9 thoughts on “Marielle Franco, assassinada por ser livre”

  1. Não entendo o silencio indiferente da opinião pública portuguesa ao crescente avacalhamento da democracia brasileira.

  2. Podem chamar-lhe silêncio, eu chamo-lhe cumplicidade, ainda que por vezes disfarçada de “isenção”, montada na pileca leprosa de uma “anticorrupção” de aviário, ou de plástico, ou um híbrido das duas.

  3. Ontem, os juízes federais do Brasil fizeram greve. O motivo invocado foi defender a manutenção de um subsídio de residencia que vale cerca de 4 salários mínimos, mesmo quando têm moradia própria na cidade em que trabalham, e um aumento de 40% no seu salário. O tecto salarial dos juízes é de cerca de 33 salários mínimos mas a maior parte recebe muito acima disso. No placard de uma sala em que estavam reunidos em piquete de greve podia ler-se: “trabalho escravo nunca mais”.

  4. Ah, conclusão: como escreves merdas que só tu entendes, porque sabe-se que sofres de um estado de alucinação permanente, nem levantas os cornos.

    Eric
    16 DE MARÇO DE 2018 ÀS 14:45
    Lucas Galuxo, de que falas?

  5. Numa cidade governada pela IURD e pela polícia militar de má memória, queriam o quê?
    A liberdade e graça da menina linda que vem e que passa acabou!

  6. A direita fascista, a que derrubou Dilma e vai enjaular Lula, avisou o Povo e a esquerda: – Ou estão quietos com o rabo ou acontece-vos o mesmo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.