Herberto

Amo devagar os amigos que são tristes com cinco dedos de cada lado.
Os amigos que enlouquecem e estão sentados, fechando os olhos,
com os livros atrás a arder para toda a eternidade.

Não os chamo, e eles voltam-se profundamente
dentro do fogo.
─ Temos um talento doloroso e obscuro.
construímos um lugar de silêncio.

De paixão.

20 thoughts on “Herberto”

  1. Outro derivativo do IGNORANTEZES, claramente com um achaque de má educação e insensibilidade.
    Não há link que lhe valha para comentar a mensagem de quem já passou.

  2. “hum… very deep indeed.”

    tens jeito para legendas red light district, mazólha ka bécula nã te fica atrás.

  3. IGnatezes, cala-te douchebag.Baie cumprare um tapete nobo, pá e respeita o defunto. Toma banho na poesia do homem, quem sabe, mudas de língua.

  4. Numfazesmainada,

    derivativa era a puta que te pariu, quando derivava do cabrão que pensa que te fez

  5. IGNORANTEZES rançosa a tua lábia de buiça não me impressiona. Vota para a peixaria da noite, pois aí encontrarás a tua audiência e natural clientela. Que tal um banho entretanto, não vás desencadear ou continuar o contágio da pintelheira piolhosa e chatinha, hum?

    Lê o poeta, copia-o, já que usas tanto a originalidade dos outros….

  6. oh bécula, enfia uns malmequeres no cu e vai ò funeral dar uns peidos intelectuais, o herberto vai apreciar. aproveita e leva o “hum… very deep indeed.” para apresentares ao coveiro quando estiveres a ser enrabada.

  7. Merdelander, não. Mas quando seguires viagem – a descendente -, leva tu alguns cravos no nariz para não sentires tanto o cheiro a queimado e à trampa que reverterá para ti na mesma medida que a encomendas agora aos outros. Falas muito de enrabanços e afins, por certo, por defeito de profissão e permanente ocupação. Como és um comuna desviado, dito xuxa do rato, não será altura de pensares em toi – même e de invocares alguns direitos, como o direito ao repouso e ao pagamento das horas suplementares, em jeitinho de bufa democrática, porque se falares em tom de peido, ainda são capazes de te punir por não seguires a diarreira da carneirada…

  8. ó calaceirão palavroso e estéril,

    e quem é que te disse que no teu mundinho tinhoso entra a Poesia?

    NUMTENXERGASMEMONADA, ante-projeto de aborto…

  9. enapá, o que bai praqui. aborto éze tu, ó semente do diabo. xó. lá pra baixo, ou então conberta-se e candidate-se à redençãoe, bá. oqueie.

  10. hum, hum ó tinhoza lá de cima, oube,

    sou poeta por natureza,
    adoro a poesia
    antes bibere naquela
    do que no antro da heresia

    Num bebo da tua água
    macaco desnorteado
    arreda dó pé de mim
    ó filho do diabo

    oqueie.

  11. ó rabo fino e snob, presunção e prosápia é coisa que não te falta, és um verdadeiro PP. só te falta liderar a associação das famílias numerosas, mas vais ter de esperar. enquanto isso não acontece, andas por aqui a exibir a picha mole e a contabilizar serviço de voluntariado para chefe ver.

  12. Meu caro,
    um bardamerda de fascista como tu, com “rabo fino e snob”, não pode passar por aqui e ficar incólume. Sou visceralmente contra a presença de fascistas de “rabo fino e snob” nesta tasca.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.