5 thoughts on “Louçã de cabeça perdida”

  1. Hehehe, deixa lá, fica para a próxima.
    E, na tua opinião, quem é que vai falar primeiro: o Sócrates ou a Manuela?

  2. Val, Lisboa está de parabéns e todos nós, claro! É que António Costa ganhou uma maioria absoluta! E o palerma do Santana a dizer que eram só uns pontos entre ele e o vencedor…! Quanto ao bloco-Louçã, basta olhar para os gráficos para se perceber como ele deve estar raivoso… O isolamento partidário que teimosamente apregoou como um trunfo tem como resultado ficar quase sem vereadores!

  3. Julgo que é isto que vai acontecer e desde já o meu agradecimento público a Maria de Lurdes Rodrigues.
    Nova legislatura novo governo o que findou, vai-nos deixar saudades. Mesmo os opositores vão-se lembrar desta legislatura, da maioria dos ministros entre eles, Maria de Lurdes Rodrigues, Ministra da Educação. No que me toca e porque sei do que falo, tenho netos a frequentar o ensino básico, sei o que as escolas vão perder. Digo escolas, porque são estas as verdadeiras interessadas a que haja um clima de acalmia, de boa aprendizagem, não estejam ao sabor dos interesses corporativos de meia dúzia de feudais, que só lhes interessa o seu bem-estar, as regalias sociais, quer estejam preparados ou não para leccionar. Não querem estar ao sabor de quem exija deles ensinamento, abnegação, espírito de sacrifício e ensino por ensino. Outros não querem responsabilidades, preferem que sejam todos e ninguém a mandar, assim dá-lhes mais espaço de manobra para fazer obstrução ao Ministério e à Ministra da Educação, não gostam de ensinar o que gostam é de serem malcriados, exemplo Charrua. Vai voltar novamente o destabilizador número um, Mário Nogueira, a reindivindicar por tudo e por nada a querer que todos sejam promovidos, tenham qualificações ou não, o que interessa é que subam na carreira, quanto mais ganham, mais descontam para o sindicato, assim ele, também recebe mais de comissão e ajudas de custo. Não interessa se os alunos aprendam ou não, se tiverem dificuldade que vão para explicações, é para isso que os professores abrem ateliês para esse efeito – faz-me lembrar os médicos que trabalham para o SNS, com os seus consultórios. Em nome dos meus netos quero deixar um muito obrigado à Ministra da Educação e dizer-lhe que deve ser das poucas pessoas que pode andar com a cabeça bem levantada, porque não deve nada a ninguém, pelo contrário, se há alguém que deve algo esse é o Pais, que deve muito a si. Há pessoas que a história um dia vem a recordar, julgo que não vou ter o prazer de ler isso, simplesmente por não ser do mundo dos vivos, pelo facto da história demorar a reconhecê-los. Ao menos os meus netos um dia se recordem que o avô, em nome deles escreveu este texto para ser publicado no Aspirina B, sobre o melhor Ministro (a) da Educação que existiu em Portugal, até ao ano de dois mil e nove.
    Manuel Maria Ferreira Pacheco

  4. Achei o Anacleto Louçã muito tristinho ontem à noite. Será que caiu na real e ainda está a remoer a verdadeira expressão eleitoral do Bloco?

    Amanhã já estará igual a si próprio? Pois, confesso-vos que também foi logo o que me ocorreu. Quem se assume como cavaleiro do descontentamento sujeita-se a estas situações e quem não tem um pingo de vergonha na cara não é de um dia para o outro que resolve o problema.

  5. Claro que no comentário sobre os resultados do Bloco-Louçã referia-me às pretensões a nível nacional, pois em Lisboa e Porto não conseguiram eleger nenhum…!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.