João Miguel Tavares, o Barrabás da crónica à portuguesa

O Tribunal da Relação de Lisboa considerou ter JMT direito a ofender Sócrates desde que o faça numa crónica e se escude em matérias divulgadas na comunicação social. Nada a opor.

A passagem que me despertou mais asco na famigerada crónica não foi a das calúnias com que abre o texto, e onde vai buscar a hipocrisia canalha para o resto, mas esta:

eu tenho vergonha da democracia portuguesa por ter à frente dos seus destinos um homem sem o menor respeito por aquilo que são os pilares essenciais de um regime democrático

Independentemente do que o autor identifique como os pilares essenciais de um regime democrático, assunto acerca do qual não perderia tempo a escutá-lo nem que me pagassem o que recebe como publicista ao ano, não nos enganaremos muito se dissermos ser a Justiça um desses pilares. Ora, Sócrates recorreu aos tribunais para marcar uma posição: sentia-se prejudicado pessoalmente pela difamação resultante daquela opinião. Com essa acção, contribuiu para dois corolários: fez de JMT uma vedeta na indústria da asfixia democrática e deu ainda mais munição aos ataques de carácter contra si. Digamos que, para um bandido do calibre deste Sócrates, é demasiado amador. Toda a gente sabe que não é na Justiça que se resolvem chatices com atrevidos, não vale o esforço e dá péssima fama. O engenheiro anda muito mal aconselhado, como é sabido e notório, e depois cometem-se erros de palmatória como este de teimar em respeitar o filha-da-puta dum pilar que não acolheu as suas razões. Tanso.

Maneiras que JMT pode assaltar a imagem pública de Sócrates e assassinar-lhe o carácter sem correr o risco de ser crucificado. A liberdade de expressão não se incomoda, não precisa da prova dos factos, lava as mãos – mas, neste caso, por uma questão de higiene.

24 thoughts on “João Miguel Tavares, o Barrabás da crónica à portuguesa”

  1. Neste caso Sócrates foi mesmo amador. Basta ouvir o Governo Sombra na TSF para perceber que o João Miguel Tavares só lá está exactamente por via da fama que Sócrates lhe ofereceu de mão beijada. Não tem nem a piada do RAP nem a inteligência e capacidade de análise do Mexia… Sócrates alavancou-lhe a mediocridade e o Tavares nem é homem suficiente para lhe agradecer…

  2. Este Tavares, o Gonçalves e outros tais são o protótipo do «talento parasitário» que são aqueles que à falta de realizações próprias fundam a sua reputação sobre a crítica que fazem aos outros.
    Estes limitam-se a ofender os notáveis escudados na liberdade de imprensa na presunção de que a ofensa desbocada tenha resposta e daí retirem dividendos de notoriedade. Foi o caso do Tavares e continua sendo o objectivo de muitos plumitivoa que andam na imprensa sem terem nada novo ou ideia para propor. Aliás, é exactamente o facto de não terem uma ideia que os faz “ter a ideia” de ofender políticos que são alvos fáceis de atacar sob a capa da liberdade de imprensa.
    Só é de estranhar que a librerdade de imprensa só tenha um sentido como é o caso e retire aos detentores de cargos políticos igual direito à sua liberdade de não ser ofendido como qualquer cidadão.

  3. Os que acreditam perdõ acreditaram (agora querem defender os tachitos)

    Portugal sold €300 million euros (approx. US$411 million) of 12-month bills on February 4, 2010 after indicating it planned to issue €500 million euros. The securities sold at a yield of 1.38 percent, compared with 0.93 percent at a January 20, 2010 auction. Without trying to play down the significance of not being able to attract the expected number of bidders: 1.38 percent in interest is not expensive, especially not for a country that is said to have major challenges in bringing its house in order.

    Acabou a farsa

  4. Dettes et déficitsDette publique (en 2009 en % du PIB)
    – Grèce : 115,1 %

    – Italie : 115,8 %

    – France : 77,6 %

    – Portugal : 76,8 %

    – Irlande: 64,0 %

    – Espagne : 53,2 %

    Déficit public (en 2009 en % du PIB)
    – Grèce : 13,6 %

    – Irlande : 14,3 %

    – Espagne : 11,2 %

    – Portugal : 9,4 %

    – France : 7,5 %

    – Italie : 5,3 %

  5. Afinal é ofensa, difamação ou ambas? Cá para mim nem uma nem outra.

    Dizer verdades ofende? Difama? nahhhhhh!

  6. Retirado do CM:
    (…)
    “Fez-se justiça!”, disse João Miguel Tavares, actual colunista no CM, satisfeito com a decisão do tribunal. “A tese de que um opinion maker tem de provar o que diz é absurda. Acho que este caso foi levado longe de mais”, adiantou.
    (…)

    É preciso acrescentar mais alguma coisa ? De acordo com esta lógica um “opinion maker” é inimputável. Pode insultar e acusar à vontade, já que está só a exercer a sua opinião.
    Ao nível da decisão de absolvição do Névoa.

  7. Ola Valupi,

    Se percebi bem, o tribunal acabou por dar razão ao Rui Tavares (cf. a nossa discussão de ha uns meses sobre um post dele que tinhas criticado).

    Não digo que a questão fosse obvia. Mas o que importa é manter a noção de que não cabe aos tribunais censurar a expressão de opiniões, por mais cretinas que elas sejam. Isto acontece porque a verdadeira sanção (e a unica eficaz) de uma opinião cretina esta no juizo de cada um.

    Os tribunais so devem entrar em pista quando a expressão da opinião saiu claramente dos quadros do debate de ideias, ou porque se imputaram factos (o que não é a mesma coisa do que aludir a uma reputação) ou porque as palavras foram empregadas com o proposito evidente de agredir a pessoa (“sou da opinião que tu és um filho da puta de merda”).

    E finalmente, tratando-se de responsaveis politicos, os limites supra-mencionadaos devem ser entendidos de forma mais folgada, PORQUE a democracia tem interesse em que sejam debatidas todas as opiniões, mesmo as mais cretinas, mesmo aquelas que acham que os politicos que nos governam não passam de uma corja de aldrabões feitos com o lobi homosexual-judaico-maçonico que se prepara secretamente para entregar o pais a vorazes comedores de criancinhas.

    Esta ultima consideração assenta – e isto é que importa compreender – numa crença saudavel nas virtudes da liberdade de expressão : porque em ultima instância não existe sanção que se aguente, seja ela juridica, politica, ou social, se não começar por passar no tal teste do juizo de cada um.

    Espero que o PM não recorra…

  8. Val

    Neste post, continua a ser de Ética que falamos.

    Demosnstra-se a sua ausência por parte do tribubal e por parte daquela espécie de jornalista ou opinador ou o que seja.

  9. Prezada Carmen,

    No seu comentario ha três afirmações bem distintas. Porque concordo plenamente com a primeira e com a ultima, julgo dever apontar-lhe que a segunda esta errada, precisamente porque a primeira esta certa, e porque a ultima também esta.

    Alias o seu proprio inconsciente encarregou-se de o assinalar com uma magnifica gralha : é que precisamente, trata-se do tribunal, e não propriamente da câmara de reverberação daquilo que pensa a tribu…

    E ainda bem que é assim, acredite !

  10. Teve tanto sucesso que foi corrido do DN.
    E não me digam que passar do DN para o Correio da Manhã é subir na carreira…

  11. joão viegas, não tenho nada contra o acórdão, como assinalei. Para mim, é tecnicamente indiferente. O que me importa realçar é a natureza do acto que Sócrates, na sua liberdade, considerou ofensivo.

  12. OK Valupi,

    De facto, comentei mais a noticia propriamente dita do que o teu post, com o qual concordo.

    Quanto aos Joões Migueis Tavares, penso que a lição a tirar é que eles não têm senão a importância que nos lhes damos, neste caso muitissimo exagerada, pelo menos à luz das bacoradas que ele escreve.

    Bom fim de semana a todos, e especialmente aos trabalhadores.

  13. Ó Eddie podes brincar com as palavras se isso te dá prazer. Mas estou convencido que facilmente arranjarias melhor brinquedo!

  14. O pobres diabos como tu brincam com tudo, és tão pateta que confundes tudo. Para ti já não há esperança!

    Vá lá, desta vez concedo, e dou-te uma ajuda, mas olha que é a ultima.

    O JMT pode dizer uma verdade sem que a sua palavra seja A verdade, compreendeste? Não? Azar, não consigo ser mais claro!
    “Dos idiotas será o reino dos céus”

  15. Iluminado Erriq,

    o JMT safou-se por não ter de provar o que dizia, já que se tratava de uma opinião (opinião=subjectivo, topas?). Mas tu, mais clarividente que o próprio juíz, afirmas que aquilo são verdades. Porque assim o dizes, e pronto. Tá bem. Idiota seria ir atrás de argumentos destes…

    Ah, a propósito, se os calmantes não te estão a ajudar, experimenta um martelo nos cornos. Verdade!

  16. Engraçado, enriqueta , isso parecia mesmo uma resposta…:D…fraquita, mas resposta. Enfim, cada um dá o que pode…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.