14 thoughts on “How low can you go?”

  1. Pois é, Val…eu bem queria (e acredito que muiots outros) que o Semhor terminasse o mandato com o mínimo de dignidade (já não peço mais) mas sempre que abre a boca estraga tudo.
    Temos que continuar a arrear-lhe.
    A culpa é dele, não nossa.
    Bom fim de semana

  2. Este “desabafo” – que odor – presidencial só vem confirmar que o homem está longe de tudo e todos.
    Com um pouco de esforço nosso, faremos por ignorar a sua existência.
    Em alternativa , ganhamos motivo para piadas…….

  3. O homem está mesmo taralhoco… como pode estar surpreendido com o nível de desemprego… parece que ele não seguiu a governação Socrática e afins ao longo destes anos.

  4. o bolicao goza com os bimbos e ninguém lhe atira um balde de merda aos cornos. foda-se, é preciso desfaçatez, argumenta com 10 anos de primeiro, 6 de presidente, bué d’eleições ganhas a 50% e não tem o mínimo de noção da realidade do país que lhe paga o ordenado, isto era motivo para despedimento por justa causa em qualquer loja pingo doce. enquanto este impedimento for presidente estaremos fodidos.

  5. Confirma-se. O homem não conhece o país em que vive, nem sabe quais são os maiores problemas que os seus concidadãos enfrentam. Só ele e a Maria no Lar de Idosos de Belém não acompanham a evolução da sociedade. E é pena.
    As perguntas que a CS lhe fez, com toda a evidência, foram preparadas previamente e ele já levava as respostas na ponta da língua. Plissou, apenas, quando uma jornalista lhe perguntou se já sabia o valor da sua reforma do BP. Esta terá fugido do alinhamento e ele acabou por nada responder, com receio de voltar a meter água.
    É o que tem para PR este desgraçado país!

  6. Em Montechoro tinhas uns GNR que tomavam conta das toalhas de praia, em Belém a GNR não lhe deixa ver o país onde vive. Raio de azar…

  7. Já não tenho dúvidas: o homem embriagou-se permanentemente com a imagem que faz de si próprio e está psicótico. Hoje parecia o “plerisidente da xuunta” a falar…ah, porque já vou para os 16 anos de poder e tal…e qual era a pergunta?…pois e orgulho-me, com muita honra….sou o mais honesto. Internem-no, por favor.Isto é embaraçoso.

  8. O FMI nomeou para Portugal um novo chefe de missão: Abebe Aemro Selassie, com um apelido igual ao do antigo Negus, seu conterrâneo, Hailé Selassié de seu nome, o Imperador (ver o livro homónimo de Riszard Kapuscinski sobre o fim do regime desse senhor, uma das coisas mais delirantes que já li), que nos anos 60 visitou o Portugal do Botas, talvez com a espinhosa missão de o dissuadir de manter as colónias.
    Será competente este novo Seleassié, que tem à sua frente uma missão não menos espinhosa do que a do outro?
    Caso para responder: sei lá se é… (uma piada dos anos 60).
    Quem estiver interessado no perfil deste mangas, vá ao site do FMI ler dois artigos dele.
    http://blog-imfdirect.imf.org/bloggers/abebe-aemro-selassie/
    Num dos artigo diz que, como economista, espera sempre o pior. Aviso à navegação…
    No outro fala sobre o desemprego na África do Sul, onde também já trabalhou para o FMI. A taxa de desemprego lá é 24% da população activa, 50 % entre os jovens. Um puzzle, de facto.
    Há vinte e tal anos, os rufias portugas da direita racista, bacoca e delinquente contavam anedotas de muito mau gosto sobre a Etiópia e os etíopes que morriam à fome. É a eles que dedico a nomeação de Abebe Selassié como novo chefe da delegação do FMI em Portugal, à frente da troika.

  9. é Júlio, agora chegou a vez do etíope contar anedotas de muito mau gosto sobre Portugal. nos entretantos espero que ninguém morra à fome.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.