Foi fantástico ter afundado Portugal, recorda Relvas com saudade

«Se tudo falhar "nesta nova geração", o regresso ao passado é sempre uma hipótese a considerar. "Acho que Passos Coelho, não nesta fase, mas se esta nova geração não for capaz de agregar e de somar, eu não vejo que Passos Coelho e Paulo Portas estejam afastados da vida política", realça Relvas que, mais à frente nesta entrevista à TDM, nota que "há sempre gente que pode regressar" juntando aos nomes já citados o de Marques Mendes. "Em caso de emergência, aí estarão", sublinha.

No caso de Passos e Portas, a justificação é simples: "o governo em que ambos estiveram foi um governo que salvou Portugal".

"A história será muito mais simpática do que a realidade em relação àquilo que foi feito. Foi muito difícil, foi muito duro? Foi. Mas foi fantástico recuperar o país em quatro anos, parece que aquilo que vivemos a partir de 2016 foi algo que nasceu de geração espontânea. Não, não nasceu de geração espontânea. Nasceu de muito sacrifício, em primeiro lugar dos portugueses", destaca.»

Salvação do centro-direita? Relvas aponta Passos e Portas se nova geração falhar

26 thoughts on “Foi fantástico ter afundado Portugal, recorda Relvas com saudade”

  1. A piada do comentário de Relvas está na citação, à intelectual novo-rico, do filme Casablanca; o homem até conhece o filme e, calculem, disserta sobre aspectos da mensagem tema.
    O Relvas que veio da terra algures, financeira e mentalmente, com uma mão atrás e outra à frente pela mão do seu semelhante boliquoiso já tem uma estante com filmes que ouvia chamar de “clássicos” e que agora vê na sua sala-estúdio de banqueiro para poder citar e mostrar ao mundo que também já é intelectual como os outros.
    Mandaram-no estudar mas este, esperto, primeiro fez-se banqueiro (como não é preciso explicar) e só depois estudou como auto-didata.
    Agora está pronto a ser nomeado catedrático por equivalência e seguir os passos do amigo Passos.
    Isso ou adquirir mais “conhecimentos” muito pessoais-especiais em nova governação pàfiosa como dá a entender, de alto a baixo, que pretende sem subterfúgios neste arrazoado de declarações de amor e desamor.

  2. Nunca ninguém se recorda da carta do ” Gaspar”?
    Quando saiu disse a razão…e essa reúne-se na palavra FRACASSO

  3. Achamos que o Doutor Relvas tem toda a razão.
    Ainda havemos de voltar todos à ribalta — e à gamela!

  4. Pelas notícias que vão saindo, eu diria que volta mais depressa do que julgam. A vossa vontade vale 0, se acabar o dinheiro bem podem chorar.

  5. Triste traste sem tino,
    tenho pena de ti e de todos os que acreditam nessa cantilena a que inocentemente chamas as “notícias que vão saindo”.
    Tu é que bem podes chorar, desde já, porque esses tempos que recordas com nostalgia e que tanto gostarias de ver regressar a Portugal estão mortos e enterrados.
    Para bem de todos nós, com tino, ou sem ele.

  6. Tino para dar e emprestar, frases descabidas valem 0 junto aos números. Boa sorte para os próximos anos. Já comprei as pipocas :)

  7. deves ser sobrinho daquela velha agoirenta, velhaca e invejosa que agora faz papel de entrevistada “boazinha” no telejornal do zé alberto, mas no tempo do sócras tinha desesperos públicos por causa da “crisezinha nunca mais chegar”. mete as pipocas no cu e vai para a varanda dar peidos, pode ser que a capa do manhólas amanhã fale nisso, tipo: “neva em lisboa por causa do costa”.

  8. Epá, estou sem óculos e não li o post mas deve ser sobre a obra do José Sócrates e da sua pandilha.

    Foi fantástico ter afundado Portugal, recorda Sócrates com saudade
    14 Outubro 2019 às 13:31 por Valupi

  9. tamém estou sem bróculos mas cheira-me bués a “norteei a minha vida pela simplicidade da procura do conhecimento permanente.”

  10. obrigado josé socrates ,por teres mandado construir o túnel do marão.os transmontanos nunca te esqueçerão!

  11. Como sempre , o zé estoirou o dinheirito dos contribuintes e lá teve de vir o seguinte governo apagar a luz… e concluir o túnel do marão.

    2011

    Em 27 de Junho de 2011 foi anunciado que as obras do túnel seriam suspensas por falta de dinheiro.[7][8] A concessionária Auto-estradas do Marão, que junta as empresas Somague a MSF, decidiu suspender as obras em toda a extensão da auto-estrada de ligação entre Amarante e Vila Real.

    2012

    Em 11 de Março de 2012, o consórcio construtor exigiu ao Estado uma indemnização de 100 milhões de euros, dando como justificação a paragem da obra e os bancos estarem a praticar taxas de lucro mais altas.[26]

    Em 19 de Junho de 2012, o governo anunciou que pretendia reservar 200 milhões de euros de fundos comunitários para terminar a construção da autoestrada, que se encontrava suspensa desde 27 de Junho 2011.[27]

  12. … reescreve a história com umas marteladas no calendário e umas imprecisões convenientes

    “2011 – Em 27 de Junho de 2011 foi anunciado que as obras do túnel seriam suspensas”

    pedro manuel mamede passo coelho, primeiro ministro de 21jun2011 a 26nov2015

    “2012 – Em 11 de Março de 2012, o consórcio construtor exigiu ao Estado uma indemnização de 100 milhões”

    a brincadeira complicou-se para o desgoverno psd/cds

    “Em 19 de Junho de 2012, o governo anunciou que pretendia reservar 200 milhões de euros de fundos comunitários”

    como não tinham alternativa, deram o dito por não dito e pagaram ou seja: entraram a matar e a enterrar tudo o que fosse projecto socialista para passar a ideia de esbanjamento, devaneios & bancarrota. acabaram a desenterrar e ressuscitar aquilo que tinham cancelado anteriomente para controlar os prejuízos, contestação regional e possíveis danos eleitorais.

    esqueceste de pedir uma investigação ao ministério público para ver quem se abotoou à pala da operação pára/arranca.

  13. a wikipédia não anda a tentar enganar ninguém, os wikipedófilos como tu é que abusam dela para concluirem coisas que não estão lá escritas ou descontextualizadas

    “Como sempre , o zé estoirou o dinheirito dos contribuintes e lá teve de vir o seguinte governo apagar a luz… e concluir o túnel do marão.”

    nada disto é ou foi verdade, o responsável pelo “apagar a luz” no marão foi o governo de passos coelho com a lengalenga do “não há dinheiro” e “estoirar o dinheirito dos contribuintes”… e de seguida fazer o contrário de tudo o que tinha dito anteriormente. é o que dá ler a “”Fenomenologia do Ser” e pôr o cu em cima d’ “A Diplomacia de Salazar” para ver aquilo entra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.