Lapidar

«Anos de atentados ao Estado de direito, de mentiras berradas em primeiras páginas, de difamações, de injúrias, de factos distorcidos à medida, de um absoluto desprezo pela privacidade das pessoas, de voyeurismo, de divulgação de peças em segredo de Justiça, da exibição de interrogatórios judiciais, de manipulações, resultaram.

São vitórias em cima de vitórias. Conseguem condicionar o poder judicial (sabendo-se que algum desse poder colabora ativamente na atividade desse grupo de media) através de julgamentos populares prévios num jornal e numa televisão, ter políticos a escrever numa página quando na seguinte aparece uma escuta sobre a vida privada de alguém, entrevistam um primeiro-ministro no mesmo estúdio onde exibem interrogatórios de ex-ministros, fazem e desfazem reputações, elegem um populista xenófobo e agora a vitória final: a compra de um canal em sinal aberto que foi líder de audiências durante 19 anos e que tem milhões de pessoas a vê-lo todos os dias.

No novo cenário da nossa comunicação social, o grupo Cofina pode aplicar o modelo de negócio do Correio da Manhã e da CMTV de uma forma muitíssimo mais amplificada. Destruir a reputação de um ódio de estimação do diretor-geral, passar um interrogatório de um criminoso de delito comum ou mesmo de uma testemunha qualquer que não goste da forma de atuar da Cofina, mostrar uma rapariga a ser violentada, dar voz a um comentador preocupadíssimo com a invasão de imigrantes e com os assaltos por todo o lado.

*_*

Uma empresa com uma licença de canal generalista no cabo (CMTV) compra outra com um canal de informação (TVI24) e outro também generalista (TVI) transformando um mercado - por circunstâncias de mercado e legais - de pequeno em minúsculo, não merece uma linhazinha dos nossos especialistas em media e dos inúmeros colunistas (sei de um artigo) e comentadores?

Um mercado publicitário a níveis de há 30 anos é ainda mais esmagado e não há um analista económico que diga o óbvio? Todos os dias vemos gente a chamar a atenção para a brutal crise dos media, algo está para acontecer que vai aumentá-la ainda mais e assobia-se para o lado? Já está tudo esquecido do brutal perigo para a democracia que é a morte lenta dos media tradicionais?

*_*

O silêncio sepulcral sobre este negócio diz tudo sobre o poder da Cofina e a cobardia e a apatia de uma comunidade inteira. Nem sequer aspetos evidentes de regulação de mercado, que obstariam a que este negócio fosse sequer tentado, são referidos.

Não há, porém, maior cobardia e cinismo do que os dos nossos políticos, aquela gente que deve velar pelo bem comum e o interesse público.

Será que o medo de uma primeira página do Correio da Manhã ou de um alerta CM os faz esquecer dos seus deveres para a comunidade? A perspetiva de ter a equipa da Cofina a gerir um canal de televisão com a dimensão da TVI é um evidente assunto político.»

Pedro Marques Lopes

7 thoughts on “Lapidar”

  1. Eles já tiveram Berlim, Roma,Paris e um sem número de países da Europa conquitados ,em 1942.
    Quem se lembra do que depois aconteceu sabe que estes aprendizds de feiticeiro poderão ter a sorte que cavam.

  2. A Impresa está com medo !!! A TVI deve voltar para as mãos de grupos portugueses !!! Balsemão já colocou todos os seus homens a atacar o negócio…

  3. O Grupo Impresa promoveu a expansão da esquerda caviar em Portugal !!! A Cofina deve fazer frente à Impresa…esse grupo de comunicação social, cuja a informação é liderada pelo irmão do primeiro-ministro ( e nem uma palavrinha do sindicato de jornalistas… )

  4. E se um CM incomoda muita gente, um CM e uma TVI incomoda muito mais…

    Balsemão aka cancro português deve andar muito incomodado.

  5. O CM é um completo lixo, mas é um contraponto ao esterco que são as nossos pseudo elites, como esse 0 do PML

  6. O PML “tá-se” cagando para o bem comum e para o interesse público. Ele está é legitimamente preocupado com o seu futuro, que vê ameaçado. Tem sempre a solução de mudar-se para a Cofina, qual rato abandonando o navio.

  7. Subscrevo inteiramente. A folha de couve podre que é o Correio da Manha e a sua televisão estrambólica têm um poder enorme, pois usam a escola norte-americana da calúnia, da distorção, da manipulação, da mentira, tão bem caracterizada por Ryan Holiday no livro “Acredite estou mentindo”, além de terem na mão um considerável número de procuradores, juízes e outros. Quanto ao PML, o Eu mesmo deve ter acertado na mouche, Mas, quem sabe, basta obedecer aos donos e nada lhe acontece, ou não. Olhem o caso dos rapazinhos e rapariguinhas que trabalhavam obediente e abanando a cauda de alegria para o CDS e agora foram despedidos com a redução de custos que os seus patrões tanto apregoam….

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.