21 thoughts on “Luís M. Jorge, larga o vinho”

  1. Deves receber mais do que migalhas para fazeres este papelão. Não acredito que seja só convicção.

    Brilhante a sanha que que te atiravas Dias Loureiro e ao Oliveira e Costa, mas sobretudo ao primeiro.

    Agora temos o Vara e o Penedos e tu pio, calado que nem um rato. Isto sim é coerência. Pergunto eu credibilidade têm as opiniões supostamente idóneas mas que são de facto viciadas?

    Ler-te é para mim o momento de humor do dia, a seguir ao portugalex, claro.

  2. Sendo tu os justiceiro do BPN, julgava que poderia ser um justiceiro completo, afinal enganei-me. O Vara e o Pendedos são por ti bravamente denefidos, umas vezes com de forma explicita outras implícita.

    Cada um vive com a sua consciência, uns, com boa outros com má! No teu caso será muito provavelmente desprovido dela. Senão imagino que tomes um frasco de pílulas por noite para conseguires dormir.

    Cada um é para o que nasce, uns para serem livres de de emitir opiniões, outros que as venda a troco de migalhas. Enfim, fraca gente.

  3. Suspeita do dia

    Suspeita-se que Valupi esteja proibido pelo aparelho de falar do Penedos e do Vara, com risco de perder as prebendas mas ganhar outras sevícias.

  4. Tens razão, é isso mesmo, não me arrisco a perder prebendas, muito menos a ganhar sevícias. Era só o que faltava. Mas tu não tens essas limitações, podes falar livremente. Ora, conta lá: que tens a dizer acerca do Penedos e do Vara?

  5. Não digas estás a ficar com problemas de consciência? Não acredito.

    Tu que eras tão informados acerca das patifarias do Costa e do Loureiro, seguramente saberás muito do Vara e do Penedos? Será que não podes falar o aparelho lixa-te se o fizeres? É para aprenderes com que te metes.

    Cá na minha terra costuma-se dizer quem vende o cu não é senhor dele. No teu caso aplicar-se-ia: Quem vende a consciência não é senhor dela. É duro mas é a vida.

    Entretanto vai continuando a dar nos drunfos e continuarás a dormir sem problema.

  6. Ou seja, não queres falar do Penedos e do Vara, queres é falar de mim. Entretanto, e se puderes, não me digas qual é a tua terra. Quero manter uma imagem imparcial das terras do meu país.

  7. http://jumento.blogspot.com/2009/11/escutas.html
    Sr. afonso henriques, você continua aqui e bem, mas sempre confundido. Uma coisa é o que se sabe de factos concretos outra coisa é o que se (não) sabe de escutas telefónicas sem eira nem beira. Eu por exemplo, por uma questão de princípio não vou comentar aquilo que dizem que foi dito em escutas pidescas! Essa é a diferença, que tipos como você, que fazem pelos vistos a chamada “nata” portuga, de lamentar claro, não querem perceber, primeiro, porque não têm princípios, segundo por

  8. por lapso não acabei, mas nem interessa, qsf estes pulhas todos pidescos armados ao pingarelho, a “doutrinarem” com base em escutas do tempo da PIDE. DASSSS

  9. É pá és mesmo bom, quase que consegues desviar o assunto, falar do ti? LOL

    Achas que alguém perde tempo a falar de gente menor? LOL
    A tua vaidade é mesmo grande!

    Imagem imparcial tu???????????? Só pode ser efeito dos drufos da noite anterior, imagem imparcial!

    Nunca te diria qual é a minha terra, só por pensares nela, ficaria com uma nódoa.

    Olha, se queres saber do vara procura a amigar que ele tinha da famosa fundação.

    Tu não falas do penedos nem do Vara porque estás impedido, não pela consciência, claro!

  10. Olha, olha, mais um a defender o Vara e o Penedos, deve estar à espera dumas migalhas, também.

    Oh fraca gente!

  11. Tu a única coisa que procuras e defender (nem que isso implique defender o Vara e o Penedos) os que te pagam! Isso é legitimo mas ficava-te bem se o afirmasses.

  12. Mas quanto é que eles me pagam? E que se passa com os pagamentos que nunca mais chegam? Espero não estar a ser mal pago, e que alguém vá guardando esse dinheirinho que tanta falta me faz.

  13. Meu caro “Val”, vai ser interessante assistir ao descrédito de pequenos funcionários dedicados como você.

  14. Val como anda sempre a receitar o vinho
    aqui vai os seus benefícios.

    “Verde Tinto é Saúde”

    O verde tinto há-de ser
    Remédio para curar
    A quem possa padecer
    De fastio e falta de ar.

    E sabem porque razão
    Ele não é receitado?
    É porque também dá pão,
    Ter o povo adoentado.

    Não deitem abaixo as vinhas
    Que produzem as pinguinhas
    Deste néctar sem igual!…

    Que sendo filho da Lixa,
    Seus amores fazem bicha
    Nas tascas de Portugal!…
    De. Rodela

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.