53 thoughts on “Isto na psiquiatria tem nome”

  1. Diogo Ramada Curto, autor do artigo do Público de 2013 acima citado, também deve ser, para Filomena Mónica, outro parolo. Aliás, tirando ela, somos todos parolos…

  2. É evidente que a tortura em países democráticos pode ser analisada num trabalho académico.
    Com ou sem o consentimento tutelar de Filomena Mónica.
    O que não é aceitável num trabalho mais ou menos académico de comentário jornalístico mascarado de recensão é propor, sem mais, que o povo é analfabeto, aldrabão e parolo.
    O que é academicamente parolo?

  3. “O truque consistia em usar o cinto muito apertado, a fim de enfunar a parte de baixo, de forma a poder mostrar os meus joelhos, a parte da anatomia que, a seguir aos tornozelos, considerava ser a mais interessante do meu corpo” – bilhete de identidade duma vaca que emigrou para dar umas quécas.

  4. A Filomena também começa por P, mas não é parola. Depois de passer pelos lençóis que passou, tem a folha toda.

  5. Assim de repente e sem pensar muito:
    Esta gaja quer que a bibliografia citada, não o seja na língua original ? queria o título da obra traduzido ? será que li bem ? E uma gaja que escreve uma alacridade destas está a chamar parolos a quem ?

    Saberá ela que Sócrates escreveu a tese em francês ? e que a DEFENDEU oralmente em francês ?
    Dá trabalho ? É preciso ter mérito ? São precisas ajudas ? concerteza que sim !
    Mas saberá esta gaja o que é “um trabalho académico” e quais são as regras pelas quais se rege ?

    Em Psiquiatria isto tem um nome sim, mas eu até prefiro o nome que tem em português corrente:
    Chama-se DOR DE CORNO.

  6. Não é “alacridade” é ALARVIDADE.

    … é o raio do tablet …

    … ainda estou a digerir a cena de traduzir as referências bibliográficas para a língua do “parolo” que escreve uma tese …

    É simplesmente fantástico que se permita que uma parola destas escreva um artigo de opinião num jornal, a chamar analfabetos, aldrabões e parolos a todos os portugueses .
    Esta gaja é que precisava do tal pau de marmeleiro pelo lombo abaixo, ou acima, enfim, numa direcção qualquer.

  7. AS BESTAS JUNTARAM-SE e ZURRAM sobre o que não sabem. Têm todas um denominador comum. Abesteiram com besteira. Por isso, se entendem tão bem. «Ó pa elas, conversando sempre com elas».
    Depois de uma exaustiva pussyterção sobre asneira, o zurro permanente perguntará o que é o denominador comum.

  8. O cegueta não sabe o que é um “trabalho académico”.
    O cegueta apesar de ter “tirado” duas licenciaturas e três pós-graduações nunca fez uma tese de mestrado e muito menos uma tese de doutoramento.
    Ele faz parte do grupo da parola Filomena Mónica. O grupo daqueles que morrem de inveja daquilo que não conseguem alcançar.
    Sabe lá ele a quem anda aqui a chamar bestas.

  9. Valupi,

    Considero um erro de palmatória a simples insinuação, ainda que irónica, de que esta malta está maluca.
    Pessoalmente, nunca me tinha sido dado observar campanha melhor urdida de esvaziamento do debate politico que seria desejável numa campanha eleitoral. E dar-lhes eco, como aqui fazes, embora com intensão critica, é fazer-lhes um frete.

  10. Rodrigues, com intenção irónica, não crítica, confesso que jamais conseguiria adivinhar a intenção do Valupi.
    Mas eu só devidamente orientado desvio a minha atenção para esses detalhes.

  11. Eu li a tese de mestrado de Sócrates.
    Sim, tenho um exemplar em casa comprado na FNAC. Se o Rorró e o Alex quiserem podem vir cá a casa “investigar”.
    Devo ser uma raridade, visto que segundo a “investigação” o Sócrates mandou comprar todos os exemplares do livro. Ainda não se percebeu muito bem qual é a imputação que lhe fazem. Se acham que ele os comprou por ser vaidoso e querer fazer crer que tinha muito sucesso, não o tendo tido, ou se acham que ele usou o livro para lavar dinheiro.
    Mas a verdade é que há cidadãos que compraram o livro, leram-no, e podem falar dele. Cidadãos como eu.
    E tendo-o lido a minha opinião é a seguinte:
    – O livro é um trabalho sério e honesto. Sem rasgos de originalidade, mas também não lhe era exigido. Mas sério e bem escrito.
    – Críticas como as desta Filomena Mónica fazem parte da campanha negra. Ninguém pode ser tão estúpido que diga o que ela diz, por exemplo, das referências bibliográficas. É apelar às emoções mais básicas e badalhocas. Ela deve estar mesmo convencida que está a escrever para atrasados mentais.
    Veremos em 4 de Outubro quantos são os atrasados mentais.
    – E quem ousou já colocar em causa a autoria do livro de Sócrates é simplesmente um Filho da P… Não há outra classificação possível para tamanha vileza.
    Tenho dito.

  12. jFerra,

    Tinha lido logo de manhã. Até pensei deixar aqui o link . Mas na altura iria parar ao fim de mais um dos episódios da telenovela mexicana que vai correndo nestas cxs de cmts, desisti. Mas diz bem o M Carvalho. Aliás, a cx de coments do aspirina é disso bom exemplo.

  13. Jasmim,

    Tb li o livro. Não o vou comentar. O que comento são os teus comentários sobre os comentários da Mónica.

    A Mónica está-se nas tintas para o rigor ou a justeza da análise. Limita-se a alimentar o fait-divers que tem dispensado a coligação de discutir a governação que teve e o programa que propõe. E nós, pelo simples facto de a discutirmos, justificamos a iniciativa.

  14. Pois então o Valupi que meta aqui as patifarias do Governo para eu comentar que eu comento.
    Estou desejosa de comentar o que esses merdas fizeram durante 4 anos.
    Para começo de conversa sobre que puta de estória foi essa da bancarrota que existiu com uma dívida de 90% do PIB e que agora não existe com uma dívida de 130% do PIB.
    Quem foi que votou contra o PEC4 e mandou abaixo o governo do PS para vir a Troika.
    Quem é que FOI ORGULHOSAMENTE ALÉM DA TROIKA !
    Quem é que Privatizou tudo à fartazana e deu cabo do Estado Social.
    Quem é que deu cabo do Estado de Direito e está a restaurar o SALAZARISMO.
    E o que é que andam a fazer os comunas no meio disto. Andam a segurar na vela !

    Vamos a isso carago !
    É que não aparece aqui nenhum artigo desses para eu comentar !!!!

  15. Só quem não tenha o mínimo de conhecimento da vida académica ou que queira fazer dela aquilo que ela não é coloca da forma como foi colocada a questão da autoria de uma tese de mestrado ou do texto preparado para a sua edição.
    Quem tenha conhecimento de causa, sabe que no árduo trabalho de escrita de uma tese de mestrado, ou mesmo de doutoramento, intervêm múltiplos autores e factores. Uma tese de doutoramento tem um orientador e, se o mestrando for criterioso, ainda a sujeita à crítica prévia de todos os juizes avalizados que conseguir alcançar, colegas e professores. Qualquer deles proporá alterações, correcções, riscará, fará anotações à margem, proporá visitas bibliográficas.
    Na verdade, a tese de um mestrado não tem exclusivamente nem predominantemente o propósito de testar se o mestrando é sábio. Constitui uma unidade curricular, no âmbito da qual se deseja que o mestrando realize aprendizagens, melhore e estenda a sua sociabilidade no meio científico próprio, aprenda a ouvir, a argumentar, a pedir e a dar.
    Realizada a tese de mestrado, ninguém espera que o mestrado se transforme ou tenha transformado num sábio, simplesmente é admitido num dado estádio da hierarquia académica. Está muito longe ainda.
    Na verdade, uma tese de mestrado, ou mesmo de doutoramento, é uma obra colectiva.
    Se Sócrates não fosse capaz de ler Rawls em inglês, alguém lhe teria proposto que lesse em francês, português, ou, simplesmente, não lesse.
    Até porque Rawls está exaustivamente compendiado.

  16. Jasmim,

    Essas sim, são questões pertinentes.
    A elas podes juntar ainda o que é que a coligação pretende fazer com a segurança social, a saúde e a educação. Outra questão verdadeiramente pertinente é a de saber o que é que a esquerda pura e verdadeira está disposta a fazer para travar ( já nem digo inverter ) a deriva que ajudou a criar.

  17. Querem sugestões para travar a campanha porca da Coligação nas Redes Sociais.
    Quem souber fazer que faça uns vídeos compilando as promessas que o Passos e o Portas fizeram na campanha de há 4 anos confrontando com o que fizeram e disseram a seguir. Depois é meter uma voz off e uma legenda a dizer coisas tipo:
    – Foi você que elegeu um Primeiro-Ministro Mentiroso ?
    É tão fácil, porra !
    Se meterem isso a circular vai ser viral.

    Ó sr Valupi passe essa informação à senhora deputada Isabel Moreira.
    Alguém que no PS diga à Juventude Socialista para tratar desse assunto que isso é trabalho para eles.
    Ou está tudo alagado no sofá a lamentar-se ?

  18. Caríssima Jasmim.
    Ainda hoje vou tentar expor-lhe isso num texto com as ideias arrumadas e com coerência.
    Se o PS quisesse alterar, de facto, a derrapagem que parece irreversível do regime para uma nova espécie de salazarismo e se tivesse em atenção o futuro dos portugueses, suscitaria de imediato um episódio de apelação com vista à suspensão dos próximos actos eleitorais sem a reposição da normalidade democrática.

  19. Não percam mais logo à noite os interessantíssimos episódios da novela mexicana com os seguintes actores

    a Boba dele
    o Bobodela

  20. VIVA SALAZAR. Abaixo as BURRAS alapadas aos blogues, desorientadas, badalhocamente BESTAS, que ESTRAGARAM a horta. BURRAS que grafitizam a literatura de Eça, o mesmo que lhes chamou, para a posteridade, ENCARDIDOS.

    BURRAS tacanhas, grosseiras, comunas e xuxas desertoras de marx. INDIGNAS. SALAZAR faz aqui falta.
    Vão pastar.

  21. Muito edificante, senhor cegueta.
    Posso perguntar-lhe como lhe correu hoje a missa?

  22. Ó CÃO SARNENTO FASCISTA

    Agora vais falar de política ou vais sair daqui escorraçado como um cão sarnento de tantas bengaladas que vais levar.

    Que vieste cá fazer ?
    Vieste discutir a FRAUDE da BANCARROTA que nunca o foi ?
    Vieste assumir que foram os teus amigos FASCISTAS que deitaram abaixo o governo do PS para MANDAR VIR A TROIKA ?
    Já pagaste ao Ricardo Salgado por ele ter tirado o tapete ao governo do Sócrates ? foi por isso que lhe mandaste pôr segurança de borla à porta de casa ?

    Cão sarnento fascista
    Vieste assumir que os teus amigos GOVERNARAM ORGULHOSAMENTE ALÉM DA TROIKA e enfiaram o pais num buraco de miséria material e moral ?
    Vieste porque queres confessar a VILANIA das PRIVATIZAÇÔES Á FARTAZANA, da destruição do ESTADO SOCIAL, do verdadeiro ATENTADO CONTRA O ESTADO DE DIREITO EM PORTUGAL que está a ser perpetrado pela Justiça Salazarenta ?

    Cão sarnento, filho de um jumento
    Pobre de espírito que vens aqui fazer ?

  23. A BURRA, sob bipolaridade ostensiva e crescente, escoceia. Deixemo-la, então, escoicear. Logo se cansará. Hoje, de tanto patear, arranjou calosidades nos cascos. Impossível apará-los. O Tratado de Lisboa não prevê atendimento a este tipo de … ressortissant communautaire menor.

    VIVA SALAZAR.

  24. Não ando distraída

    Acho isso pouco.
    Tirando o stand-up comedy na redacção do jornal é frouxo.
    É preciso uma compilação de vídeos impactantes.
    Aquela tirada do gajo a dizer que não corta o 13 mês, aquela com o gajo a mandar emigrar, aquela de ele a chamar piegas, aquela do Cavaco a dizer que os portugueses não podem continuar com a austeridade, etc

  25. Senhor cegueta, encontrou hoje o Ferreira na missa?
    Estou preocupado com ele.
    Mandou prendê-lo?

  26. Cão sarnento, filho de um jumento
    Pobre de espírito que vens aqui fazer ?

    Vens aqui DISCUTIR O PROGRAMA ELEITORAL do teu governo de Fascistas ?

    Ou vens assumir que os FASCISTAS DO TEU GOVERNO desgraçaram o pais e venderam os portugueses para serem escravos dos angolanos e dos chineses ?

    Ou vens assumir o GOLPE que está a ser perpetrado sobre o ESTADO DE DIREITO em Portugal pelos teus ídolos justiceiros, direitolas, alegadamente anti-corruptos ?

  27. A BURRA quer continuar a comer à custa de quem trabalhe para ela. BURRA, vai trabalhar a terra, PRODUZ BURRA. Chega de XUXAR o trabalho de DECENTES que trabalham e pensam. Queres subsídios, BURRA, tu que não trabalhas? Como? Cala-te PRUNES. Enfia-te na sanita, puxa a água e off you go to the gutter.Don´t look back, jerk.

  28. Caríssima Jasmim.
    Agora suscitou-me uma dúvida. Alheia ao contexto.
    Os filhos dos jumentos já nascem com palas nos olhos e albarda? Ou crescem-lhes com os dentes do siso?

  29. À Caríssima Jasmim.
    Introdução 1.
    O crescente aumento da oferta no mercado eleitoral em Portugal permite antecipar um inesperado resgate da confiança do eleitorado português na política.
    É visível, para lá do mais, uma notável expansão na gama disponível dos produtos e na diversidade de soluções tecnológicas amigas do ambiente.
    Dos 23 partidos e coligações que se apresentarão nas próximas eleições, apenas zero não prometem empregos.

  30. À Caríssima Jasmim.
    Introdução 2.
    Neste contexto, o mais abominável é que os mais exorbitados críticos do regime parlamentar e eleitoral vigente que constituiram em 2010 e 2011 a frente de ataque à república que ficou conhecida como movimento dos indignados, ”tout court”, se saem agora no mercado eleitoral com um novo produto.
    O efeito dispersivo torna inviável uma maioria, pelo que, se não fosse absurdo admitir que Cavaco Silva conseguiu mexer em tantos cordelinhos de tantas marionetas, seria de suspeitar que tudo partiu da Presidência da República, com o intuito de obrigar os partidos do ”arco da governação” a um pacto de governação e estabilidade que desde há muito almeja e promove e que tornaria inócua a ideia de oposição, mesmo como palhaçada.

  31. Ninguém notará nessa merda toda.
    Os votos vão ser polarizados como nunca.
    Vá por mim Manuel Castro Nunes.
    E é essa a razão mesquinha pela qual não vê o bloco e os comunas a fazer oposição ao PAF, mas sim ao PS. Porque o voto útil vai ser uma realidade esmagadora.

  32. ” Caríssima Jasmim.
    Ainda hoje vou tentar expor-lhe isso num texto com as ideias arrumadas e com coerência. ”

    Humm … isso parece-me difícil .

    Nota : por causa do humm.
    Este comentário, não é do comentador Numbejonada.

  33. Obrigado, senhor amável. Vou seguir as suas instruções.
    Tem toda a razão. O senhor amável não é o senhor cegueta.
    Será, todavia, que me poderia fazer a fineza de me informar sobre o que aconteceu ao Ferreira?

  34. Agora também é politólago, o polifacetado.

    Consoantes os Blogs e os Perfis em que neles se descreve, ora está em Coimbra, ora em Lisboa, ora em Évora.

    Nuns é historiador, sociólogo, antropólogo, arqueólogo, na variante arqueómano, também, e por aí fora.

    No Feicebuque, posa com varapau na mão.
    Afinal, sempre concluiu o curso de Direito, na variante de Justiça de Fafe.
    Deve ser pós de graduação.
    Digo, paus de graduação.

    Pelo que sabemos, andou em Direito mas desistiu, tem diploma de Letras, e deu aulas de ginástica, professor de educação física.

    Em todos os lados, um traço comum, TRETAS.

    Aqui, como se revela, um palhaço, um bobo e um trapalhão .

  35. Ora, Caríssima Jasmim, eu, pessoalmente, estou convencido de que o PS, ou seja António Costa, porque não é para mim claro que, no actual contexto de erosão, António Costa congregue o PS, não tem grande hipótese de vencer as eleições. Mas, sem dúvida, parece-me impossível que alguém as ganhe com maioria absoluta.
    Pelo que, qualquer que seja o partido ou a coligação que as vença, o único cenário que me parece possível, é a coligação dos ‘’partidos do arco da governação’’. É cedo ainda para adivinhar se uma vitória do PS estilhaçaria o elo da coligação, se os resultados do PS somados aos do CDS garantissem uma maioria absoluta.
    Neste momento, em que todos nós ponderamos horizontes eleitorais e governativos mais ou menos coerentes, no xadrez do jogo político e nos sussurros dos corredores, o jogo é outro.
    A própria Jasmim reconhece que o PS estilhaçou as expectativas de coligação à esquerda, para usar uma dicotomia maniqueísta inteligível, e circunscrever as expectativas de coligação à direita.
    Na hipótese, mais do que provável, de ninguém obter maioria absoluta, tudo indica que a solução já está negociada, com todos os matizes possíveis.
    Se o PS ou Costa quisessem vencer as eleições com resultados que lhe permitissem inverter a orientação política da coligação, não se entenderia, nem imaginando Costa como um crente exacerbado, porque razão Costa ainda não tomou uma posição drástica e imperativa de denúncia da fraude eleitoral nas condições em que as eleições irão decorrer, de denúncia da manipulação quase exclusiva dos meios públicos e privados envolvidos na propaganda, da prisão, por justificar, do ex primeiro ministro José Sócrates, da campanha mediática de dispersão tolerada da informação de modo a comprometer o PS com os crimes alegadamente cometidos por José Sócrates.
    Face a tudo isto, António Costa ancora no chavão de que a justiça é a justiça e a política a política, com tanta veemência que lhe será impossível rasurar o que tem dito e vir dizer que afinal se enganou e não é bem assim.
    Poderemos imaginar António Costa como um alumbrado convicto de que consegue inverter o sentido de rotação da terra.
    Eu não o creio. E creio em que António Costa ganhará sempre as eleições, porque irá sempre governar.
    A António Costa interessa menos enfrentar os riscos de se orientar para uma eventual vitória retumbante do que enfrentar os condicionalismos de ter que realizar um terço do seu programa eleitoral governando com a coligação.
    Se assim não fosse, já teria mobilizado todas as forças e recursos que pode mobilizar para antecipadamente impugnar as eleições nas condições de fraude em que vão decorrer.
    Se António Costa fosse meramente um alumbrado, alguém lhe devia propor com toda a veemência a lucidez.
    Mas não é. Em minha opinião não é.

  36. Posso saber, assim por alto, mais ou menos, qual o motivo do interesse obsessivo do senhor amável na minha pessoa e nas minhas habilidades e habilitações?
    Quer saber como se consegue fazer isso tudo?
    Olhe. Fume pouco, beba menos, coma com frugalidade, faça uns trabalhos rotineiros no campo para enrijar os músculos, beba água. E trabalhe, senhor amável. Trabalhe para não lhe sobrar o tempo para a cólera, para a inveja, para a gula e para o ressentimento.
    Mas, sobretudo, respire ar puro.
    Vai ver que as coisas se compõem. E deixará de ter de si próprio uma imagem tão deprimente.

    Já conseguiu saber do Ferreira?

    PS. Ainda não conhece os meus trabalhos sobre etnopsiquiatria, que é a ciência e arte que substituíu essa tralha da psiquiatria e da sociologia. Escrevi também um ensaio sobre febres catarrais. Deixe de fumar, senhor amável, deixe de fumar. E endireite as costas, homem!

  37. A luz implacável da candeia José Sócrates continua a iluminar a praça. Sem ela não saberiamos o quanto Filomena Mónica, a que pretende fazer crítica a um livro comentando uma frase da introdução e uma referência bibliográfica, num texto “alargado” de 9 parágrafos de considerações pessoais sobre um indivíduo que está numa prisão, é parola, aldrabona e sem carácter.

  38. Ó Bobadela, a diferença entre si e o senhor Manuel de Castro Nunes é que ele não teve problema em colocar aqui o seu nome, o seu perfil de facebook, (se o viu com o pau na mão,não viu muito) e a ligação para o seu blogue, que por acaso já foi linkado no Aspirina a propósito de um assunto dos Miró. Mas é óbvio que ao Aspirina interessa mais os posts que possam beneficiar o PS. Daí a escolha. O resto só interessa a quem quiser ver, o que não é o caso da bobadela boba que escolhe o insulto fácil para ver se deita abaixo quem sempre deu a cara.Deixe- me rir, você é uma anedota. Você não quer perceber coisa nenhuma do que é contado naquele blogue. É ignorante, inculta e nem sequer comenta os temas, veio só insultar um comentador a coberto do anonimato, deplorável, boba e deplorável. Nem digo mais para não descer ao seunível. Pode contudo vir cá contar o resto, aquilo que toda a gente já sabe, coloque ligações de pasquins, blogues, feiiseebuques onde às escondidas a bobadela vai ler o perfil ABERTO do Manuel. Faça isso tudo, cobarde e desça mais. Passe bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.