9 thoughts on “Mas o Vara vai dentro, isso é que importa”

  1. o que importa é que não podemos contar com o Estado para nos defender. os ministros da justiça e saúde da altura deviam ser responsabilizados de alguma maneira.

  2. Sinceramente não sei o que é que os médicos podiam acrescentar ?
    O que se faz é encorajar a vítima a apresentar queixa ao polícia que está no posto do Serviço de Urgência.
    A vítima já o tinha feito anteriormente, o caso já estava notificado.
    Não queiram agora chutar responsabilidades para cima de quem as não tem.
    Quem falhou está perfeitamente identificado: O MP e a Polícia.

    Começo a achar que todas as mulheres vítimas desta merda devem ter licença de porte de arma e lições para aprender a disparar (e já agora os homens vítimas da mesma merda também).
    Depois é disparar-lhes dois balázios para os tomates.
    Talvez assim o MP perceba que o crime PRIORITÁRIO em Portugal é este, a VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, e não a corrupção.

    Foda-se !
    (mas claro a puta da caixa de robalos é que foi um atentado ao Estado de Direito)

  3. O que é que um caso tem haver com o outro? Pobre do Vara, tão fofo e tão inocente. Espero que o Sócrates lhe faça companhia rapidamente para não se sentir tão sozinho nesta enorme injustiça.

  4. Não vale a pena. Agora se a mulher não fosse ela, se fosse a mulher, a sogra, a avó,a filha, a sobrinha etc de um nome conhecido ou de outro escalão, digam se a história não seria outra.

  5. Vítor Pereira e Luís Lavoura, não irei dormir mal esta noite por causa da vossa incapacidade para estabelecer um nexo entre Vara e a mulher assassinada. Viva a diferença. Porém, os dois casos surgem-me ligados quando se olha para a politização da Justiça. Joana Marques Vidal acabou o mandato como arma de arremesso político contra o Governo e contra o PS, não se coibindo de reclamar os louros de suposta e alegadamente ter feito o que nunca antes tinha sido feito no Ministério Público: investigar os poderosos, acusá-los e, assim, acabar com a impunidade, eis a cassete. Foi este o discurso repetido à exaustão por quem usa a Justiça para perseguir e atacar adversários políticos.

    Entretanto, o fim da impunidade não chegou aos crimes de violência doméstica, e outros, que a notícia ilustra espantosa e tragicamente.

  6. Foda-se mesmo !
    Até o Duarte Lima vai cumprir uma pena inferior à do Vara.
    Burla qualificada com 50 milhões envolvidos = 4 anos e 9 meses
    Tráfico de influências, leia-se meter uma cunha, ou pedir não se sabe bem o quê a um ministro (que não foi acusado nem julgado) para favorecer um sucateiro, a troco de uma caixa de robalos = pena máxima, 5 anos !

    Puta que vos pariu, ó Vitó e ó Lavoura.
    As vossas gajas também pariram filhas do Vara, foi ?

  7. Corolário deste post: enquanto houver em Portugal uma vítima de violência doméstica não podemos desperdiçar meios a combater a corrupção.

  8. Tal e Qual.
    Concluiu bem.
    O bem maior é a vida.
    O crime maior é aquele que atenta contra a vida.
    Inverter as prioridades e colocar, por exemplo, o crime de fraude fiscal como o único que não prescreve é de uma sociedade de valores invertidos … ou pervertidos !

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.