Flower power

A escolha de Joe Biden para concorrer contra Trump pareceu nova partida de um destino cruel. Depois da insanidade em que a América está mergulhada desde o Verão de 2015 – altura em que aparece Trump em cena, então para todos apenas o palhaço-mor do circo presidencial, e ainda James Comey, então para todos impossível de prever quão decisivo viria a ser na derrota de Hillary Clinton a uma semana das eleições – esperava-se que os democratas fossem buscar um candidato à altura da crise histórica para as suas instituições que os EUA atravessam. Ter um Presidente que já fez mais de vinte mil afirmações factualmente falsas ou enganosas desde que entrou na Casa Branca dá conta da gravidade da anomia no topo do poder da maior democracia mundial. Ora, Biden não tem características que consigamos relacionar positivamente com a urgência de afastar Trump da mala nuclear e de castigar o seu legado moralmente aviltante e degradante. Parece um pachola, terá o seu mérito ao serviço do bem comum e dos seus concidadãos, mas também aparenta fragilidade física e não é o representante da sede de justiça que anima a oposição a Trump.

Pois bem, renasceu a esperança à volta da sua candidatura com a nomeação de Kamala Harris como candidata à vice-presidência. Estamos perante uma vencedora numa área da maior importância para a defesa do Estado de direito democrático e um símbolo vivo do melhor que a América representa como convivência e miscigenação de fenótipos e tradições. Se tudo correr pelo melhor, estaremos também perante a 1ª mulher a ser eleita Presidente dos EUA – a partir de Novembro de 2024, numa democracia (inspiradoramente) perto de si.

18 thoughts on “Flower power”

  1. Receio que a senhora não tenha sido escolhida pela sua acção o pensamento político, mas sim por ser uma pessoa de cor que fica à espera que Joe Biden morra para tomar o poder, substituindo-o. E ainda que não o seja, já foi convertida à condição de “negra”, tendo em vista atrair votantes negros. Quanto a mim, estes jogos, a escolha da Kamala Harris e outros acontecimentos, são mesmo sinais de uma sociedade claramente dividida e a caminho da sua decadência. Uma nota, pelos visto Kamala é favorável à legalização de canábis.
    A América não conseguiu escolher gente mais nova como candidatos presidenciais – mais um sinal de decadência?
    Enquanto europeu fico preocupado com o que se está a passar pois, digam o que disserem, a Europa Ocidental tem muito a agradecer aos EUA.
    Lá ao longe (mas perto) Xí Jìnpíng e Putin com os seus modelos de governação nada democráticos esfregam as mãos de contentes.
    Teremos saudades dos camones do lado de lá do Atlântico.

  2. “Receio que a senhora não tenha sido escolhida pela sua acção o pensamento político, mas sim por ser uma pessoa de cor que fica à espera que Joe Biden morra para tomar o poder, substituindo-o.”

    tu receias é que ela destrua o que ainda resta do eleitorado trump e o biden seja eleito por uma larga maioria e usas um argumento sem sentido de supermacista receoso do que vai acontecer.

    “E ainda que não o seja, já foi convertida à condição de “negra”, tendo em vista atrair votantes negros.”

    pois, o que tu querias era uma vice que espantasse votos, assim já seria boa.

    “Quanto a mim, estes jogos, a escolha da Kamala Harris e outros acontecimentos, são mesmo sinais de uma sociedade claramente dividida e a caminho da sua decadência. Uma nota, pelos visto Kamala é favorável à legalização de canábis.”

    podes agradecer ao trump que andou 5 anos a mentir todos os dias ao americanos e aos repúblicanos que o mantiveram em serviço e à cloroquina, mas tu achas que é da canábis.

    “A América não conseguiu escolher gente mais nova como candidatos presidenciais – mais um sinal de decadência?”

    yah… é um país de velhos, fodem pouco e não se reproduzem.

    “Enquanto europeu fico preocupado com o que se está a passar pois, digam o que disserem, a Europa Ocidental tem muito a agradecer aos EUA.”

    deves estar a falar da 2ª grande guerra, mas isso já foi pago várias vezes e não foi altruísmo, foi cagaço que lhes ardesse a casa. mas podes sempre ir lá de joelhos agradecer ao trump, não esqueças beijar os sapatos antes do broche.

    “Lá ao longe (mas perto) Xí Jìnpíng e Putin com os seus modelos de governação nada democráticos esfregam as mãos de contentes.”

    exemplo de governação democrática, na maior potência mundial, mandar o exército reprimir o covid19 à bastonada e beber umas cloroquinas. claro que a concorrência esfrega as mãos, ri-se, pede bis e marca pontos. comparar a sensatez e o nível do discurso do lavrov e do wang yi com a baboseira arrogante do mike pompeo dá uma boa imagem da qualidade actual da democracia americana.

    “Teremos saudades dos camones do lado de lá do Atlântico.”
    desde que os westerns passaram a ser rodados no médio oriente a tradição deixou de ser o que era.

  3. perguntei agora a um casal de americanos residentes em Portugal , com montes de bom ar , e a mulher disse que a Kamale é very smart , good lider , o marido disse que gostava de a ver Presidente.

  4. “tu receias é que ela destrua o que ainda resta do eleitorado trump e o biden seja eleito por uma larga maioria e usas um argumento sem sentido de supermacista receoso do que vai acontecer.”
    R:
    De todo. Com ou sem Kamala os americanos já estão a caminho do caos. Se queriam a Kamala para presidente tinham-na escolhido de início. Mas não, querem é enganar os eleitores. Dado o seu passado e as suas ideias, para mim é pessoa pouco recomendável para o cargo.

    “pois, o que tu querias era uma vice que espantasse votos, assim já seria boa.”
    R:
    Não, de todo, o Partido Democrático tem gente bem melhor que não espantaria ninguém, antes agregaria. Dado o rumo que o partido tem seguido nos últimos tempos até acredito que essa gente tenha recusado o cargo. Não querem ficar colados ao Joe Biden.

    “podes agradecer ao trump que andou 5 anos a mentir todos os dias ao americanos e aos republicanos que o mantiveram em serviço e à cloroquina, mas tu achas que é da canábis.”
    R:
    Tu é que deves andar na canábis. Pára, que isso queima-te o cérebro.

    “yah… é um país de velhos, fodem pouco e não se reproduzem.”
    R:
    Não, está a envelhecer mas ainda não é um país de velhos. E se calhar não f_dem tão pouco quanto isso, se contarmos com os imigrantes. Pergunta aos mexicanos que lá vivem.

    “deves estar a falar da 2ª grande guerra, mas isso já foi pago várias vezes e não foi altruísmo, foi cagaço que lhes ardesse a casa. mas podes sempre ir lá de joelhos agradecer ao trump, não esqueças beijar os sapatos antes do broche.”
    R:
    A segunda grande guerra já foi há muito tempo. Mas pensa por exemplo na defesa.
    Eu disse que devemos aos EUA e não ao Trump. Não confundas as coisas (efeito da erva?). Aliás o Trump está é a lixar a Europa, como é bom de ver. Quanto a broches tu lá deves saber como se faz. Talvez por isso te identifiques como “gary cooper”. Dizem que era gay. Não vem mal ao mundo, sou uma pessoa tolerante, relaxa.

    “exemplo de governação democrática, na maior potência mundial, mandar o exército reprimir o covid19 à bastonada e beber umas cloroquinas. claro que a concorrência esfrega as mãos, ri-se, pede bis e marca pontos. comparar a sensatez e o nível do discurso do lavrov e do wang yi com a baboseira arrogante do mike pompeo dá uma boa imagem da qualidade actual da democracia americana.”
    R:
    Que te hei-de dizer? Ou és ingénuo ou também estás à espera da tua parte no bolo.

  5. “Mas pensa por exemplo na defesa.”

    qual defesa? a única coisa decente que fizeram foi participarem na 2ª grande guerra, tirando aquela estupidez de hiroshima e hagasaki, fizeram-no porque era melhor combater na europa do que na terra deles. tu deves ser da seita que está agradecida com a segurança que a invasão do iraque trouxe à europa e com a factura que pagaste na forma de crise do sub-prime. burro do caralho, tresandas a cloroquina com sotaque chega.

  6. Qual defesa?
    Mas tu paraste na 2º grande guerra? Já passaram 75 anos. Acorda pá!
    Deixa os EUA tirarem todo o dispositivo militar que tem na Europa e terás a resposta.
    Ou pede-lhes, por exemplo, para desligarem o GPS. Apoiem-se no Galileo e vão ver que não vão longe.

    Agradecido com a invasão do Iraque? Não pá. Preferia que o Saddam Hussein continuasse por lá, matando todo e qualquer adversário que lhe aparecesse pela frente. Aqui na Europa estaríamos mais protegidos dos muçulmanos.
    Não falaste no Mohammed Gaddafi? Devia ter continuado lá pela Líbia, limpando o cebo aos seus adversários. Não teríamos a porcaria da invasão da Europa.
    Factura da crise do sub-prime? Oh pá, fala com o Bill Clinton que foi quem começou a passar a factura, criando ilusões.
    Já agora, mantém a linguagem num nível mais elevado – para o Valupi não chamar a este espaço “pardieiro”, está longe disso – e aprende a aceitar quem não é como tu. É a vida.

  7. P.S. — Como toda a gente sabe, a Wall Street foi sempre, e sempre será, uma fervorosa apoiante do flower power. Oh yeah!

  8. “Deixa os EUA tirarem todo o dispositivo militar que tem na Europa e terás a resposta.”

    nos açores já deixaram de pagar a renda há uns anos, mas não largam o imóvel nem entregam a chave. se calhar as rendas em falta são para nos proteger duma invasão muçulmana.

    “Ou pede-lhes, por exemplo, para desligarem o GPS. Apoiem-se no Galileo e vão ver que não vão longe.”

    e depois como é que espionavam a malta ou mandavam os drones fazer o serviço? lá ia uma data de piople pró desemprego e umas quantas tecnológicas amaricanas pró caralho. não é por acaso que o pompeo anda para aí a oferecer serviços desses mais baratos e a prometer porrada a quem não vai na conversa.

    “Agradecido com a invasão do Iraque? Não pá. Preferia que o Saddam Hussein continuasse por lá, matando todo e qualquer adversário que lhe aparecesse pela frente. Aqui na Europa estaríamos mais protegidos dos muçulmanos.”

    se não é ironia, parece e nestas coisas não há “mas” ou “apesar de” para defender o indefensável. já agora podias comparar o número de gajos que o saddam matou durante a sua vida e os que o bush e o gajo que ele nomeou para presidente da comissão europeia mandaram matar desde 2003 até hoje.

    “Não falaste no Mohammed Gaddafi? Devia ter continuado lá pela Líbia, limpando o cebo aos seus adversários. Não teríamos a porcaria da invasão da Europa.”

    não porque isso foi ideia do nicolau sarkoizo para ajustar de contas com o kadafi que lhe tinha emprestado uns trocos para fins eleitorais, cuja contrapartida era limpar a imagem do líbio, o que acabou por ser feito.

    “Factura da crise do sub-prime? Oh pá, fala com o Bill Clinton que foi quem começou a passar a factura, criando ilusões.”

    podes falar com o aquele gajo que aparece nas notas de $ 10,00, um tal hamilton. se o gajo não atender liga para a goldman sacos e pede para falar com o barroso que ele percebe dessas cenas.

    “Já agora, mantém a linguagem. num nível mais elevado – para o Valupi não chamar a este espaço “pardieiro”, está longe disso – e aprende a aceitar quem não é como tu. É a vida.”

    tens ar de facho, escreves como um liberal, grasnas como um racista e queres passar por pato civilizado. vai dar ordens ao caralho que te foda, deves pensar que estás na repartição a dar ordens que ninguém cumpre e todos veneram com um pirete por baixo da secretária.

  9. “Deixa os EUA tirarem todo o dispositivo militar que têm na Europa e terás a resposta.”

    Pois, vêm os russos por aí abaixo comer as ocidentais criancinhas todas e obrigar os autóctones a escrever em cirílico. Estou todo arrepiado! E a seguir o Xi Jinping com a Nova Rota da Seda a dar cabo da nossa Rota da Chita e a uyghurar-nos a todos em cursos confinados de mandarim! Estaue aterrorizado!

  10. “nos açores já deixaram de pagar a renda há uns anos, mas não largam o imóvel nem entregam a chave. se calhar as rendas em falta são para nos proteger duma invasão muçulmana.”
    R:
    Hum, vê lá se não anda alguém a receber as rendas por baixo da mesa!

    “e depois como é que espionavam a malta ou mandavam os drones fazer o serviço? lá ia uma data de piople pró desemprego e umas quantas tecnológicas amaricanas pró caralho. não é por acaso que o pompeo anda para aí a oferecer serviços desses mais baratos e a prometer porrada a quem não vai na conversa.”
    R:
    Não percebeste, desligavam o GPS só para os europeus. Eles continuavam com o acesso a esse sistema. E olha que não precisam nada do GPS para espiar a Europa.
    Mas, já agora, deixa-me dizer que prefiro ser espiado pelos américas do que pelos chinas.

    “se não é ironia, parece e nestas coisas não há “mas” ou “apesar de” para defender o indefensável. já agora podias comparar o número de gajos que o saddam matou durante a sua vida e os que o bush e o gajo que ele nomeou para presidente da comissão europeia mandaram matar desde 2003 até hoje.”
    R:
    Essa malta do médio-oriente tem uma forma de estar que os europeus não têm. Problema deles. O Saddam ganha de forma notória, não tem comparação. Esqueceste-te do Obama (foi Presidente durante 8 anos). Ou também és daqueles que pensas que …?

    “não porque isso foi ideia do nicolau sarkoizo para ajustar de contas com o kadafi que lhe tinha emprestado uns trocos para fins eleitorais, cuja contrapartida era limpar a imagem do líbio, o que acabou por ser feito.”
    R:
    Olha que não. A questão chave para a limpeza esteve centrada na Total e os negócios do petróleo. Após consulta com os EUA, claro está.

    “podes falar com o aquele gajo que aparece nas notas de $ 10,00, um tal hamilton. se o gajo não atender liga para a goldman sacos e pede para falar com o barroso que ele percebe dessas cenas.”
    R:
    Para a questão do sub-prime centra-te no Bill Clinton.
    Gajo das notas de dólar? Deve ser por isso que a esmagadora maioria dos negócios internacionais são feitos em dólares. Incluindo os feitos na Europa.

    “tens ar de facho, escreves como um liberal, grasnas como um racista e queres passar por pato civilizado. vai dar ordens ao caralho que te foda, deves pensar que estás na repartição a dar ordens que ninguém cumpre e todos veneram com um pirete por baixo da secretária.”
    R:
    Aqui o que posso eu dizer? Nada. As palavras ficam com quem as escreve.
    Fica em paz que a conversa já vai longa.

  11. Joaquim:
    Comer as ocidentais criancinhas?
    Não, os russos não comem criancinhas, deixa-te disso.
    Ah! se calhar deve ser por isso que a Rússia gasta anualmente 4% do PIB com o aparelho militar.
    Já agora, em termos mundiais, retirado da comunicação social:
    “Em 2019, os gastos militares atingiram 1.773 mil milhões de euros no mundo, um aumento de 3,6% num ano, o maior desde 2010. ‘As despesas militares atingiram o nível mais alto desde o final da Guerra Fria’, em 1989, referiu Nan Tian, investigador do Instituto Internacional de Investigação para a Paz de Estocolmo.”
    É tudo boa gente, tudo gastos para poderem fazer lindas paradas militares …
    Chineses? Perguntem aos angolanos anónimos quem eles são. Ou aos quenianos. A Nova Rota da Seda? Nem precisaram dela para fecharem muitas das nossas fábricas. Aconselho a irem ver como trabalham e vivem os operários chineses. Claro, claro, direitos do trabalhador, chamem o PCP, já!.

  12. “Aconselho a irem ver como trabalham e vivem os operários chineses.”

    eu aconselho-te a não beberes álcool gel, aquela porra é para desinfectar as mãos.

  13. Quando, para épater le bourgeois, mijas de cima da burra com os dados do Instituto Internacional de Investigação para a Paz de Estocolmo (SIPRI na sigla em inglês), podias ao menos fingir um mínimo de honestidade intelectual e citar os números com rigor. Em percentagem do PIB, os dados do SIPRI para a Rússia, em 2019, referem 3,9 e não 4,0. A diferença não será grande, mas, certamente por distracção, esqueceste-te de referir a percentagem dos EUA, que não ultrapassam uns “modestíssimos” 3,4 %. Atendendo à enorme diferença no PIB dos dois países, a distracção é demagógica e manipuladora. Numa palavra: vigarice.

    Ainda de acordo com os números do SIPRI, os nove países que mais gastaram em armamento e defesa, em números absolutos, em 2018 (em milhares de milhões de dólares americanos), foram os seguintes:

    1. EUA — 648,8
    2. China — 250,0
    3. Arábia Saudita — 67,6
    4. Índia — 66,5
    5. França — 63,8
    6. Rússia — 61,4
    7. Reino Unido — 50,0
    8. Alemanha — 49,5
    9. Japão — 46,6

    Ou seja, a América gastou em armamento, em 2018, tanto (648,8 mil milhões) como os oito países seguintes todos juntos (655,4 mil milhões, incluindo Rússia). É obra!

    Além do certamente irrelevante facto de que a Rússia (em sexto lugar) gasta em armamento, em números absolutos, menos do que a Arábia Saudita, ou a Índia, ou a França, podemos ainda “ousar” um exercício simples de aritmética para totós: os EUA mais os três países NATO do quadro acima gastam 812,1 mil milhões. A Rússia fica-se por uns “assustadores” 61,4 mil milhões! Ai que medo!

    À Rússia poderíamos ainda adicionar, para sermos rigorosos, os gastos dos restantes países da CIS (Comunidade de Estados Independentes), mas um apenas dos mais pequenos países da NATO, como a Bélgica, gasta sozinho (4,8 mil milhões) mais do que todos os da CIS juntos sem a Rússia (3,5 mil milhões).

    Se formos a números de 2020, disponibilizados pelo site Global Fire Power, patrocinado pela insuspeita hipermercearia do armamento Lockheed Martin, o desequilíbrio agrava-se. Aqui vai o esquema da pólvora (em milhares de milhões de dólares EUA):

    1. EUA — 750,0
    2. China — 237,0
    3. Arábia Saudita — 67,6
    4. Índia — 61,0
    5. Reino Unido — 55,1
    6. Alemanha — 50,0
    7. Japão — 49,0
    8. Rússia — 48,0
    9. Coreia do Sul — 44,0
    10. França — 41,5
    11. Brasil — 27,8
    12. Itália — 27,8
    13. Austrália — 26,3
    14. Emirados Árabes Unidos — 22,8

    Fonte: https://www.globalfirepower.com/defense-spending-budget.asp

    Pois é, foi preciso juntar os 13 países seguintes mais gastadores para igualar os EUA sozinhos! A América gastará em 2020 em armamento tanto (750,0 mil milhões) como esses 13-treze-13 somados (757,9 mil milhões). A famigerada Rússia aparece num “assustador” OITAVO lugar, atrás da China, Arábia Saudita, Índia, Reino Unido, Alemanha e Japão.

    Vai-te catar, meu, aqui não enganas ninguém!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.