6 thoughts on “Lapalissadas”

  1. olha que carago, como é que podem dizer que os jornalistas geram histórias ou ideias de histórias e ao mesmo tempo que o seu desafio é discernir o falso do verdadeiro se tudo, e é tanto, o que o jornalista deve fazer é relatar factos de fontes fidedignas? é por isso que Sócrates tem muita razão quando refere que é obrigação deles, também é, fiscalizar o estado de direito dos factos; e também é por isso que as histórias só podem ser contadas depois de estarem cumpridas as premissas relativas aos factos. portanto, os jornalistas não são, em primeira instância, contadores de histórias nem de ideias de histórias. mas podem e devem ser ser.

  2. se não fizessem copy e past das notícias , às vezes com traduções péssimas da língua em que foi copiada , o problema das falsas nem se punha.
    será que acham que ser jornalista é copiar notícias?

  3. Ou por outras palavras … estamos fod****
    A este propósito ou relacionado, agora temos as rúbricas como o “polígrafo” e afins que acabam por se tornar a ironia suprema.
    Feitas com o alegado propósito de desmascarar “fake news”, analisado o seu conteúdo chega-se à conclusão de que, muitas das vezes, a forma como os “factos” são apresentados e a fundamentação da análise acaba por se revelar uma verdadeira falsidade. Isto quando não se dá o caso de, feita a exposição dos “factos”, a classificação dada à notícia analisada não parece bater com a careta …
    PS: a propósito da mais recente polémica com o José Sócrates, no meio de tanta análise e estapafurdice, fica a pergunta : “porque car**** passados estes anos todos, não está feito o julgamento ou arquivado o processo?
    Como cidadão quero lá saber se vai para o Brasil, para Conchichina ou jogar às cartas no café da rua dele! Quero é saber como se pode prender alguém durante oito meses e oito anos mais tarde não existir sequer julgamento? Não é suposto prender-se alguém quando as dúvidas e provas sobre a respectiva culpa são praticamente inexistentes, de tal modo que o julgamento quase que torna numa formalidade?

  4. hoje tenho melhor , jp… muiiiito melhor , via Dragão , para combater propaganda falsa…dos merdia globais.

    “Que Deus ajude a Ucrânia a encontrar o sucesso na via da independência. Mas o erro que vai pesar no curso das coisas é precisamente este açambarcamento excessivo de terras que nunca haviam pertencido à Ucrânia antes de Lenine: duas regiões do Dom [o Dombass], toda a faixa meridional da Nova Rússia (Melitopol-Kherson-Odessa) e a Crimeia. (Ter aceite este presente de Krushchov revelava já no mínimo má fé, mas a anexação de Sebastopol a despeito de – já não falo dos Russos que aí morreram – documentos jurídicos soviéticos, é pilhagem de Estado).»
    – A. Soljenitsyne, ” A Rússia sob a Avalanche” (Cap.12 – A Tragédia eslava)”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.