Isto na psiquiatria tem nome

Mais: um dos médicos que integraram o júri do concurso de 2000, Luís Cunha Ribeiro, actual presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, viveu desde 2004 num apartamento de Lalanda e Castro. E onde fica esse apartamento? No prédio Heron Castilho, popularizado pelo engenheiro José Sócrates, que foi empregado de Lalanda e Castro na Octapharma entre 2012 e 2014 — e de onde Luís Cunha Ribeiro terá saído já depois da prisão do ex-primeiro-ministro. Questionado pela TVI, Cunha Ribeiro, apesar de ocupar presentemente funções públicas, não apresentou qualquer informação acerca do seu contrato de arrendamento. Talvez Paulo Lalanda e Castro nos queira esclarecer a todos quanto a isso, já que entende que as considerações que sobre ele faço são tão injustas e tão imerecidas.


A questão do plasma português

54 thoughts on “Isto na psiquiatria tem nome”

  1. por falar em considerações, eu também considero que este JMT é o negativo da imagem que é reflectida pelos super magistrados, só que ao contrário destes, não tem que provar nada.

    Com tanto cuspir para o ar, qualquer dia ainda lhe cai na boca.

  2. Meu caríssimo amigo Valupi!
    Tens vindo a publicar uma sequência de posts com este título.
    Vamos a uma questão de método. Isto não é do domínio da psiquiatria, até porque a psiquiatria tem como fim e propósito a cura, mesmo que tenha feito do pressuposto da cura a análise, mais a análise, é verdade, do que a cura. O aspecto específico da psiquiatria é, de facto, dar predominância ao diagnóstico e à ”explicação” da enfermidade do que à cura, que passa a ser mais do foro do enfermo do que do terapeuta. A psiquiatria é uma arte e ciência socrática, em que o terapeuta se coloca no papel da parteira socrática, na expectativa de que a ideia ilumine o paciente.
    Mesmo assim, esta ”enfermidade” não tem cura, nem por intermédio da vontade iluminada do enfermo, nem por acção taumatúrigica ou traumatúrgica do terapeuta.
    Isto não é uma enfermidade, caríssimo amigo Valupi. É um tique social e político.
    Poderemos invocar a etnopsiquiatria, o transpersonalismo de Palo Alto, as ciências e artes militares de acesso e resgate da verdade, o interrogatório judicial, o escrutínio público, para tentar analiticamente alcançar a raiz desta etologia. Tudo acabará por se ”atascar” num pântano. Porque isto é política. Nada mais. É o jogo pragmático da política que tanto celebras.
    Vamos a um episódio de pristina leitura e hermenêutica.
    Sócrates vendeu o seu apartamento na Rua Castilho. Muito bem, era dele, pode fazer o que bem lhe apetecer.
    Mas Sócrates é acusado de vários crimes. Entre eles branqueamento de capitais e corrupção.
    Então, na posse de dados tão irrefutáveis como os que têm sido apresentados publicamente, o ministério público, na pessoa do procurador Rosário Teixeira, não arrestou os bens de José Sócrates? Não arrestou o apartamento da Rua Castilho?
    Porquê? Para que Sócrates possa pagar a dívida ao amigo Santos Silva antes de pagar o que, alegadamente, deve ao erário público?
    Achas, Valupi, que isto é do domínio da psiquiatria?
    Tu és psiquiatra, Valupi? Ou emigraste da sociologia para a etnopsiquiatria para te vestires à moda?
    És muito complacente com a presunta liberdade de informar.

  3. Portanto, ainda vamos ver o Paulo Lalanda e Castro a fazer «press conferences» na TV, através do advogado, este só ataca depois da acusação. Descansem, ó defensores da inocência do homem – Sócrates não está sózinho, está «entalado» mas tem companhia.

    O «Sr. Paulo» tem boa conversa, ri muito, pode perder uma tarde a conversar de «coisas», etce e tal.

    O Dr. Cunha Ribeiro, hum, devia tomar mais atenção…

  4. «Talvez Paulo Lalanda e Castro nos queira esclarecer a todos quanto a isso, já que entende que as considerações que sobre ele faço são tão injustas e tão imerecidas.»

    Sim, pode escrever isso, à vontade e, como o «POVO» diz agora « à vontadinha».

    Claro que o título está correto. Muito correto. Corretissímo. Na verdade, até pode acrescentar a seguinte questão:

    Porque razão, PCastro, ocupado com produtos farmacêuticos, com uma visão ( aparente do que é correto e incorreto) se liga a figuras como Sócrates – ex governante- e (Dr.) Cunha Ribeiro, ex diretor de um certo serviço de um certo hospital português? O que o motivou? Foi motivado? Ou…motivou alguém? Está alguém por tras de Sócrates ou não? Mas sendo o caso, porque não fala este?
    Hum…A Suiça integra o espaço Schengen….

  5. E, CLARO – clarinho como a águinha lavada! Quem está limpinho, procura advogados …limpinhos. Quem tem o traseiro entalado, acerca-se de outros menos limpinhos, daqueles que gostam de dar puns nos processos, tão a ver, do género quando o que se comeu não caíu bem e é preciso desviar a atenção.

    Aposto que o «Sr. Paulo» hoje já não se ri tanto. Será que ele viu aquela reportagem que deu há pouco sobre derivados sanguíneos…? Ó! «Sr. Paulo»?! Tome atenção, que aquela porcaria, sim que aquilo é uma porcaria, MAS, tem pode ter algo lá.

    E, portanto, o post continua a estar certo, muito certo. Ó Valupi, pá, de vez em quando acertas no target.

  6. A« reportagem de investigação da TVI O Negócio do Plasma, assinada por Alexandra Borges e transmitida há cerca de dois meses» é UM ALGO ERRADO. A alegada jornalista mistura ALHOS e BOGALHOS, chega a DESINFORMAR. A mulher comete calinadas em vários passos do exercício de porcaria que fez. E manteve-o num programa da treta, onde compareceu. Porém, a TRETA que apresenta gerou questões sobre Paulo Lalanda, Sócrates e outros.
    Isso do plasma…não é chamado ao assunto, a alegada jornalista só lhe apeteceu falar da coisa, desinformando, evidentemente.

  7. O computador é a caneta mais poderosa do mundo. Quando o computador está nas mãos erradas, funciona como uma gaveta aberta, que se mexe e remexe quando se procura algo avidamente, só para tramar alguém. Encontra-se sempre alguma coisinha que se enforma com isto e com aquilo.
    Ora, porque será que a dita Alexandra Borges DECIDIU fazer tal…reportagem? A que propósito?
    LOL.

  8. Não sei se é um problema de psiquiatria mas, o escriba em questão
    sofre de um síndrome de bufo com complicações socráticas pois, de
    duas em duas linha que escreve lá vem a citação de José Sócrates!!!

  9. manuel castro nunes diz ” socrates é acusado de varios crimes,entre eles corrupçao e branqueamento”.´pergunto: já provaram isso? se sim avancem com a acusação para posterior julgamento.socrates disse outro dia ouviu?” estou aqui há noves meses e ainda não me acusaram de nada”. depois de me investigarem durante ano e meio.deixe de ler o correio da manhã e de ser facioso.

  10. Como inexiste acusação, errada está a afirmação que o homem está acusado do que quer que seja.
    Igualmente, errado está dizer-se que ele está indiciado de algo. Isso, porém, não obsta a que se tenha autuado investigação no sentido de se verificar factos que poderão vir a indiciar corrupção, fraude e outros crimes. Sendo o caso, o seu autor será julgado.
    Como a investigação fez concluír que determinadas posturas do investigado poderiam perturbar, decretou-se a prisão preventiva. Havendo prazos para se concluírem procedimentos, que não foram violados, qual é o problema de alguns quando reagem tão violentamente ao decurso do processo?
    O que é tão difícil de entender nisto? Na verdade, um ex – governante, por saber que tem apoiantes populares, não devia sequer manifestar-se contra o sistema, que ele próprio governou. Tal só lhe fica mal e o desqualifica, por completo, para qualquer preenchimento político. E, claro, o «lixa» em todo o processo…

  11. Não é assim tão simples como o cegueta veio agora anunciar!
    Para além da honorabilidade do visado e o seu bom nome, está
    em causa o prestígio do País por ter uma Justiça que não está a
    funcionar bem … quantos investidores se retrairam ? Não ajuda
    a nossa economia este tipo de actuação dos operadores judiciais
    que, nem o segredo das investigações sabem guardar!!!

  12. Portugal tem muitos problemas que podem solucionar-se. Porém, se o principal, qual seja mentalidade e/ou entendimento da realidade. Se isso não se soluciona, o País será a DESGRAÇA inteletual que se constata. Não sabem, porém, promovem o absurdo. E chocam-se como ACÓRDÃOS, designadamente do Tribunal Constitucional. Não me lembro de ver os VISIONÁRIOS a discutir o seu conteúdo, não obstante um dos acórdãos aqui ter sido publicado. Logo, quem se sente DEFRAUDADO tem bom remédio, qual seja na qualidade de cidadão, promova a sua cidadania junto dos tribunais e ACABA com alegadas perseguições. Se tanto sabem, se tanto discursam, choram indignidade, ATUEM. Não chamem cego a quem…vê. Parece mal e pior ainda quando o dono do blog já pediu para se acabara filosofia daa pronúncia inadequada.

    Nda tenho contra os bufos, quando estes dizem a verdade e podem ajudar…

  13. táva convencido que isto tinha voltado ao normal, mas afinal a secção da ordinarice continua ligada à redação do manhólas.

  14. Pelas 17:40 numbejonada deixou-nos uma belissima sintese daquilo que tem sido o essencial da sua contribuição quando se discute neste blog o processo Sócrtares.

    E que nos diz ele mais uma vez? Que tudo é normal! É normal indiciar-se um ex-pm por corrupção, é normal po-lo em preventiva o tempo que bem se entenda, é normal que esse processo crie e mantenha um inaceitável manto de suspeição sobre toda a governação do ps, sobre o ps, e por conseguinte, é também normal que deste modo a justiça condicione objectivamente a politica.
    Mas quanto ao facto de o preso estrebuchar, que nos diz o escriba ? Que não é normal ! Que se não gosta do que lhe está a contecer, tivesse pensado nisso antes. Portanto, deve comer e calar!

    Numbejonada: em todo este processo eu só encontro uma coisa normal, a saber, o modus operandi duma certa direita de interesses que nunca olhou a meios para conquistar e se manter no poder e da qual o senhorito se tem revelado competente criado. No resto, não vejo nada de normal , pelo que farei tudo o que estiver ao meu alcance para combater a “normalidade” que você vem aqui promover. Uma das formas de o fazer será já a 4 de out fp, com o meu voto no PS.

  15. mas se é assim, lá vai: o lalanda vende consumíveis no ramo da saúde, não é ele que define as políticas de saúde ou decide os concursos públicos. as suspeições levantadas pelo tavares e as insinuações do filho da puta habitual servem para alimentar a rádio antral e caso houvesse alguma veleidade dos procuradeiros de serviço ao caso sócras em investigar estas cenas, logo tocariam campaínhas a desmobilizar, já o tentaram no passado e cada cavadela põe a descoberto esqueletos da coligação que atingem directamente actuais governantes e cavacal na prateleira. este tipo de postes serve exactamente o fim a que se propõe o tavares e dá emprego a bué de caluniadores tipo numbejonada, o filho de puta do regime de plantão ao aspirina.

  16. MRocha,

    Você ilustra o que escrevi acima. Noto, no entanto, que a expressão «cegueta» aqui tem sido recorrentemente imputada a outros, p.e. eu.

    Disse e REPITO: o PROCESSO é normal. Diz-se que um processo é NORMAL, quando o mesmo é legalmente tramitado. Tem provas do contrário? Apresente. Como diz que tudo fará ao seu alcance, MEXA-SE. Está um cidadão detido.

    Não esqueça de considerar o acórdão do TC, e, se o dono do dispensário encontrar outros e os quiser publicar aqui, também os podemos…ler e discutir.
    O que NÃO É NORMAL é não se aceitar a normalidade (processual) do PROCESSO, porque não se admite que eventual corrupção, branqueamento e fraude tenha sido praticada por ex – governantes xuxas.

    O detido já foi «indiciado»? Sim, quando?
    A lei foi violada? Sim? No quê? MEXA-SE.

    O homem está em prisão preventiva pelo «tempo que bem se entenda»? Sim? Já passou o prazo legal? Quando? Os pressupostos da medida não têm sido apreciados? Não? Então, o advogado do detido andou a fazer o quê? Quer ler o acórdão do TC? Leia devagar. E MEXA-SE.

    Como se refere a quem o ENSINA a si como escriba, não acha que, por não saber ler nem entender o que o alegado escriba profere, está na hora de pedir ajuda a alguém que verbalize junto de um tribunal ( também pode ser supra – nacional) a sua RAZÃO – a razão do MRocha, indignado porque há anomalias na horta? Tente, MEXA-SE.
    Afinal, não diz que «farei tudo o que estiver ao meu alcance para combater a “normalidade” que você vem aqui promover». Vamos lá, tente. Basta um requerimento. Não houve alguém que pagou um outdoor não sei onde?! Então, faça lá tudo ao seu alcance para os efeitos que pretende! MEXA-SE.

    Há um « inaceitável manto de suspeição»? Inaceitável porquê?
    Direita? Mas esta falou do processo em causa? Parece-me que seguiu António Costa, não é?
    Vote em quem quiser. Eu não voto. Sabe porquê? Porque não me desloco para votar em asnos! São os mesmos de há muitos e longos anos. Atenção: que com isso a minha pessoa não se alheia do que se passa. Agonia-me é ver gente que não entende, votar. Isso é que é MUITO GRAVE e PERIGOSO.

  17. IGNARALHO, isso és tu…já te disse que eu não sou o teu espelho. Mas o nome cai-te na perfeição, as «24 horas» com invetivas são todas tuas e servem-te como a ninguém.
    Os teus asneiroargumentos lembram -me o …Saramago. O tipo escreve, escreve, escreve e nem respeita o palavrão, mandando-o para o ar, porque pensa que tem para quedas e só cai onde quer.

  18. Há muito tempo que José Sócrates dá o comer a João Miguel Tavares e outros que tais. Sem ele esta gente via-se à brocha para aguentar a sua clientela de invejosos fossa vidas.

  19. Caro Rocha.
    Vou comentar a resposta de outro comentador cujo nome não posso pronunciar, porque, usando o próprio que ele usa ou o sinónimo que temos, na paródia, usado, o Caro Rocha sabe a quem me refiro.
    Ora, o processo é NORMAL. E diz-se que um processo é NORMAL quando é legalmente tramitado.
    Eu não sei o que possa ser um processo NORMAL, mas, se anormal é o que eu penso, mesmo depois de legalmente tramitado, pode, em qualquer outra instância passar a anormal. Pelo que alegar que ele é normal é sempre uma alegação transitória e precária.
    Também não entendo porque razão nós não podemos nomear o nosso comentador recorrendo a um sinónimo. Uma vez que, colectivamente, muitos comentadores socialistas que aqui estão são consecutivamente nomeados como ”XUXAS”. Xuxas não é sinónimo de socialistas.
    O que é um processo NORMAL?
    Quando eu voto, quando atiro o meu voto para dentro da urna, ninguém me pergunta se eu acho o processo x ou y normais. Mas, um dia destes, vão passar a perguntar. O boletim de voto terá uma rubrica extraordinária onde o eleitor terá que assinalar se acha normal.
    Se não, o voto é nulo.

  20. a próxima alteração dos boletins de voto é existência de 2 códradinhos para botar 2 cruzinhas dos eleitores que votam na coligação, no fim somam-se as cruzinhas e obtém-se a votação do páfreaças.

  21. Nunes,

    Exactamente.

    Do facto de um processo decorrer ( eventualmente, pois não tem havido unanimidade nessa apreciação )de acordo com o normativo da burocracia instalada na Justiça, não faz dele um acontecimento politico e social frequente, i.é, “normal”. Afinal desde o dia 25 de Abril que não havia um PM preso. Julgo que não é preciso ser um génio para perceber isso. E a separação desses planos de “normalidade” só é defensável em função dos objectivos omissos de quem objectivamente lhe interessa manipular a seu favor o alarme social que a situação gerou. Não fosse assim e ninguém entenderia o zelo dos sabujos de serviço: a mensagem de “normalidade” precisa de passar para credibilizar uma pena sem crime. Isto não é um problema de psiquiatria. É mera filha-da-putice aplicada. E bem pode ladrar quem para isso é pago que não consegue demonstrar o contrário.

  22. Portanto, percebido está porque é que Direito não é para todos. Percebem agora porque não entendem?

    E percebem agora porque razão é que Sócrates está detido? Eu explico: ele não tem argumentos, deve estar a condicionar a sua defesa trama a defesa do advogado e, depois dá no que dá – p.e . o acórdão do TC ( que tem LÁ TUDO!).
    Acresce que a arrogância e a deselegância têm pernas muito curtas, são irmãs da mentira e esta apanha-se rapidamente, mais ainda, quando está documentada.
    Ora para quem se arroga o autor do MÉTODO cartesiano ( pobre Descartes), não há dúvida que as escadas de Direito são subidas devidamente por quem tem canetas para tal. São descidas num ápice por quem pensa que Direito é a soma da fanfarronice, três palavras arcaicas e um discurso gongórico. Hum.

  23. Afinal desde o dia 25 de Abril que não havia um PM preso

    Só uma pequena nota para precisar, que nem desde o 25/4, nem antes.

  24. Breve nota,

    Para todos os efeitos Marcelo Caetano foi preso pelo Salgueiro Maia. Sei que não é a mesma coisa, mas…

    Ultima nota numa questão: quando se verifica que a maioria das pessoas a quem se aplica o Direito não o entende, onde é que estará o problema ? Nas pessoas ou no Direito ? Responda quem souber…..

  25. MRocha o cegueta não muda o discurso, é tipo cassete. Deixou-se de insultos, porque sabe que vai ser barrado.

  26. Caríssimo Rocha.
    O direito não é para todos, todos nós sabemos. É para juizes, procuradores e advogados.
    Não se entende porque razão eles teriam que inventar o resto das pessoas, nomeadamente os criminosos, que nada entendem de direito, podiam jogar o jogo sozinhos e prenderem-se uns aos outros à vez.
    Mas o monopólio também não se pode jogar sem fichas, sem estações, prédios, bairros, estátuas e praças.
    O direito não se consegue jogar sem néscios.

  27. Senhor Castro Nunes,

    Quando o estava a ler não tive como não me recordar das peripécias que rodearam a minha tentativa de legalizar um pequeno turismo rural numa propriedadezinha que herdei dos meus pais nas margens da ribeira de Odeceixe. É que, fazendo aquela ribeira a divisão entre o algarve e o alentejo, verifica-se que a mesma lei tem duas interpretações completamente diferentes, consoante se esteja numa ou noutra margem, embora a classificação seja comun a ambas ( reserva ecológica ). Questionados sobre a perplexidade que a situação causa a todos, respondem os senhores das direcções regionais de economia que se trata de interpretações diferentes do “espirito da lei”. Ou seja, aos comuns não basta ser capaz de ler o que a lei diz, pois para a cumprir teriamos de ter o poder de contactar o “além” para lhe “escutar o espirito”.
    Por estas e outras que tais é que a sabedoria popular nos ensina que mais vale um mau acordo que uma boa sentença.

  28. Caríssimo Senhor Alvorada.
    Eu tenho um tique, talvez uma mania, ou talvez ainda um vício de leitor apressado. Quando leio um livro, um ensaio ou uma simples notícia, leio sempre ao contrário, de baixo para cima. De modo que comecei a ler o seu comentário pelo parágrafo final. Fiquei a cogitar até chegar ao seu nome, porque, assim à primeira vista, me pareceu que aquele cujo nome não é pronunciável, em nome daquele cujo nome também não é pronunciável mas diz representar, com intuito de me aliviar de uma sentença, me vinha propor um acordo.
    Infelizmente não é o caso. Mas, na verdade, eu nunca conheci um comum mortal que tivesse tido a iniciativa de um acordo. A maioria dos mortais nem sabe em que condições se pode realizar ou ter a iniciativa de um acordo, é matéria muito complexa de direito e, de facto, como bem diz, nada tem que ver com o espírito nem a letra da lei, embora a letra da lei deixe espaço de manobra e ”agilidade” para que juizes e advogados possam realizar acordos, em nome do interesse e bem estar dos comuns mortais.
    Segundo entendi, o Caríssimo Senhor Alvorada quer sugerir, com o seu exemplo pessoal, que a lei não tem espírito ou que, se o tem, ele é inalcançável pelos comuns mortais e só alcançável por juizes, advogados e outros sujeitos de direito, como directores regionais, que, quando o jogo empata, propõem aos comuns mortais o desempate por penalties, para usar uma linguagem muito em voga.
    Ora, se assim é, não acha que tenho razão quando digo que isto é um jogo?

  29. Numbejonada, na tua opinião os tribunais plenários do teu finado querido também eram normais?
    E os do Egipto de hoje?
    E os de Angola a julgarem o Rafael?
    E o TIC que manteve um deputado e nº 2 do PS preso, só porque um sacana de um puto esperto lhes disse que tinha visto a defeituosa pila do homem, defeito muitissimo procurado e até hoje não encontrado?
    Para ti a normalidade é tudo o que a justiça possa fazer contra um cidadão desde que seja um socialista?

  30. Caríssimo Senhor Alvorada.
    Eu percebi. Estava apenas a fazer ironia.
    Perdoe-me ter dado a volta ao seu texto para alcançar esse propósito.
    Penso que compreenderá. Tenho que evitar dirigir-me àquele cujo nome não e pronunciável.
    Um Abraço!

  31. alguns gajos de direito que andam aqui,não têm clientes e por isso fodem o juizo, a quem não tem culpa da opção que fizeram. com o material que já têm sobre o preso 44 ,façam no aspirina uma simulação do seu julgamento para a malta se rir um pouco em tempo de crise!

  32. Caríssima Fifi.
    A simulação do julgamento do 44 está feita.
    Mas, na verdade, nenhum de nós tem clientes e estamos todos de férias. É a crise.
    Chegou pois a deixa para a Caríssima Fifi dizer: Vai trabalhar malandro!

  33. Pessoal, mas não sereis capazes de comentar sem ser em torno de mim?

    Diz o MRocha
    «Ultima nota numa questão: quando se verifica que a maioria das pessoas a quem se aplica o Direito não o entende, onde é que estará o problema ? Nas pessoas ou no Direito ? Responda quem souber…..»

    Sim, há um problema, o qual começa quando os leigos comentam o que desconhecem. A ignorância da lei não aproveita a ninguém – esta é a lei. Quando a mesma é explicada e, ainda assim, os aludidos leigos persistem no comentário ignorante, o problema agrava-se e reside definitivamente em quem não tem a inteligência bastante para mudar.
    Percebem, agora, a pedra de Sísifo? Vá, continuem a subir empurrando com toda a vossa força, depois mandem-na para baixo e depois repitam e repitam. Claro está que a psiquiatria tem nome para isso.

  34. FIFI,

    A sua bola de cristal é chinesa. Como a dos outros.
    Você está atrasado. Oiça, a que julgamento se refere? Se se refere ao do 44 tem de esperar, mais um pouco, será tanto mais rápido quanto mais rápido também, o detido se deixar de brincadeiras. P.e não caír na tentação de abrir instrução.

    Naturalmente que isso o deixa nervoso. Eu não leio todos os comentários, mas creio que você é daqueles que defende que não se deve processar ex – governantes, desde que sejam de esquerda, não é?

    Bem, olhe que se aquilo se prova( não é agora), a dose é à Vale e Azevedo. E, e, e! Reze para que não haja processos autónomos, que a medida estica, estica, e estica, como os prazos para investigação.

  35. ”Pessoal, mas não sereis capazes de comentar sem ser em torno de mim?´´

    Então e eu???!!!!

  36. Meu caro,

    Mas…sabe V. Ex.ª que o gerente do dispensário nos tem sob rigorosa moderação. Pretendeis algum esclarecimento? Sabe que entre escritas despachadas, sempre se pode, informar V. Ex.ª de algo. Dizei-me, alguma coisa relacionada com a constituição de assistente? Eu não despacho nesse processo…

  37. Todas as comunidades têm os seus parasitas
    O caso das comunidades humanas é nesse particular muito especial, por duas razõesa saber:
    (i)porque os principais parasitas dos homens são outros homens;
    (ii)e porque os homens-parasita são dotados da invulgar capacidade de inventar a sua própria “necessidade” para desse modo se legitimarem socialmente perante os néscios .

    Na tentativa desesperada de se ver livre deste ciclo infernal, há uns tantos que enviam os seus filhos para as faculdades de direito. A esperança é que, percebendo aquele enredo, lhes seja possivel encontrar saida para o judicialismo de merda em que estamos atascados. Espera-se que transformem a lei em textos claros e facilmente inteligiveis, o direito num conjunto de regras que não seja susceptivel de interpretações contraditórias, o processo penal num procedimento não arbitrário. No entanto o resultado não é de todo este. Os novos deixam-se comer pelos velhos e passado pouco tempo adoptam-lhes não só o modo de vida como também o discurso. E que discurso é esse? Essencialmente o seguinte: Eles são o Principio e o Fim ; nós, o meio-hospedeiro .

  38. EHEHEHEHEHE, LOL.

    Eu percebo, eu percebo porque o texto do Ilustre Rodrigues foi publicado. Fogo, cai que nem luva sob o título do post.

    O dono do dispensário tem agora de procurar algo em sede de Carentes de terapia, para ver se se livram desse pecado mortal que é a inveja. De repente, passou-se a falar de Direito e mais Direito, ofendendo-se magistrados – o pilar da nossa sociedade. Sem eles, onde estaríamos? Onde estaríamos?

  39. «Espera-se que transformem a lei em textos claros e facilmente inteligiveis, o direito num conjunto de regras que não seja susceptivel de interpretações contraditórias, o processo penal num procedimento não arbitrário. »

    Esqueceste-te de mencionar que esperas o HOMEM PERFEITO, onde os interesses inexistam e, por isso, não haja conflitos. Sócrates ( o antigo) dizia que isso era impossível por causa da imperfeição da mulher….

  40. Sem eles onde estariamos?
    Estariamos um pouco melhor do que se não tivessemos agricultores, pescadores ou engenheiros.

    O comentário do Rodrigues é dos melhores que já li nesta casa.

  41. Manuel Castro Nunes disse:

    “Então, na posse de dados tão irrefutáveis como os que têm sido apresentados publicamente, o ministério público, na pessoa do procurador Rosário Teixeira, não arrestou os bens de José Sócrates? Não arrestou o apartamento da Rua Castilho?
    Porquê? Para que Sócrates possa pagar a dívida ao amigo Santos Silva antes de pagar o que, alegadamente, deve ao erário público?”

    Já me tinha interrogado sobre isso. Também não consigo compreender.
    Aliás este processo é todo ele incompreensível.
    Se não fosse gravíssimo, por estar um homem preso (e não apenas ele), isto seria classificável como uma PALHAÇADA, ou parafraseando o advogado de Sócrates, uma “chuchadeira” !

  42. Ai se se prova o que o Sr. Advogado alvitra, isto é, que aquilo tudo foi uma « chuchadeira».

    Fogo,nem o gajo dos gato fedorento. Ele é cada uma!

  43. Caríssima Jasmim.
    Sempre que pronunciar o meu nome, toca um alarme no impronunciável.
    Entendeu, Jasmim?
    Sempre que pronunciar o meu nome, toca um alarme no impronunciável.
    Experimente trocar e usar TROCAS, que é anagrama de Castro. Pode ser que consigamos iludir o mecanismo.

  44. Penso que sim, Teodoro, ninguém se preocupa com ele. Foi usado e votado ao abandono.
    De resto, olhando para trás, nem se percebe o papel do Perna na narrativa.
    Poderia ter entrado na novela como testemunha, mas teve o azar de ter uma arma ilegal em casa.
    Se o Teodoro me explicar o papel do Perna na narrativa pago-lhe um jantar.

  45. Então TROCAS ? Não me desiluda !

    O Perna foi preso para partilhar a mesma cela do amigo Carlos Santos Silva e sacar-lhe a “confissão” de que o dinheiro era do Sócrates!
    Mas essa manha processual foi o primeiro fiasco do senhor Procurador.
    De modos que tiveram de partir para outras, e com isso também faleceram as malas cheias de dinheiro a viajar de carro de Lisboa até Paris. Progrediu-se então para os envelopes …

  46. Por falar em psiquiatria, e já que estamos com a mão na massa, que é que acham a um estado que adoptasse uma política de perfile discreto género, impostos baixos e benesses mínimas.
    É que eu já tenho experiência de um estado de impostos altos e serviços mínimos.
    E isto dá-me cabo da cabeça daí a ficar maluco, é um saltinho de pardal.
    E eu que sou um liberal ( no bom sentido ) não quero viver encostado ao estado nem quero que o estado viva encostado a mim .
    Quem é que deverá dar o primeiro passo para o desencosto ?
    Eu cá tenho a minha ideia e penso que será muito difícil . O problema chama-se corporativismo e é filho da democracia orgânica. Foi parida pela Constituição de 1933 e parasita até aos nossos dias .
    É uma merda !
    Alguém pode ajudar para ver por onde se deverá começar a desmantelar ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.