Licor de merda

O melhor da ida de Relvas ao Parlamento para explicar a sua relação com Jorge Silva Carvalho esteve no registo de novas mentiras saídas da sua boca suja. O facto de os políticos terem de mentir em inúmeras ocasiões como obrigação mesma da sua responsabilidade não seria notícia caso não estivéssemos perante hipócritas deste calibre, os quais têm rastejado agarrados à “verdade” no charco da redução da política ao moralismo mais venenoso e bronco. Desta vez, Relvas mentiu quando lhe perguntaram se tinha comunicado ao Primeiro-Ministro a recepção dos SMS com nomes para reestruturar os serviços secretos. Ouçamos o guincho mentiroso e a resposta em falsete:

Não considerei importante… Não!… Não, não, não, não, não, não, não, não, não!

Porque é que estamos perante uma mentira descarada em sede parlamentar? Porque, e vamos esquecer o mero bom senso que chega e sobra para o gasto, caso Relvas não tivesse partilhado com Passos esse acontecimento estaria a violar a sua confiança. O “Super-espião”, que se demitiu com estrondo do SIED em 2010 para provocar danos políticos ao Governo de Sócrates e foi para um Grupo de fortíssima influência empresarial e social, é um passarão demasiado pesado para caber apenas no telemóvel do braço-direito do menino de Massamá. Assim, face a uma pergunta que iria expor Passos a mais pressão jornalística, Relvas opta por mentir a deputados numa questão que sabe ser impossível de investigar por remeter para a esfera sigilosa da sua relação executiva e pessoal.

Relvas disse que tudo não passava de uma tempestade num copo de licor. Tem razão.

27 thoughts on “Licor de merda”

  1. não percebo porquê tanta admiração agora, o relvas sempre foi aldrabão e agora não há nada a fazer, é ministro num governo de maioria, portanto impõe a sua verdade e quem não gostar pode votar contra dentro de 3 anos, caso não tenha ido reactivar caixas.

  2. Esta dos serviços secretos em Portugal é-um-faz-me-rir (em nova ortografia com hifen) do caraças.
    Já no tempo da PIDE, os pides eram como o corno uns, ou umas peixeiras outros.

  3. O que vale, é que não tarda a família do José Eduardo dos Santos possuir quase todo o país e mudar-se com armas e bagagens para Belém.

  4. Num outro País que não fosse uma MERDA como é portugal, o que é que teria já acontecido a estas bostas do Miguel Relvas e do Jorge Silva Carvalho?

    E onde é que pára a trampa que nos “preside”, no meio disto tudo?

  5. O grande moralista Valupi, está sempre contra tudo e todos. Escreva qualquer coisa de construtivo para variar. E tome qualquer coisa.

  6. ” Um espião nomeado por um governo socialista mandava mensagens para o secretario geral do PSD. O secretario geral nao respondia. A atitude de Miguel relvas é criticavel porque deselegante.

    publicado por Rodrigo Moita de Deus no 31 da armada ”

    A “prosa” do Valupi também foi deselegante.

  7. Eu era só para dizer ao rafeiro anti-ele próprio para ter tento na língua quando se referir à minha Pátria. E para lhe recomendar que base depressa para uma terra melhor porque dispensamos os dejectos que só servem para emporcalhar.

  8. Ainda há tontinhos que não perceberam que fazer “qualquer coisa de construtivo”, nem que seja só “para variar”, é impossível em Portugal desde o último 23 de Março!

    E larga mas é o que andas a tomar, jm…

  9. Rodrigo Moita de Deus parte do principio que Relvas não mente.
    Possivelmente, e a par desta “verdade” absoluta, tenho cá para mim , que também acredita no pai natal.
    E nas renas.
    E no menino jesus.
    Enfim, condiz com a idade da respectiva cabecinha.

  10. Para o biokill: Fico sempre enternecido quando alguém se dispõe a fazer certas figurinhas ao defender outro. O Valupi se quiser dizer alguma coisa, diz. Não precisa dos maluquinhos das caixas de comentários para o defender.
    Digo-lhe o mesmo que disse no primeiro comentário:
    Ofender é fácil, apresentar qualquer coisa de útil, é que não é para todos.

  11. “Ofender é fácil”, diz bem (e pratica!) o “jm”.

    E ainda fica “enternecido” com as figuras alheias. Vê-se bem que lhe foi servida, em tempo oportuno, esmerada educação! Directamente proporcional, aliás, às suas outras qualidades…

  12. oh jm! cheguei atrasado, mas deu para perceber que andas por aqui a enternecer-te com os maluquinhos que não vão à bola com o aldrabão do relvas de quem tu és um acérrimo defensor. devolvo a pergunta: achas que o relvas precisa que o defendas? ou trabalhas de jardineiro avençado?

  13. jm, falhaste. Tenta outra vez, vá lá. Não te esqueças de que a tua missão é apresentar algo de útil, não a de passares por inútil.

  14. Eduardo J e ignatz, bons achados

    O RS saiu-me um ganda maluco…nesta altura não sei se o “no no no” já era verdadeiro, ou se ainda estava no “no no no oh yes, yes.”, como o outro…

  15. Tanhk you, ignatz darling! Gostei de ambas, e agora já tenho headphones outra vez.
    Mesmo sem som, acertas, hein?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.