Mais vale não ter empatia

Parece que Eduardo Cabrita tem falta de empatia, carimbou a indústria da calúnia. Isto porque um par de acontecimentos raríssimos – duas mortes em circunstâncias extraordinárias que permitem exploração política e sensacionalista – o colocaram como alvo prioritário tanto do ódio profissional como do ódio acéfalo.

Um distinto conselheiro de Estado, escolha pessoal do Presidente da República, declarou no seu tempo de antena semanal que o ex-ministro não tem honra, não é bem formado e não é normal. Achando que esta diabolização era curta, avançou confiante e risonho para a conclusão de que o acidente onde Nuno Santos perdeu a vida foi uma enorme sorte para António Costa pois permitiu que se visse livre de um “activo tóxico” (sic&sick) antes da campanha eleitoral.

Pode ser que Cabrita tenha mesmo falta de empatia, sei lá eu. Porém, nada no seu comportamento como governante o mostra, sequer deixa como suspeita. Isto porque a empatia não se mede através de declarações públicas relativas a casos gravíssimos de responsabilidade do Estado e ainda sob a alçada da Justiça. Aliás, é facílimo imaginar que Cabrita continuaria a ser linchado caso tivesse feito o que os algozes reclamam com fétido cinismo: representar hipocritamente uma culpa moral que rogasse perdão para consumo dos telejornais. A ter ido por aí, a estratégia de ataque passaria a ser a de o condenar por estar a querer influenciar os inquéritos judiciais e a opinião pública quando o correto era ficar calado até à conclusão das investigações.

Mas se Cabrita tem falta de empatia (conceito que é um magma de ambiguidades e que foi escolhido como arma de desumanização), que falta a quem usa as mortes de duas pessoas para despachar opinião paga e para fazer chicana política?

43 thoughts on “Mais vale não ter empatia”

  1. empatia não sei , mas tem falta de juízo. a não ser que fosse a dormir , suponho que deu conta que o carro seguia contra o código da estrada , ora sendo ele o máximo responsável pela sua aplicação e cumprimento , não fica lá muiito bem , não é?

  2. O caso das golas anti-fumo oferecidas aos velhinhos que, afinam, eram combustíveis – e, portanto, não só um mero “gadget” de propaganda, mas um que podia, objectivamente, matar os visados, num país civilizado, teria acabado com a carreira política do Dr. Cabrita (mas, aí, quem se lixou foi o padeiro). Assim, para que isso acontecesse, tivemos que esperar pelo insólito de o Ministro que tutela as polícias que fiscalizam o cumprimento das leis do trânsito se intitular mero “passageiro” num acidente de que foi “vítima” (sic) um carro em que ele seguia, em grosseira violação dessas leis (a ideia aqui era lixar o motorista e, claro, o tipo que foi morto). Pelo meio houve aquele episódio, ainda mais bizarro do que a rábula do microfone (que, se fosse na escola primária, lhe teria valido uma justa palmada da professora), de, no caso do homicídio do Sr. Homenyuk, o senhor se ter gabado de ser a única pessoa em Portugal preocupada com o caso, relevando, mesmo para os parâmetros dos governantes do PS, uma preocupante disfunção cognitiva . Assim, creio que mais que falta de empatia, já estamos a entrar na psicopatia, na linha do Saudoso Líder.

  3. A primeira, juntaletras.
    Mas esta idYOta é recorrente. Está sempre pronta a cascar em tudo o que vem do lado da esquerda.
    É apaixonada pelo Passoilo de massa má e tem a mania que diz coisas interessantes.

    Nunca gostei do Cabrita, mas porque faz parte de um setor aburguesado que não me agrada no PS e não pela prestação como ministro -que até não me chocou muito- também já sabia que lhe íam cair em cima. Seja ele quem for, demonstre a empatia que demonstrar, estamos em campanha eleitoral e o que interessa é criar casos.
    Se a isto aliarmos a propaganda descarada que fazem nos mérdia para congregar e motivar motivar o voto à direita, já se ultrapassa a fronteira do asqueroso. E vai piorar.
    Vai ser até à vitória final, acreditem.

  4. apaixonado pelo passos deve ser você , sr. vieira , posto que passa a vida a falar dele quando eu nem me lembro que existe , têm de ser vocês a trazer-mo à memória. e pare lá de tentar por-me rótulos , viva e deixe viver , homem.
    pergunto eu é porque o ministro na altura da ponte entre rios , quando parece que o senhor nem nunca lá tinha estado e tal , se demitiu. a cada palerma , realmente.

  5. se foi um acidente, em que ainda por cima o Senhor era passageiro, o que há para denegrir-lhe a imagem enquanto homem e enquanto profissional? até já andam para aí a fazer paralelismos entre motoristas. o que eu sei é que quem faz isso, que anda a espalhar nas redes sociais, pelo menos um deles é gestor numa empresa que conheço bem, é um merdas do carago: um frustrado como homem e um negligente e incompetente como profissional. o que andam a dizer são espelhos de si mesmos, portanto. que nojo.

  6. É um “fartar vilanagem” nos mérdia nacionais, mesmo naqueles que são pagos com os nossos impostos. Ontem, a Antena 1 da RDP, fez uma vergonhosa “antena aberta”, enquadrada no âmbito do torneio de “tiro ao Cabrita”, que nada teve a ver com “serviço público” que aquela estação de rádio deveria prestar aos cidadãos. Tratou-se apenas de dar voz ao ódio e ao ressentimento de quem sonha ver os atuais governantes encostados ao paredão, sem nenhum respeito pela dignidade de um homem que está a viver um drama que nenhum de nós desejaria viver. O dito programa de rádio iniciou-se com o comentário insidioso do inenarrável Raul Vaz, uma voz do “passismo” enquistada na RDP, onde continua a ser o “comentador oficial de assuntos de política nacional”!…
    Eduardo Cabrita tem fraca figura, mas é um homem bom, que deu o seu melhor por este País. E merece respeito por isso.
    A miserável exploração política de incidentes azarados, que podiam ter acontecido com qualquer um outro, incomoda e revolta.

  7. bem , o que não se percebe é que o ps tenha tão poucas pessoas que possam exercer cargos de responsabilidade que tenha de recorrer uma vez e outra e outra sempre aos mesmo , incluindo uma pessoa tão malquista como o Cabrita . dá ideia que os escolhem por pertencer a um grupo restrito de tipos que “sabem coisas” , mais que por competências ( não acredito que não haja socialistas mais competentes e mais novos , por estrear até, no partido ) .
    suponho que no psd era igual até há pouco , e se alguma vez governar bastante tempo , voltará a repetir o esquema dos “eleitos” por razões desconhecidas do povo.

  8. Como é que o desgraçado do Cabrita há-de ter empatia se o carro que o transporta é abalroado a 163 km/hora por um trabalhador com problemas intestinais.
    Nem os outros três que iam dentro do carro têm empatia pró Cabrita. A única testemunha que o desgraçado arranjou nem ia dentro do carro mas é uma empatia de pessoa.

  9. Tem piada a idYOta referir que o PS não tem malta competente para exercer cargos.
    Já no tempo do Durão “cherne” Barroso o triste teve dificuldades em arranjar vigaristas que se quisessem queimar nesse fatídico e merdoso governo que foi dominado por um suspeito do caso “Moderna” chamado Portas ” Ministro de Estado e da Defesa”. Posteriormente, aquando da fuga do primeiro para a Europa, o tal líder de um partidito com uma percentagem de merda acumulou a pasta dos Assuntos do Mar e, ao saír de funções, levou com ele um monte de documentos confidenciais (relacionados com o esquema dos submarinos?).
    Estavam esquecidos? Eu não.
    O Passoilo, então, juntou ali um plantel digno dos tempos áureos da revista à portuguesa.
    Esta pequena lembrança, dentre muitas que ainda mantenho fresquinas na cachimóina, serve apenas para vos assegurar que qualquer ministro socialista, por mais fraquinho que seja, é um senhor ao pé desta escumalha.
    E tens a lata de falar de “vergonha”, meu?

  10. Não basta repetir vezes sem conta que vivemos num Estado de Direito. Os novos inquisidores, tal como os velhos, encontrarão sempre um motivo para eliminar as criaturas que não rezam pelos mesmos evangelhos.

  11. «uma pessoa tão malquista como o Cabrita »…
    Mas… malquisto por quem, ó dona YO ? ? ?
    – Pela falange direitola, ou pelos anarco-esquerdistas da Sta. Catarina do Soros?
    Não será, seguramente, pelos cidadãos progressistas deste País, porque estes estão vacinados contra a toxidade dos mérdia e dos comentadeiros que replicam a voz do dono.

  12. Marques Mendes é um hipócrita miserável e um demagogo badalhoco. Há muitos mais por aí, até nesta caixa de comentários, como esse palerma que aí acima diz que as golas anti-fumo ‘oferecidas aos velhinhos’ eram combustíveis. Pois eram: se lhes chegassem fogo, ardiam. Tal como a roupa que os tais velhinhos traziam vestidas. Tal como agora as máscaras anti-covid. Não há pachorra para imbecis.

  13. Macapagal , pela comunicação social , homi , não é? passam a vida a dizer mal do senhor que foi ministro uma porrada de vezes. pessoalmente só o acho feio que nem sapo , tem uma boca horrível , de resto não sei nada dele e dessas fotonovelas políticas que não têm interesse nenhum.

  14. “… pelos cidadãos progressistas deste País …”
    Ui! mais uma vez, nós os “bons”, os outros uns “merdas”!
    Não conseguimos sair disto?

  15. Este daniel sabe muito bem de onde lhe vem o dinheiro, hipócrita de merda.
    Comentário de Carlos Pimentel sobre artigo de Daniel Oliveira “Tarde partiu Cabrita, sublinhado a desumanidade” in Expresso.

    Daniel Oliveira é hoje em dia, verdadeiramente, um dos mais vergonhosos jornalistas vendidos ao dono além de que o faz, enganosamente, ainda com alguma imagem e linguagem de esquerda com que engana leitores pouco avisados e apressados.
    Desde abanar o rabo desde jovem a todos os partidos de poder, tal qual a clarinha sua colega na matilha do dono, até mudar de partido e ideologia política, tudo têm tentado para chamar a atenção sobre sua pessoa no fito de conseguir um lugar de relevo no aparelho do estado.
    Dado que deu no oposto, isto é, aconteceu o claro reconhecimento pelos aparelhos partidários acerca de seu espertismo oportunista e calculista e, por conseguinte, o receio dos aparelhos partidários de poder o contratarem para qualquer cargo governamental e, daí, o crescendo de ressentimento foi-lhe ocupando todo o seu lado cerebral odiento de frustrado.
    De tal ordem que elabora um texto, tão manhoso como maldoso, na tentativa de recolocar a “mancha” de falta de empatia e humanidade que aponta a Cabrita como sendo da autoria de Costa para, deste modo, corresponsabilizar o primeiro ministro alvo do seu ressabiamento.
    De dois acidentes correntes, um menos diga-se, logo as matilhas dos falsos moralistas fazem um dramalhão aparatoso afim de ajustarem contas de rassabiamentos políticos; afinal estes caçadores de “faltas de empatias e humanidades” nos outros onde é que já nos deram exemplos demonstrativos, um só sequer, de que possuem tais qualidades?
    Ou não serão eles apenas condoídos por dor de corno político!

  16. Quando andarem na autoestrada e viram sinalização de obras, imagem a voz do Cabrita a dizer vos do banco de trás “tem cuidado aí ” ou “presta atenção”. Eu fiz isso e ri me.

  17. Ó troll hoje estás bom, gosto mais assim quando apareces com uma nova variante, tipo ómicrão.
    Mas olha, por muito que te esforces o original é sempre melhor que tu.

  18. deixa lá , Eu mesmo , daqui por uns poucos anos saberemos quem são , não digo bestas , mais bem ratinhos (ovelhas ) cegos . tipo os de hamelin , tudo a seguir a seringa .:) .:)

  19. Yo talvez não sejam precisos anos, se calhar daqui a poucos meses já resultados da carneirada. Que se lixem os direitos humanos, que se lixe a protecção de dados, o cheirinho da ditadura é tão bom.
    Felizmente as eleições são já em Janeiro.

  20. meninas e rapaziada!
    Quando o PS calha de ser governo, há belas oportunidades de ganhar massa: atirem-se para debaixo de um carro de um ministro; cheguem fogo ao palheiro até se propagar perigosamente com risco de vida para muita gente; dancem ao manitu até chover tão torrencialmente que alguém vá ter com o criador; rezem ao s. barnabé até a seca durar mais que as cinco pragas do Egipto, com o gado por terra esmifrado de fome e sede;
    se o petróleo subir roubem os postos de combustíveis e insultem o governo; se descer insultem um ministro qualquer; ide ao hospital e vereis o caos, nas escolas vereis o inferno, na economia todos os números serão negativos ou negativos (o código binário vai de menos Zero menos 1)!
    Se o Sócrates não for condenado, peçam uma indemnização por destrambelhamento! E o Pinho! E o Vara que cinco anos por vinte e cinco mil euros foi uma pechincha; vejam o belo exemplo do sucateiro: dezoito!!! os do SEF levaram metade, mas compara-se lá a sucata com a merda da vida de um Ucraniano?
    …..e etc…e tal…por aí fora!

    O Estado paga tudo, e paga bem! Ponham lá os da Direita logo vereis um milagre da multiplicação – é o que sempre fizeram: a multiplicação de canalhas

  21. “… suponho que deu conta que o carro seguia contra o código da estrada …”

    se seguia contra o código, lógico era o código ter sido atropelado

    “Nunca gostei do Cabrita, mas porque faz parte de um setor aburguesado que não me agrada no PS”

    se calhar querias escrever aburgessado ou hamburguesado

    “O caso das golas anti-fumo oferecidas aos velhinhos que, afinam, eram combustíveis – e, portanto, não só um mero “gadget” de propaganda, mas um que podia, objectivamente, matar os visados”

    o sapador já respondeu, mas eu acrescento que tamém poderiam morrer atropelados pela camioneta que transportou as golas

    “… pergunto eu é porque o ministro na altura da ponte entre rios , quando parece que o senhor nem nunca lá tinha estado e tal , se demitiu.”

    para não ter que aturar esta javardice.

    “pelo menos um deles é gestor numa empresa que conheço bem, é um merdas do carago: um frustrado como homem e um negligente e incompetente como profissional.”

    se não pões o nome, não vale nada. pelos atributos era o gajo ideal para ti, só se estragava uma casa.

    “Eduardo Cabrita tem fraca figura, mas é um homem bom, que deu o seu melhor por este País…”

    fraca figura???? porra… vai ò oftalmologista.

    “… pessoalmente só o acho feio que nem sapo , tem uma boca horrível…”

    tamém acho. só deveriam ir para ministros depois duma escolha criteriosa como fazia o barbosa quando era dono do curral da manhã, naquelas concursos de mousses em que ganhava aquela que lhe deixava melhor sabor na boca.

  22. Vejam o que o homem disse e comparem com o que os media transmitiram.
    Façam o mesmo exercício com o recentissimo caso da ministra da saúde
    Vejam os comentários dos analistas, mesmo os daqueles ditos afectos á esquerda.
    Hao-de reparar que direita, que há muito que não tem ideias úteis para o país, age sempre do mesmo modo: falsifica os factos – declarações produzidas – arma o circo no espaço público com o intuito de chegar ao poder.
    E os ditos comentadores vendem a sua mercadoria como qualquer outro bem transacionavel. Abomino especialmente os ditos de esquerda que só lutam pelo o dinheiro.

  23. Vou imitar uma grande personagem que conheci. O grande Tom Cruise, que adoro, desempenhou o papel de Vicent, no filme Collateral ( um dos meus filmes preferidos).
    Cito de cor.
    Sabes quantas pessoas morreram no Ruanda ? Muitas. Nem piscaste os olhos. E estás preocupado com um gajo q morreu na autoestrada e nem sequer conhecias.

  24. Jorge Martins, professor da Universidade do Minho, membro da equipa que fez a investigação ao acidente (ontem, no Telejornal da RTP-1):

    “A 120 ou a 140, a 160 ou a 200, ele morria, de qualquer maneira. Portanto, se as circunstâncias fossem as mesmas, ou seja, se ele tivesse batido, se ele o tivesse atropelado, em princípio, mesmo que fosse a 100, provavelmente, muito provavelmente, ele morria também.”

    Voz off na mesma peça do Telejornal:

    “A GNR concluiu, numa perícia, que, mesmo que o carro seguisse a 120 km/h, não teria sido evitado o atropelamento mortal.”

    Mas enfim, à falta de quinta perna do boi, continuarão a agarrar-se a isto.

  25. Caro Joaquim Camacho,

    o que está em causa não é o dano infligido pelo carro mediante a velocidade –nesse caso, até a 50Km/h poderia ter morto o trabalhador; o que está em causa é se o atropelamento teria sequer ocorrido. No que diz respeito à letalidade de um embate, a diferença entre 80 e 500Km/h será provavelmente irrelevante.

  26. mas qual onde está a dúvida de que houve condução negligente? podem discutir se o ministro se deve demitir e bla bla bla , mas não há discussão possível sobre a negligência do motorista. e também não há discussão possível sobre a responsabilidade do ministro acerca da velocidade a que seguia o veículo.´, motorista de senhores cumpre ordens e mais nada.
    os limites de velocidade , as distâncias de segurança e essas regras todas , que o ministério da administração interna dita , são para evitar esse tipo de acidentes , mas sabiam isso , não é ?

  27. ogres, sociopatas, é o que são todos os que usam a tragédia para destruir pessoas no exercício do bem comum sem qualquer fundamento. como se o Senhor, no banco de trás, estivesse a olhar o conta quilometros para cumprir agenda. anda, acelera mais, quantos mais matarmos mais pontos ganhamos, sorridente e a coçar a fruta, remata: isto é um jogo.
    porcos imundos.

  28. Eis uma afirmação que não se disputa: “A 120 ou a 140, a 160 ou a 200, ele morria, de qualquer maneira”. Acrescento, ele, eu, e toda a gente morre, de qualquer maneira. Tal como, quando o sol se expandir, tudo arde (já diz o Lobo Antunes), ainda que, naturalmente, não se conta que isso suceda, em incêndios florestais, a equipamentos que são entregues para usar em caso de incêndio florestal (digo eu). PS: o padeiro, desde que perdeu o tacho, passou a sapador? Sapador era o Senhor meu Pai, dos Caminhos de Ferro, este, se cavar como pensa, nem no trabalho de sapa se safa.

  29. Um fulano pago pelos portugueses que em momento algum manifestou qualquer tipo de sentimentos por quem morreu e por quem o conduzia dificilmente pode gerar empatia. Não era ele que conduzia? Claro que não, mas não apanhou nenhuma boleia.

    José Marques

  30. José Marques: ao demitir-se do cargo pago pelos portugueses que, sem qualquer empatia, o classificam de monstro, manifestou um monte de sentimentos. queriam visibilidade de sentimentos, era? queriam um teatrinho para que pudessem escrever que, afinal, o monstro também é hipócrita e acrescentar-lhe ainda mais frenesim de calúnias? empatia é ter a capacidade de sentir, compreender, o que o outro sente.

    Cabrita deixou-se morrer na Cidade perante a tragédia da morte a que assistiu.

  31. “… motorista de senhores cumpre ordens e mais nada.”

    um gajo anda de motorista para ir no banco de trás a controlar a velocidade, o cumprimento do código da estrada e satisfazer os desejos de requinte do louçã.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.