou seja, perante a violação do segredo de Justiça é óbvia a intenção de explorar a dimensão social e política do caso. E perante as coincidências que começam a figurar um padrão, no mínimo colhe denunciar que os responsáveis judiciais se mostram indiferentes perante as peculiaridades deste caso neste período eleitoral.

  6. Pelo andar da carruagem o Rolex ainda vai mandar fazer a
    exumação do Rei que mandou plantar o pinhal de Leiria, pa-
    ra ser ouvido na operação “Marquês” sobre a possível comissão
    dada ao Sócrates na madeira usada na construção das naus!
    Finalmente, noticiário da TVI24 foi interceptado um carro com
    malas de dinheiro em trânsito de Espanha para cá, é possível
    que seja dinheiro do Sócrates, por isso, adiaram a audição do
    detido ontem … como se vê, tudo se conjuga diz o Povo que
    não há fumo sem fogo, alguém vai arder!!!

  7. Conclusao: nao se devia investigar nada ate ao fim das eleicoes, devia mandar-se ja o homem para casa, e depois logo se via.

    Eis um plano de accao, algo que seria proprio de um estado de direito em que ninguem esta acima da lei e onde a sociedade acredita que todo o crime deve ser investigado ate as ultimas consequencias.

    Val, ja alguma vez te deste ao trabalho de ver as estatisticas do numero de politicos que foram presos em espanha por casos de corrupcao? Tas a ver, dar assim uma vista ali ao lado, sao so 200-300 kms de distancia. Tao pouco, e parece que um gajo esta a avistar Manhattan a partir duma praia do Haiti.

  8. em leiria toda a gente sabe que o grupo lena sempre apoiou o pds e o cds e que o psd vivia de negociatas com o grupo lena, chegando ao ponto da construtora do lena ter feito o estádio que recebeu, orçamento + extras, e ainda ter ficado dona de metade ou coisa que o valha, através da leirisport onde ficou accionista juntamnete com a câmara de leira. quando a cambada começar a botar a boca no trombone vai ser giro, desde vereador da câmara de leiria que passou a presidente da leirisport e posteriormente a funcionário do grupo lena, vai haver de tudo menos para o gosto da direita.

  9. ao juíz alex só lhe resta saltar para a frente fingir que é tudo legal, até enterrar completamente o psd, para justificar a merda que fez com o sócras.

  10. Basico, escusas de tentar falar comigo que para o teu peditório já dei. Que sejas maluquinho, não tenho nada a ver com isso e desejo-te felicidades. Mas quanto ao resto, sigo o conselho de Aristóteles.

  11. Vamos la ver, tu escreves um post com 3 enormes paragrafos sobre uma suposta cabala envolvendo a justica, os media, todos com o objectivo de perseguir o PS e o 44.

    Argumentas que ha uma conexao entre a prisao dum quadro do grupo Lena anunciada HOJE ao almoco, e a apresentacao dum cenario macroeconomico do PS HA DOIS DIAS ATRAS.

    E eu e que sou o maluquinho…

  12. basico e numbejonada, repito,o preso 44 está preso há 5 meses sem culpa formada e o responsavel dos vistos , já com culpa formada está em liberdade. isto não é dois pesos e duas medidas,mas na minha opinião um crime de cariz politico!

  13. Ó Val, no tempo da PIDE não era assim? Qual é a admiração?
    Tiveste o caso dos submarinos, alguém foi preso com o argumento de destruição de provas?
    Tiveste o BPN, alguém foi preso com o argumento de destruição de provas? O oliveira costa não conta.
    Tens o caso do BES, alguém foi preso com o argumento de destruição de provas?
    O Sócras tinha um programa na televisão que estava a tirar audiência ao Cata-vento da TVI.
    Basta juntar 2+2 é básico e é estúpido. Não é à toa que foi considerado o melhor primeiro-ministro depois do 25 de Abril.

  14. O Carlos Sousa, há uma grande diferença entre sondagens, e votações on-line. Bastaram 11,000 membros das distritais do ps… Até faz lembrar a história do best seller dele, ali a subir pelos tops de vendas acima.

    Mais, nisto das votações ele há umas em que o engenheiro recebeu bem mais votos, ora vê o exemplo abaixo.

    http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=p2013n37935

    (141,000 votos)

    Por último, os 11,000 crentes podem tê-lo votado o melhor primeiro ministro de sempre, mas todos sabem quem foi o melhor português de sempre.

    http://www.publico.pt/media/noticia/salazar-eleito-o-maior-portugues-de-sempre-em-programa-da-rtp-1289390

  15. Básico,
    fazes acreditar que o tempo das bestas ainda não terminou. Devias ser embalado e enviado em correio urgente, por exemplo, ao laboratório do Steven Pinker, o tal que diz que a humanidade está cada vez menos violenta e mais inteligente. Não fosse a abundância de amostras que o cientista estará a receber do Médio Oriente e do Norte de África, darias um interessante objecto de estudo.

  16. E lá Galuxo, conheces o trabalho do Pinker? Estou admirado, subsiste muitos furos aqui na consideração do je.

  17. Valupi, percebo a sua posição. Todavia, não podemos misturar a política com a justiça, porque são formalmente independentes. Sendo-o, não podemos misturá-los.

    O processo judicial em curso tem uma dinâmica própria, com prazos para cumprir, cujo prolongamento tem de ser justificado nos autos. Não acredito, por isso, que interfira INTENCIONALMENTE com a dinâmica política em curso e como não se pode provar essa intencionalidade, então a mesma nem deve ser levantada.
    Não acredito que não haja responsabilidade material. Tem de haver, por isso, há prisão preventiva – a probabilidade de condenação é real e, no caso em que está em causa um ex – governante, o cuidado do MP é ainda maior.

    Fala-se em violações de lei. Quais? Por quem foram cometidas? A violação do segredo de justiça é praticada por quem? Em tempos disse aqui e repito-o, DÁ JEITO aos arguidos ( regra geral, são sempre estes) a VIOLAÇÃO DO SEGREDO, pois é essa que lhes permite vir à praça pública FALAR, ALARDEAR, VITIMIZAREM-SE. Só ERRAM, garantidamente só ERRAM.

    Não há coincidências, pode haver um padrão – a este não é alheia a atitude dos arguidos.
    Os magistrados estão escorados em prazos, são acusados de morosidades e, claro, SEMPRE são acusados de intencionalmente se guardarem para a fase eleitoral. ISTO É SEMPRE ASSIM, já foi e continuará.

    Ao político interessa politizar o caso e escorar-se na perseguição política. É argumento tão presente quanto o «the end» num filme. Acho bem que os magistrados se alheiem do período eleitoral – que não se influenciem e decidam em sã consciência. O que eu vejo, e noto NÃO CONHEÇO O PROCESSO – é que pelos «bitaites» de certos causídicos – uma delas até manda faladura no Boletim da OA -, os passos que foram tomados em defesa dos arguidos, foram prejudiciais. Muito.
    Depois, claro, quem procura um certo tipo de advogado, deve saber por que o faz. Porém, o tempo da serpente no bastidor já passou. Será que o Paulo Lalanda sabe disso? Foi contratar um tal de Sá Fernandes? A sério? Ó Paulo, então? Já não há feiras de vaidades em Portugal…

    Descansem, porém, os atentos – vai haver recursos para o tribunal constitucional, e este é que DECIDE. Então, não sabem que os tribunais judiciais andam ao som da trombeta constitucional? E há advogados que gostam muito de interpretar sentidos de lei….e o TC ajuda. Pois é. Não são os tribunais judiciais, é o outro….

  18. “como não se pode provar essa intencionalidade, então a mesma nem deve ser levantada.” Só defendes o contrário para o Socras não é?

  19. Caro Fifi,

    O que é a culpa formada? As responsabilidades são comparáveis? Os juízes são independentes, não é?
    Caso político? Não. Quem não deve não teme!! E no caso, a coisa está muito, muito mal parada. Mas não descarto a ideia de o individuo ser responsabilizado politicamente…e sendo preso por isso, então, poderemos falar em prisão política ( merecida).

  20. “Não há coincidências, pode haver um padrão” enfim, como diria o teu grande amigo juiz corrupto apanhado nas escutas a traficar influências , quem cabritos vende e cabras não tem de algum lado lhe vem .

  21. numbejonada, não tens forma de garantir a integridade deontológica numa investigação policial ou judicial sem que reconstruas o processo e o faças alvo de uma nova investigação. Não acontecendo isso, confias, ou desconfias, dos responsáveis. Neste caso da prisão de Sócrates, o próprio móbil em causa é intrinsecamente político: eventual corrupção de um primeiro-ministro. Logo, tudo o que envolver este processo tem conotações e implicações políticas. Vires falar do “cumprimento de prazos” para explicar coincidências com enorme impacto político apenas revela que não tens vergonha de passar por palhaço.

    Quanto à tese de que as violações ao segredo de justiça favorecem as vítimas das mesmas, deixo sem comentário por me ter voltado a recordar do conselho de Aristóteles.

  22. É uma bela teoria essa em que foi o Socrates que avisou as TVs que ia ser detido à chegada do aeroporto e que semanalmente entregou uma colecção de mentiras e ficções ao Correio da Manhã. Uma bela teoria para estupidos claro.

  23. Também penso que a agenda da Operação Marquês “está a bater” com a agenda do PS-António Costa. O que já não me espanta é o facto de António Costa fingir que não vê. Ou, se vê, cala-se, por achar que é o melhor para o PS. Esquece que o seu silêncio pode estar a ser cúmplice do abandalhamento das Instituições da República. Sócrates fez o mesmo, aquando da intentona de Belém, Vê-se com que resultados. Por mim, já não espero nada. Desisti de acreditar na capacidade de Costa para dar um murro na mesa. Talvez lá mais para diante, quando se vir ignorado pelos media, que hão-de exibir todas as frases gaguejadas ou sem nexo ou apressadas, tenha algum sobressalto. Será tarde e vai ser acusado de ter entrado em desespero. Entretanto, todos os processos que envolvem membros do governo ou os senhores magistrados da O.Marquês vão sendo arquivados. E o Miguel Macedo, apanhado com a boca nos vistos gold, farta-se de suplicar para, ao menos, ser ouvido, já que nem é detido nem arguido.

  24. Pois Valupi, é tudo um azar dos cabrais… Os agentes da ‘justiça’ coitados a esfalfarem-se suados, só conseguem fazer buscas ao fim do dia e de ano a ano e tu ainda refilas. Vê lá que os super magistrados até vão lá ajudar, escarafunchar nas gavetas, nos forros das cadeiras, nos portáteis, etc. Aquilo é gente versátil e amiga de ajudar. Depois regressam ao ninho, e andam a ouvir as pessoas às pinguinhas, tudo isto por falta de pessoal ou instalações, não sei bem. Trabalham pela noite dentro, com a intenção de poupar tempo e tu a criticares. Homessa!
    E vens falar de fugas?! Que fugas?! Alguém fugiu? Os jornalistas é que são uns malandros. Botaram escutas e câmaras de vigilância secretas disfarçadas de janelas de vidro, paredes pintadas, escrivaninhas de metal e apanham os segredos todos. Tenho até um amigo no MP que me afiançou que eles agora usam um radar que até descobre o que estão a pensar os juízes e os procuradores. É o progresso! A justiça que se ponha a pau, pois estes malandros qualquer dia ainda descobrem que a culpa da crise afinal foi do Afonso, aquele que batia na mãe, tu sabes quem é…

  25. É óbvio que a “agenda” está a ser cumprida à risca, como Valupi já há muito topou à légua e se escancara bem à vista de toda a gente.

  26. o jumento que me perdoe a ousadia mas não resisto em partilhar:

    “Investigação Simplex

    «O administrador do Grupo Lena Joaquim Barroca foi detido quarta-feira à noite, depois de buscas realizadas à sede do grupo, em Quinta da Sardinha, no concelho de Leiria, disse à Lusa fonte ligada ao processo. Terão sido feitas igualmente buscas à sua casa.

    Segundo a mesma fonte, Joaquim Barroca foi detido no âmbito da ‘Operação Marquês’, que envolve o ex-primeiro-ministro José Sócrates e vai ser hoje presente ao juiz Carlos Alexandre.

    Nas buscas terão participado o procurador Rosário Teixeira e o juiz Carlos Alexandre.

    Num computador apreendido a Barroca constarão vários dados bancários sobre como circulava o dinheiro entre o Grupo Lena, Carlos Santos Silva e José Sócrates. Estes dados de transferências bancárias, não só em Portugal como no estrangeiro, serão considerados fundamentais para a investigação. Segundo fontes próximas do processo, tratam-se de provas que permitem cruzar os montantes transferidos para Santos Silva, ex-administrador do grupo, com os valores que depois o empresário amigo de José Sócrates emprestava ao ex-primeiro-ministro.» [Observador]

    Parecer:

    Nunca a nossa “justiça” foi tão lesta a produzir prova, ontem à noite fez as buscas e já teve tempo não só para saber tudo que estaria no computador como também para fazer “deixar” a informação chegar aos jornais. Nos intervalos ainda terão conseguido ouvir o arguido. Não estamos apenas perante uma investigação Simplex, também podemos concluir que o Simplex defendido pelo refundador Portas também já chegou à violação do segredo de justiça, um dia destes ainda ninguém foi preso e os jornais já divulgaram o despacho de algum super juiz.”

  27. basico,aquela sondagem que foste descobrir julgo que no pasquim observador,deve ter sido tirada do olho do cu com gancho.essa pseudo sondagem, tem tanto rigor para com socrates,como para cavaco silva,há anos com sondagens de valores abaixo de cão.quando não somos rigorosos perdemos credibilidade. começo a pensar que a justiça em portugal só não vai a votos,mas entra na campanha.qualquer dia temos os tribunais plenarios mas em autogestão!

  28. como podemos compreender que o salgado e outros estejam em liberdade,depois de prejudicarem milhares de portugueses?e a gente do bpn que prejudicaram outros milhares de portugueses e estão todos a passar ferias com o nosso dinheiro. como podemos sentirmo-nos bem, quando temos o preso 44 na cadeia de evora, para a justiça “investigar” e já lá vão 5 meses sem acusaçao . a justiça faz tudo com cobertura legal,mas a moral está ausente, tendo em conta a diferença de tratamento.a reduçao de ferias e cortes de vencimentos não foi esquecido.socrates devia devia ter ido ainda mais longe para acabar com a atribuiçao do valor da renda da casa quando a realidade se alterou.

  29. O fifi, genio da lampada, estas a falar da sondagem do expresso?

    queres compreender como e que o salgado esta em liberdade? pagou uma caucao milionaria. Pede ao Ignorantz para te ajudar, ele e top nos searches do google.

  30. sim, jpferra, estou de acordo, se enfiar a cabeça na areia significar querer deixar me convencer por pessoas e não por factos. e gostei disso de ser uma espécie absolutamente singular. :-)

  31. “queres compreender como e que o salgado esta em liberdade? pagou uma caucao milionaria.”

    deu um estoiro superior a 10 mil milhões e sai com uns calções prada de 3 milhões. só no caso zé guilherme meteu ao bolso 14 milhões, fora o que não se sabe por não haver fortes indícios.

  32. Olinda não é nada disso, eu também só me convenço por factos, mas até agora factos ZERO, só suposições e coincidências “estranhas”

  33. Galera, não dispersar. Em termos mediáticos, judiciais e sociais, o processo Sócrates é idêntico ao processo BES. Fazer render o peixe do ardina, insinuação atrás de insinuação, má fé, romances à là Cerejo e à là Cabrita, expiação pública de vícios próprios, descrição de crimes com factos objectivos, data, hora e autores-zero. Quem dera a Portugal ter nos próximos dez anos alguém que tivesse contribuído tanto, por exemplo, em impostos ou em solidariedade a quem arrisca, como Ricardo Salgado, ou visão de desenvolvimento estrutural do país como José Sócrates, ou homens que largaram o conforto do sofá ao pé da lareira para criar empregos e riqueza na sua comunidade como José Guilherme ou Joaquim Barroca, em vez de uma multidão de empregados de mesa de toalha no braço, obediente e zonza de aliviar o seu fel.

  34. basico,estou a falar do texto que nos deste para lermos onde é dito que cavaco é muito querido pelos portugueses.ele agora só sai para o estrangeiro,porque não conhecem bem o pulha que os visita!

  35. a justiça não é como as putas mas parece.se há dinheiro há liberdade.o preso 44 nem com milhoes o deixavam sair,pois sabem que a preventiva vai ser a pena que lhe vão aplicar por falta de provas!

  36. Caro Valupi,

    Não, de facto não tenho forma de garantir a integridade deontológica numa investigação policial ou judicial. Tenho, contudo, de confiar. Por causa de algo que se chama estabilidade. Noto que esta expressão – estabilidade – que parece tão comum, é também muito jurídica e tem várias implicações, p.e. nas relações jurídicas, no que os institutos jurídicos visam, nas decisões.
    O Valupi também não tem forma de PROVAR a qualidade política do processo, no sentido que pretende traduzir com a sua escrita. Se tiver, e considerando o sentido sobre que lhe atrai escrever, faça o favor de o denunciar, articulando de forma instruída, provando, um pedido ( libertação do recluso). Não o fazendo, mas quedando-se por análises que se contradizem nos seus termos, temos que quem corre o risco de fazer a figura que me imputa é o Valupi. Logo, o que vai fazer?

    «Neste caso da prisão de Sócrates, o próprio móbil em causa é intrinsecamente político: eventual corrupção de um primeiro-ministro?»
    A sério? Já conhece o despacho de acusação? Então, qual o porquê do «intrinsecamente político»?
    O Valupi conclui sobre o que não conhece? Sendo assim, cai na ASNEIRA de uma tal Paula Lourenço, que escreveu um artigo LASTIMOSO com enfoque no SUPONHAMOS.

    É verdade que por natureza – a do Homem – todo o móbil é político. Também eu o remeto para Aristóteles, que ele explica-lhe, o porquê da natureza política do Homem. Mas antes deles já outros o defendiam – chamados pré – socráticos ( os da Antiguidade), onde beberam todos os que se lhe seguiram.
    Tal, porém, não é ARGUMENTO no PROCESSO.

    Estranho que o Valupi NÃO ENTENDA e se preste a escrever isto:

    «Vires falar do “cumprimento de prazos” para explicar coincidências com enorme impacto político apenas revela que não tens vergonha de passar por palhaço».
    Concedo que a sua posição naquele concreto parágrafo é um erro, lapso (grosseiro). Revela TOTAL desconhecimento do discurso jurídico e, por isso, incapacidade de estabelecer a ligação que pretendi, muito ligeiramente, demonstrar-lhe. Como, porém, escreve na blogosfera e eventualmente será lido por outros de outra escrita jornalística, sugiro-lhe: não se ponha a jeito. E digo-lho, sem qualquer sobranceria.

    Para já, permita-me dizer-lhe só isto: os MAGISTRADOS QUEREM LÁ SABER do período eleitoral. Se o trabalho que estão a desenvolver pede prazos de investigação, legalmente consignados, há que os cumprir, pouco importando se coincidem ou não com períodos de eleição. A história das implicações políticas PORQUE O ARGUIDO é político ( quase sempre e o carreirista que está a ser investigado) é a ONE UGLY and OLD STORY. Pesquise. Advogado que se preze não deve utilizar essa estratégia. É COMIDO em dois segundos – pela CONTRAPARTE ( seja MP e assistentes).
    E, já agora, o António Costa SABE isso, e FAZ MUITO BEM em nada dizer PUBLICAMENTE. Porém, como pode ele reagir a uma CAMBADA DE ABRUNHOS que vêm perseguição política em tudo? Claro que isso tem custos, pois tem – os inerentes à alegada DEMOCRACIA MARRECA, BURRA e também IGNORANTE. Claro, ditadora, também. Isso faz de mim FASCISTA? Go ahead.

    Quanto à remissão que faz para Aristóteles, acerca do segredo de justiça, é evidente que o Valupi NÃO SABE NADA sobre processos em que os arguidos são POLÍTICOS (carreiristas). Por isso, eu concordo com o conselho de Aristóteles, que lhe vem à sua mente, qual seja, há que exercer moderadamente a inteligência, pois nem todos conseguem seguir-nos logo. Não é?

    Cumprimentos,

  37. Ó FRANGo CONATRA, pá, oube, o tiro lebas tu e nem dás por ele…tal qual as alminhas que desencarnam e pensam que estão vivas. Isto responde-te, hum?
    Queres explicações de Direito, pá? Estuda primeiro as bases e depois, como gosto de instruír, os abrunhos, talbez pense em ajudar-te. Mas pagas e bem. oqueie. Adiante.

  38. BÁSICO, conta aí, depois da PORRADA que se dá a estes ABRUNHOS, os gajos voltam ao mesmo de sempre, qual seja « I DO LOVE SÍSIFO».
    Queres ver que os IGNORANTEZES ainda vão pensar que aquela frase foi tirada de um qualquer tapete de porta? kinda « I love dogs», «Be aware of the dog», «watch out for cars» ….Que sugeres que se faça a estes ABROLHOS?

  39. Diz o gajo (JP Ferra) que vai a conduzir na mao contraria da autoestrada.

    Olha o vosso Heroi, tambem conhecido pelo GALAMBA da Grecia, mereceu hoje os seguintes comentarios na cimeira:

    “Varoufakis said to take hammering from frustrated Euro ministers”.

    A tactica de Gritar, dizer que se pontapeia os credores nas canelas, que ha crises sociais e que os numeros nao contam, que era o fim da austeridade, tende a nao pegar em forums onde se senta gente racional e que tem de passar cheques com o dinheiro dos seus contribuintes.

  40. FIFI, a certa altura devias reler as perolas que escreves, e que nem com uma professora do primeiro ano da primaria te safavas.

    fifi
    24 DE ABRIL DE 2015 ÀS 15:06
    a justiça não é como as putas mas parece. se há dinheiro há liberdade. => OK, Dinheiro igual Liberdade
    o preso 44 nem com milhoes o deixavam sair => KO, Dinheiro nao e igual a Liberdade

  41. E os tres CVs do 44, antigo primeiro ministro de portugal. O gajo que ate as fichas de deputado na AR aldrabava. O gajo que esta agora dentro exactamente por fortes suspeicoes de negociatas, vulgo, corrupocao. CAMPEAO cxralho!!
    Que a justica funcione tambem para este cromo do PSD, ela deve ser CEGA e CELERE para com todos os portugueses.

  42. Quanto à tua profunda desonestidade intelectual ficámos, uma vez mais, bastante esclarecidos. Quando ficas sem argumentos embrulhas-te todo e resvalas para a ordinarice.

  43. Galuxo, faltou-te aí um bocadinho ao post, abaixo correção.

    “Quem está completamente lixado é o país que permite um atrocidade destas aos seus melhores ladrões.”

  44. Básico,
    Ladrão é quem retira património indevidamente. Ricardo Salgado, José Guilherme, Joaquim Barroca e José Sócrates, por exemplo, contribuiram com muitos milhares de euros em impostos, criaram muitos milhares de postos de trabalho, deixaram obra visível e encorajaram muito investimento no nosso país. Quem os persegue e injuria, além de pouco ou nada ter contribuído, desbaratou muito do património que eles construiram ou haviam preservado. É uma desgraça para quem se sente português.
    http://observador.pt/especiais/os-novos-donos-de-portugal/

  45. Já não vinha aqui há muito tempo…desiludida que estava de ver as caixas de comentários invadidas e abusadas por cromos como o básico e o numbejonada…gabo a paciência aos outros comentadores e também ao Valupi que ainda se dá ao trabalho de lhes responder…quanto ao observador, correio da manha, sol e outros vendidos, espero sinceramente que um dia, quando se fizer a historia deste período, sejam condenados por terem alimentado a mafiosice que reina neste país…porque a questão é mesmo essa…a comunicação social ao serviço de poderosos interesses instalados – os mesmos de sempre – a debitar demagogia diariamente para enganar ignorantes !! e o povo gosta !! afinal, a ignorância sempre foi a maior arma das ditaduras…

  46. Ai IZABEL, até te ponho um «Z» no nome, bê só, como elucidaste o maralhal, pera aí, deicha-me escrebere cumo mereces….ilucidastes o maralhale. Cunta, mudastes de medicamento, hum? Saves, a gente quando não nos importamos com os ótros nada dizemos sobre eles. Mas bè só, que tue, biestes aquie, e logo habias de cumentare o que eue e o Básico escrebemos. Hum, conta, ficastes picada num é? chiaro, num cunsegues articulare duas num é? num te procupes, os postes falem de per se…hum. noblesse oblige. bai-te, há grelos pra labare e cozinhares tá beie? bá.

  47. Cara Isabel, não desistas, pois é o que desejam, quer o ‘basico’ ( e não básico, pois até esses, mais rasteirinhos, são tradicionalmente pessoas educadas e humildes, pois sabem que, infelizmente, o raciocínio não é a sua fortuna), quer o ‘numbejonada’ que é apenas um pobre trauliteiro que tenta imitar o sotaque nortenho, mas sem o dominar, pois não faz a menor ideia de como se fala ( e por vezes se escreve) a norte do Douro. Neste tempo de provérbios, relembra o velhinho: “os cães ladram, mas a caravana passa”. Quanto aos jornais, temos o que merecemos. Enquanto o Zé pagante continuar a comprar a pasquinada eles continuarão o seu trabalho de sapa. A cultura da ignorância sempre foi a arma das minorias mais retrógradas. A propaganda fácil, a mentira repetida, a distorção dos factos ou as políticas destinadas à criação de élites, que este (des)governo tão bem aplica arrastou-nos para o pântano receado pelo Guterres, lembras-te?
    Esta seita que nos (des)governa é religiosa, adoram o el-rei dinheiro e tudo fazem e farão para que este lhes continue a cair nos bolsos vindo dos santarrões que eles veneram e protejem, por isso, só uma boa cruzada à moda antiga fará com que sejam apeados dos cadeirões e salões bafientos do poder. Já demorou mais… Haja esperança.

  48. Tatas, hum, taméie me lês, é? Cunta aí, tás com comichãoe e num saves cumo pará-la, num é? oqueie.

    VIVA SALAZAR, se o tipo tibesse cá,a s Tatas andabam amordaçadas….hum. Comprimentos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.