Manual de Cidadania

Só para dizer uma coisa sobre o Saldanha Sanches. Era um homem muito difícil. Como algumas pessoas da sua geração, que é a minha, embora ele fosse mais velho do que eu, são muito difíceis de meter em caixinhas. Era muito engraçado a dificuldade de pôr títulos. O fiscalista Saldanha Sanches. Não lhe passava pela cabeça ser classificado, na hora da morte, como fiscalista. O revolucionário desiludido Saldanha Sanches. E esse aspecto, esta dificuldade de meter aquele homem numa caixinha qualquer, que corresponde às caixinhas com que nós somos todos metidos, todos os dias, pela comunicação social, mostra, de facto, que aquela biografia, como algumas biografias daquela geração, são, de facto, muito difíceis de meter em caixinhas.

Deputado-espião

*

Lobo Xavier tinha decidido fazer uma referência a Saldanha Sanches, dizendo algumas palavras de homenagem. Seguiu-se o Pacheco, que relembrou ser seu amigo há muitos anos, mas escusando-se a dizer mais naquela ocasião. E António Costa teceu-lhe rasgados elogios, realçando a exigência e a coerência com que foi seu mandatário da candidatura à Câmara de Lisboa. Estava a desenvolver o fascinante tópico da sua independência com exemplos concretos, pessoais, quando foi interrompido a mata-cavalos para despejo do auto-panegírico supra. A morte de Saldanha Sanches, de repente, era só mais uma ocasião para o Pacheco falar de si e do seu complexo de superioridade. A mensagem fica como um pleonasmo tautológico: também eu não me deixo enfiar em caixinhas, também eu venci a comunicação social, também eu sou da tal geração, eu posso, eu quero, eu sou, eu.

Malhar no Pacheco devia ser obrigação cívica explanada num capítulo inteiro do manual de cidadania contemporânea ainda por escrever. Não por lhe querermos mal – físico ou psicológico, e bem pelo contrário – mas por ele nos fazer mal. Esta super-estrela da política-espectáculo, que ganha fortunas a mentir à descarada, e sem nunca se retractar, ainda conseguiu envenenar um partido ao ponto de ser mentor de uma estratégia política asinina e degradante. Como se fosse pouco, é ao Pacheco que deverá ser creditada, seja em que percentagem for, a exclusão do futuro líder social-democrata das listas de deputados. Finalmente, deixam-no andar pelo Parlamento a emporcalhar a instituição, criando uma situação de infâmia generalizada que atinge indivíduos, empresas, PS e Governo. Será este o seu principal legado à cultura e sociedade portuguesas? É que tudo o resto ficou ofuscado pelo que fez, e não fez, desde que Ferreira Leite tomou conta do asilo da Lapa.

E nem as Escrituras escapam. Ir buscar uma passagem bíblica para fazer ameaças oblíquas cujo contexto, subtexto e pretexto são as escutas a que teve acesso na Comissão de Inquérito, é soberba só possível àqueles que já se elevaram misticamente ao deboche sagrado. Daí as crises de acédia, pois tudo o que sobe acaba por descer.

De facto, somos obrigados a concordar: os biógrafos do Pacheco nem sequer perderão um minuto a tentar enfiá-lo em caixinhas, vai logo directo para um saco de plástico preto.

__

A Ana, em boa hora, republicou a carta de Maria José Morgado para Saldanha Sanches. É uma despedida que será causa de muitos encontros pelos anos afora.

19 thoughts on “Manual de Cidadania”

  1. O toque de Midas: tudo o que toca se transforma em ouro.
    O toque de Pacheco: tudo o que toca se transforma em espelho.

    É por isso que vê facínoras em toda a parte.

  2. Mas foi este facínora o único deputado com acesso às escutas que ilegalmente foram disponibilizadas pelos juízes de Aveiro (não deviam estar destruídas????), o único sem um pingo de vergonha na cara para o fazer…

  3. edie, sem deixar de te dar razão, as escutas que envolviam Sócrates directamente foram destruídas. As escutas com que o Inquisidor-mor da Marmeleira se lambuza são as que envolvem os outros arguidos no Face oculta. É por aí, pelo que os outros dizem, que Pacheco chega à conclusão que o primeiro-ministro orquestrou um plano.

  4. Perdoe-lhe mas é a força e lhe corroa o inferno os ossos todos. Por que causa lhe chamamos de comum prostituta? Miserável? Pulha de baixeza notória? Tinhoso? Porque nem o céu pode impedir que tarde ou cedo o anjo negro nos descubra o homem e um chicote ponha na mão de todas as pessoas honestas, porque o biltre seja açoitado, nu, por todo o mundo, de leste a oeste?

  5. Iago, como diria o meu amigo Caroll – ;), estás irreconhecível.

    Esperemos, então, esse momento glorioso…Também se pode dar o caso de os budistas e hinduistas da reencarnação estarem certos, e que o biltre volte sob a forma de escaravelho comedor de fezes…o que faria, mesmo assim, uma transição suave em relação à sua actual condição.

  6. Alcatrão e penas!
    Agora a sério:
    Este ogre da marmeleira transformou o saco de gatos do PSD, no saco do lixo da política e se o deixarem, anda lá põe também a democracia e os direitos individuais!
    Tem os tiques da senelidade e da impotência política e, solto da manada, é um perigo!

  7. Todos descascam no Pacheco Pereira. Quando falecer não vão faltar comentários a elogiar a sua passagem pela terra. Por mim que dure uns anos senão não temos em quem ironizar. Mas, vale uma aposta em como não vão faltar as carpideiras. Acontece com quase todos. Quando vou a um funeral e este tem muitos participantes só me faz lembrar uma coisa: que a maioria vai para ver se ele fica bem enterrado para não voltar a este mundo. É o que devem fazer com Pacheco Pereira.

  8. É o único que tem tomates para tentar desmascarar esta escumalha que anda por aí. Mas a escumalha é muita e com falta de argumentos ataca-se o tipo. É que o tipo não ataca só a escumalha rosa, ataca também a escumalha laranja. Não me lembro de ouvir a escumalha rosa ficar assim indignada quando o tipo ataca a escumalha laranja …

  9. O problema de PP será mais um problema de tripolaridade, pois tem tudo para ser um bom político, um mau político e astrólogo, só que insiste em manifestar estas qualidades todas ao mesmo tempo. É pena.
    (Adolfo Dias, tens razão, apesar de existir uma certa inclinação para a esquerda, PP ataca tudo: esquerda, direita, centro, para baixo, para cima, e a ele mesmo.)

  10. Não te lembras porque ele não atacou: teria de fazer auto-crítica, despachar a manela ferrugenta e respectivo clã, enfim, uma série de impossibilidades.

  11. ainda por cima nesta altura a telefonica ataca a pt pondo uns biliões em cima da mesa e, de caminho, pondo a nú a verdadeira dimensão do capricho do pacheco.

  12. bem , vocês desculpem , mas ninguém liga ao Pacheco. não percebo porque tanta coisa com o Pacheco. oiço , oiço.., ou seja , no real , as pessoas comentar o VPV , o Miguel , o JMF , às vezes a Matos , começo a ouvir comentar o Lomba , ouço-as a rirem -se do Rangel e do Ferreira fernandes . mas sobre o Pacheco ? népia , nerón , nada . ninguém tem pachorra para ele. há aqui qualquer coisa que me escapa.

  13. “A Manela não apresenta mais o jornal. Mas não digas nada”.

    Compreende-se porque JS disse que não sabia de nada sobre o negócio, é que tinha prometido a Vara que não contava nada a ninguém. JS, um homem de palavra, não iria trair a confiança do seu amigo, muito bem!!!

  14. Há pessoas que lêem notícias e não as sabe distinguir. As comissões de inquérito à compra da TVI despoletaram com a pergunta do deputado Diogo Feio em 24 de Junho de 2009 no Parlamento no debate quinzenal. Como informa hoje o pasquim sol, Vara informou José Sócrates, no dia 3 de Setembro de 2009. Se as inquirições são sobre as declarações de 24 de Junho, porque carga de água, o sol vem dizer que Sócrates mentiu nas declarações. Sei que comparam Sócrates a um magno mas, que lia o futuro isso desconhecia. Há cada um!

  15. “No entanto, à Comissão de Inquérito, o 1.º-ministro disse que só soube do facto pela comunicação social”

  16. Adolfo Dias:
    E não disse mentira nenhuma. A celeuma que se criou em torno das declarações do 1º. Ministro sobre a TVI foi: Manuela Ferreira Leite acusou-o de mentir. Que ele sabia de todo o negócio porque tinha sido informado antes. Acontece que o que o sol diz é que o 1º. Ministro teve conhecimento a 3 de Setembro de 2009 e aqui na minha terra o mês de Setembro aparece depois do de Junho. A não ser que aqui os nossos calendários estejam errados. Fui verificar e realmente aparece depois. Coisas da vida.

  17. Peço desculpa, erro meu … a noticia refere-se ao conhecimento sobre o afastamento da Manela e não sobre o conhecimento do negócio da TVI. Então ficamos a saber que o amigo Vara informou JS sobre o afastamento da amiga Manela e não o avisou sobre o negócio PT/TVI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.