7 thoughts on “Já é oficial: este gajo não existe”

  1. É característico de todos os chicos-espertos. De tão convencidos da sua própria e inultrapassável esperteza, muitos graus acima do mortal comum, acabam a acreditar que, se lhes der na telha, conseguem até convencer o planeta inteiro do fim do movimento de rotação da Terra.

  2. o amadorismo deste carlos magno é atroz. está habituado aos bitaites e às coisas em cima do joelho, e para aquilo que tem feito até agora isso chega e sobra. escreve um documento que é esperado avidamente pelo mundo mediático e político, e não consegue escrever aquilo que pretendia? este gajo já não foi editor? este gajo não existe! mas parece que a laranja-relva raquel alexandra, a pressionada (como não foi o socras a pressionar ficámos sem saber o nome do “pressionador”), diz que o “inaceitável” tinha ficado de fora do léxico da facção ganhadora da erc. vamos lá exigir um tête-à-tête entre a alexandra e o magno!

  3. Eu sou contra todos os antis. Não saudo este regresso de pessimo cheiro.Que falta de respeito por todos os participantes e do proprio blogue.Atenção, não é o conteudo que está em causa,mas a forma como o apresenta.Já alguem lhe pediu para mudar o nome.Peço-lhe para fazer assim: eu o anti c….. passei a sr o Anti relvas por exp.

  4. Eu tenho imensa peninha da Raquelita. Disse que a tinham ameaçado. Não dizendo quem é. Foi bem capaz de ter confundido uma proposta de algum nutricionista para a “matar à fome”… Está GORDA que nem uma charolesa. Mais do que quando mascarada de “independente” carnavalava na Sic. Estas gajas pensam que a malta não tem memória…

  5. A gente lê e não acredita. Magno reconhece:

    1) que a deliberação do organismo a que preside sobre o caso Relvas-Publico não incluía uma palavra da dita deliberação, declarando INACEITÁVEL a pressão do ministro;

    2) que a palavra em falta é, logo por azar, a SÍNTESE do caso;

    3) que foi por CULPA DELE, Magno, e não dos serviços, que essa palavra não apareceu no texto final da deliberação;

    4) que, apesar de tudo, ele, Magno, tem ORGULHO na dita deliberação;

    5) que a deliberação contém, além disso, várias CONTRADIÇÕES E PARADOXOS, mas que também tem orgulho nisso, pois a arte da vida consiste em saber gerir paradoxos.

    É matematicamente impossível reunir um conjunto de provas mais esmagador sobre o cabotinismo de quem declara e admite tais coisas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.