Haverá alguma possibilidade de o Governo aguentar os 4 anos?

Com uma oposição irresponsável e radicalizada e um Presidente desgraçado e imprevisível, faz de politólogo, ou profeta, e revela-nos o futuro.

21 thoughts on “Haverá alguma possibilidade de o Governo aguentar os 4 anos?”

  1. tendo em conta as profecias mayas … de 2012 não passará. mas também não será substituido pelo psd , vai ser qualquer coisa mais do género do miguel serras pereira. até que enfim , a humanidade chegará à maturidade.

  2. por isso mesmo,

    é só questão de o governo ser sereno
    lucido
    nos seus objectivos e meios para os atingir

    avançar nos escolhos da autofagia das oposições
    incluida nelas, a santa presidencia
    o virtual marcellitto

    deixar aquele continuar a justificar-se
    a falar das suas “virtudes” todas
    que não precisamos…

    sobretudo

    fazer obra,
    recuperar reconverter pragmaticamente
    a economia que interessa recuperar

    gerar emprego e actividade produtiva

    atenuar dependencias externas

    o governo, o país tem q ser o referencial

    quem n esta nessa, tb n faz falta

    “nós” escreveremos o futuro do país

    “queira ou não queira o papão”…

    abraço

  3. Acho que sim, mas tem que adoptar um sistema com mais cautelas defensivas. O que não sera um grande problema já que conta com o A.Santos Silva na Defesa. A meio campo a distribuir jogo o Vieira da Silva que é um valor seguro,experiente e que poderá ser fortemente coadjuvado pelo Amado que faz muito bem o vai-vem pela ala direita.Do outro lado como ala esquerdo poria a Maria Helena André e como ponta de lança o Antonio Mendonça mais a Dulce Pássaro (para o jogo de cabeça).Como 10 o Teixeira dos Santos que é por onde passa o jogo todo da equipa. Optaria assim por um 4-4-2 em losango, não muito rigido.

  4. durante os quatro próximos anos o governo irá, certamente, muitas vezes (embora muito controladamente para o absentismo não ser notável) a odeceixe ter com deus.:-)

  5. este é o Governo de face mais arejada de que me lembro: independentes, mulheres, e sobretudo gente que não conheço de lado nenhum o que só pode ser bom sinal. Embora a palavra seja ambígua, Portugal tem um Governo moderno, de centro-esquerda imagino, não se pode pedir mais dentro da normalidade institucional. Não consigo deixar de estar optimista no sentido de que anda aí um ar saudável, embora, como sempre, os monstros se acoitem na sombra,

    o cavaco agora vai fazer de bonzinho durante uns meses, a ver se esquecemos aquilo das pseudo-escutas, mas com os casamentos homo vão acontecer coisas.

  6. Se deus-nosso-senhor-do-novo-testamento quiser havemos de conseguir pagar a Dívida! Com José Sócrates do PS ou com qualquer outro “José” de qualquer outro partido, que tenha engenho e arte e que seja reconhecido (indigitado) pelos Credores!
    Só nos falta a alternância para parecermos uma democracia a sério!

  7. a alternância fica para depois Heredia que não quero nervos à vista, tá? Tenho que escrever um projecto com tudo especificado, que terror. Isso da Dívida o Brasil foi magnífico, não sei lá como eles fizeram mas passaram de devedores a credores, de repente: tufa toma lá. Não há povo mais surpreendente do que eles, pudera também foram penta, quinas.

  8. caramba, até mete o Blue Diamond, imagino que seja o Hope, só me faltava que o Braganza tivesse dado uma voltinha lá, (-> temos que ser compreensivos com as infidelidades dos diamantes famosos)

  9. Tudo depende do grau de imbecilidade reinante no PSD ao longo desse período, mas eu adoptaria a táctica do quadrado para lidar com a questão do TGV e quanto à outra questão sensível que o z refere também acredito que o terramoto subsequente a um referendo na matéria pode ser o bastante para dar cabo da cena toda, caso a Esquerda seja estúpida o bastante para se dividir na hora da verdade.

  10. Vamos então seguir para bingo: “Casamento de pessoas do mesmo sexo”, embora não saibamos muito bem o que é que os homossexuais querem fazer com isso… Em Espanha não fizeram nada…

  11. K
    Faz bem a avaliação, constituição da equipa e sistema de jogo. Deixou de fora o mais importante e o que decide o jogo, que é os árbitros. Como sabe são os que mais desvirtuam a realidade. E com este árbitro – Cavaco Silva e os auxiliares Paulo Portas, Francisco Louçã, Ferreira Leite e Jerónimo de Sousa, só contam para o ano se a Fifa optar pelos árbitros de baliza – tudo é de esperar. Vai haver muitos golos em fora de jogo, o campo sempre inquinado e a assistir só os velhos do Restelo.

  12. Obrigado Manuel.Boa achega.
    Apesar da similitude até em termos de “sistema”, existe porem uma diferença, neste caso (o sistema politico) o resultado final depende da assistência (o Povo) que cada vez mais vai conhecendo os truques da arbitragem (os passarões que cita) e dos avençados (comunicação social) de serviço.
    Que vai ser dificil vai, mas sinto que o medo mora mais do lado de lá, até porque o velho do Restelo não quer perder o crédito à habitação.

  13. pois, mas não é para fazer nada, ou quase – há assim umas duquesas que casam com as secretárias e os filhos ficam de trombas – é só porque é divertido pensar que está bem e agora caucionado pelas altitudes dos Himalaias tem outra elevação. Cheira-me que Urano anda metido nisto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.