Gandas malucos

O último regabofe constitucional madeirense, 1 deputado do PSD pode votar por 25 na Madeira, está longe de ser uma originalidade do bananal atlântico. Ainda ontem, no Prova dos 9, Santana Lopes defendeu essa mesma ideia – mas com esta pequena diferença: tal aberração estaria ao serviço da modernização do Parlamento nacional porque não valia a pena ter por lá sentados sem fazer nenhum mais deputados do que aqueles que tomam a palavra no hemiciclo.

Um dia alguém dedicará uma tese de doutoramento, ou tão-só um trabalho de grupo no 9º de escolaridade dado o abundante material à disposição, ao desopilante fenómeno de vermos os maiores malucos da politica portuguesa a chegarem aos mais altos cargos dentro do PSD.

9 thoughts on “Gandas malucos”

  1. Por acaso é uma coisa que eu também sempre defendi, e acabava-se com aquela deputalhada toda…
    Como são cinco partidos, bastavam cinco deputados. Se algum ficasse doente, bastava mandar um SMS à Assunção Esteves com o nº correspondente.
    Mas na Madeira não percebi uma coisa, se lá estiverem os 25 deputados e só um meter o braço no ar, conta só um voto ou contam os 25 votos?

  2. Está descoberta a pólvora.

    Para quê tantas centenas de tachões se com um único tacho se resolve?

    O Jardim é que sabe.Ísto é mesmo uma gozação!

  3. Se 1 vale por 25, o que lá estão a fazer os outros 24? Despeçam-nos e poupa-se um batelão ao fim do ano. Assim como assim , pelo país que juraram servir, já nada fazem, mais vale irem fazer pela vida noutro lado.

  4. …desculpem lá… mas que falta de originalidade… salazar tinha já inventado coisa bem melhor…ele falava por todos e. isso sim era uma poupança do carago…

  5. Era isso mesmo, uma tese de doutoramento cujo “títalo” poderia ser “Já chegámos à Madeira…ou estou a ver bananas pela vigia?”.
    Despois amando u plano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.