6 thoughts on “Love story”

  1. Meu Caro Amigo
    se um dia quiseres editar posso ajudar na revisão. por exemplo repasto não é «repasso», coisas assim. Um abraço e parabéns

  2. e eu não estava a brincar quando disse que gostei.

    o que melhor o mundo tem
    do que o tanto querer bem
    e ser bem querer também
    e – no – o mundo de alguém?

    :-)

    (como vês cá estão os que não te querem, de todo, mal, seu burrico).:-)

  3. Não vou nada catar porque não tenho piolhos. Além do mais eu não sabia (nem tinha que saber) dessa tua oferta. Percebes assim ou queres que te faça um boneco?

  4. Quando escrevo algo não é com intenções da sua publicação a não ser aqui no Aspirina B. Escrevo estas recordações com o intuito de deixar algo publicado para os meus filhos e netos e publico aqui como disse pelo prazer de escrever. Nunca com intenção de a minha vida estar a definhar derivado à minha doença, como pressenti que é o que quer dizer o &, o que agradeço. Mas, como a idade vai avançando, cada dia que passa depois de atingirmos uma certa soma, é bom andarmos de bem com Deus e com o Diabo e qualquer que seja o lugar para onde vamos mais vale cairmos em graça do que ser engraçados.
    Também quero dizer que quem me comeu a carne também me há-de comer os ossos. Mas conto viver ainda muitos anos, ter o prazer de ver os meus netos serem homens de os ver a darem-me bisnetos. Se assim não for é que o caldo se entorna, mas nessa altura prometo não protestar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.