7 thoughts on “Mandamentos, sim; Constituição, não”

  1. D. Manuel Clemente quando foi nomeado Bispo do Porto toda a gente, principalmente do distrito, viu nele uma lufada de ar fresco na igreja e alguns já o comparavam a D. António Ferreira Gomes. Mas bastou ser nomeado Cardeal para tudo se esmorecer. Há Bispos ou Cardeais que não sabem conviver com a ascensão. Podiam pôr as suas ideias ou acções em Jorge Bergoglio e assim compreendiam a humildade. Triste Nação e Igreja que convive com a miséria do seu povo e fiéis.

  2. continuem a acreditar e a respeitar este lindo e único ecossistema que temos na casa da democracia:

    http://pmcruz.com/eco/

    contra aqueles que invadem as escadarias, até com estes traidores alinhava o nosso querido Valérico.

  3. a parte mais curiosa é que este vídeo, com ou sem som, provoca a mesma vontade de vomitar. é desolador ver o país entregar-se a estes carrascos, tomando partido pela causa deles, contra a sua.

    “Stockholm syndrome can be seen as a form of traumatic bonding, which does not necessarily require a hostage scenario, but which describes “strong emotional ties that develop between two persons where one person intermittently harasses, beats, threatens, abuses, or intimidates the other.” One commonly used hypothesis to explain the effect of Stockholm syndrome is based on Freudian theory. It suggests that the bonding is the individual’s response to trauma in becoming a victim. Identifying with the aggressor is one way that the ego defends itself. When a victim believes the same values as the aggressor, they cease to be a threat.” wikipedia

    Podia apenas colocar a última frase, mas como há aqui pessoas destituídas de boa vontade…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.