Lavoisier sim, Sócrates não

Ainda continuando a vasculhar o debate sobre o estado da Nação do passado dia 2, nele se encontra uma boa intervenção de Alberto Martins, onde lista os efeitos reais das opções do Governo. Mas nesse discurso há um momento caricato que simboliza a aberração em que se encontra o PS – portanto, em que se encontra a oposição. Ocorre quando Alberto Martins se limita a registar uma evidência, a de que o propalado sucesso das exportações na actualidade se funda, principalmente, nos investimentos feitos na governação de Sócrates. Perante esta verdade, a malta da Política de Verdade reage como aprendeu em casa e nos colégios finos: ri à gargalhada. O riso como arma de agressão é quase sempre eficaz, pois está a desqualificar, em simultâneo, a questão e o questionador. Terá Seguro, um homem que se orgulha de ter aplaudido o comício de Cavaco na Assembleia da República onde se pediu a cabeça de um primeiro-ministro socialista através da rua, ido em socorro do seu prestigiado apoiante e líder da sua bancada? Ver para ouvir.

10 thoughts on “Lavoisier sim, Sócrates não”

  1. Até custa a acreditar que uma bancada que se diz do Partido Socialista tenha troçado de uma evidência destas! Não estava lá o Baião Horta infelizmente! para dizer duas coisitas a esta cambada de cretinos.

  2. CÍCERO, quem riu foi o PSD e CDS. Da parte do PS o que se constata é que não aplaudiram Alberto Martins na referência que fez nem o defenderam perante as gargalhadas.

  3. o alberto martins,anda a cuspir no prato onde comeu.quem lhe abriu o caminho para a politica foi veiga simão.

  4. tu eras burro antes e continuas burro depois, há quem chame coerência à teimosia e tenha orgulho nessa merda. comunas & reaças passam a vida a evocar o botas para darem sentido às asneiras que dizem.

  5. O Ignatz devia ir para Bicentino para distribuir alguns pacotes de vinho, pois no banco alimentar onde só distribuem arroz e leite.

    No tempo do Botas era à porta das igrejas que se davam os 2 tostões para gastar na taberna ao lado.

  6. yaaahh meu! tou de mobilidade reduzida e não alcanço a profundidade da boutade. quando recuperar as pilhas da cadeira de rodas, que me fanaram à porta da igreja, vou lá ter para curtir essa cena do bitostão. não saias do sítio and keep it cool.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.