Lêndeas da asfixia democrática

Os boçais que conceberam, produziram e trouxeram até nós a estratégia da asfixia democrática tinham falta de munição. Quando instados a fazer prova, mostravam as favolas e enchiam a boca com o Charrua. O Charrua, que tinha mandado vir com o Primeiro-Ministro recorrendo ao vernáculo, era o grande mártir da liberdade de expressão. O Charrua, que acabou protegido pela Ministra da Educação, foi o cliché supremo dos acusadores. Também referiam aquele caso em que agentes da PSP foram a um sindicato perguntar quantos indivíduos iriam a uma manifestação. Essa situação mereceu censuras públicas do Governo, por ser obviamente anómala, mas continuou a ser invocada para expor a tirania do Engenheiro. E depois acabava-se com as declarações e acções de Sócrates contra alguns meios de comunicação, e alguns jornalistas, que o difamaram.

Chegava? As sondagens diziam que não. Era preciso dramatizar. Esticar a corda. Portanto, era preciso jogar a cartada mais forte, criar uma situação em que Sócrates não pudesse contra-atacar sob pena de perder. Que tal lançar a notícia de que Sócrates está a asfixiar o Presidente da República? Homem para isso era ele, esse patife do Sócrates que persegue sindicalistas, professores e jornalistas, agora era só montar a coisa de maneira a que a dúvida ficasse em crescendo até às eleições. Como? Garantindo que Cavaco falava sem dizer uma única palavra. Nada tendo dito, a nada teria de responder. Mas tendo falado, nada mais havia a perguntar. Lima e Zé Manel tiveram umas ideias. O resto, já se inscreveu a negro na História.

Triste foi o que fizeram a Manuela Ferreira Leite. Ela entrou neste filme só porque Cavaco lhe pediu, é o que agora os acontecimentos permitem inferir. E cumpriu com excesso de zelo a sua missão. A senhora acabou a campanha a fazer coro com o Zé Manel na infâmia contra o SIS e a assustar os populares com a possibilidade de violação da sua correspondência pelo Governo. E também nos garantiu que os telemóveis poderiam estar todos sob escuta, qual reactualização da RDA, servindo-se para o efeito de declarações do Procurador-Geral da República retiradas do contexto e cujo sentido ficava adulterado. A cultura de grupo que permitiu tamanha indignidade, utilizando sem pudor a Manela como carne para canhão, é uma fatalidade do actual PSD. Um partido de advogados manhosos, videirinhos, e nada mais.

Asfixiados pelo seu próprio fel.

7 thoughts on “Lêndeas da asfixia democrática”

  1. Mas porquê tudo isto? Porque se deixou enredar, na teia, Cavaco? Garantir a reeleição? Não a teria garantida (mais ou menos) se estivesse ao lado de um PM entusiasta e determinado a «Avançar Portugal»? Eram dois a remar para o mesmo lado e o povo ia reconhecer o esforço! Porquê a deriva de Cavaco? Algo me diz que o afundamento do BPN está por perto. Pelo menos as datas do volte-face de Cavaco, face a Sócrates, coincidem com as mexidas na cúpula do BPN e o descalabro nas suas contas. E dois mil milhões a voar é muita grana. E nem se pode culpar a crise do século, porque ainda nem dela se falava. Aliás, estou convencido que a crise terá mesmo impedido o uso da bomba atómica por parte do PR, demitindo um PM completamente enxovalhado e difamado por uma comunicação social dos seus donos e não de jornalistas, e magistrados a alimentar a fogueira da inquisição com fugas sistemáticas e demolidoras do segredo de justiça, reduzido a uma grande treta. Foi a isto que assistimos, mês após mês, com um PGR de cabeça perdida, um PR a assobiar para o lado (mas só no que dizia respeito aos ataques ao PM) e uma comunicação social literalmente submissa aos donos.
    Ou não terá sido nada disto?
    Possivelmente certos estarão o Alberto João e O Vasco Graça Moura que chamam, com todas as letras, imbecis aos portugueses que não cantaram e dançaram à volta da fogueira, ateada para queimar o PM Sócrates. Compreendo a sua raiva e desespero, porque, de facto, Sócrates escapou por milagre.
    Ainda não foi desta o triunfo dos porcos…

  2. bem, quanto à senhora é recordar que ela ficou lixada quando o burroso escolheu o flopes e não ela, portanto também queria o lugar de primeira, sim. Lixou-se e bem e ainda bem, como representante de toda uma mentalidade, salazarenta, oportunista, dissimulada e muito cruel se tivésse a oportunidade de exercer. Enfim os cartazes lidos como deve ser. Asfixiou-se no seu veneno, como bem dizes, Valupi.

    Espero que os bastiões autárquicos do ppd tremam, e alguns caiam, é saudável para Portugal no actual estado de coisas. Claro que por detrás disto tudo está o BPN e o BPP et al.

  3. O que queriam era arrumar com Sócrates e dar uma oportunidade a Manuela Ferreira Leite, se assim acontecesse vivíamos num Portugal sem analfabetos, sem vendidos, gente vertical (VGM, AJJ) jornalistas íntegros, que só vêm na noticia o que de mais puro existe, (ARF, JMF, JPC, JAS e muitos outros que poupo espaço e papel. Os impuros que só semeiam ventos, (JM, FF, FC, MST) e não são muitos, porque do lado da integridade, é difícil, ou se tem qualidades e manda-se tudo para um lado, que desisto de escrever, ou tem-se à perna uma teia de vampiros, à espreita do seu sangue na próxima oportunidade.
    É assim Val, vivemos num país que o que mais interessa não é o parecer, mas sim o se diz e se, se diz, ou se o povo tem conhecimento é porque é verdade. As pessoas honestas são Oliveiras e Costa, Dias Loureiro, António Preto, Helena Lopes da Costa. As íntegras que há menor coisa não se importam de se esconderem nas saias do Palácio de Belém, nunca vi gente tão cobarde, que falta fazem os Egas Moniz,

  4. Esta trama toda apesar de íniqua e perigosa mostra afinal a que ponto estes tipos são pouco inteligentes e estúpidos.Não conseguem mesmo que se esforcem fazer um plano ou levar a cabo qualquer tarefa por mais simples que seja. Parecem aqueles sabujos das BD’s como os irmãos Dalton ou os Metralha cujos planos maquiavelicos esbarram sempre com o mediano senso comum. São afinal uma cambada de losers e falhados que só se mantêm por aí dada a mediocridade e falta de massa critica existente no seu partido e tambem devido à cobardia e anomia de uma imprensa domesticada (obrigado João Marcelino por furares o “pacto”).No fundo são uns tristes.
    Se de alguma coisa a governação Socrates serviu ( e serviu para muito) foi para finalmente se começar a ver cruelmente a mediocridade instalada em certas áreas do País.Já não enganam ninguem.
    Cavaco deve ter sido o unico eleitor que não teve um unico momento de reflexão no ultimo acto eleitoral.

  5. Parecendo que não a imagem conta muito e a imagem de M F Leite era de uma comissária da Mocidade Portuguesa Feminina, assim tipo Dra. Maria Guardiola reitora do Maria Amalia Vaz de Carvalho que não passava cartao a secretários de Estado e falava directamente com o Botas de Santa Comba.

  6. Vamos a ver, pode ser que o provérbio acerte desta vez: “Há males que vêm por bem”. Porque, de facto, esta gentalha do actual PSD, que me metem nojo só de os ver/ouvir, estariam convencidos ser os donos deste país e assim, poderem agir fraudulenta e impunemente, senão criminosamente, por vezes! Pode ser, quem sabe, que as contas lhes tenham saído furadas, oxalá! É preciso é continuar a “esclarecer a malta”, como este post – e outros – do Val e alguns comentários lúcidos que por aqui vejo!

  7. “Um partido – PSD – de advogados manhosos, videirinhos, e nada mais.” Acho bem que por aqui se tenha ficado na adjectivação. Há atitudes que as mães não têm culpa e mais: até as chegam a envergonhar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.