Inconstâncios

Aqueles que culparam Constâncio pelas golpadas no BCP, BPN e BPP, estão agora a citá-lo por causa das obras públicas. Estes cata-ventos, contudo, não estão ligados à rede energética nacional. Se estivessem, as importações de petróleo cairiam para metade.

8 thoughts on “Inconstâncios”

  1. Tens a certeza? Não é também o governador do BdP um monstruoso gerador eólico?

    Se ele tem está opinião porque não a expressou antes? Agora já não tem necessidade de ser sabujo?

  2. Constâncio, Guterres, Durão Barroso, são “cromos” portugueses da confiança do FED, Banco Mundial, FMI, etc. e tal… Tudo bons rapazes …

  3. Essa reviravolta no discurso, além de assentar em “interpretações” (porque o que o homem disse foi que se isso acontecesse “era normal”) e não constituir qualquer surpresa, é já uma constante na oposição!

    Tão responsáveis que eles são, mas se puderem passar rasteiras não olham a meios: http://politicaevida.blogspot.com/2010/05/gato-escondido-com-o-rabo-de-fora.html

    Começa-se a sentir com maior intensidade o cheiro a podridão… mas pior que estes só o “guerrilheiro” da Fenprof… http://politicaevida.blogspot.com/2010/05/quem-e-que-acredita.html

    Já tresanda…

  4. O homem inconstâncio agora já pode dizer o que lhe apetecer, já não precisa do Governo de Portugal para nada :-D

    Infelizmente em Portugal os políticos mudam de opinião muito rapidamente e com demasiada frequência. Mudar de opinião não é sim mau. O que pode ser mau são os motivos ou a sua alteração, está a ver não está?

    Gente como o Victor Constâncio nunca fizeram falta nem nunca farão ao país. Não passam de uns oportunistas que nunca fizeram nada de útil.

    A melhor comparação que posso fazer ao V. Constâncio é o Durão Burroso.

  5. Muito boa, esta piada aos cata-ventos dos jornalistas e politicos da nossa praça!
    Quanto às observações de Constâncio, a verdade é que o panorama da especulação financeira destas duas últimas semanas dos “malditos” mercados bolsistas, forçam a uma prudente reflexão de algumas obras públicas…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.