Há uma indústria para este serviço

«No caso de Joe Berardo a CGD (tal como o BCP e BES) ou foi incompetente ou foi cúmplice, ou ambas as coisas. E a história começa com cumplicidades na guerra pelo controlo do BCP em 2006 e continua até hoje numa mistura de cumplicidades e incompetências.»


Helena Garrido

__

Esta senhora, sabendo tanta coisa, não sabe nada. Não sabe quem fez o quê e porquê. Isso não a impede de escrever um texto que aparenta ser um contributo informado, porque de uma especialista na matéria que acumula com ser profissional da comunicação social, texto que acaba por não passar de uma lamúria difamante e sensacionalista. Fica a ideia de não ter lido sequer uma linha sobre o assunto nos últimos 10 anos, a suspeita de nem sequer ter prestado atenção às comissões de inquérito e suas montanhas de dados recolhidos, publicados e interpretados. Apenas lhe interessa meter no bolso o dinheiro que lhe pagam para ladrar ao Estado de direito democrático. O que a motiva é a decadência de fazer parte do coro que despreza a comunidade, que vive de espalhar a suspeita, o medo e o ódio.

99% do jornalismo de opinião à direita é isto e pior. Sendo que o pior é isto vezes isto.

15 thoughts on “Há uma indústria para este serviço”

  1. o bernardo já explicou. o governo não queria que la caixa de los otros opasse o bcp e a caixa de nosotros que não se podia meter no negócio pediu ao bernardo para comprar emprestando a massa com garantia do pelo do cão. entretanto houve uma crise económica mundial e o pelo dos cães passou a valer menos que uma bica por acção, agora todos querem tosquiar o são bernardo.

  2. Ok.
    Portanto todo o processo e respectiva audição parlamentar ao Joe Berardo são um hino à transparência e uma homenagem ao dinheiro dos contribuintes utilizado para tapar o buraco?
    E a responsabilidade morreu solteira como sempre?
    Mais uma vez quem se lixa é o mexilhão que neste caso se confunde com o senhor Berardo, uma vez que o mesmo parece não ter onde cair morto.

  3. “E a responsabilidade morreu solteira como sempre?”

    … e pede responsabilidades ao madoff & companhia.

  4. Os vértices do populismo são sempre os mesmos. Insegurança, malhar nos poderosos… Por tudo e por nada. Quanto à crise financeira está para para a direita portuguesa como o aquecimento global para Trump. Nunca existiu! Na melhor das hipóteses. Na pior foi o PM português que provocou a crise. Senão como é que o país tinha ido à bancarrota? Já cansa. O pior é que muita gente adora os populismos e os seus falsos profetas.

  5. Quem pretende, na totalidade,imputar a responsabilidade criminal,civil e política de tudo o que aconteceu em Portugal entre 2004 e 2011 a uma só pessoa,sem a mínima prova para além de dúvida razoável, terá características notáveis.
    Má fé cínica e obtusidade córnea,seguramente.

  6. A constante referência, por tudo e por nada, ao ex-primeiro ministro José Sócrates, mesmo por pessoas supostamente inteligentes e sérias, já parece provir de um vírus de origem mental.

  7. Aos armados em Catão, aos pregadores da moral (para os outros), convém lembrar-lhes, além da turbulência bancária da época, uma personagem fulcral do BCP: Jardim Gonçalves. Gozava ele, então, de uma reputação fundada nos grandes princípios da opus dei. E hoje vamos vendo que nem os tribunais conseguem que o banco deixe de pagar-lhe uma pensão milionária, além de mordomias das arábias.

  8. … «sem a mínima prova para além de dúvida razoável,», eheheh.

    Nota. Ó jpferra, pá!, porque insistes em nos mostrar publicamente essa face de gugu-dada em que vive que já se percebeu qu’isso não dá mais? Achas graça ao Calhambeque, menino? Eu também, a sua proto-caixa de velocidades é cool.

  9. Ó Helena, pá,
    disseste tudo nesta simples frase, filha:
    «e continua até hoje numa mistura de cumplicidades e incompetências»!

    CONTINUA, ATÉ HOJE, NUMA MISTURA DE CUMPLICIDADES E INCOMPETÊNCIAS?

    Claro e já sei a quem te referes: só pode mesmo ser ao senhorzinho Carlos Costa, o incompetente e trafulha mais incólume deste País de calhambeques pi-pis. Até ver…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.