Flagelos do passado

O Miguel recordou em boa hora a permanente, impante e vexante vigarice a que se resume o exercício presidencial de Cavaco – A miséria é quando o homem quiser – mas devemos recuperar as nobres e honradas palavras ditas nesse tempo em que a fome assolava os portugueses:

Trezentos mil. Ou melhor, pelo menos 300 mil. É este o número de portugueses que ainda passam fome. O número que “nos envergonha a todos”, segundo o Presidente da República. Cavaco Silva lançou o alerta a propósito da iniciativa “Direito à Alimentação”, que quer distribuir as sobras dos restaurantes por 4500 instituições de solidariedade e assim matar a fome às famílias carenciadas.

“Relativamente à fome faltam dados e temos de nos limitar ao que dizem as instituições que apoiam as famílias carenciadas, nomeadamente o Banco Alimentar, que apontava para 280 mil pessoas há uns meses, antes da crise”, explica o investigador Alfredo Bruto da Costa. Um número que entretanto chegou aos 300 mil ao longo deste ano.

“Pelo que temos ouvido, pelos apelos de instituições de apoio social, é possível que este número esteja a crescer”, acrescenta o especialista que tem estudado a pobreza em Portugal desde os anos 80. E mesmo assim é difícil incluir neste número a “pobreza envergonhada” que não procura ajuda.

Há pelo menos 300 mil pessoas a passar fome em Portugal + Cavaco Silva diz que devemos ter vergonha de haver fome em Portugal

Isto foi em Dezembro de 2010, parece que havia uma campanha presidencial em curso enquanto o Governo socialista andava a tirar às famílias o dinheiro com que compravam os bifes para ir construir linhas de TGV e aeroportos por tudo quanto era sítio. Três meses depois, Presidente da República, PSD, CDS, BE e PCP decidiram que estava na altura de acabar com a desgraça. Hoje, é inegável, já não podemos dizer que existem pelo menos 300 mil pessoas a passar fome em Portugal.

9 thoughts on “Flagelos do passado”

  1. hoje é à rico, fui tirar uma radiografia, agora vou comer um bife, depois lavo os dentes com a torneira aberta e de seguida vou ao rock, se sobrar algum deposito no joanotasbank.

  2. “Contactada pelo PÚBLICO, Isabel Jonet disse não querer fazer qualquer comentário sobre a polémica suscitada pelas suas afirmações, deixando entender que a questão poderá ser devidamente enquadrada e esclarecida no âmbito duma próxima campanha para a recolha de alimentos.”

    receita gaspar, levam com novo peditório que já lhes passa a comichão.

  3. É fácil de perceber, com o aumento do IVA na restauração e consequente falta de clientes o que não falta é sobras nos restaurantes…….

  4. Irrita-me só ver pacotes de arroz,de macarrão e pacotes de bolachas nos donativos prós pobres.

    Fui e entreguei um litro de tintol e as raparigas estranharam, e, vá lá que compreenderam que os pobres também merecem.

  5. “hoje é à rico, fui tirar uma radiografia, agora vou comer um bife, depois lavo os dentes com a torneira aberta e de seguida vou ao rock, se sobrar algum deposito no joanotasbank.”

    ignatz, eheheeheeheeheeheehe ; : D :D :D :D
    saudações, pá, que quem faz gargalhar no meio da desgraça merece.
    Obrigada

  6. ignatz, pá,
    espero que te refiras à radiografia para poder frequentar o ginásio, senão ficas já com um ponto de desqualificação na escala xoné. Que isso de tirar radiografias por questões de saúde coloca-te acima das tuas possibilidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.