Maluqueira

Sócrates tem sido acusado de optimismo. Outros ministros, idem. Parece que esta rapaziada já acabou com as crises todas, e várias vezes, mas elas teimam em voltar cada vez mais fortes. A crítica aos discursos que realçam os aspectos positivos pressupõe uma de duas alternativas: que o Primeiro-Ministro fosse pessimista ou que ele dissesse o que outros gostariam de ouvir.

Um governante é como um médico. Se disser ao doente que não acredita na sua recuperação, que duvida da eficácia dos tratamentos, esse médico está a agravar o estado do doente. Dizer a verdade ao paciente implica reconhecer que a verdade é sempre uma construção subjectiva. O médico sabe que também se engana, por falhas próprias e alheias, apesar do aparato científico da sua actividade. E sabe que parte decisiva na recuperação da saúde depende da crença, da disciplina, da calma, da motivação, dos factores psicossomáticos. Se é assim na medicina, por maioria de razão o é na política.

Claro, se Sócrates aparecesse pesaroso, sombrio, anunciando a sua descrença na recuperação económica e profetizando convulsões sociais, os mesmos que o perseguem pelo optimismo saltariam febris clamando que um governante não pode abdicar das palavras de confiança e estímulo. Exigiriam que abandonasse e desse o lugar a um crente no sucesso do Governo. Ou seja, seria perseguido por causa do pessimismo.

É assim a estupidez, uma maluca.

57 thoughts on “Maluqueira”

  1. O pessimismo português é muita maluco: vê-o como virtude no Cavaco, mesmo quando passa a mensagem lá p’ra fora de que não vale a pena investir neste desastre que já está em fase insustentável. Mas, claro, há governantes que não podem ser pessimistas, nem optimistas, esses seres pura e simplesmente nem deviam existir e assim víveriamos felizes e prósperos para sempre. Este é o lado optimista do pessimista anti-Sócrates (pois é, a parvoíce e o pessimismo andam muitas vezes de mãos dadas).

  2. ALTO! PÁRA TUDO!!!
    O Valupetas, de uma forma inconsciente, começa a reconhecer que o Pinto de Sousa é um aldrabão e mentiroso! Um mentiroso com compaixão e com fé em dias melhores, mas um mentiroso. Porque o Pinto de Sousa é, segundo o Valupetas, parecido com um Dr. (com canudo conseguido ao Domingo, de certeza), e portanto só não nos conta a verdade porque isso iria piorar o nosso «estado de saúde» – aquele estado de saúde que tem vindo a piorar graças aos cortes que o «sr. Dr» tem feito nos «medicamentos» e tratamentos dos desempregados, de quem trabalha, etc, etc.
    É assim a manipulação, uma gaja chico-esperta.

  3. É interessante esse ponto de vista, porque o optimismo está profundamente ligado à credibilidade, e esta ao reconhecimento da verdadeira dimensão dos problemas, mas também à correcta divulgação do que foi, ou será, feito. Não é nunca, para um político, um exercício fácil, sobretudo num país ainda muito marcado pelo derrotismo e tremenda falta de amor próprio. Eu por exemplo acho que quem acusa Sócrates de “apenas fazer propaganda” está profundamente enganado. Aliás, acho que o PS tem tido uma actuação deplorável nesse aspecto, não aproveitando minimamente tudo o que já realizaram, sobretudo no anterior governo, e deixando-se constantemente encostar à defesa. Tiveram o melhor ministro da economia que há memória. Tiveram a melhor ministra da educação também. Fizeram investimentos importantíssimos em investigação, em novas tecnologias, em novas indústrias de altíssimo valor acrescentado, levando a que algumas empresas nacionais (a EDP, por exemplo) sejam hoje players mundiais. Fizeram algumas das mais importantes reformas no sector público, introduzindo um nível de acesso que é elogiado nos quatro cantos do mundo. (Falharam tremendamente na justiça, mas isso fica para outra conversa…). Com o mesmo nível de actuação, o PSD já teria inscrito a fogo na história que tinham sido o melhor governo desde D. Afonso Henriques, e todos concordariam. Basta ver a aura que ainda hoje gozam os governos de Cavaco Silva.

    O problema talvez seja esse: como os acusam de fazerem propaganda, têm vergonha de a fazerem para não serem acusados disso, embora sejam à mesma, perpetuando a pescadinha de rabo na boca. É o mesmo fenómeno de amochamento que se vê quando o BE os acusa de não serem verdadeiramente de esquerda, levando a reacções como a de Paulo Pedroso. Têm de se convencer que o PS é que é a esquerda, a única, a genuína, a da Bayer. A haver uma aproximação, o BE é que a deverá iniciar, não o PS. Ao PS cabe denunciar, sem dó, a fraude que o BE representa. Porque senão está a legitimar as acusações destes, e a alimentar a fuga de eleitores.

    E para além disso, Sócrates tem, a meu ver, um problema de tom vocal quando fala para os eleitores, não soa a sincero (nota que estou apenas a falar em tom sonoro, sem entrar na substância do que diz), o que é péssimo para o “soundbyte”(e na política moderna, goste-se ou não, o “soundbyte” é essencial). É pouco assertivo, e faz muito pouco uso da ironia, o que em política portuguesa é fatal. Compare-se com Jardim, por exemplo, que só diz disparates mas num tom de absoluta autoridade e confiança. O famoso animal feroz solta-se apenas nos debates, depois de aquecer um pouco e usar os profundos conhecimentos dos dossiers, onde tem então performances impressionantes. Mas em eleições, talvez não chegue. Eu sei que ganhou, em condições muito difíceis, as últimas eleições, mas continuo a pensar que terá sido apenas por falta de comparência do adversário à direita, já que à esquerda as perdeu abjectamente. Se levassem as campanhas eleitorais mais a sério, deveriam ter neutralizado já o BE. Ainda hoje me custa a acreditar que, quando nas eleições europeias surgiu o dado de o Miguel Portas ser o deputado menos produtivo de todo o parlamento, isso não tenha sido martelado até à exaustão.
    Mas enfim, possivelmente estou a ser injusto, mas diria uma coisa aos responsáveis do PS: parem de ter vergonha de fazer campanha, parem de ter vergonha de fazer propaganda, parem de ter vergonha de mostrar confiança, parem de ter vergonha de desmascarar os adversários, parem de ter vergonha de serem agressivos. E lembrem-se que o mais importante em política é ganhar eleições. Porque podem ter as melhores ideias, os melhores quadros, o melhor programa, a melhor ética, as melhores soluções para tudo. Se não ganharem antes de mais as eleições, de preferência com maioria absoluta, de pouco serve. Para vitórias morais, basta o Queiroz, obrigado.

  4. Quando alguns retrógrados políticos , ou pretensos analistas que pululam nas Rádios e TVs (que de uma forma encapotada se dizem apartidários – como hoje aconteceu na Antena Aberta da RTP N e Antena 1, com um tal de Tiago Caiado Guerreiro, que se apelida de Fiscalista, que berra aos quatro ventos contra os malandros dos que recebem subsídios de Reinserção Social e de Desemprego, “…porque não querem trabalhar…” e que nem o Paulo Portas tem um discurso tão enviesado e reaccionário (no pior sentido possível) – pregam a estafada teoria do miserabilismo e de que tudo está pôdre e que daqui a 3 ou 4 anos ainda vai ser pior, porque lêem nas cartilhas que lhe convêm que os actuais governantes não conseguem levar “a carta a Garcia” – a deles, claro – e fazem-na numa emissora que dizem ser controlada pelo poder, o que seria se fosse ao contrário. Estou com o Vega9000, quando deixa dito que o PS não sabe tirar partido do que foi feito de positivo no anterior mandato. O medo tolhe-o. Sabemos que todos têm “rabinhos de palha”, mas é preciso partir para o concreto e fazer chispa. Pode ser que assim se abram novos horizontes.

  5. «Sócrates é muito irritante. Tem uma pose sempre no limite da arrogância possidónia, tendência que se tem agravado com a idade e os papéis do poder. Mas Sócrates torna-se simpático quando se irrita; o que lhe acontece com facilidade, de resto. Aí, o seu temperamento sanguíneo tem uma genuinidade que se distingue dos artificialismos da circundante pandilha»

    Os meus aplausos para quem escreveu isto. Até o Pacheco Pereira elogiou este tipo que ninguém sabe quem é. Eu também não sei quem ele é, mas estou certo de que para o Valupetas esse tipo só pode ser um estúpido e maluco.

  6. Este comentário que eu aqui coloquei demonstra o que eu ultimamente tenho vindo a dizer àcerca dos Proenças de Carvalhos e Migueis Júdices da nossa praça, àcerca daqueles que «estranhamente» apoiam e defendem o Pinto de Sousa e que falam da necessidade de «reformas» e mais «reformas».

  7. Vega…

    tal e qual. Também já aqui tinha reclamado contra esse falar baixinho e envergonhado – ou não falar – sobre a obra feita.

    Só não sei muito bem qual o tom apropriado para contrapôr à estridência da comunicação social dos ranhosos…

  8. edie, eu também não pretendo saber, ou dar conselhos a quem percebe muito mais disto do que eu. Um mix entre Marinho Pinto e Garcia Pereira, talvez. Mas dou um exemplo do que não me parece que deva ser feito: após as Europeias, quando o PSD se convenceu que a sua chegada ao poder era uma inevitabilidade, ouvi na rádio a histeria do Paulo Rangel avisando o PS, em voz grossa, para parar tudo, não se comprometer com nada, e entrar em modo de gestão corrente, para não comprometer o futuro governo (do PSD).
    A resposta veio de um responsável do PS (não me lembro quem), em tom suave, relembrando os poderes da constituição, que o governo continuava pois mandatado, etc etc. Enfim, uma resposta correcta e juridicamente inatacável, tipo Isabel Moreira. Eu estava a ouvir no carro e recordo-me de quase dar saltos no assento com isto. Não é assim que se responde a ranhosos, não estamos a argumentar num tribunal. Nos media, os eleitores é que são os ouvintes, a resposta tem de ser adequada a isso. A resposta deveria ser nos moldes de: “Queremos lembrar ao PSD que, apesar de pelos vistos já se imaginarem no governo, há umas eleições a ganhar antes de poderem mandar recados sobre o que este governo pode ou não fazer. Assumir que o povo já os escolheu antes da votação parece-nos errado, como provaremos em breve”. Um pouco de agressividade misturada com ironia. Mas enfim, isto digo eu.

  9. Vega, também não percebi. O tom não soa a sincero quando fala para os eleitores?! A realidade desmente isto, se não como é que se explica que os eleitores lhe tenham dado a vitória nas últimas eleições? Não esquecer que concorreu contra a política de verdade, e que o principal argumento eleitoral da Ferreira Leite foi exactamente chamar-lhe mentiroso.
    Não me digam que bastava ter andado com um diapasão no bolso e tinha ganho com maioria absoluta…

  10. Pois sim, António Pila. Então faz-me um favor: junta-te ao teu homónimo das 19:48, que parece que está ansioso por levar no cú.

  11. O problema de Socrates é que conversa demasiado com o Jaime Gama e começa a absorver aquela dicção que supostamente pretende imitar um português que estudou na Ivy League com sentido de humor mas com suficiente falta de humor para julgarmos que é inteligente ou que somos estupidos.Por osmose tambem parece absorver o white shade of grey (inspirado nos Moody Blues) do Vitorino, que é um tipo muito inteligente mas distraido pois tem que subir todos os dias as escadas do predio a pé quando volta para casa pois não chega ao botão do 12º andar.
    São no meu entender dois bons quadros mas muito naturezas mortas e sem testosterona (a do Candal) necessaria para o combate politico. Socrates só tem que ser igual a si proprio (ver mais os comentarios do Rui Santos, por exemplo) e fazer sempre o que fez agora quando utilizou a golden share e disse a mais “forte” declaração ideologica contra a ditadura do mercado que actualmente se vive. Esta declaração faz dele um homem de esquerda (nunca duvidei disso) e tambem um pouco fora dos estereotipos a que o querem amarrar.
    Abaixo o investimento , viva o indespimento.

  12. ds, até podes ser um machão à antiga, de voz grossa, bigodes retorcidos e que tudo fazes desandar à frente do chicote que acenas. Não ponho isso em causa e nada me interessa.

    Mas toda a razão tem o antónio diogo, a imagem que deixas é de um bicha tonta de Carnaval que rabeia de post em post largando fumo pelo cu. Toda a gente sabe de antemão que mais tarde ou mais cedo vais explodir, algures numa esquina próxima de ti. Mas não esperes assustar alguém.

    Prontos, esquece os exemplos concretos de aplicação das tuas elevadíssimas e íntegras políticas socialistas. Não descures é a medicação.

  13. Este traques é outro que tal: agora anda obcecado comigo, e persegue-me de post para post. Bichinha marota… Ehehehhehhehehheh

  14. Quando alguém souber quem escreveu o comentário que eu transcrevi acima avisem-me, porque eu também quero conhecer e cumprimentar esse maluco e estúpido. ehehehhehehehehhe

  15. «Parece que foi muito aplaudida nas Jornadas Parlamentares do PS a intervenção de Mário Soares criticando a inexistência de debate interno no PS e defendendo ser indispensável dar “vida interna” ao partido e insuflar-lhe “princípios éticos” e “ideologia”, tudo coisas (“vida interna”, “princípios éticos” e “ideologia”) de que o PS andará, pelos vistos, carente. De acordo com o que veio nos jornais, no final, deputados e militantes socialistas aplaudiram o discurso de pé. Singular não é o facto de o discurso ter sido aplaudido de pé pela ilustre deputação presente, pois aplaudir de pé é um hábito que se enraizou no PS. Singular, para lá da alusão de Soares a coisas antiquadas como “princípios éticos” e “ideologia”, é o modo como, no actual PS, até a crítica ao unanimismo suscita aplausos unânimes e a crítica ao acriticismo é aceite sem o mínimo sobressalto crítico. Não é difícil concluir que, se Soares tivesse dito exactamente o contrário do que disse (atirando-se, por exemplo, aos que clamam que há falta de debate interno e de princípios éticos no PS), teria sido do mesmo modo aplaudido de pé.»

    Brilhante, António Pina! A «esquerda» moderna é assim: sem ideologia, sem princípios éticos, sem debate interno, acrítica, mas muito unida em torno do Pinto de Sousa, de um produto de marketing elogiado pela «direita astuta», e sempre à espera de ser premiada com um qualquer tacho (no BCP, na PT ou na Mota-Engil). Mas os socretinos não são contraditórios, são isso mesmo: só cretinos.

  16. «Dizer a verdade ao paciente implica reconhecer que a verdade é sempre uma construção subjectiva»

    Muito profundo, Signore Valupi, muito, muito profundo!

    E eu a pensar que a verdade é sempre uma constatação objectiva. A constatação strictu sensu não se constrói. A verdade, essa, é sempre objectiva. Naturalmente, que não considero e nunca considerarei o diccionário de Sócrates e seus pares na desconstrução de Portugal.

  17. Troquei meia dúzia de comentários contigo num outro post e vim aqui caracterizar a tua postura ridícula neste blogue: prontos, estou obcecado contigo e a fazer-te perseguição. Quando te debruçares bem sobre o assunto vais chegar à conclusão que pertenço à polícia política, sou do Belenenses e só corto as unhas uma vez por semana. Uma tragédia. Não só és previsível como muito repetitivo. E uma boa parte das vezes das ideias dos outros. Um poucochinho chato, diria.

  18. Não, ó traques, se reparares bem, as ideias dos outros (Baptista Bastos e António Pina) que eu aqui coloquei vêm ao encontro daquilo que eu sempre disse. Se eu os «copiei» é porque adivinho o futuro, topas?
    Quanto à previsibilidade, se bem te lembras, depois daquela enumeração de medidas que tu fizeste da governação do Pinto de Sousa, eu disse-te que era uma mera repetição e papaguear da propaganda socretina. Portanto, agora, sim, copio e faço minhas as ideias e palavras do Pina: tu és daqueles que se o Pinto de Sousa dissesse exactamente o contrário do que diz o aplaudirias de pé. Porque és daqueles a quem falta tudo: a tal ideologia e o criticismo.
    Continuação de bons ares!

  19. A São José de Almeida escreve hoje um texto no Público com o título «A esquizofrenia política do PS». Não li o texto (só está disponivel para assinantes), não sei qual é o conteúdo (mas quase que adivinho), mas o título sugere que também é uma daquelas tipas a quem eu ando a copiar ideias. Até porque, em resposta ao traques, também eu lhe disse que o discurso dele era «esquizofrénico». Como não podia deixar de ser nos socretinos modernos «libertos» dos princípios ideológicos arcaicos…
    Mais uma vez: continuação de bons ares!

  20. O tonto a beber faz um duo com o ds, ou é só farinha do mesmo saco?
    O tempo que esta gente perde, com o que dizem não gostar.
    O que seria se gostassem…

  21. Pingback: V9 at Aspirina B
  22. Não dr. sóciopimba, tu copias e repetes as ideias dos outros é quando não fazes citações, como por exemplo essa de me chamares esquizofrénico depois de te alertado para as tuas obsessões doentias e te recomendar ajuda técnica. Não ligaste ao conselho e agora até paranóias de perseguição já tens, dsinho. E logo tu que não vens aqui fazer outra coisa senão perseguição ao Primeiro Ministro e a quem te apetece. Mas folgo em saber-te empenhado na procura de uma saída para os teus problemas: a adivinhação é um mercado competitivo mas ainda assim com algumas frestas que te poderão garantir um futuro risonho.

    Quanto ao resto da tua conversa furada, devias saber que a História do PS é de liberdade e democracia onde todos podem exprimir opinião ao contrário de outros partidos com os quais te revês nas propostas e onde não é possível existirem vozes discordantes. Além disso, que se saiba o PS não foi tomado de assalto e foi com mérito que voltou a ganhar as legislativas e a formar governo. A democracia é assim por muito que te custe. Quanto ao eu apoiar de pé, a virtualidade do meio está a cegar-te: não tenho é estômago para morcões como tu que se satisfazem com a má língua e a crítica inconsequente sem nunca apresentarem propostas concretas e exemplos viáveis da sua aplicação.

    Fazes bem em continuar a rabiar pelas caixas de comentários, não vá alguém ainda ter dúvidas.

  23. Ahhhhhhh… O copiar «ideias» dos outros então é isso… Percebi mal, pensei que tu estavas a falar de ideias mesmo, e não de bocas que só na tua cabecinha é que são «ideias».
    E vê lá se percebes também uma coisa, ó traques: eu também não «copio» as tuas bocas; eu costumo é responder à letra, como já devias ter percebido (e se ainda não percebeste, espero que esta minha resposta te esclareça definitivamente). Se reparares eu só passei a tratar-te por traques quando começaste a falar pelo ânus, em vez de falares com a boca. Mas, reconheço, devia ter percebido isso mais depressa, quando de início suspeitei que o teu cérebro socretino só podia ser constituido por massa merdosa e por diarreia mental.
    A tua diarreia mental revela-se uma vez mais nessa conversa da treta de que eu devia saber que o PS é o partido da liberdade e da democracia. Tu é que devias conseguir pensar (sim, já percebi que isso é impossivel para ti) para além da propaganda presente e da propaganda passada que te faz vomitar essas frases inventadas para socretino ouvir e repetir. Para aplaudir de pé, como diz o outro. E adorar de joelhos, digo eu.

  24. EHHHHH

    Ó traquinas,
    Desculpa lá, meu, mas deixa aí largar uma posta:

    Perseguição ao Primeiro Ministro??

    Ó xuxa! Primeiro mentiroso, meu! História da liberdade, a PORRA! Se foi, deixou de ser.

    Socretinos do caraças, pulhíticos de merda, simplesmente desamparem a loja!

    Ao Sócrates dedico do fundo do coração a mais solene caganeira, que se enterre nela como ele enterrou este País. Morcão és tu que o defendes.

  25. O que é que seria se eu gostasse do Pinto de Sousa, pergunta o tachista MFerrer. Poderia ser várias coisas. A mais evidente era ser um lambe-botas do Pinto de Sousa, como Mferrer; outra seria ser um cão-de-guarda do Pinto de Sousa, como o traques. E uma outra seria ser actor, como o Diogo Infante.

  26. Pra ti o MFERRER e para o quadrado,

    Eh pá podes crer, gosto de homens, mas têm de ter tomates. Digo-te já, não preciso de vaselina, não sei se tás a ber, logo a lei dos panascas aplica-se a bocês, num é?

    Tonto é a tua tia pá. Vai lá comer na pocilga, fica ali no Rato. Cuidado com os buracos e com as orgias dos orçamentos, por essas e por outras, é que o governo me anda a foder todos os dias. Granda porra. Não há preservativo nem pílula do dia seguinte que me proteja. nem a PJ me dá protecção.
    Estes xuxas panascas só nos engravidam com défices. Buracos, buracos, e a dança do comboio. Anda cá quim barreiros, canta-lhes a canção, que os morcões continum a querer enxuxar-nos.

  27. Caro DS,

    Só uma pequena achega, mais em jeito de interrogação: Diogo Infante, o das praias do Brasil, grande sorvedor de sorvetes e lambedor de cabeçinhas dos gelados da «Olá»?

    E ele aí estava na qualidade de actor? Está tudo turvinho na minha cabecinha.

  28. Tu perceberes depressa, dsinho? Deixa-me rir, eheh… tu existes para dizer mal, nem crítica tão pouco consegues fazer. E como te faltou argumentação no outro post e continua a faltar, só te resta virares para o disparate.

    Como tu próprio reconheces és um básico que andas disfarçado de ideólogo socialista a vender lições de princípios de esquerda na blogosfera. Assim haja quem as queira comprar. Mas agora com guarda-costas vais ser um senhor, tá bisto.

  29. Porra, realmente já não percebo nada de nada do que estes traques diz e quer… Então não era eu que copiava as «ideias» dos outros? É que essa do ser «básico» parece-me uma outra versão para «diarreia mental», que é o que o traques só sabe, pelos vistos, produzir.
    Falta de argumentação? Quem diz isto é o mesmo traques que só sabe papaguear a conversa socretina e que é incapaz de o reconhecer, quando os outros (eu, mas se ele quiser pode ser o Baptista Bastos ou o Pina) lhe mostram isso?
    Mas, afinal, este traques ri-se de quê? Da sua estupidez? Da sua socretinice?
    Mas continua a peidar-te porque, como eu disse, pelo cheiro percebe-se mais depressa a massa de que o teu cérebro é feito…

  30. Ó Traquinas,

    Vai lamber cabecinhas para as praias do Brasil. Já vi que de grêlos nada entendes.
    E sim continua a largar peidos, de preferência bem sonoros, para que sempre que os ouçamos, nos lembremos, «porra, lá vem mais cheiro a roubalo», ou «freeport product» ou a «sms em pleno voo», ou « escuta anulada, culpa da Pt que não faz o tpc como deve ser», ou «cuidado com a rua da Escola Politécnica», ou « a lei dos panascas permite que se enrabem uns aos outros legalmente» e a primeira consequência foi O PEC, seja, PLANO PARA ENRABER CONTRIBUINTES.

    Tás a ber, ó cú em obras?

  31. Não percebes nada porque és mesmo básico, cada comentário que fazes só serve para te baralhares ainda mais e como o teu único objectivo é dizer mal de forma gratuita, continuas totalmente incapaz de sugerir propostas concretas e alternativas à governação que tem sido seguida. Estou farto de te sugerir isso e quem sabe até se eu não seria capaz de te dar razão. É aí que te falta a argumentação, és incapaz de rebater factos concretos e preferes rabiar por entre o supérfluo e o insignificante.

    Tu és só um bluff, dsinho. E ainda por cima convencido da tua pseudo excelência que se limita a arrasar qualquer comum mortal que não comungue as tuas ideias com os chavões rascas e ocos de ignorância e cretinice. Muito peculiar essa tua noção de democracia e sobejamente conhecida a sua proveniência. Não podias ter escolhido melhor para te retratares: um post chamado “Maluqueira” e que termina com “É assim a estupidez, uma maluca”. Boas vendas, charlatão.

  32. Não me interessam nada os teus segredos, fetiches e desejos íntimos, tou-te a ber. Dedica-te aos chats apropriados para o efeito.

  33. Quais desejos intimos ó panasca xuxa TRAQUINAS???

    Mas tu pensas que eu me metia com um panilas como tu?
    Vai tu para os chats que pelos vistos conheces que existem, começa pelo Rato, ouvi dizer que bicharada é o que por lá há mais, e não há desinfestação para aquilo.

    Fétiches, minha grande cara de cú, deves ter tu em em casa. Corre a comprar vaselina, que ouvi dizer que aquela trampa aumentou de procura e corres o risco de ires pararao hospital se não te acautelares.

  34. E lá saíu mais um peido pouco diferente do anterior…
    Ó traques, fica na tua (na socretinice), pois está visto que és incapaz de «pensar» fora disso. Onde domina a merda (o teu cérebro), nem o BB nem o Pina, por exemplo, conseguem entrar.
    Mas fico «triste» por a minha «charlatanice» não te conseguir convencer. Estou a ver que tenho que adoptar os métodos mais «modernos» do mentiroso e aldrabão. Aqueles métodos que apesar de fazerem lavagem de cérebros e ainda os deixam mais nauseabundos….

  35. eheheheeheh

    Granda DS. Dá-lhe.

    O Traques nesta altura está desfeito em soltura amarela, ralinha, como manda a ética dos xuxas. Nem dá para plantar a rosa no meio.

  36. Só te sai porcaria da boca por isso não é difícil imaginar o que tens na cabeça, dsinho. Espelhares isso para os outros e utilizares toda essa verborreia não disfarça a tua mediocridade mas só a acentua, totó.

    Insisto, és uma fraude, um linguaraz que não consegue elaborar uma ideia sequer de alternativa à governação. Deixa o BB e o Pina em paz, falhado, porque eles não têm culpa das tuas insuficiências.

  37. O Traque é do Rato. O Traque é do Rato. Tem a mania que é traquinas, mas é apenas mais um macaco sem pila, armado em economista de ratazanas e defensor da corruptalha.

    Conta aí? Também fazes parte da comitiva do Brasiu?

  38. Vamos lá ver, traques…
    Já te disse que desde que começaste a falar pelo ânus, que decidi tratar-te como aquilo que és: merda de esgoto. Mas como tens dificuldades em perceber, vou fazer uma última tentativa: ó pá, vai brincar com o teu caralho, OK?

  39. Ó Traques, precisas de mãozinha electrónica? É que esta dá a volta e aplica-te o PEC em dois segundos. PEC – Plano para enrabar contribuintes, da autoria dos xuxas, tás a ber.

  40. Uma tristeza, a miserável cambada da mais porca das porcas das direitas que infesta este desgraçado país. Não há pachorra para tanta baixeza!

  41. ANIPER,

    Com esse nick tens cara de ser um organismo do Estado xuxa. Eu sou fascista, em mim ninguém manda. Nem eu. Vê bem. Qual democracia qual socretacia! tou a pensar em formar um exército privado de combate palvroso aos xuxas.

    Já agora, porca é a tua tia pá. Por falar em baixeza, ando a ver se consigo imitar o par de cornos que o ministro xuxa fez na assembleia da república, mas não o consigo igualar no nível. Aquilo é que foi de uma elevação, o ministro de todos os portugueses a pôr os cornos a um eleito pelo Povo.

    Diz lá, agora quem é Porca? Ou badalhoca? Ou suína?
    Mas a aspirina não funciona para as dores de cabeça que dou a esta malta? Que raio de OTC é esse?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.