Filme dentro do filme

a-ee8a

Uma vedeta nasceu. Chama-se João Araújo. E ninguém poderia imaginar vir a ser ele o advogado de defesa de Sócrates neste caso. Aliás, nem o próprio tinha certezas a respeito, pelo menos a avaliar pelas suas primeiras declarações aos jornalistas, onde ia dizendo que ainda não sabia se seria o escolhido; isto enquanto entrava e saía do tribunal para tratar não se sabe do quê.

Para além de ser a antítese perfeita de Proença de Carvalho – onde um é a maior estrela da advocacia nacional o outro era um completo anónimo para o público até ontem, onde um é sofisticadíssimo e habilíssimo na oratória o outro mostrou-se trôpego, aluado e castiço, onde um é um palito o outro é um barril – esta figura é tão bizarra face ao convencionalismo que associamos ao folclore cagão dos grandes escritórios de advogados que introduz um elemento com laivos enigmáticos ou surpreendentes na estratégia de defesa.

Aparentemente, será ele quem melhor poderá explicar os movimentos de dinheiro que estão na berlinda, dada a sua antiga ligação profissional, e de amizade, à família de Sócrates. Todavia, para satisfação da minha fantasia, o João Araújo seria um génio da advocacia que levava uma vida esconsa só do conhecimento de uns quantos. No seu passado haveria alguma tragédia amorosa, ou conflito com o sistema de Justiça, ou ambos os ingredientes, que explicaria a sua reclusão e excentricidade. Uma excentricidade estudada, ardilosa, com o fito de enganar os adversários de acordo com uma muito antiga técnica guerreira. Na hora da verdade, no palco da lei, ele surgiria inventivo e implacável na defesa dos seus clientes. Enfim, uma personagem tipificada há décadas na mitologia de Hollywood.

Não faço ideia se iremos ver esse filme, mas faço uma boa ideia de como seria um filme inspirado no seu fenótipo e idiossincrasia.

70 thoughts on “Filme dentro do filme”

  1. poste um bocado preconceituoso e reveladador de parolice/paternalista. desde quando se afere a competência profissional de um advogado pelo aspecto físico, convencionalismo comunicacional ou hipotética vida sentimental? pelos vistos é advogado da família há bués, já defendeu a mãe do sócras em processo semelhante, conhece o património e a origem do dinheiro e o sócras acredita que para quem é, bacalhau basta, para tua frustração e do juíz-bajulado carlos alexandre.

  2. O ódio e a fogueira da calúnia venceram em toda a linha. Possivelmente Sócrates vai apodrecer na cadeia, assistindo de longe ao esboroar do partido socialista. O povo, faço-lhe uma vez justiça, agiu como soube e pôde. Foram séculos de fanatismo, e prazer no espectáculo da queima dos hereges na praça pública. Foram cinquenta anos de cultura pidesca a todos os níveis da sociedade. Isto não pode ser vencido numa geração. Constatamos que não foi. A sociedade portuguesa não fez um recuo civilizacional: simplesmente não foi suficiente uma geração para se democratizar e civilizar. Quem anda na rua ou de taxi percebe que isto é verdade. Quem vive na aldeia parece-lhe que faltam séculos para “chegar lá”. Preparem-se para assistir à consagração da calúnia engendrada por uma multidão de felícias e felícios cabritas deste país.

  3. O ódio,a calúnia,a estupidez e o crime já foram vencidos em Portugal, eu e muitos assistimos, ao vivo. Sê-lo-ão no futuro,ainda que tal pareça difícil aos timoratos e impossível aos vendidos. A hidra minoritária sabe que tem de aproveitar os capilares do sistema para crescer. Cabe aos vencedores de Abril, e aos seus filhos legítimos, zelar pela sanidade deste corpo vivo que é Portugal,portador, naturalmente, de virus e bactérias feiíssimas,por sinal.

  4. A verdade dos factos

    Cara Leitora, Prezado Leitor, permitam que, excecionalmente, dirija um elogio público à única equipa do Correio da Manhã: um punhado de jornalistas competentes, persistentes, rigorosos e corajosos, manteve hasteada a bandeira da luta pela igualdade perante a lei, pela transparência, por uma democracia mais saudável, em suma, pela Liberdade de Imprensa. Foram anos de chumbo em que só a verdade dos factos nos valia.

    Por vezes, a nossa investigação jornalística foi tomada por perseguição pessoal; a nossa inquietação, por desespero; a nossa coragem, por loucura.

    Agora, o mero funcionamento dos equilíbrios necessários ao futuro do regime levou a Justiça à ação: o menos democrata dos líderes de governos do pós-25 de Abril está, na hora a que escrevo, a regressar ao repouso sob detenção. Sobre ele recaem sólidos indícios de crimes, que o CM foi tornando públicos ao longo dos últimos anos.

    Escudado num aparelho Judicial ainda menor e temente ao poder Executivo, num advogado – Proença de Carvalho – sedento de reconhecimento público na área da Comunicação Social, com um último sonho chamado televisão, e manipulando como títeres múltiplos anões mentais, que semeou desde o Parlamento à ERC, José Sócrates julgou-se intangível. Capaz de amordaçar o CM.

    Felizmente para todos nós, enganou-se. 

  5. Que poste mais parvo! Só não concordo totalmente com o Ignatz porque o poste não é “um bocado” preconceituoso e revelador de parolice/paternalista etc – é completamente. Aquela simples e básica suposição de que existe competência e decência fora dos holofotes mediáticos, e que há gente que não tem vocação para circos (e portanto, precisa de algum tempo para se habituar), não parece passar pela cabeça do Valupi. Será falta de sono ou excesso de leitura do CM, só pode. Pelo menos estou em crer que eles não se importariam de o publicar

  6. Por falar em filme, sexta a noite houve festa na minha aldeia. Ligamos televisao grande no clube recreativo e assistimos a matança do porco em direto, mas sem nos sujarmos. Sim senhor, foi bonito. E todos demos graças a deus, que agora sim, este pais vai pra frente.

  7. Apreciei o comentário de Maria Abril.
    Como não é Maria Março acha que ao fim de 800 anos, não é com uma geração de 41 anos que ficamos civilizados.

  8. O título do CM é esclarecedor, porém, impreciso: a vingança – sim de justiça não tem nada – serviu-se requentada e demorou 10 anos.

  9. o ignatz tem razão! não sei se sabes, Valupi, o arguido tem de passar uma procuração ao seu advogado, em papel. ora, parece que a secretaria do DIAPC não tinha feito o seu trabalho no momento em que o referido advogado apareceu. pareceu-me que todos os atrasos foram feitos de forma propositada, para fazer render o filme, bem como fazer esperar e desesperar o arguido. o DDT,o tal juíz vedeta, quer mostrar quem manda. gente pequena, com poder, faz coisas destas. nada de novo.
    pois, Val, o essencial, o verdadeiro filme, passou-te ao lado…

  10. O comentário do ignatz, e suas sequelas noutros comentários, confirma aquela tese dos estudos de opinião onde se constata que o primeiro a opinar num “focus group” condiciona as respostas seguintes. Incapaz de perceber a referência ao registo da ficção, apesar do título e da palavra “Hollywood”, ou dedicado à sua “persona” comentadeira, saiu-se com uma estupidez que até repete um dos dados que tenho no texto para ajudar estúpidos como o ignatz a entenderem do que se fala nas palavritas.

  11. Poder-se-ia, nas redes sociais, fazer o contraditório aos relatos das felicias cabritas e divulgar a verdade do arguido? Os do costume vão dizer que iss compete à justiça. à justiça compete a palavra-decisão final. As cabritas espalham a sua verdade sabendo que o fazem não só impunemente (quando se calunia) como estando certas de que a sua verdade acaba por se impor ao “grande público”. Assim, quando chegar a verdade da justiça o grande público já tem a sua sentença feita. Se pensarmos que os processos mediatos se arrastam pelo tempo que a justiça entender, quem lavra a sentenças neste país? As felicias cabritas! E vamos ficar parados? E depois nós constatamos: a direita defende os seus com unhas e dentes e a sequerda, mesmo quando está a ser avacalhada da forma mais indigna repete a ladainha cada vez mais tola: à justiça o que é da justiça. A seu modo, o Costa já sentenciou Sócrates naquele SMS. Como quem diz “o gajo que se amanhe; importa o partido” e a jsutiça que temos”.

  12. eheheh… cada vez que postas podes reservar os primeiros comentários para ti, comentas com outro nick ou contratas a bécula para escrever umas parvoeiras e o efeito do primeiro comentário vai à vida juntamente com o poste e já agora com os leitores, com um bocado de sorte até o lismerda deixa de vazar entulho.

  13. Calma Correio Lambão, ainda a procissão vai no adro… Calculo que para ti, era bom que Sócrates fosse já culpado, sem julgamento, assim ao modo de Salem em 1878. A caça às bruxas que levas a efeito, para além de Sócrates terá mais um perdedor, a história assim o irá ditar. O caminho do populismo e das milícias populares, fará várias vítimas inocentes. Tem cuidado, não sejas comido pelo monstro que tu próprio criaste.

  14. Ó Ignatz estás a condicionar-me os comentários. É que eu leio o post do Val, e dá-me ganas de responder, mas depois leio o que escreves e baralhas-me. Faz-me um favor, comenta só no fim da malta toda.

  15. Outro filme dentro do filme, que prima pela ausência, é o da senhora mãe de Sócrates. Pode ser sintomático que com tanta investigação judicial em curso durante anos a fio não se procure inquirir uma das figuras-chave nas movimentações de dinheiros.

    Na ausência de corrupções provadas, ou sequer indiciadas, o que se vai tentar é a condenação por «ressonância de corrupção», na linha inovativa da «ressonância da verdade» detectada nos testemunhos comprovadamente falsos do processo Casa Pia.

    Nesse processo, que para mim está na base da compreensão do que está podre na justiça portuguesa, muito mais preocupada com a sua própria imagem e maquilhagem do que com a ideia abstracta de servir o ideal da Justiça, só não viu o que ficou à vista quem nem sequer olhou. Em Portugal, os tribunais não precisam de provas. Precisam, como os antigos oráculos, de transes mediúnicos dos juízes.

    Mas para isso vai ser preciso processo e julgamento, e essa é que é a grande novidade no que respeita à «Operação Sócrates», como lhe chama o Sol, que lá deve saber porquê…

    A ver vamos o que produz o futuro julgamento. Até agora o que há é apenas uma espécie de transe pseudo-jornalístico premonitório do transe judicial, por parte daquela sujeita que diz que descobriu o estripador de Lisboa depois de ter conversado com ele à mesa do café.

    Ou será que não vai haver julgamento nenhum? Façam depressa as vossa apostas porque estamos a chegar ao rien ne va plus

  16. Caro Valupi, não acha que está a fazer falta um daqueles posts a sério? Um daqueles em que se chamam os bois pelos nomes; este processo cheira a esturro por todo o lado e esta perseguição a Sócrates é política e judicial, fazendo lembrar as perseguições religiosas e os tempos da velha senhora. Isto cheira a Cavaco por todo o lado…

  17. oh sousa, tás à vontade, além de condicionador tamém presto serviços de amaciador e anti-caspa para mioleiras secas e oleosas. caso estejas interessado, o valupi dá-te o meu contacto. bigadinho.

  18. Caro Val,
    Continuando a pensar que Sócrates é um líder capaz e que muitas das suas políticas foram correctas, sabendo que várias campanhas e inventonas de que foi alvo não tinham fundamento, começo agora a sentir-me enganado e envergonhado. E imagino como devem estar a sentir-se os seus colaboradores e “defensores” mais próximos.
    A situação a que se chegou é medonha. Até as felícias, os correios da manhã, os cavacos, os portas e os etc. parecem honestos patriotas.
    Nas tintas para o advogado. Se houver matéria criminal a sério e culpas no cartório, qualquer advogado com lábia chega para fazer a defesa.

  19. Mister H, não posso falar do que ignoro completamente, e ignoro completamente se Sócrates é inocente ou culpado de algum crime. Imaginemos que é culpado, nesse caso quem tivesse defendido previamente a ideia de uma perseguição política passaria por alguém que não defende o Estado de direito. Ora, se há coisa que explica as minhas opiniões a respeito de Sócrates – que não conheço pessoalmente e com quem nunca troquei uma palavra – é a ideia de que somos todos inocentes até prova em contrário.

    Há que esperar pelo desfecho da situação.
    __

    Roteia, esse cenário de uma culpa criminosa de Sócrates será desastroso para muitos e em vários planos, com certeza. Mas a vir, terá de ser enfrentado com a mesma lógica seguida por quem o defendeu: o respeito pelas evidências. Porque ninguém é responsável pelos actos de terceiros, só pelos próprios.

    Há que esperar pelo desfecho da situação.

  20. Roteia disse: «Se houver matéria criminal a sério e culpas no cartório, qualquer advogado com lábia chega para fazer a defesa».

    Parece-me mais correcto dizer que «se não houver matéria criminal a sério nem culpas no cartório, nenhum advogado, com ou sem lábia, vai chegar para fazer a defesa».

    Leia o processo Casa Pia quem continua a não perceber que o maior perigo que ameaça de morte este país provém dos tribunais, não provém dos parlamentos.

  21. Fernanda Paula, professora catedrática de Direito Penal:

    “Por outro lado, no caso de Sócrates não foram até agora comunicados factos, mas apenas conclusões. Os factos públicos são só os que resultam da investigação jornalística. E se eles não fossem referidos pela imprensa, a detenção seria um mistério. Ora, a prática de atos tão dramáticos como uma detenção só é explicável a partir de indícios factuais”

    A isto responde o António Costa e todos os especialistas que o rodeiam: à justiça o que é da justiça.
    Enquanto um camarada seu está a ser grelhado na praça pública, indefeso perante “a justiça que funciona” à maneira das felicias cabritas

    Vai à merda, António, mais o teu SMS!

  22. Se, como dizem os jornais a mãe de Sócrates é parte num esquema que, por tão grave que é obrigou a prender um ex-1º ministro e outras pessoas, porque será que a senhora não foi também detida nem lhe fizeram buscas na sua casa, não foi inquirida e não há sequer indícios de que ao menos a queiram ouvir?
    Ou será que neste caso o que realmente interessa à justiça não é o crime mas a pessoa visada – aliás, de antemão visada como dizem alguns?

  23. o nhanha é capaz de ter razão e se não houver provas, inventam-se ou arranja-se uma interpretação manhosa da lei. até ver o crime do sócras é viver à custa da mãe e não declarar a mesada ao fisco.

  24. o socrates, que está a ser ouvido,após tres anos na oposição foi um grande primeiro ministro.reforçou o sns,o ensino publico, e melhorou a vida dos mais desfavorecidos.melhorou varios indices avaliados a nivel europeu. abriu portas no estrangeiro para as exportações.retomou o programa polis suspenso pela direita,mandou construir o tunel do marão agora reatado depois de interrompido pela direita.quanto ganhamos com esta paragem? quanto vamos ganhar em competividade com a sua utilização? quem iniciou a guerra pelos genericos? e a guerra com as farmacias sejam o honestos e enumerem os erros para podermos fazer um balanço! essa do cometeu muitos erros já mete nojo!sócrates é um homem com carisma e poder,mas não podia estar em todos os lados.um governante tem que confiar nos seus ministros,quando deixar de acontecer rua com eles!foi isso que fez.

  25. Nesta questão há um aspecto óbvio: caso o Ministério Público não consiga levar o juiz a considerar haver matéria potencialmente criminal, então Sócrates sairá como herói e com um poder muito maior do que aquele que tinha desde que abandonou a política activa. Pelo que a teoria de uma perseguição política – a qual aconteceu no processo e julgamento do Face Oculta, por exemplo – tem de incluir na sua equação o elemento de risco para quem a lança. Aparentemente, o MP julga ter matéria para apanhar Sócrates.

    Terá? Temos de esperar para ver.

  26. Vai à merda, Valupi, com a tua desculpa de que não sabes se Sócrates é inocente ou culpado, depois de mil posts a reafirmar as “campanhas negras” contra Sócrates. Eu considero, por tudo o que me foi dado observar e analisar na sua acção governativa, mas sobretudo pela campanhas negras para negar aquilo que pude ver em Sócrates, que este homem é dos mais íntegros que conheci na política. (Apesar de nunca ter simpatizado como o seu feitio). Ora, a maneira como falas agora deixa entender que, afinal, não conhecias nada da personagem e andavas a escrever de cor. Ou por palpite. Ou por adoração. Ou porque “é do Benfica”. Ou por infantilidade/ingenuidade. Escolhe.

  27. “… caso o Ministério Público não consiga levar o juiz a considerar haver matéria potencialmente criminal, então Sócrates sairá como herói…”

    muito pouco provável, se isso acontecesse era o fim do sistema judicial, do sistema, da cavacada e dos partidos da santa aliança (psd+cds+be+pcp) e esta gente está metida num processo que não vai deixar que lhe caia em cima.

  28. Maria Abril, deves ter algum problema com a noção do que é um Estado de direito e em que consiste a decência na política. Todas as opiniões que tive sobre Sócrates continuam a ser válidas, mas elas em nada me impedem de reconhecer os factos. Ora, é um facto que pela primeira vez Sócrates está numa situação como esta que em nada se compara com as campanhas negras. Aqui temos a Justiça a funcionar, e dela virá um qualquer resultado que será avaliado por si – o qual até poderá ser a constatação de não existir matéria criminal nas actividades em causa. Nas campanhas negras e assassinatos de carácter o que temos é apenas o lançamento e exploração de suspeitas.

    Pelo que tu é que me pareces estar a precisar de escolher. Precisas de escolher entre o respeito pelo Estado de direito e o fanatismo bronco.

  29. ignatz, neste caso não vai bastar alegar-se alguma coisa menor ou duvidosa, pois isso será equivalente a admitir a perseguição política e a intenção eleitoralista de queimar Costa e o PS.

    Este é um jogo do tudo ou nada. E quem avançou para ele pensa que vai ganhar. Aliás, já se canta vitória.

    Será? Temos de esperar para saber.

  30. “Este é um jogo do tudo ou nada. E quem avançou para ele pensa que vai ganhar. Aliás, já se canta vitória.”

    ora nem mais, é conferir as declarações da concorrência, do guedes à mortágua, passando pelo brilho nos olhos do narcotóino de gaia às redondilhas gongóricas do galã de massamá e aterrando nas buscas à câmara de lisboa, temos novela até à eleição do próximo presidente da republica, ou seja tá o caldo ao lume para mais duas chapeladas eleitorais. danos imediatos: sócras fois abafado, de seguida vai o costa e essa coisa chamada cavaco ainda vai às caldas buscar um caralho para secretariar o ps.

    nota – reparaste no sorriso da rosette na tomada de posse do costa?

  31. Ó Val, agora até pareces o Judas, às primeiras dificuldades negas logo a sua existência.
    Agora aqui para nós que ninguém nos ouve, não achas que o aparato, as televisões, o show-off, foi tudo um bocadinho ilegal, independentemente da razão ou não (ou da culpa, sei lá).
    Não achas que estás a ser manipulado? Ó Val, deixa-me fazer-te uma pergunta, que idade tens?
    Olha, não respondas. Responde antes a esta:
    — A tua mãe sabe que estás aqui?

  32. Val, as “campanhas negras” referiam-se a factos ou ao nariz comprido de Sócrates? Ora, contra factos não há opiniões: há verdade ou falsidade. Eu acreditei “pelo que me foi dado observar”, na integridade de Sócrates, ontem, como acredito hoje. O Estado de Direito tem a ver com a verdade contra a falsidade nas entre os cidadãos.

  33. Tenha calma, Maria Abril!
    Todos sabemos o que vale a justiça portuguesa e parte dos seus agentes manipuladores. Todos sabemos que Sócrates a certa altura afrontou os interesses instalados na justiça e gerou com isso ódios inimagináveis. Outra coisa é pedir a António Costa, que foi ministro da justiça, que não seja inteligente e que não afirme o princípio básico do estado de direito, mais agora que se prepara para vir a ser primeiro ministro,

  34. ignatz, não vi essa cena da tomada de posse do Costa. Onde está?
    __

    Carlos Sousa, já percebi que não és especialmente dotado para a actividade neuronal. Tudo bem. Não pagas mais por isso.

  35. Maria Abril, e onde foi que me leste a dizer que não acredito na integridade de Sócrates? Qual é a parte que não entendes quando digo que para Sócrates, como para qualquer cidadão, vale o princípio da presunção de inocência? E acaso já sabes o que vai sair do tribunal a respeito da vida privada de Sócrates?

    Aliás, quem nesta situação abdica da defesa do Estado de direito então está a mostrar que as suas opiniões passadas não se baseavam nele, pelo que eram moralmente iguais às dos pulhas.

  36. val, vi ontém na sicn, discurso de despedida na cerimónia de tomada de posse do costa no rato. ria-se até ao umbigo. se encontrar link, boto aqui.

  37. Eu sei que muitos comentadores por aqui não gostam das verdades, mas quando José Sócrates andou a ser usado por toda a gente para limpar o chão, voltou a Portugal para defender o seu nome, sozinho!

    Caso fosse um corrupto, da pior espécie, como nos querem fazer crer – tinha ficado por Paris ou voado para o Brasil, onde poderia viver o resto dos seus dias, com a fortuna que dizem ter. Ao voltar a Portugal há um ano e meio, para um país que o odiava; o ter voltado agora quando “aparentemente” sabia que ia ser detido; apenas leva a crer, que se trata de uma pessoa que não tem nada a esconder financeiramente, nem politicamente. Assim já a entrevista ao Expresso o demonstrava.

    Nunca nenhum político foi tão escrutinado, nem mostrou as suas finanças de forma tão aberta. Basta comparar com Passos Coelho ou Cavaco…

    E querem-me fazer crer que o embuste foi Sócrates? Lamento.
    O Correio da Manhã, o Relvas, o Passos, o Cavaco mais as suas extensões aos órgãos de comunicação social, não me convencem assim tão facilmente…

    Lembro-me que no Freeport, até houve videos, esta gente não conhece limites na fabricação de factos. Aguardo pelas cenas dos próximos capitulos.

  38. o teu problema val,, independentemente dessa tua sabujona retórica que está a atingir agora o seu auge de asnice, é que se o socrates for encanado tudo que andas para aqui a dizer há anos não vale a ponta dum corno. outro problema e esse sim é o mais grave visto que estou-me nas tintas para ti, é que, independentemente de teorias da conspiração, se sócrates for vítima de um erro judicial calamitoso – e este caso pelas paixões que gera é muito suscetível a isso -, a tua nojenta retórica de que isto é o estado de direito a funcionar permite branquear completamente esse erro e engavetar um inocente. o problema, val, e vê se metes isto bem na tua cabeça, é que quem mete um ex-primeiro-ministro no calabouço dois dias não pode nunca por nunca vir a admitir que errou, ou seja, neste momento sócrates já não goza da presunção de inocência e do in dubio pro reo ahahaahah esse então… graças a gente de merda como tu à esquerda é que isto está como está.

  39. Mister H, no caso de Sócrates qualquer irregularidade será uma condenação fatal. Imagina, por exemplo, que o que estará em causa possa ser apenas relativo a impostos que não foram pagos a respeito de uma coisa qualquer, é o que chegará para acabar com a sua carreira política. Donde, não valorizo o facto de ter voltado como indicador seja do que for. Para mim continua inocente até prova em contrário, tudo o resto é irrelevante neste momento em que ignoramos o que se passa.
    __

    enapa, voltaste a esquecer-te de tomar o xarope?

  40. Estou com o Val na necessidade de aceitar e seguir as regras do estado de direito.
    e o que me levou muitas vezes a defender Sócrates é o que me leva agora a aguardar mais informação e o normal curso do processo judicial.

    Mas…há aqui um grilo que não me deixa descansado. Esta atitude baseia-se na premissa que a justiça funciona, é isenta, ponderada, rigorosa, eficaz, independente…apolitica.
    Ora, os factos dos últimos anos desmentem que o nosso sistema de justiça possua estas qualidades. Repetidamente. Frequentemente.

    A isto junta-se o facto evidente, de esta operação ter sido “montada”. As camaras de televisão não foram por acaso. Os 5 ou 6 artigos da Cabrita, publicados 30 minutos depois dos eventos, estavam pré-escritos. O que se vai sabendo é planeado. A data não foi coincidência.

    Se lermos com atenção o que a Cabrita vai escrevendo…vislumbramos rápidamente a receita já várias vezes utilizada de juntar várias coisas dispersas e garantir que Sócrates estava nas redondezas. Para a população que quer sangue, chega.

    A verdade é que me parece que não há nada mais sólido neste caso do que em qualquer um dos outros “casos” inventados sucessivamente e que nunca deram absolutamente nada.

    A diferença é que agora não é 1º ministro e podem fazer o que lhes dá na gana, com o beneficio adicional de prolongarem isto durante as duas próximas eleições. Outra vez…

    Portanto, se já não conseguirmos acreditar que o sistema judicial é isento, eficaz, rigoroso. Fazemos o quê?

    Miguel

  41. A propósito… Costa foi presidente da camara um monte de anos.
    Não faltarão, certamente casos que dão origem a inquéritos relacionados com a sua gestão.
    Que, convenientemente, durarão anos enquanto os cidadãos “aguardam que a justiça siga o seu curso”.

    Miguel

  42. Miguel, estás a expor uma perplexidade e uma confusão que atingem neste momento muita gente. De facto, não confiamos na Justiça, e a “operação Sócrates” foi planeada para ser isto mesmo: uma bomba mediática. Repara que desde o artigo da “Sábado”, em finais de Julho, que o assunto era público. Portanto, seria uma questão de tempo até rebentar e muita gente no meio jornalístico e político estava a par do andamento da coisa – tal como contou o Ricardo Costa, por exemplo.

    Que fazer? Só há duas coisas para fazer: a revolução ou a defesa do Estado de direito. Nesta última hipótese, temos de respeitar os procedimentos judiciais. E esperar pelo seu desfecho. Só depois se poderá avaliar o que está em causa.

    Caso esteja em causa algum tipo de injustiça para com Sócrates, isso só irá funcionar a seu favor tal a gravidade nacional e política do caso.

  43. “Nesta última hipótese, temos de respeitar os procedimentos judiciais. E esperar pelo seu desfecho. Só depois se poderá avaliar o que está em causa.”

    Não foi isso que fizemos no caso Casa Pia que decapitou a liderança do PS? E no caso freeport que começou com uma carta de um rapazola do CDS nas vésperas das eleições de 2005 e só terminou depois de o PSD estar no governo?

    Longe de mim pôr as mãos no fogo pelo Sócrates, até porque, pessoalmente, o gajo me irrita…
    Mas foda-se é bom que nos próximos dias expliquem o que se passa sem se armarem em ventriloquos através do corpanzil da Cabrita…

    Miguel

  44. “Só há duas coisas para fazer: a revolução ou a defesa do Estado de direito. Nesta última hipótese, temos de respeitar os procedimentos judiciais. ”

    tu consegues ser repugnante. eu tenho a certeza que, noutro tempo, serias como aqueles judeus que aconselhavam os seus congéneres a enfiarem-se pacificamente nos comboios, sem levantar ondas, porque havia que “aguardar o desfecho” da coisa.
    Oh seu grande tapado, será que tu não entendes que neste momento já não há estado de direito nenhum? Então tu achas que se toda a gente já sabia da coisa e isto foi planeado para ser uma bomba mediática, vives num estado de direito? achas, seu palerma? achas que uma coisas dessas se passa num “estado de direito”? achas que toda a pulhice que tu vens para aqui denunciar se pode passar num estado que seja um “estado de direito”? não sei que merda de bosta de estado de direito vens tu para aqui defender e pedir aos outros que acreditem nele. foda-se, tu és é um PERIGO!!

  45. “A detenção para interrogatório e a divulgação dessas imagens pode contribuir para um julgamento popular dos envolvidos?

    Ainda bem. A opinião pública pode e deve fazer um julgamento político, independentemente do julgamento legal e judicial. A política e a justiça não são a mesma coisa”

    http://expresso.sapo.pt/independentemente-do-julgamento-judicial-o-pais-deve-fazer-um-julgamento-politico-de-socrates=f899511#ixzz3Jt2kYnzj

    prá semana o pingo doce faz campanha de pelourinhos e churrasqueiras joana d’arc.

  46. Miguel, mas a existência do Estado de direito não é suficiente para anular qualquer tentativa da sua perversão. Isso será assim para todo o sempre, pois é impossível evitar que alguém se lembre de fazer uma calúnia, fabricar uma prova ou dar um falso testemunho.

    Desde que há democracia que há casos judiciais para derrubar políticos. Começou com o Péricles, ou antes.
    __

    enapa, precisas de dinheiro para o xarope?

  47. olinda, reza querida, vai à bruxa, mete velinhas ao estado de direito com o val, até lá choramos pelos cantos, mas cheios de confiança – no xanax. aguarda pacientemente que a justiça se faça, sim porque a justiça é como o sol, tem de ser, é uma coisa certa, e no fim, no fimzinho, ela vai-se fazer, nem que seja depois de morrerem uns quantos milhões e outros tantos sofrerem horrores. claro, deus não dorme e as bruxas pagam, como na inquisição, era o estado de direito a funcionar, o acusador sentado ao lado do juiz, lembras-te como era, tão lindo, os dois também sentadinhos lado a lado, como hoje ainda se sentam, no mesmo plano hierárquico, a ver a bruxa a arder, sim, porque essas coisas aconteceram não há muito tempo e as tradições, principalmente as boas, demora a que passem, a bem de deus nosso senhor e o senhor juiz carlos alexandre é cá dos nossos, católico sem mácula, que, apesar de linhas tão tortas, caminhos tão estreitos e perigosos, minados pelo horror socialista que por aí anda, vai aquele devoto inspirado de uma justiça divina fazer um douto, prudente, e justíssimo despacho para encarcerar um gajo não por aquilo que faz, isso não interessa para nada, mas por aquilo que representa. a bem da nação, de todos os portugueses de bem, e, principalmente, dos seus filhos, olinda.

  48. Valupi: «Desde que há democracia que há casos judiciais para derrubar políticos. Começou com o Péricles, ou antes».

    Em Atenas raramente era preciso porque a rotação era anual. Talvez fosse boa ideia recuperar o hábito.

  49. “Desde que há democracia que há casos judiciais para derrubar políticos. Começou com o Péricles”

    mas que bosta de argumento é este e o que é que pretende provar?

  50. Gungunhana Meirelles, em Atenas fartou-se de acontecer, por variadas razões. Uma delas, no caso de Péricles que vale para outros, prende-se com o seu longo período de governação.

  51. Justamente. A longevidade do Péricles foi excepção, mas nada impedia reeleições sucessivas. As eleições eram anuais.

  52. Para ser mais preciso, os mecanismos eleitorais por sorteio ou votação para os diversos orgãos políticos, a par da democracia directa para as grandes decisões , eram complexos. Mas não era ao modo que me referia, era à frequência.

  53. amanhã de manhã o interrogatório prossegue. há que aguardar e não há mais nada a fazer por mais que façam o pino. mas podes pedir à Maria que te deite as cartas online, Enapa, ela anda sempre por aí.

  54. Este gajo, o advogado, faz-me lembrar o grande Denny Crane!

    “Caso esteja em causa algum tipo de injustiça para com Sócrates, isso só irá funcionar a seu favor tal a gravidade nacional e política do caso.”

    Concordo, não me parece que possa acontecer algo semelhante ao que se passou com o caso casa pia.

    Eu ainda espero que o Sócras seja acusado de alguma coisa mas os jornalistas já o tratam como arguido, é possível que sejamos os últimos a saber.

  55. Aquaporina: «Eu ainda espero que o Sócras seja acusado de alguma coisa mas os jornalistas já o tratam como arguido, é possível que sejamos os últimos a saber».

    Ate agora, a única acusação é a de não ter feito nada de que o possam acusar sem entorses à lei e revelações a conta-gotas planeadas numa estratégia suja de condenação por crimes de notoriedade pública que alegadamente não precisam de provas (um pouco ao estilo do Tribunal Miltar Internacional de Nuremberga, que, por acaso, não era tribunal, nem militar, nem internacional).

  56. sorte a do Cunhal, Valupi. Já tu vives no inferno de verem desmoronar-se as tuas convicções. Que vai ser de ti, Valupi? Vais-te tornar visitadora da prisão?

  57. Filipe, tens de continuar a ocupar parte da tua vida com este blogue para o descobrires. Recomendo-te uma visita diária, no mínimo. Mas dado o teu estado de ansiedade, o melhor mesmo é vires cá a cada 30 segundos.

    E aguenta. Com sorte, esse teu sofrimento há-de passar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.