4 thoughts on “Good food for good thought”

  1. Sem entrar muito na substância do artigo, digo-te que o nível dos comentários no site é uma delícia. Vale a pena perder tempo a lê-los. O meu favorito:

    6. The end of religion? Thank God!

    De resto, basear este estudo no mesmo modelo matemático que estuda o fim de algumas linguagens parece-me o ponto mais fraco. Não é a mesma coisa.

  2. Obrigada, Val, por teres destacado este artigo.

    Vega9000: Também recomendo a leitura dos comentários, apesar de, à hora a que lá estive, haver 400 deles. Esse que destacas até é giro. Possivelmente foi intencional a aparente contradição. Queria só lembrar-te que, a verificar-se o desaparecimento da fé religiosa a prazo, as expressões, interjeições, calendários, etc. permanecerão por muitos e bons séculos. O que não significa que o facto de as pessoas utilizarem expressões/calendários/datas de origem religiosa seja sintoma de que é impossível escapar ao poder da religião.
    Eu ainda digo “Tomaste a núvem por Juno!”, ou “Isso equivale a abrir a caixa de Pandora (que, na versão original até era um jarro)!” , ou “Um autêntico bacanal!”, apesar de a mitologia grega/romana já ter passado à história há cerca de dois milénios.

  3. Ola,

    Vinte paus para quem me conseguir definir com clareza e em menos de 783 palavras a expressão “secular democracies” (ou alias “sociedades seculares”).

    Opção : se considerarem que isso facilita a tarefa, podem dar a definição de “modern secular democracies”…

    Boas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.