Grandes questões da actualidade

Quando é que se começou a impingir comercialmente o dia de São Valentim em Portugal? Anos 80? Para além de ser uma importação espúria e inútil, pois já estávamos muito bem servidos com o nosso Santo António, o 14 de Fevereiro é uma péssima data se comparada com o 13 de Junho. Frio em vez de calor, santo que morre decapitado em vez daquele famoso pelos seus abundantes milagres, resulta esta troca num absurdo climático-sentimental. Se era mesmo preciso inventar mais uma ocasião para gastar dinheiro, bastaria estender o simbolismo dos noivados para o que os antecede romântica e inevitavelmente: os namoros.

Que pensas desta importantíssima questão?

65 thoughts on “Grandes questões da actualidade”

  1. “Quando é que se começou a impingir comercialmente o dia de São Valentim em Portugal?”

    No dia em que se conseguiu fazer com que as pessoas que não têm nada de interessante para dizer falem no assunto (em vez de se entreterem com o habitual Benfica Sporting).

    Não tens nada que agaredecer.

  2. Deve ter sido no mesmo dia em que se substituíram os desfiles do Entrudo por uns desfiles pindéricos arraçados de Carnaval brasileiro, com as moças arrepiadas a exaltar a celulite revestida a pele de galinha, enquanto tiritam um sorriso forçado de tanto frio. [E com as distintas edilidades a financiar a promoção turística da terra.]

    Contrariamente ao João Viegas, não acho esta uma questão menor. Revela bem uma certa mentalidade que, em parte, tomou conta da cidade e nos faz ir perdendo o chão do mapa do nosso território.

    [Mas isto sou eu aqui a falar numa segunda feira de manhã…]

  3. Tenho ideia que os começos da importação valentim-comercial terão mesmo ocorrido na década de 80. Lembro-me de frequentar o 7º-8º anos (13-14 aninhos) e ter que aguentar as colegas histéricas com os Duran-Duran e os gajos das disco, mais os bilhetinhos e declarações….só porque era 14 de Fevereiro…que seca!!!

    Quanto mais não vale um Santo amoroso e um belo dia de Junho…dá para namorar no campo e encher a barriga de cerejas :)

  4. Este Valentim apareceu como tambem apareceu um presidente do sporting o bigodes e outros sem licença.

    Sabemos muito bem que antigamente tanto este valentim como o bigodes tinham que tirar o registo criminal para serem alguem.

    Agora qualquer um pode ser parvo depois de ser rasca.

  5. Eu penso que é um aproveitamento pelos comerciantes e, por isso, veio para ficar. O Natal já lá vai, os saldos também, segue-se um período morto até às compras de Primavera/Verão. Restaurantes, lojas de presentes, turismo, roupas, tudo beneficia. Dá muito jeito, portanto, importa-se.
    O dia das bruxas, no final de Outubro, também começa a pegar, sobretudo por via das crianças, via desenhos animados americanos, embora o que se adquire seja demaiado específico para ter importância comercial. Para mim, é ainda mais artificial do que o São Valentim e não responde a qualquer necessidade. Será uma maneira de vender abóboras mais caras? Possivelmente.
    Por outro lado, há dias de tanta coisa que seria difícil escapar ao dos namorados! As noivas de Santo António é um acontecimento muito exclusivo lisboeta, penso eu.

  6. Penélope, o Dia das Bruxas colou-se ao Halloween mas nós temos tradições populares muito semelhantes. Na minha zona, Coimbra, sempre se festejou esse dia e eu era miúda e já andava a bater às portas e a pedir bolinhos e bolinhós.

    O Dia dos Namorados chegou-nos, ou chegou-me, pelas revistas Disney, foi lá que vi as primeiras referências mas a primeira vez que vi/recebi um postal do dia dos Namorados foi no final dos anos 70. Foi a Loja das Meias quem primeiro importou este dia e fez postais alusivos, penso que ainda terei o meu guardado numa caixa qualquer.

  7. Teresa, tem graça que eu sou da Beira Alta e nunca conheci tal tradição… Hei-de investigar se nas aldeias faziam qualquer coisa.

  8. Penélope penso que essa tradição está circunscrita à zona de Coimbra. A minha mãe é da Beira Baixa e por lá nunca se celebrou o dia das Bruxas.

  9. Caro Val,
    Questão complexa…ainda por cima numa manhã de 2ª feira tristonha ( pelo menos por aqui).
    Eu depois de muito meditar sobre o assunto : não penso nada.
    Cumprimentos

  10. O plano não está ainda completo. Temos, se a memória não me falha, estas ocasiões para fazer figura de sovina/insensível/besta caso não ofereçamos um presente (ou indumentária):

    – Dia dos Namorados
    – Dia da Mulher
    – Dia da Mãe
    – Dia do Pai
    – Dia da criança
    – Carnaval
    – Noite das bruxas
    – Natal

    8 ocasiões. Tendo em conta que o ano tem 12 meses, faltam por isso 4 – isto sem contar com aniversários. As minhas sugestões:

    Dia do Avô
    Dia da Avó
    Dia do cão
    Dia dos casados
    Dia dos vizinhos

    Eu sei que as quatro primeiras já existem mais ou menos, mas têm de ser mais específicas, “dia terceira idade” e “dia do animal” é demasiado generalista para pegar.
    Se alguém quiser dar mais sugestões, podíamos fazer uma lista seguida de votação.

  11. O dia dos vizinhos também existe.

    So não existe o dia do dia, but this is precisely the point como diria Pascal (que falava em inglês como tudo o que é culto).

    Estou com o Antonio P. muito mais interessante do que isso tudo, e alias um bom resumo do resto, é o nada que brota duma meditação de segunda feira, com ou sem nevoeiro.

    Vai mais uma bica ?

  12. Há alguém presente nesta caixa de comentários que faz anos hoje e não se chibou.
    E eu não sou esse/a alguém presente (venho do futuro), pelo que espero que seja dado o passo em frente a fim de se proceder às tradicionais manifestações de regozijo.

    (Tázaouvir, pá?)

  13. Tou pá!
    Mas a pessoa a que te referes, ontem, embebedou-me violentamente e eu ainda ando aqui à procura do meu cérebro!

    Feliz Dia dos Namorados, Tubarão. Toma lá beijito.

  14. Vega, esqueceste a Páscoa, que cada vez mais se está a transformar num segundo Natal no que diz respeito ao consumismo. E desconhecia que no Carnaval também se trocam presentes. :)

  15. Eu não te embebedei, como sabes até estava a ter ligeiros problemas com o saca-rolhas e quem os resolveu, e trouxe o vinho, foste tu.

    Shark, não sei de que falas mas posso dizer-te que deve ser lixado fazer anos hoje porque se se convida alguém para jantar corremos o risco de ser mal entendidos…

  16. Ó Tubarão, tu fazes anos hoje e nunca me tinhas dito???!!!….

    (eu sabia que eras muito mais honesto que o outro mas não precisavas de nascer duas vezes… )

  17. eu penso que esta questão só é importante se coarmos o que é importante.:-)

    (que ser apaixonado todos os dias é – inversamente ao socialmente estabelecido – ter visão, claro) :-)

  18. Mas afinal quésta merda? Vamos lá a anunciar ao mundo a efeméride para comemorarmos o nascimento da deusa-menina e nada de confusões que eu sou Touro e tenho orgulho nos cornos!
    Vá, balda-te lá ó charmosa que eu quero cantar os parabéns a você e coiso.

  19. Vá, chamaste-me charmosa e deusa-menina e tu sabes que se me passas a mão pelo pêlo até ronrono mas não é por isso que te desculparei se tiveres a ousadia de cantares o parabéns a você. A seguir ao dia dos namorados, mas logo logo a seguir, o parabéns a você é das coisinhas com que mais embirro.
    ( agora se me quiseres cantar, dar música até, tenho duas orelhas lindas e bem feitinhas à tua inteira disposição)

  20. A Fresquinha não vai comentar essa cena dos virgens, sob pena de ter que ir ali às pressas buscar mais umas botelhas de vinho, tá???

    E eu prefiro um par dos dos touros a um virgem! Em qualquer dia da semana!

  21. baldas, realmente…eu e o shark ainda nos livrámos do 13 de Maio, agora tu foste mesmo cair em cima do Valentim. Ou melhor, o Valentim é que caiu em cima de ti, que tu chegaste cá primeiro.

  22. Por acaso até me estão mais na massa do sangue mas como disse a L* e muito bem a minha sina são os mal entendidos…

  23. Ressumar???!!!! Isso ainda é melhor…. Não me perdoo ter chegado ao púbis e de lá não ter passado, pelos vistos a coisa conseguia melhorar…

  24. O São Valentim foi impingido aos portugueses pelo merceeiro Belmiro de Azevedo logo após a Coca Cola ter destronado o Menino Jesus e colocado o Pai Natal dos encarnados no altar dos Natal dos comerciantes.

    O Halloween está a pegar na rapaziada mais nova, e contaram-me que até o “Thanksgiving” já é festejado em certos círculos da nacional-saloiice lisboeta.

  25. Zeca Diabo, espero que o jcf hoje esteja a curar a ressaca porque se há por aqui quem tenha levado com o santo em cima há outros, como ele, que só por umas horas se livraram do trambolho.

  26. Olha, acho que começou mais ou menos na mesma época em que a malta desatou a ler (para nunca mais largar) o Philip Roth, o Cormac McCarthy, o Saul Bellow e outros grandes génios da literatura universal que lhes foram ensinados por esses grandes símbolos civilizacionais que são (são?… sempre foram) o New York Review of Books e a Granta e tal. Isto anda tudo ligado, acredita.

  27. Há uma coisa que elas não precisam importar e o mais recente estudo europeu na matéria confirma, mas eu não confirmo nem desminto.

    (Teresa, sabes que eu nisso de cantar os parabéns sou como o Assurancentourix…)

  28. Tu não fales do estudo europeu que o mulherio anda todo nervoso com isso. Elas dizem que as perguntas foram feitas aos homens. Tipo: “A sua mulher está sexualmente satisfeita?” Daí o resultado.

    (Cantamos os dois e somos expulsos em conjunto? Pode ser que assim ela nos dê a tal da Bejeca)

  29. Bem não foi uma ressaca, foi uma festa muito bem comportada. Vinho D. Ermelinda, créme de cassis com vinho branco, vinho fino de S. João da Pesqueira, conhaque Napoleão, champanhe francês e whiskey irlandês Jameson. Mas tudo bem alimentado…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.