8 thoughts on “Fez-se injustiça cinéfila”

  1. Um ótimo filme esse. Mas o Oscar do Jean Dujardin pelo seu papel em “O artista” foi inteiramente merecido, não sei se já viste. Impecável. Só não percebo a diferença entre “melhor ator” e “melhor interpretação”. Claro que o primeiro interpreta uma personagem totalmente inventada e a segunda (Meryl Streep) uma figura real. Será essa a diferença?

  2. A que te referes com a diferença entre “melhor ator” e “melhor interpretação”? Quanto ao “O Artista”, já vi, gostei de ver e gostei de não gostar. O filme apareceu-me como um desperdício de recursos, totalmente previsível, completamente superficial e indesmentivelmente gratuito. Mas ainda bem que existe. E que ganha prémios. E que tem público.

  3. Val, esquece. Ainda estava meia a dormir quando ouvi hoje de manhã, em francês, que Meryl Streep tinha ganho o Oscar da “meilleure interprétation” e Dujardin o de “meilleur comédien”. Vai daí…

    O filme é um divertimento, claro, que o autor sabia ir agradar aos americanos. Mas está bem feito.

  4. Eu também tenho uma pagina baralhada, tal como a Penélope. Os titulos dos posts não combinam com o conteudo. Neste por exemplo o titulo fala de cinefilia e de justiça, enquanto o texto é sobre os oscares…

    Estão outra vez com problemas técnicos ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.