Mudar, romper e…

Passos Coelho quer mudar. Paulo Rangel quer romper. E Aguiar-Branco quer o quê? Como poderá subir a parada e mostrar que os outros dois são uns meninos e não têm aquilo que é preciso para pôr isto na ordem?

Deixo algumas sugestões para slogans de campanha:

Partir
Moer
Picar
Cuspir
Espremer
Triturar
Diluir
Maldizer
Estraçalhar
Cortar aos bocadinhos
Grelhar numa chapa pré-aquecida
Passar o corredor a pano

37 thoughts on “Mudar, romper e…”

  1. olha , quem sabe se para fazer diferença ele quer limpar o terreno e queimar ervas daninhas que não deixam crescer flores e frutos ?

    há que ser optimistas , não é?

    ( brincadeira , que deve ser igualzinho a todos os jotas , uma nulidade )

  2. O socas não andou pela jota do psd?
    Se acrescentares botabaixismo (o quer que isso seja), direi que foi o “grande chefe” que te soprou essas ideias.

  3. é mesmo verdade que o rangido obsceno se candidatou. Ainda bem, faço votos que contribua para o escavacanço do psd, esse esgoto nacional sem etar.

  4. Chegar:
    Há bastante tempo que andava com uma fezada que um dia íamos ser bafejados com a sorte. Com isto não me estou a referir à saída da crise, porque dizem os entendidos que ela está para durar. Também não me refiro que o seleccionador Nacional, Carlos Queirós, fez as pazes com Jorge Baptista, porque isso não era acontecimento nacional. Era só e apenas de futebol.
    Também não quero dizer que o Sporting merecia ganhar ao Benfica, que uma equipa quando leva quatro, não teve arcaboiço para o vencer.
    Quero fazer um protesto sobre a falta de liberdade de imprensa porque hoje quando fui comprar o jornal Recorde, pedi um que me mostrasse a vitória do Sporting sobre o Benfica, tendo recebido como resposta que não havia. Perguntei se tinha a ver com a liberdade de informação mas o vendedor não me soube responder.
    Disse logo uns impropérios à pessoa de Sócrates pelo facto de não deixar sair o jornal com essa notícia. Demonstrando que está a asfixiar a comunicação social, por ser Benfiquista, não tem direito de fazer censura.
    Acalmem-se os Sportinguistas, porque a razão da minha escrita, se deve ao facto da chegada de D. Sebastião. Mais me espantei porque ele não veio de Alcácer-Quibir mas, sim de Bruxelas.
    Julgava que vinha magro, como nunca o conheci, não sabia qual a sua fisionomia, mas reparei que está um pouco barrigudo e tem cara de bonomia. Só me apercebi que era ele quando foi enrolado com a bandeira do PSD. É nisto que eu por vezes reconheço o sentido de oportunidade e depois o PS, não venha dizer que foram ultrapassados.
    Era a aparição de D. Sebastião, era um momento único, a pátria devia estar ali representada por todas as forças políticas, religiosas, organizações não governamentais (ONGs), forças de segurança, bombeiros profissionais e voluntários, e como se ousa dizer, estas distracções pagam-se caras. O PSD nisto dá cartas e vai usar todos os meios para receber os louros, dizendo que além da falta de liberdade de expressão, o governo demonstra que é também contra a liberdade de reunião.
    Por mim fiquei feliz, acho que era tempo do D. Sebastião regressar à pátria e não se admirem de ser recebido com todas as honras.

  5. Manuel, por favor não chames sebastião àquele suíno encartado, o jovem rei era leal e justo, embora temerário e mesmo estouvado. O povo amava-o.

  6. Bom, pelo menos têm algo em comum: ambos estão mortos. Pois o rangido disse que só interrompia o seu mandato de deputado europeu se morresse. Digno sucessor da múmia manuela.

  7. “Estraçalhar” é aquele que causa mais impacto…
    O slogan: “Aguiar Branco, política estraçalhante”…potente!
    Mas “passar o corredor a pano”, também se torna incontornável para Aguiar Branco…

  8. The true PSD Band Show.
    Peter White, na bataria.
    Paul Ranger, baixo.
    Passos Rabbit, a voz. E sapateado.

    Concertos ao vivo assegurados para Março em datas a confirmar oportunamente.

    Metálica light nos corredores para as bifanas e bejecas.
    Pimba diet no salão nobre para os croquetes e flutes.

    No suicide parties. Enjoy!

  9. Aguiar Branco tem por slogan: “Só quero ver Lisboa a arder…” (em sentido figurado, como é de bom tom um tripeiro dizer…).
    É que quer este, Aguiar Branco, quer o “cana rachada – ou rangido, como aqui (bem) o apelidaram, são do Porto e o outro é de Vila Real e parece que ainda há outro de Coimbra. Ora, como os “barões” estão todos pela capital, não tardará a que tudo “arda”.
    Já estive a ler hoje umas ricas pérolas do que esse sujeito (o rangido) disse e que estão contidas em “http://www.corporacoes.blogspot.com/”, que aconselho a ler a quem puder.
    Não há dúvidas que se “apanha mais depressa um mentiroso, do que um coxo…”.Ou, como dizia no “futebolês” o Dr. Pimenta Machado: “…o que é verdade hoje, amanhã é mentira…”.
    É neste “caldo” que ele chafurda e aflora-se como o “salvador”.
    Mas isto sou eu a dizer, porque não me interessa nada que vá para lá o Pedro, o Paulo ou o Zequinha da Esquina. Aquilo é um ninho de víboras…

  10. Visto que “rasgar” foi utilizado pela “outra senhora”, a minha aposta seria “nausear” (ao fim e ao cabo não têm feito outra coisa).
    Mas como não está na lista, seja então “estralhaçar”!

    Keep up!

  11. Ora bolas, K. Deixa lá o Zé Pedro White ficar com os pratos, bombos, reco-reco e pandeiretas.

    O Cock Salmão fica com os efeitos especiais em que ele também é muito bom.
    E a Ferreira Milk fica na bilheteira. Because ela adora trocos.

  12. Não tás a ver tra.quinas, é que a banda sem uma secção ritmica forte (Grupo Impresa) não funciona e tende mesmo a desaparecer. Põe o Peter White nos teclados.

  13. K, alguém tem que assegurar os aspectos mediáticos dos eventos. Nisso o Cock Salmão está em casa.

    Mas tens razão. Se não se chegar mais ninguém à frente, vão ter que arranjar convidados para as cordas, para os sopros…

    Está bem que estamos a falar de um trio maravilha mas o Zé Peter White nas teclas nunca! Ele é mais meia bola e força. Nem estou a ver lá ninguém com sensibilidade para isso. A não ser que a comadre marcela decida fazer uma perninha.

    Para fazer coro é que não falta lá gente.

  14. Bem visto, Edie. Há que tempos que eles andam com essa nos headphones.

    Mas vão ser mais discretos e eles não querem aprisionar o futuro.
    Apostava mais num repertório deste tipo.

  15. Mas eu também gosto muito do Bugs Bunny, edie.

    Estes artistas têm talento suficiente até para se fazerem passar por príncipes encantados ou salvadores da pátria que emergem do nevoeiro. Para mim continuam a valer o mesmo.

    Mas já percebi que não gostaste do Barbeiro de Sevilha. Que pena. ; )

  16. tra.quinas

    adorei! sou fan do bugs…por isso é que me fez comichões aquela coisa de associar a fantasia da sevilhana dele ao outro :)

  17. edie, eu também acho os pinguins super simpáticos e no entanto a associação com o baixista não me repulsa. A associação faz ainda mais sentido devido à extensão do bico: o pinóquio pode sair à casa.

  18. portanto temos bd: o rangido vai ecoar fininho até fazer crack e quer dizer que o cavaco estirou?

    vou escrever outro paper, não gosto muito de opereta,

    entretanto a Grécia inscreveu as dívidas todas aos hospitais em 2009 em vez de fasear, espertos, agora baixa o deficit nas calmas. Espero que o PS por cá se tenha lembrado dumas coisas dessas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.